Por Idonaldo Filho | 07/08/2020 11:05

Pôster oficial do UFC Vegas 6 (Foto: Divulgação/UFC)

O UFC segue sua maratona de eventos na cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos, e traz mais um card no formato fight night. Trata-se do UFC Vegas 6, que traz um evento de nível abaixo dos últimos promovidos pela organização.

Na luta principal da noite, Derrick Lewis retorna ao octógono para enfrentar o veterano Aleksei Oleinik em duelo válido pela categoria dos pesados.

Outro destaque do evento fica para o retorno de Chris Weidman, que tenta sua primeira vitória desde 2017 contra Omari Akhmedov pela categoria dos médios. Por fim, o experiente Tim Means encara Laureano Staropoli pela divisão dos meios-médios.

O UFC Vegas 6 será realizado no próximo sábado (8) diretamente do UFC Apex em Las Vegas, Nevada, Estados Unidos. O evento tem o início previsto às 19:00h com o card preliminar, enquanto o card principal deve iniciar às 22:00h, com transmissão exclusiva pelo Canal Combate.

Peso Pesado: #4 Derrick Lewis (EUA) vs. #10 Alexey Oleinik (RUS)

Por Idonaldo Filho

O excêntrico Derrick Lewis (23-7 no MMA, 14-5 no UFC) esteve envolvido em alguns casamentos curiosos nas suas últimas lutas no UFC. A “Besta Negra” encarou o indestrutível Blagoy Ivanov e o não menos grosseiro Ilir Latifi, derrotando os dois lutadores na decisão dos juízes em duelos enfadonhos. Fazendo a quinta luta principal de sua carreira no líder do mercado, outro casamento intrigante aguarda o ex-desafiante, que com uma vitória pode subir mais ainda nessa miserável categoria que pouco a pouco vem sendo renovada.

Lewis é um lutador muito pesado, que utiliza muito bem a força física no clinch e também para derrubar o adversário, sendo uma péssima opção ficar por baixo de Derrick e seu poderoso ground and pound. Em pé o que falta de técnica e velocidade, sobra de potência e oportunismo, com algumas reviravoltas surpreendentes como contra Marcin Tybura e Alexander Volkov. Costuma utilizar muitos overhands, ocasionalmente soltando alguns chutes plásticos que de nada servem. O condicionamento vergonhoso atrapalha bastante, sem falar que Lewis não inspira confiança no jiu-jítsu e contra o adversário em questão isso é um perigo.

Com quase 25 anos de carreira, Alexey Oleinik (59-13-1 no MMA, 8-4-1 no UFC) é um dos poucos lutadores em atividade no planeta que atuaram em três décadas diferentes. O russo já enfrentou todo tipo de oposição, de diversas gerações do esporte e desde 2014 vem aplicando sua feitiçaria no octógono, contratado depois de torturar Mirko Cro Cop em um neck crank. Os últimos desempenhos de Oleinik no UFC não foram tão bons, mas as duas vitórias consecutivas aproveitando a total inabilidade de Maurice Greene no chão, além de um Fabricio Werdum muito fora de forma, colocam Alexey em boas condições na divisão.

Um dos piores lutadores em pé em todo o UFC é Alexey Oleinik. O russo tem duas bigornas nos punhos, mas sua falta de traquejo para trocar socos é nítida mesmo com tantos anos de profissão, mostrando técnica pífia e insistência em mata-cobras estranhos. O queixo já o deixou faz algum tempo, sem falar no condicionamento: o russo mesmo confessa que não tem condições nenhuma de lutar cinco rounds. Mas com todos esses problemas, Oleinik consegue vencer lutas utilizando seu grappling muito oportunista e grosseiro. Especialista no estrangulamento ezequiel e de boa envergadura, Alexey consegue estrangular oponentes sorrateiramente, mostrando que é muito perigoso trocar chão com ele.

Aleksei Oleinik vs Derrick Lewis odds - BestFightOdds

Não acredito que tem condições de Oleinik derrubar Lewis, a diferença de tamanho e força é enorme. Se a luta em algum momento chegar ao chão, muito provavelmente será devido a algum knockdown ou por iniciativa do americano. Em pé, a vantagem é de Lewis, ainda que não seja impossível que ele acabe recebendo alguns golpes duros devido a sua falta de movimentação. A aposta é em vitória de Derrick Lewis por nocaute na primeira metade da peleja.

Peso Médio: #11 Omari Akhmedov (RUS) vs. Chris Weidman (EUA)

Por Rodrigo Rojas

Omari Akhmedov (20-4-1 no MMA, 8-3-1 no MMA) teve uma passagem apagada pelos meios-médios do UFC. O russo chegou a ser nocauteado pelo jiu-jiteiro Serginho Moraes, acumulando um cartel de 5-3 na categoria. Em 2017, subiu para a categoria até 84 kg e conquistou três vitórias em sequência, a última delas contra o prospecto Ian Heinisch.

Nascido no Daguestão e parceiro de Khabib Nurmagomedov, Akhmedov tem suas bases no wrestling e no sambô, como não podia deixar de ser. Sua trocação é básica, baseada em mata-cobras e socos abertos que o expõem muito em trocas mais longas. Todos os golpes são lançados com toda a força, abrindo avenidas para contragolpes dos oponentes. Sua base no wrestling é traduzido em quedas explosivas e em um gás interminável, mas pouca efetividade ou urgência no chão. O resultado são lutas arrastadas e, muitas vezes, feias.

Chris Weidman (14-5 no MMA, 10-5 no UFC) gravou seu nome na história do MMA ao se tornar o homem a destronar Anderson Silva. Para sacramentar sua importância no esporte, venceu a revanche contra Anderson e ainda defendeu o cinturão conquistado ao bater os ex-campeões Lyoto Machida e Vitor Belfort. Sua carreira tomou um rumo para o pior quando enfrentou Luke Rockhold e acabou sofrendo muito mais do que o necessário sob o ground and pound do californiano, devido a falta de ação do árbitro Herb Dean.

Desde a derrota para Rockhold, Weidman sofreu dois pares de derrotas por nocaute, entermeadas por uma finalização sobre Kelvin Gastelum, o que provavelmente salvou sua carreira, que está por um fio desde então.

All-American da primeira divisão da NCAA e faixa preta de Renzo Gracie, Weidman tem no grappling de alto nível suas principais armas. O single-leg é virtualmente imparável e, por cima, Chris avança posições como poucos, alternando ground and pound e tentativas de finalização. O controle posicional a partir da riding position é excelente, assim como a habilidade nos scrambles. Os estrangulamentos oportunistas também são sempre perigosos.

A trocação vem evoluindo com o tempo, e Weidman tornou-se um kickboxer muito competente, com socos alinhados e boas combinações de golpes, além de boa capacidade para explorar brechas deixadas pelos oponentes, controlar a distância e acertar contragolpes. Apesar disso, Chris se expõe ao andar para frente e em trocas de golpes mais longas, o que causou suas derrotas até aqui.

Chris Weidman vs Omari Akhmedov odds - BestFightOdds

Finalmente, Weidman recebe uma luta vencível. Devido a seu nome e importância, o ex-campeão só vem enfrentando gente da elite. Apesar da boa sequência de Akhmedov, o americano é maior, tem mais envergadura e é muito mais técnico em todas as áreas. Se não estiver 100% podre e tiver um desempenho decente, Chris pode vencer como quiser. Seu jogo em pé está há anos-luz do adversário, assim como o grappling. Omari pode complicar com algumas quedas e overhands, mas é só. A aposta é em Weidman, que pode usar um jogo mais conservador e controlar a luta, vencendo na decisão.

Peso Meio-Médio: Tim Means (EUA) vs. Laureano Staropoli (ARG)

Por Israel Silveira

Tim Means (29-12-1 1NC no MMA, 11-9 1 NC no UFC) é o legítimo brawler que já está mais perto do fim da carreira, que iniciou em 2004. Means vem em sequência complicada nos últimos anos com três derrotas em suas últimas cinco lutas, além de atuações suspeitas contra Serginho Moraes e Belal Muhammad e um brutal nocaute sofrido pelas mãos de Niko Price.

Means sempre adotou o estilo de encurtar e bater, combinando sua decente trocação e com seu jogo de quedas que, contra adversários “comuns”, costuma funcionar.  A luta contra Daniel Rodríguez mostra que Tim Means não tem muitas alternativas contra adversários que aguentam sua pressão e sabem se virar em pé. No papel, era uma luta em que Means dominaria facilmente em pé, o que não se confirmou.

Laureano “Pepi” Staropoli (9-2 no MMA, 2-1 no UFC) tem somente três lutas no UFC que ainda não dão boa perspectiva sobre o nível técnico do argentino. Staropoli tem vitórias sobre o inofensivo Hector Aldana (que perdeu todas as lutas que fez no UFC) e Thiago “Pitbull” Alves que estava bem longe dos seus melhores dias.

O primeiro teste real de Staropoli no UFC foi contra o “rei do Kung Fu” Muslim Salikhov que o tirou para nada, castigando-o com duros chutes ao longo de todo o combate e conseguindo três quedas, algo que liga o sinal de alerta a respeito da defesa de quedas de Staropoli (que também foi derrubado por Thiago Pitbull).

Apesar de estar dando passos finais na carreira, Tim Means tem vantagem em diversas áreas para este combate. Ele é o melhor striker do confronto, melhor wrestler e possui nove centímetros a mais de envergadura. Staropoli terá vantagem no gás e no queixo, já que ele provou ser capaz de manter o volume de golpes ao longo dos três rounds e aguentar castigo.

Laureano Staropoli vs Tim Means odds - BestFightOdds

A luta tem dois cenários plausíveis: Tim Means encurtando e conseguindo impor seu muay thai e boxe para conseguir um nocaute no primeiro round, ou Staropoli conseguindo aguentar algum castigo para eventualmente superar Means em volume de golpes, levando a luta por decisão. A aposta vai para o americano, que além de ser melhor em pé também poderá se valer de seu wrestling para esta luta, que deverá ser bastante movimentada.