Por Edição MMA Brasil | 21/08/2021 05:12

Depois de uma semana de hiato programado que colocou fim a uma sequência de eventos, o UFC retoma as atividades na noite deste sábado (21) ao realizar mais um evento menos badalado. Chegou a hora de falar sobre o UFC Vegas 34, que será sediado diretamente do UFC Apex em Las Vegas, Nevada (EUA).

Na luta principal da noite, dois pesos médios se enfrentam em confronto de cinco rounds com o mesmo propósito de recuperação de derrotas sofridas para o ex-campeão Robert Whittaker, mas em momentos e urgências diferentes. Terceiro colocado no ranking da divisão, Jared Cannonier tenta retomar o caminho das vitórias em busca de, quem sabe, uma oportunidade de disputar o cinturão. Do outro lado do octógono, o nono colocado Kelvin Gastelum retorna ao octógono buscando afastar a má fase que lhe rende quatro derrotas em suas últimas cinco lutas.

Ao longo do card, uma luta bastante relevante para a categoria dos moscas foi mal posicionada na ordem de lutas, mas será lembrada e analisada por nós. Terceiro colocado na divisão de até 57kg, o brasileiro Alexandre Pantoja retorna ao octógono com o propósito de, enfim, conseguir uma vitória relevante para aumentar suas chances de disputar o título da divisão. Para isso, ele terá que superar o talentoso Brandon Royval, sexto colocado nos rankings e que tenta provar que, sim, pertence ao top 5 da ótima categoria.

O UFC Vegas 34 tem início programado para começar às 20h com o card preliminar, enquanto o card principal está previsto para começar às 23h. O evento contará com transmissão exclusiva do Canal Combate no Brasil, com as duas primeiras lutas do card preliminar sendo transmitidas nas redes sociais do UFC e do Canal Combate.

Peso médio: #3 Jared Cannonier (EUA) vs. #9 Kelvin Gastelum (EUA)

Por Matheus Costa

Dono de uma das jornadas mais curiosas dos últimos tempos no UFC, Jared Cannonier (13-5 no MMA, 6-5 no UFC) protagonizou uma reviravolta impressionante em sua carreira. De um peso pesado limitado que não tinha qualquer perspectiva, o atleta mudou radicalmente o seu corpo, desceu para a categoria dos médios e se tornou um dos principais atletas da divisão, vencendo nomes como Anderson Silva e Jack Hermansson. Sua ascensão, no entanto, foi interrompida pelo ex-campeão Robert Whittaker que não teve grandes dificuldades ao derrotar o “Killa Gorilla” por decisão unânime no UFC 254.

Aos 37 anos de idade, Cannonier está longe de ser um prospecto, mas também não estamos falando de um veterano com uma quilometragem muito avançada no esporte. Jared é um boxer que trabalha golpes com muita potência em seus adversários, compensando muito mais pelo vigor físico do que pela técnica e pela velocidade, com um belo poder de nocaute. Ele deixa bastante a desejar na parte de luta agarrada, algo que pode realmente ser um problema para ele contra um wrestler de origem qualificado.

Um lutador que sempre (!) entrega entretenimento ao público é o americano Kelvin Gastelum (16-7 no MMA, 11-7 no UFC), que curiosamente não vive um bom momento na carreira e precisa recuperar a confiança para não correr riscos de ser chamado no RH da maior empresa de MMA do mundo. Somando quatro derrotas nas últimas cinco lutas, incluindo revezes para Israel Adesanya em um clássico inesquecível e para o ex-campeão Robert Whittaker em sua última luta, o atleta da Kings MMA prometeu uma versão inédita para o seu confronto contra Jared Cannonier. No entanto, ele voltou a quase não bater o peso limite da divisão, uma antiga e duradoura mancha em sua carreira.

Campeão do TUF 17 na categoria dos meio-médios, Kelvin Gastelum iniciou sua carreira nos tatames de wrestling e se tornou um grappler de qualidade, desenvolvendo um bom controle de topo e ótimas transições, especialmente quando almeja finalizações. Sob a tutela de Rafael Cordeiro na Kings MMA, o atleta se tornou um kickboxer de bastante qualidade, adicionando um vasto arsenal de golpes a um poder de nocaute impressionante e um queixo de titânio, que aguentou muitos golpes dos melhores strikers da categoria.

Jared Cannonier vs Kelvin Gastelum odds - BestFightOdds

Em um duelo bem intrigante e que deve animar bastante o público do UFC Vegas 34, Gastelum e Cannonier devem engajar bastante na curta distância e trocar muitos golpes fortes, que torna a luta um pouco imprevisível de certo ponto. No entanto, pelo momento ruim na carreira, Kelvin pode recorrer a suas origens e usar o seu wrestling para colocar o “Killa Gorilla” de costas no chão para garantir um triunfo. Logo, o palpite fica para a vitória do ex-desafiante por finalização entre o segundo e terceiro round.

Peso mosca: #3 Alexandre Pantoja (BRA) vs. #6 Brandon Royval (EUA)

Por Gustavo Lima

Alexandre Pantoja (23-5 MMA, 7-3 UFC) parece ter abraçado de vez o posto de grande porteiro do top 5 da divisão dos moscas no UFC. Apesar de normalmente integrar essa fatia do ranking e/ou ser lembrado entre os melhores atletas até 57kg, os últimos quatro duelos do carioca mostram um teto bem visível em relação a atletas de determinado nível, mas uma qualidade que sobra contra lutadores do meio da tabela.

Nas quatro aparições supracitadas, Pantoja ostenta vitórias sobre os bons Manel Kape e Matt Schnell, mas sofreu revezes nas mãos dos excepcionais Askar Askarov e Deiveson Figueiredo. Com 31 anos e dono de carreira extensa, o brasileiro se encontra numa situação onde já não basta apenas fazer de tudo muito bem, mas é preciso entregar um nível acima de desempenho se ainda há alguma chance de colocar as mãos no ouro, visto que a nata da divisão é constituída por especialistas e/ou lutadores completos com qualidade geral superior.

Tentando cruzar a linha na tabela e se aproximar do grupo de combatentes diferenciados da divisão está Brandon Royval (12-5 MMA, 2-1 UFC), atleta que vem de derrota após dois excelentes desempenhos, mas que tem “ao seu favor” o fato de ter sido batido pelo incrível Brandon Moreno, hoje campeão da categoria até 125 libras. O “Raw Dawg” é ex-campeão do LFA e chama atenção por sua efetividade no jiu-jítsu, tendo anotado oito vitórias por finalização em toda a sua carreira até aqui. Todavia, o norte-americano não é cachorro de um truque só e tem se mostrado um grande striker desde que atingiu o UFC, abrindo caminho para suas vitórias com uso de bom boxe e muay thai.

Outro diferencial de Royval e que tem dado trabalho até aqui é sua estatura: com 1,75m de altura e 1,79 de envergadura, o atleta não somente é enorme para sua categoria, como também consegue se equivaler em relação a lutadores menores considerando aspectos como velocidade, força e absorção de golpes. No duelo contra Kai-Kara France, por exemplo, Brandon parecia um adulto batendo num adolescente.

Alexandre Pantoja vs Brandon Royval odds - BestFightOdds

Puxando a “capivara” de ambos os atletas e colocando frente a frente, vemos atletas com muitas semelhanças notáveis em relação a estilos equilibrados e boas origens na luta agarrada, mas dotados de boa propensão a conduzir o combate na luta em pé. Ambos são strikers que não abusam do volume, mas não necessariamente abrem mão de uma postura propositiva. A diferença neste sábado se dará nos detalhes.

Pantoja bate forte e melhor, mas não é necessariamente tão ágil e costuma ter quedas de desempenho no decorrer de suas lutas. Por falar em quedas, Royval também não é tão espetacular ao defendê-las, mas o grande ponto de interrogação aqui é a diferença que a parte física irá fazer. Voltando ao campo da trocação e olhando o prisma pela ótica das dimensões, não é absurdo acreditar que Brandon levará vantagem conectando a maioria dos golpes na maioria das circunstâncias possíveis da luta.

Ao analisar todos esses fatores, minha aposta vai em Brandon Royval em um confronto que promete ser muito divertido. Pantoja é um belo lutador e tem plena capacidade de equalizar todos esses fatores e colocar fogo na luta com suas inúmeras boas qualidades, mas a análise geral da mesa aponta para o estadunidense saindo com braço levantado.

Fotos: UFC/Divulgação