Por Edição MMA Brasil | 23/04/2021 19:48

Depois de semanas de espera, chegou a hora. Eis que entra em cena o UFC 261, um dos principais eventos do UFC no ano que traz três excelentes disputas de cinturão para os fãs de MMA.

Na luta principal da noite, uma revanche muito aguardada de um dos principais combates do ano de 2020. O campeão dos meios-médios Kamaru Usman retorna ao octógono para reencontrar o rival Jorge Masvidal, que agora com tempo de preparação, promete tentar chocar o mundo para se tornar o novo campeão da divisão.

Já na luta coprincipal do evento, um dos duelos mais aguardados da história da categoria dos palhas se torna realidade. A campeã Weili Zhang retorna ao octógono para enfrentar a ex-campeã Rose Namajunas, que terá mais uma oportunidade de conquistar o cinturão novamente.

A última disputa de cinturão da noite ocorre na categoria feminina dos moscas. Dando sinais de ser invencível contra as últimas oponentes, a campeã Valentina Shevchenko chega para mais uma defesa de cinturão para enfrentar um dos duelos mais intrigantes de seu reinado. Trata-se de Jéssica Andrade, ex-campeã dos palhas que tenta uma nova fase na categoria de cima e chega com a missão de conquistar o segundo cinturão em categoria diferente.

Por último, o retorno do ex-campeão dos médios que pode encerrar sua passagem pelo UFC. Vindo de péssimos resultados desde o fim de seu reinado na divisão de 84kg, Chris Weidman chega para manter sua estadia na maior organização do mundo contra Uriah Hall, que quer provar um ponto sobre sua real capacidade.

O UFC 261 será realizado neste sábado (24) na VyStar Veterans Memorial Arena em Jacksonville, Flórida (EUA). O card preliminar tem início previsto para 20:00h, enquanto o card principal deve começar por volta de 23:00h pelo horário de Brasília.

Disputa de cinturão peso meio-médio: C Kamaru Usman (NIG) vs. #4 Jorge Masvidal (EUA)

Caro leitor (a). È importante entender que cada vez que nós assistimos Kamaru Usman lutar no octógono mais famoso do mundo, estamos assistindo a história de um dos meios-médios mais dominantes da trajetória do UFC ser escrita diante dos nossos olhos. O nigeriano enfileirou nomes impressionantes para o seu currículo e o teto parece ser maior ainda. A era de Kamaru Usman (18-1 no MMA, 13-0 no UFC) dá indícios que não está perto de terminar.

Quando o nigeriano surgiu através do TUF 21, a impressão é de que teríamos mais um wrestler unidimensional para a categoria dos meios-médios, que foi All-American da Divisão II por três vezes e um campeonato nacional. No entanto, o monstrinho evoluiu. O wrestling ficou super dominante, o clinch é de uma pressão quase inigualável e o controle posicional é de alta qualidade. E como o nosso colunista Pedro Carneiro gosta de dizer, o ground and pound de Usman é uma forma de vandalismo. Em pé, Usman evoluiu seu boxe, maturou a técnica dos seus golpes e ganhou um jab bem certeiro, além de melhorar e muito sua movimentação.

Se tem alguém maluco o suficiente para trocar porrada com Kamaru Usman sem qualquer arrependimento, este é Jorge Masvidal (35-14 no MMA, 11-7 no UFC). O Jesus das Ruas aceitou o desafio de enfrentar Usman na primeira luta com menos de duas semanas de preparação e, dada as devidas proporções, teve uma atuação digna. Quase um ano depois, o americano de ascendência cubana retorna ao octógono para reencontrar em seu último algoz.

Wrestler de origem e forjado nas lutas de fundo de quintal (literalmente) do saudoso Kimbo Slice nos Estados Unidos, Masvidal tornou-se um lutador bastante completo ao longo de sua carreira. Dono de um boxe eficiente e técnico, o “Gamebred” também se destaca pelas transições, seja em pé ou no chão, com o oportunismo de finalizar suas lutas. Com a filosofia das ruas, o meio-médio sempre entra para matar ou morrer no octógono.

Jorge Masvidal vs Kamaru Usman odds - BestFightOdds

Depois de um duelo casado no apagar das luzes, confesso que estou muito interessado para ver o reencontro entre Usman e Masvidal com um contexto apropriado para os dois lutadores. No entanto, acho que o americano não será capaz de lidar com a pressão do nigeriano por cinco rounds. Portanto, a aposta fica para mais uma vitória por decisão do campeão dos meios-médios.

Disputa de cinturão peso palha: C Weili Zhang (CHI) vs. #1 Rose Namajunas (EUA)

Desde que estreou no UFC em 2018 batendo Danielle Taylor, Weili Zhang teve uma ascenção meteórica dentro da organização, impressionando mais a cada vitória. Em 2020, se consagrou ao obliterar a então campeã Jessica Bate-Estaca em menos de 1 minuto e, na luta seguinte, fez um dos combates mais impressionantes do ano ao superar a maior lutadora da história da categoria, Joanna Jedrzejczkyk.

Com base no kung fu e no sanda, Weili é, essencialmente, uma striker. Ela conta com combinações velozes de socos e chutes, sempre buscando exercer pressão para encurralar as adversárias e com muito talento para controlar a distância e um bom trabalho de fintas, raramente desperdiçando energia, apesar da agressividade. A campeã tem, ainda, a distinção de atuar com muita qualidade andando para trás, com habilidade para atuar nos contragolpes quando a oponente avança contra ela. Alguns de seus melhores momentos são no violento jogo de clinch, com cotoveladas e joelhadas brutais – como as que vitimaram Jéssica Andrade – e um bom trabalho de enquadramento. Além disso, a faixa roxa de jiu-jítsu adaptou bem o jogo de chão, contando com finalizações oportunistas e boas quedas, além de um ground and pound violento.

Rose Namajunas (9-4 no MMA, 7-3 no UFC) evoluiu a olhos vistos no MMA. A americana participou do TUF 20 com apenas 22 anos, e atravessou sua concorrência. Ainda muito crua, ela acabou dominada pela wrestler Carla Esparza na final. Após a derrota, emendou uma trinca de vitórias sobre bons nomes, interrompida pelo jogo de clinch de Karolina Kowalkiewicz. Uma vitória sobre Michelle Waterson carimbou seu passaporte para enfrentar a invicta e dominante Joanna Jedrzejczyk pelo título. Ela aproveitou a oportunidade para chocar o mundo, nocauteando a polonesa ainda no primeiro round. Na revanche, uma atuação de gala, dominando a striker em seu próprio jogo, a consolidou como a melhor peso palha do mundo.

Oriunda do taekwondo, arte em que começou a treinar aos 5 anos de idade, Rose desenvolveu ao lado do marido, o ex-UFC e kickboxer Pat Barry, um jogo em pé dos mais belos do MMA. A movimentação é brilhante, acompanhada por um boxe alinhado trabalhado em combinações tecnicamente excelentes, além dos belos chutes originados da arte marcial coreana. O clinch também se tornou uma arma útil, facilitando quedas que permitem que Rose mostre seu enorme talento no jiu-jítsu, que conta com kimuras, chaves de braço voadoras e uma facilidade tremenda para chegar nas costas das adversárias. A defesa de quedas é uma parte bastante negligenciada do jogo de Namajunas, fato que ela tenta compensar com uma guarda ativa de costas para o chão.

Rose Namajunas vs Weili Zhang odds - BestFightOdds

Assim como na última defesa de cinturão da categoria, a luta de sábado deve ser um prato cheio para fãs de trocação. As duas são excelentes no jogo em pé, além de bastante agressivas, o que deve tornar o combate muito interessante. Rose joga melhor no volume e no contragolpe, enquanto a chinesa é mais agressiva e potente. Devemos ver, ainda, bons momentos no clinch e, se a luta for para o chão, Zhang provavelmente estará em posição de vantagem. Apesar do fato de Namajunas ter todas as condições técnicas de se movimentar pontuando até levar a vitória na decisão, a aposta aqui fica para um nocaute técnico da campeã asiática, suplantando Rose com sua pressão e agressividade.

Disputa de cinturão peso mosca: C Valentina Shevchenko (KGZ) vs. #1 Jéssica Andrade (BRA)

Um fenômeno, a quirguiz Valentina Shevchenko (20-3 no MMA, 9-2 no UFC) é hoje com segurança a segunda melhor atleta de MMA da atualidade, atrás apenas de sua algoz Amanda Nunes. Valentina hoje não vê nenhuma atleta que pode chegar perto de ameaça-la no peso mosca, tendo na sua oponente deste sábado um desafio um pouco mais relevante e, que pela primeira vez possa oferecer algum desafio, ainda que mínimo. Dentre as últimas vítimas da dominante campeã, temos Katlyn Chookagian – que foi surrada – e Jennifer Maia, que embora tenha tido alguns bons rounds, não foi páreo para Shevchenko.

Cria de longa data do muay thai, Valentina é especialista na trocação e praticamente baila no octógono, mostrando um dos maiores repertórios do esporte na trocação, com qualidade em praticamente todos os aspectos. Ainda que, por muitos momentos careça de urgência e, pareça burocrática e com tendência a apenas levar a luta para decisão, alguns desfechos brutais estão na conta da naturalizada peruana, destaque para o lindo nocaute em cima de Jéssica Eye. No chão, também mostra habilidade muito acima da média. Valentina é excelente judoca, com uma guarda muito perigosa e conta com habilidade no domínio posicional e nas transições. Sem tantos defeitos aparentes e no auge da carreira, está difícil imaginar que apareça alguém que bata o peso mosca e seja hábil a derrotar a “Bullet”.

Aluna da PRVT, Jéssica Bate-Estaca (21-8 no MMA, 12-6 no UFC) é velha de casa e lutou em todas as categorias – até por que o peso pena não conta – do UFC. Estreando como peso galo, decidiu por descer ao peso palha onde chegou ao estrelato e se tornou campeã, agora com o difícil objetivo de repetir na nova categoria. O primeiro passo no peso mosca não poderia ter sido melhor, com um nocaute brutal em cima da ex-desafiante Katlyn Chookagian, que logo credenciou Andrade a disputa de cinturão.

Muito forte, Jéssica não tem o apelido atoa, como vimos em sua vitória sobre Rose Namajunas. Bate-Estaca é uma das atletas mais fortes do UFC e, que mesmo sendo pequena em tamanho, costuma ter boa vantagem física nos combates que realiza quanto a disputa de forças, clinch e em quedas. Com punhos de aço, a brasileira é nocauteadora, embora não seja lá muito técnica. No chão é faixa preta de jiu-jítsu, com alguns campeonatos disputados. O principal problema é a defesa esburacada e a grande desvantagem técnica que terá contra Shevchenko, que pode muito bem replicar o que Namajunas e a ex-campeã Joanna fizeram em suas vitórias sobre Jéssica.

Jessica Andrade vs Valentina Shevchenko odds - BestFightOdds

É inegável que Jéssica é o maior desafio no momento que Valentina pode ter. Mesmo assim, não deve ser o suficiente para retirar a coroa da dominante campeã.

Para Jéssica talvez valha a pena tentar amarrar a luta no clinche, batendo na campeã e tentando algumas quedas ocasionais na base da força, até por que se partir para trocação as chances não são muito boas se considerarmos que Valentina é muito experiente e tem toda vantagem técnica, com a brasileira se limitando ao famoso e se a mão entrar. A aposta é segura, Valentina na decisão dos juízes, com domínio total em todos os rounds em mais uma exibição de gala.

Peso médio: #9 Uriah Hall (JAM) vs. #11 Chris Weidman (EUA)

Vindo em sua melhor sequência no UFC, Uriah Hall (16-9 no MMA, 9-7 no UFC) tenta buscar consistência dentro da organização e transformar seu grande talento em vitórias importantes. Conhecido pelo seu reinado de terror dentro do TUF 17, no qual ele garantiu a todos os seus adversários uma passagem de ida para o hospital, Hall sempre alternou entre completa aniquilação dos adversários e hesitação, falta de senso de urgência e derrotas. O nova-iorquino vem de derrotar o que restou de Anderson Silva e uma vitória bastante apertada contra Antônio Cara-de-sapato, sendo que nas duas vitórias o “primetime” teve performances bastante sólidas no que se propôs a fazer: estabelecer o jab, chutes potentes e muita potência na mão direita.

Hall é faixa preta de Karate Kyokushin, além de possuir bastante background em Kickboxing, o que faz dele um dos lutadores mais perigosos ofensivamente da divisão dos médios. Além disso ele possui uma defesa de quedas que normalmente aguenta o tranco quando o adversário não é um grappler de elite. Todavia, Hall tende a esperar demais durante os combates e é mentalmente fraco, com sua performance caindo muito quando enfrenta alguma adversidade. Muitos acreditam que essa fase do Uriah Hall “arregão” (com o perdão da palavra) ficou para trás desde que ele está sob a tutela do técnico Sayif Saud desde 2019. Pode ser coincidência, mas desde a mudança Hall está invicto.

Ao contrário de seu adversário que está em ascensão dentro da divisão, Chris Weidman (15-5 no MMA, 11-5 no UFC) vem na pior fase da carreira com o fraco retrospecto de ter vencido somente duas de suas últimas nove lutas. Desde ter sido completamente aniquilado por Luke Rockhold, Weidman teve uma drástica queda em suas performances. O fato de ter sofrido uma das mais brutais joelhadas da história do evento por parte de Yoel Romero também não ajuda o caso. Weidman tentou também uma passagem pela divisão dos meios-pesados, mas bateu de frente com Dominick Reyes que o lançou de volta para os médios após um brutal nocaute.

Weidman possui um dos melhores jogos de wrestling dentro da organização, tendo recebido duas vezes a honra de all-american durante sua carreira no wrestling universitário. Weidman fez seu nome dentro do UFC utilizando seu wrestling de elite e seu ótimo nível de jiu-jitsu (faixa preta de Renzo Gracie), além de mãos muito pesadas, o que faz dele uma ameaça tanto no ground and pound quanto pelas finalizações. Weidman, no entanto, não consegue mais impor seu wrestling por muito tempo por conta de seu gás que é cada vez pior e, quando a luta discorre em pé, sua resistência a golpes o vem deixando na mão. Fato é que Weidman sofreu knockdowns em quatro de suas últimas cinco lutas.

Chris Weidman vs Uriah Hall odds - BestFightOdds

Esse combate será definido pela capacidade de Uriah Hall de evitar as quedas no primeiro round. Se Weidman conseguir uma queda logo no início da luta, ele tem grandes chances de conseguir uma finalização sobre Hall. No entanto, em cada segundo que a luta permanecer em pé, Weidman estará em sério perigo de ser brutalmente nocauteado. Ao meu ver Uriah Hall deve ser capaz de resistir as quedas, ou pelo menos não ser finalizado, enquanto o “All american” ainda possuir gás para tentar e eventualmente conseguirá mais um nocaute para sua coleção.