Por Idonaldo Filho | 07/10/2021 00:01

Uma péssima luta principal acabou amargando um pouco o UFC Vegas 38, que teve alguns confrontos interessantes. No duelo mais importante da noite tivemos cinco rounds de encaradas entre Thiago Marreta e Johnny Walker, que aparentemente se respeitaram demais um duelo que mais pareceu um sparring leve entre dois amigos, vencido pelo ex-desafiante da categoria.

+UFC Vegas 38: Marreta vs. Walker – Resultados

Pelo duelo coprincipal do UFC Vegas 38 tivemos uma grande controvérsia, já que a luta entre Kevin Holland e Kyle Daukaus virou no contest após uma cabeçada não intencional. Daukaus praticamente nocauteou Holland e o finalizou com um mata-leão, mas a cabeçada foi totalmente decisiva para mudar os rumores do confronto. Após revisão no “VAR”, a decisão correta foi tomada pelo árbitro central.

+ Apoie o MMA Brasil e colabore com o jornalismo independente

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC Vegas 38.

THIAGO MARRETA VS. VENCEDOR DE MAGOMED ANKALAEV/VOLKAN OEZDEMIR

Não foi um desempenho animador por parte de Marreta, que até teve alguns avanços mas ficou bastante receoso durante todo o combate enfrentando o compatriota Johnny Walker em uma peleja de clima bastante amistoso e que não agradou os espectadores. A favor de Marreta, conta a vitória que tem contra o campeão Jan Blachowicz, mas precisa mostrar muito mais se quiser voltar ao posto de desafiante. Por enquanto, com boa parte dos atletas com lutas marcadas, não tem muita opção além de esperar.

Eu sugiro que Marreta enfrente o vencedor de Magomed Ankalaev e Volkan Oezdemir, que se enfrentam no final do mês, no UFC 267 em Abu Dhabi, até por que é a opção que temos por agora já que consideramos que muito provavelmente Jiri Prochazka é o próximo na linha. Caso seja o russo, temos um casamento horroroso para Marreta, que sofreu no grappling contra oponentes menos qualificados nessa área – sem falar que o daguestanês é muito perigoso em pé. Contra Oezdemir, o problema seria a situação do suíço que se envolveu com alguns problemas judiciais e não anda lutando nos EUA, mas que oferece um desafio um pouco mais realista para o brasileiro.

JOHNNY WALKER VS. PAUL CRAIG

Esperávamos o tradicional Johnny Walker, que não tem muita responsabilidade e adora soltar golpes rodados, ousados, joelhadas voadoras e pouco se importa com a defesa, mas não foi isso que vimos. Walker teve bastante dificuldades para utilizar de sua vantagem na envergadura, abusou das fintas em vez de desferir golpes e acabou não fazendo o suficiente para colocar alguma pulga atrás da orelha dos juízes. O cria do Contender Series Brasil não está em boa sequência, só tendo vencido uma peleja entre as últimas quatro, merecendo um oponente mais abaixo na tabela.

Sugiro que enfrente Paul Craig. O escocês iria enfrentar Alexander Gustafsson, mas o sueco se lesionou e teve que se retirar do combate. Se fizessem Walker vs. Craig, tem tudo para acontecer alguma bizarrice, tendo em vista que são dois lutadores geralmente envolvido em desfechos curiosos, seja através de finalizações como Paul, ou por nocautes no caso de Walker. Tudo faz crer que seria uma disputa de quem conseguisse levar o jogo para a zona de conforto primeiro. Dá pra jogar em um card preliminar de PPV tranquilamente.

KEVIN HOLLAND VS. KYLE DAUKAUS II

Desfecho polêmico na luta coprincipal do UFC Vegas 38 entre Kyle Daukaus e Kevin Holland. Em meio a uma troca franca de golpes, Daukaus abaixou a cabeça para jogar um soco e acabou atingindo com força o queixo de Holland, que instantaneamente foi a knockdown, resistindo por algum tempo, até ser pego em uma finalização estando ainda atordoado pela cabeçada. Inicialmente, tudo parecia encaminhar para uma vitória por submissão de Daukaus, até que o árbitro Dan Miragliotta, junto com um comitê de palpiteiros composto por Herb Dean, Sean Shelby e alguns coroas decidiram olhar para o VAR e entenderam por declarar um no contest.

É caso clássico de fazer mais uma vez, sendo inclusive o que os próprios atletas querem, já que logo após saberem que a luta não teria resultado conversaram entre si para que fizessem uma revanche. Não acho nem um pouco ruim, pois o combate foi divertido até onde durou e, a zebra esteve perto de pintar, com Daukaus levando vantagem na luta até o momento da cabeçada, com Holland mais preocupado em falar abobrinha do que propriamente se defender. Só vamos aguardar Kevin se recuperar da concussão e  esperar o UFC remarcar o confronto.

NIKO PRICE VS. NICOLAS DALBY

Niko Price é violento e todos sabemos disso. Na luta contra Alex Cowboy, até pareceu em alguns momentos que o brasileiro poderia arranjar alguma coisa, mas Price aproveitou as diversas brechas que Alex deu para ele, inclusive revertendo posições no solo e terminando em bom ritmo a contenda, para garantir sua vitória na decisão e voltar para a coluna de triunfos no UFC, já que estava três lutas sem sentir o gosto da vitória.

Eu acharia muito maneiro uma luta contra Nicolas Dalby, que é um atleta completinho que adora estar envolvido em duelos animados e não foge da pancadaria franca. É uma opção de meio de tabela, que faz sentido hoje e que inevitavelmente deve acontecer em algum momento, até por já terem enfrentado adversários em comum e serem atletas que andam com boa presença no octógono nesses últimos anos.

Confira outras opções para os envolvidos no UFC Vegas 38:

Alex Cowboy vs. demissão
Krzysztof Jotko vs Vencedor de Shahbazyan/Imavov
Misha Cirkunov vs. Abu Azaitar
Alexander Hernandez vs. Vencedor de Iaquinta/Green
Mike Breeden vs. Austin Hubbard
Jared Gordon vs. Drakkar Klose
Joe Solecki vs. Netto BJJ
Casey O’Neill vs. Perdedora de De La Rosa/Barber
Antonina Shevchenko vs. Mandy Bohm
Karol Rosa vs. Yana Kunitskaya
Bethe Correia vs. aposentadoria
Jamie Mullarkey vs. Daniel Teymur
Devonte Smith vs. Rafael Alves
Douglas d’Silva vs. Mario Bautista
Gaetano Pirrello vs. demissão
Stephanie Egger vs. Julija Stoliarenko
Shanna Young vs. demissão
Alejandro Perez vs. Raoni Barcelos
Johnny Eduardo vs. demissão

Fotos: UFC/Divulgação.