Por Idonaldo Filho | 07/08/2020 09:20

Depois de uma semana de folga após o último evento, o Bellator retorna na mesma Mohegan Sun Arena em Uncasville, com o Bellator 243 nessa sexta-feira (7). Liderando o card temos a revanche entre Michael Chandler e Benson Henderson, que fizeram uma excelente luta em 2016. O duelo esteve marcado para acontecer no Bellator Japão, mas somente agora que o casamento vai se concretizar.

O card preliminar terá início as 20:15h no horário de Brasília e pode ser assistido no aplicativo do Bellator. Já a porção principal começa as 23:00h e terá transmissão brasileira na ESPN, segundo o site do canal.

A LUTA PRINCIPAL: MICHAEL CHANDLER (EUA) VS. BENSON HENDERSON (EUA)

Para quem não lembra, a primeira luta entre Michael Chandler (20-5 no MMA, 17-5 no Bellator) e Benson Henderson (28-8 no MMA, 5-3 no Bellator) aconteceu no Bellator 165. O duelo teve vários grandes momentos, com vitória de Chandler na decisão dividida no final dos 25 minutos. Naquela época, Chandler fazia a primeira defesa de seu segundo reinado como campeão, enquanto Henderson vinha de vitória sobre Patricio Pitbull após uma lesão do brasileiro.

O contexto atual é um pouco diferente. Chandler perdeu o cinturão em duas oportunidades, a primeira por cortesia de Brent Primus – após uma lesão –, recuperando a cinta um ano depois. A última derrota foi contra Patricio Pitbull, que nocauteou o americano e conquistou o posto de campeão de duas categorias. Chandler lutou depois de perder o ouro, derrotando o substituto Sidney Outlaw no Japão por nocaute.

É incrível, mas dá pra falar. Estamos em 2020 e é a melhor fase do ex-campeão do UFC Benson Henderson no Bellator. O “Smooth” vem de quatro vitórias consecutivas enfrentando nomes medianos da categoria. Dentre os derrotados, os melhores são Myles Jury e Adam Picollotti. Com 36 anos e sendo um dos líderes da MMA Lab, dá para dizer que a carreira de Henderson está perto de um fim, mas ele ainda pode proporcionar alguns duelos divertidos.

A peleja dessa vez será em três assaltos e a preparação dos atletas provavelmente foi afetada pelo coronavírus. Com base nas últimas aparições, acredito na vantagem de Chandler. Isto é reforçado pelo fato de Henderson vir utilizando com muita frequência quedas e pressão no grappling, áreas em que Michael é especialista.

Por mais que não tenha tanto hype como no primeiro combate, dá para falar que é um bom momento para casar a revanche. Nenhum lutador vai ficar em situação complicada na divisão com uma derrota, enquanto o vencedor se coloca diretamente no bolo para ser o próximo desafiante.

DESTAQUE DO CARD PRINCIPAL: CONTRATAÇÕES BUSCAM AFIRMAÇÃO

Myles Jury (18-5 no MMA, 1-1 no Bellator) e Curtis Millender (18-5 no MMA, 3-2 no Bellator) possuem o mesmo cartel e algumas semelhanças. Os dois lutadores recentemente assinaram com o Bellator após passagem pelo UFC, com Millender estando em sua segunda passagem pela organização presidida por Scott Coker.

Vindo do TUF 15, Jury se tornou rapidamente um dos principais prospectos do peso leve até ser barrado por Donald Cerrone. Millender veio após belos nocautes na LFA e acumulou três vitórias consecutivas no UFC. Contudo, derrotas para Elizeu Capoeira e Belal Muhammad encerraram sua passagem por lá.

Os dois agora estão em busca de afirmação no novo empregador, com o objetivo de se tornarem nomes interessantes para as respectivas divisões que atuam. Jury venceu Brandon Girtz em sua última luta e agora enfrentará o veterano Georgi Karakhanyan (29-10-1 no MMA, 7-8 no Bellator) no peso leve. Já Millender, que estreou derrotando Moses Murrietta, terá um confronto violento contra Sabah Homasi (13-8 no MMA, 2-2 no Bellator) pelos meios-médios.

Os dois são grandes favoritos em seus duelos. Jury encara um adversário envelhecido e de resultados irregulares desde que retornou ao Bellator. Enquanto isso, Millender não deve ter dificuldades com Homasi.

 

DESTAQUE DO CARD PRELIMINAR: ADAM BORICS RETORNA APÓS PRIMEIRA DERROTA

Um dos mais promissores achados pelo Bellator na Europa, o peso pena Adam Borics (14-1 no MMA, 5-1 no Bellator) fará seu retorno. O húngaro foi um dos participantes do GP dos penas. Em sua estreia no torneio, superou com autoridade um apático Pat Curran. Em seguida, enfrentou Darrion Caldwell, que usou o wrestling para vencer por decisão e tirar a invencibilidade de Borics.

Muito perigoso com as joelhadas voadoras, o algoz de Aaron Pico dessa vez dá um passo atrás e enfrentará Mike Hamel (7-3 no MMA) no card preliminar. Veterano de Combate Americas e LFA, Hamel tem carreira irregular e estreia no Bellator. Obviamente ele foi colocado como boi de piranha para Borics e terá que provar que não é apenas uma lata para Adam amassar.

O restante do preliminar conta com prospectos do Bellator em lutas de desenvolvimento. Os principais destaques são o excelente Grant Neal, presente no De Olho no Futuro, juntamente com Dalton Rosta, Valerie Loureda e AJ Agazarm.

POR QUE ASSISTIR?

A luta principal sozinha é motivo para assistir o Bellator 243. Michael Chandler já esteve presente em tantas batalhas memoráveis que é praticamente inaceitável deixar de assistir um de seus duelos. Enquanto a luta coprincipal entre Matt Mitrione e Tim Johnson não anima, o embate de Millender e Homasi deve ser uma anarquia total. Além disso, caso esteja com um tempo extra, vale a pena acompanhar algumas potenciais estrelas do futuro da organização no card preliminar.

Bellator 243

Peso leve: Michael Chandler vs. Benson Henderson 2
Peso pesado: Matt Mitrione vs. Tim Johnson
Peso meio-médio: Curtis Millender vs. Sabah Homasi
Peso leve: Myles Jury vs. Georgi Karakhanyan

Peso pena: AJ Agazarm vs. Chris Lencioni
Peso leve: Nainoa Dung vs. Charles Campbell
Peso médio: Dalton Rosta vs. Mark Gardner
Peso meio-pesado: Grant Neal vs. Hamza Salim
Peso mosca: Valerie Loureda vs. Tara Graff
Peso pena: Adam Borics vs. Mike Hamel