Lutador faz comentário xenofóbico após vencer no UFC Vegas 43 e não se arrepende: “Não ligo”

Por Matheus Costa | 22/11/2021 12:28

O UFC Vegas 43 foi um evento monótono que não proporcionou grandes lutas para o fã de MMA na noite do último sábado (20). No entanto, um comentário bastante infeliz gerou repercussões negativas por parte do americano Cody Durden, que saiu vitorioso de seu confronto contra o chinês Aoriqileng durante o card preliminar.

Durante a entrevista no octógono, Durden foi questionado por Daniel Cormier sobre sua vitória contra Aoriqileng por decisão unânime. O americano, então, decidiu usar a nacionalidade do adversário para provocá-lo.

“Eu tinha que mandar ele de volta para China, o lugar de onde ele veio”, disse Durden.

+ UFC Vegas 43: Vieira vs. Tate –  Resultados

Cormier ficou estarrecido com o comentário preconceituoso do peso mosca e, prontamente, cortou a entrevista e deu as costas para o lutador. Imediatamente, Durden recebeu inúmeras críticas nas redes sociais, inclusive de inúmeros lutadores do UFC. Durante a coletiva de imprensa, o atleta não se importou com a repercussão e resolveu bancar o comentário preconceituoso, inclusive desafiando aqueles que se sentiram ofendidos.

“Se eles não gostaram, façam algo sobre isso. Assine o contrato. Eu não ligo. Eu disse o que eu disse e é isso aí. É, eu estava com as emoções à flor da pele no momento. É o mundo da luta. Ele estava socando a minha cara e eu estava socando a cara dele. É a família dele ou a minha, e hoje a minha família vai comer”, explicou Durden.

+ Terence Crawford nocaueia Shawn Porter e mantém cinturão meio-médio da WBO

Depois da repercussão, Cody, então, resolveu usar sua conta no Twitter para colocar panos quentes sobre a situação e pediu desculpas ‘aos que se sentiram ofendidos’. A justificativa pelos comentários foi devido ao episódio ocorrido durante a semana da luta, onde o lutador chinês recusou um aperto de mão do atleta americano.

“Olha, o cara foi desrespeitoso e não quis apertar minha mão na pesagem. Depois de vencê-lo, eu simplesmente quis dizer que ele poderia voltar para casa seja lá aonde a casa dele for. Eu peço desculpas se eu ofendi alguém, essa certamente não foi a minha intenção. Amo todos vocês. Vejo vocês no topo”, finalizou Cody.

TWEETS PRECONCEITUOSOS

No início de novembro, Cody Durden usou sua conta no Twitter para provocar Qileng e levou o confronto para o campo da política. Em resposta a um seguidor, o americano associou o adversário ao comunismo por sua nacionalidade e fez uma colocação nacionalista. O tweet, publicado no dia 4 de novembro, foi excluído após a repercussão do último sábado (20).

+ Apoie o jornalismo independente e seja um colaborador do MMA Brasil

“Com certeza. O meu sangue é vermelho, branco e azul (cores da bandeira dos Estados Unidos). Eu mal posso esperar por dominar esse comunista do Qileng”, disse Durden.

Usuários do Twitter também buscaram tweets antigos de Durden e a situação ficou pior ainda. O atleta de 30 anos possui um vasto histórico de mensagens machistas, xenofóbicas e até mesmo racistas, onde ele usa a palavra “crioulo” em diversas vezes. Nos Estados Unidos, o termo “niger” (ou “nigga” informalmente) é uma palavra pejorativa utilizada desde os tempos do período de escravidão como uma referência aos escravos imigrantes da África.

Até o momento da publicação desta matéria, o UFC ou qualquer patrocinador que teve sua marca exposta durante o evento se posicionou sobre os polêmicos comentários de Cody Durden.

Foto: UFC/Divulgação