Yair Rodríguez impõe mais uma derrota brutal a BJ Penn na luta principal do UFC Fight Night 103

Sólida dieta de chutes garantiu a Yair Rodríguez uma vitória impactante sobre o veterano BJ Penn, que sofreu o primeiro knockdown neste UFC Fight Night 103.

A primeira noite da maior organização do MMA mundial acabou do modo esperado. No UFC Fight Night 103, numa luta absolutamente unilateral, o mexicano Yair Rodríguez chutou BJ Penn de todos os modos até chegar ao nocaute.

A maioria dos 11.589 torcedores que compareceram à Talking Stick Resort Arena, em Phoenix, apoiou Penn a plenos pulmões. O havaiano até tentou imprimir ritmo no começo, levando Rodríguez para a grade. Porém, uma luta acelerada era favorável ao mexicano. Foi exatamente isso o que aconteceu. Quando saiu do clinch, o “Pantera” estabeleceu a distância e passou a agredir o veterano com chutes de toda sorte, um mais potente que o outro. Dois altos deram a tônica do que poderia vir e balançaram BJ, que mostrou a raça costumeira e aguentou a surra. Suas pernas também foram minadas e o primeiro assalto terminou com a sensação de que o combate não duraria muito mais.

Não durou mesmo. Logo nos primeiros segundos de ação no retorno, Yair acertou um chute alto frontal e emendou com um cruzado sem equilíbrio. Porém, a soma dos dois golpes mandou Penn à lona pela primeira vez em sua carreira no UFC. O que se viu a partir de então foi um brutal ataque no ground and pound, diante de um passivo “Big” John McCarthy. O árbitro estava bem colocado, mas demorou muito para interromper o duelo.

Nunca é fácil ver um ídolo do esporte sucumbir desse jeito. O duelo foi um matchmaking ridículo. Rodríguez, que não tem nada a ver com isso, abocanhou um dos bônus de desempenho da noite, adicionou o nome mais pesado em seu cartel e se firma como uma força na categoria dos penas.

Joe Lauzon vence duelo animado contra Marcin Held e mostra caráter no fim

No segundo duelo mais importante do evento de Phoenix, Joe Lauzon e Marcin Held trocaram momentos de domínio. No final, o americano teve uma atitude rara.

Logo de cara, Lauzon atingiu a lateral da cabeça de Held com cotoveladas dos infernos quando o polonês tentou pressioná-lo contra a grade. Os golpes foram tão potentes que fizeram o jovem europeu ceder a posição para o chão. Depois de uma bela movimentação de ambos, Held conseguiu outra queda, mas não encontrou espaço para trabalhar. No fim, Marcin foi à lona num movimento que não ficou muito claro de ter sido um knockdown. De qualquer maneira, 10-9 para o americano.

Na segunda etapa, Held teve mais sucesso nas quedas e, mesmo quando Lauzon o derrubou, o europeu conseguiu reverter e pegar as costas. Quando o cronômetro marcava menos de dois minutos para o fim, Held aplicou um belo double leg e caiu na guarda de J-Lau. Joe então deu um belo bote no braço do europeu, mas perdeu a posição quando tentou esticar o armlock. Apesar da tentativa de finalização ter sido o momento mais agudo do round, Held empatou a contenda pelo tempo de domínio.

Lauzon encaixou dois socos potentes na abertura do último assalto, o que fez com que Held buscasse novamente a luta agarrada. O polonês mais uma vez derrubou, mas fez pouco no chão e cedeu espaço para Lauzon ficar de pé. O americano então pressionou com socos fortes e o adversário provocou o clinch novamente. Mais uma queda de Held no final do round possibilitou que o europeu acabasse o duelo no controle das ações.

No fim do combate, uma postura sensacional de um camarada sensacional. Quando Bruce Buffer leu os resultados oficiais – dois 29-28 para Lauzon contra um 30-27 para Held – Lauzon balançou a cabeça negativamente. Na entrevista a Jon Anik, o americano disse que discordava totalmente do resultado e que seu oponente merecia ter vencido. A contagem do MMA Brasil foi de 29-28 a favor de Held.

Contundência de Ben Saunders supera volume de Court McGee

O primeiro round foi movimentado e equilibrado, como esperado. Os lutadores praticamente se igualaram no volume de golpes lançados, mas Saunders teve vantagem na contundência e na diversidade, usando mais os chutes, principalmente no corpo, e joelhadas no thai clinch.

McGee ajustou a distância no segundo assalto, manteve o volume na distância e conseguiu alguns bons momentos quando esteve no pocket, mas sem sair para o clinch. Já Saunders continuou superior na potência, que é o principal critério de pontuação.

A terceira etapa foi a mais tranquila de pontuar. Quando McGee finalmente conseguiu uma queda, iniciou um bom trabalho de ground and pound. A guarda ativa de Saunders incomodou, mas o vencedor do TUF 11 estabilizou a posição, esmagou o adversário contra a grade e desceu cotoveladas até o fim do combate.

Depois de dois rounds equilibrados, poderíamos esperar placares para todos os lados e não seria absurdo algum. No entanto, os juízes oficiais valorizaram a contundência, como mandam as regras, e pontuaram a luta com um triplo 29-28, mesmo placar anotado pelo MMA Brasil, a favor de Ben Saunders.

Sergio Pettis vence John Moraga com mais uma atuação madura

Apesar de ter apenas 23 anos, Sergio Pettis mostra cada vez mais maturidade no octógono. Neste domingo, ele não teve dificuldade de passar pelo ex-desafiante John Moraga e já se firma entre os bons valores da divisão dos moscas.

O boxe foi o principal argumento de Pettis na primeira etapa, seja nas combinações de socos que não permitiram que Moraga ficasse confortável, seja na movimentação de cabeça que fez o adversário errar muitos golpes. Sergio se mostrou tão bem que conseguiu vantagem inclusive na curta distância, que deveria beneficiar o rival, especialmente usando os contragolpes. Por duas vezes, Moraga foi balançado por pancadas violentas de Pettis e quase foi a knockdown.

Moraga tentou mudar de nível no segundo round com uma queda, mas não arrumou nada no chão. Com o combate de volta ao centro, Pettis retomou o controle, usou mais os chutes, mas imprimiu menor margem do que na parcial anterior. No terceiro, Moraga precisava ligar o senso de urgência, mas Pettis o fez recuar. O ex-desafiante então voltou à luta agarrada e, depois de errar a primeira tentativa, conseguiu derrubar, cair sobre a guarda de Pettis e arriscar uma chave na pé, mas o posicionamento foi mal executado. Para piorar, Sergio conseguiu reverter e pegar as costas. Quando o duelo voltou à troca de golpes, mais do mesmo.

Na leitura das papeletas, dois juízes marcaram 29-28 para Pettis e um apontou o mesmo 30-27 que o MMA Brasil viu. Pettis chegou à terceira vitória consecutiva e Moraga amarga o terceiro revés seguido. Um avança no ranking e o outro tem o emprego em risco.