WSOF 24: Jon Fitch bate Yushin Okami como nos velhos tempos; Blagoi Ivanov defende título com massacre

Além das lutas principais, Nick Newell pôs fim a uma das mais belas histórias já produzidas pelo MMA. Vinny Magalhães mostrou porque é um dos melhores grapplers do mundo e Magomedov Bibulatov conquista o cinturão inaugural dos moscas.

Foi uma atuação como nos velhos tempos, para o bem e para o mal. Na luta principal do WSOF 24, que aconteceu na noite deste sábado no Foxwoods Resort Casino, em Mashantucket, Connecticut, Jon Fitch mostrou wrestling superior, ofensivo e defensivo, para bater o também ex-desafiante do UFC Yushin Okami.

Todos os caminhos levavam Fitch ao clinch. Com a mesma abordagem constante que fez fama no UFC, Fitch aplicou várias quedas e tratou de amassar Okami tanto no solo quanto nos momentos em que a disputa ficou travada na grade. O japonês, por outro lado, teve dificuldade de superar a defesa de queda do americano, mas mostrou agilidade para retornar em pé em alguns momentos.

Fora um bom uppercut no segundo assalto e uma tentativa de guilhotina no terceiro, Okami pouco produziu para impedir os avanços de Fitch. Dois juízes marcaram vitória do americano por 30-27, enquanto o terceiro anotou 29-28. Com o triunfo, Fitch se credenciou para disputar o cinturão que ficou vago depois que Rousimar Toquinho foi destituído pelas controvérsias na vitória sobre Jake Shields – Fitch enfrentará o próprio Shieds.

Se faltou contundência na luta principal, sobrou no combate anterior. O violento búlgaro Blagoi Ivanov mostrou ritmo incomum para um peso pesado e massacrou o desafiante Derrick Mehmen na primeira defesa de seu cinturão.

Não precisou de um minuto para o americano ficar em situação periclitante. Ivanov já começou o duelo com más intenções e lançou toda sorte de socos para cima do desafiante. Mehmen suportou a pressão com bravura quase surreal, mas em momento algum foi capaz de parar Ivanov. Com o rosto encoberto de sangue, Derrick chegou ao segundo assalto quase por milagre, mas não suportou a pressão de um cruzado de canhota batizado pelo capeta em pessoa. O míssil de Ivanov explodiu seco contra o rosto de Mehmen, que recuou travado pela dor e caiu. O campeão voou para o confere, mas era desnecessário. O árbitro encerrou a agonia do americano na marca de 4:33 da segunda etapa.

O WSOF 24 entrou para a história por ter sido o último capítulo de uma das mais belas histórias que o MMA já produziu. O americano Nick Newell, amputado congênito, venceu Tom Marcellino e decretou sua aposentadoria ao final do combate.

Newell mais uma vez mostrou suas habilidades na luta agarrada. Apesar de ter levado algum prejuízo em pé, Nick aplicou quedas, montou, tentou finalizar, raspou depois de uma tentativa de guilhotina do oponente. No fim da luta, um momento curioso: no momento de bater as placas de madeira, no sinal de que faltavam 10 segundos para o fim do terceiro round, o cronometrista errou e soou o gongo, fazendo a luta durar 14 minutos e 50 segundos.

Ex-campeão peso leve do XFC, Newell só perdeu uma luta em sua carreira profissional, na disputa do cinturão do WSOF contra Justin Gaethje, que lhe aplicou uma surra. Newell conquistou 13 vitórias, oito delas por submissão, mesmo sem ter metade do antebraço esquerdo. O “Notório” se aposentou diante de seus conterrâneos com um discurso emocionado:

“Nunca diga nunca, mas não parece que eu vou mudar de ideia na segunda-feira. Isso é algo sério, eu acho que é hora de focar em algumas outras coisas. É uma decisão dura, mas acho que provei muitas coisas. Nunca fui o melhor do mundo, mas sempre fui um favorito dos fãs e sempre vim para lutar. Hoje à noite eu não fui eu mesmo e não quero dar isso aos fãs. Quero que eles lembrem de mim como o cara que arremessava pessoas por cima da cabeça e pegava todo mundo em finalizações. Eu não sou mais aquele garoto de 25 anos que chegava com sede de sangue. Tenho feito isso desde os 14 anos e nunca parei porque sempre quis ser a melhor versão de mim mesmo. Minha hora chegou.

Nos meus últimos três camps, não consegui mostrar do que eu sou capaz. Meu conhecimento tem aumentado e eu tenho melhorado no esporte, mas meu corpo não é mais capaz de atuar como eu era acostumado a fazer. Nunca fui natural em nada do que eu fiz. Conquistei tudo com trabalho duro. Quando dá a hora, eu não quero me tornar aquele cara que luta por uma bolsa. Eu quero ser o cara que dá a vocês o meu melhor. Esses dias se foram.”

Único brasileiro do card principal do WSOF 24, Vinny Magalhães mostrou porque é um dos melhores grapplers do MMA mundial. O vice-campeão do TUF 8 levou um violento uppercut logo nos segundos iniciais da luta contra Matt Hamill e foi ao chão. O americano avançou com muita sede e acabou travado primeiro numa chave de braço, depois numa de joelho. Hamill se rendeu na marca de 1:08 na luta que marcou a estreia de ambos na organização.

O WSOF 24 ainda apresentou ao mundo seu primeiro campeão peso mosca. A distinção cabe ao russo Magomedov Bibulatov, que teve uma atuação dominante diante do americano Donovan Frelow. Com belas quedas, chutes rodados no corpo, cotoveladas no clinch e ótimo senso de contragolpes, Bibulatov se manteve invicto na carreira (10-0) com um triplo 50-45, fazendo com que Frelow conhecesse a primeira derrota profissional após abrir a carreira com 5-0.

  • Juan

    Grande carreira do Newell!

  • Paulo Josué Lemos Alves

    Newell foi demais no tempo em que atuou, é muita vontade e talento!!

  • Guilherme Yamashita Anami

    Nocaute da noite foi o do córner do Vinny…