Por Alexandre Matos | 14/12/2010 19:31

Confesso que vai ser difícil impedir que a lágrima solitária role quando a buzina decretar o final da luta principal de amanhã. Junto com a luta vai chegar ao final o evento mais sensacional do mundo na atualidade. Mas vamos deixar de sentimentalismo, pois o WEC 53 será sensacional. Ben Henderson coloca o cinturão dos leves em jogo contra Anthony Pettis e Dominick Cruz terá o título dos galos desafiado por Scott Jorgensen. Num duelo eletrizante, os leves Donald Cerrone e Chris Horodecki farão de tudo para entrar com vitória no UFC. Não menos movimentado será o combate entre o polaco Bart Palaszewski e o iraniano Kamal Shalorus. O canal Combate transmitirá o evento ao vivo a partir de meia-noite de quinta para sexta-feira.

Benson Henderson (EUA) vs Anthony Pettis (EUA)

Além de valer o posto de último campeão do WEC, o combate indicará o próximo desafiante do vencedor de Frank Edgar x Gray Maynard, pelo UFC.

Henderson é um dos lutadores mais completos do MMA atual. Montou sua base como lutador a partir dos laços familiares, tornando-se all-american da NAIA em luta olímpica (estimulado pelo pai americano) e faixa preta de taekwondo (para agradar a mãe coreana). Já na fase adulta conquistou a faixa marrom de jiu-jitsu, garantindo assim a fluência necessária para lutar na trocação, no clinch ou no chão. Ainda tem uma das mais ferrenhas defesas de submissão. Vem numa série de 11 vitórias desde que perdeu sua única luta, no segundo combate profissional.

Pettis segue a linha dos lutadores empolgantes do WEC. Seu apelido “Showtime” encontra apoio no variado arsenal ofensivo, que mistura chute alto giratório com ataques via triângulo. Apesar disso, sua formação é essencialmente de trocação, com forte base no muay thai.

Os ataques em pé de Pettis, além de diversificados, são muito rápidos. Acredito até que ele leve certa vantagem neste ramo. Mas também imagino que Henderson saiba disso, fazendo com que conduza a luta confiando em seu wrestling. Um fato que tornará a luta interessante foi a dificuldade que Shane Roller, wrestler de primeira categoria, teve para quedar Pettis. Pela maior qualidade geral de Henderson, acredito que ele saberá como se aproveitar de alguma brecha que a empolgação dos 23 anos do desafiante possa gerar. Aposto em uma submissão do campeão (mais uma guilhotina pra coleção).

Dominick Cruz (EUA) vs Scott Jorgensen (EUA)

Disputa que vai eternizar o nome do vencedor na galeria do WEC e apontar o primeiro campeão peso galo da história do UFC. E exatamente por isso esta luta traz uma pressão adicional para Cruz. Vai entrar no octógono para defender um cinturão que jamais conquistou. Ele vai começar o combate como campeão do WEC e pode sair campeão do UFC.

Dominick parece um ninja lutando. Movimenta-se com fluidez, entra e sai, corta em ângulos e nunca para no mesmo lugar. Como é alto para a categoria, muito bom de boxe e de chutes baixos, o Dominator tem facilidade em controlar a distância. Para piorar a situação de qualquer oponente, tem um condicionamento físico exemplar e aguenta porrada. Seu estilo é o que podemos chamar de “caos organizado”. Desde que perdeu sua única luta na carreira, para Urijah Faber, Cruz enfileirou sete vitórias consecutivas.

Conhecido pelo corpo manchado pelo vitiligo, Jorgensen não fica atrás em alguns quesitos. Também é um dínamo: parece que enfia a mão numa tomada antes de lutar. Tem um boxe técnico, não tem medo de tomar soco na cara e é bom na luta olímpica. Mas é quase 10 centímetros menor que o campeão.

Esta luta vai reunir dois atletas conhecidos por imprimir ritmos alucinados aos seus combates. Apesar de adorar uma pancadaria franca, trocar com Cruz será prejuízo para Jorgensen. A solução seria o wrestling, mas quedar alguém que se movimenta como Dominick não é nada fácil. Por outro lado, nocautear Scott é tarefa indigesta mesmo para o campeão. O que esperar, então? Vinte e cinco minutos non-stop, que culminarão com uma decisão unânime a favor do Dominator.

Donald Cerrone (EUA) vs Chris Horodecki (CAN)

Confronto de leves que pode valer uma boa posição de entrada no UFC ao Cowboy.

Bart Palaszewski (POL) vs Kamal Shalorus (IRN)

Piadinhas nacionalistas de lado, esta luta tem tudo para ser bombástica.

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.