Wanderlei Silva anuncia aposentadoria em vídeo e detona o UFC: “Só dá migalha e falta de respeito”

Por Alexandre Matos | 20/09/2014 03:25

Uma das mais lendárias carreiras da história do MMA chega ao fim de modo melancólico e polêmico. O peso médio Wanderlei Silva, um dos mais dominantes lutadores da década passada, decretou sua aposentadoria dos ringues e cages através de um vídeo onde se justifica culpando o UFC por diversos problemas.

Curiosamente, o astro curitibano que reside em Las Vegas intitulou o vídeo como “Wanderlei Silva – Breaking News – This is Not a Goodbye – Isso não é um Adeus” (confira o vídeo ao final desta matéria). Porém, Wand explicou todos os seus motivos. Primeiro, fez uma recapitulação de sua carreira iniciada ainda nos tempos em que o vale tudo sem luvas e regras estava em vigor. Em seguida, disse que atitudes e declarações da organização para com os atletas – citando o caso de Renan Barão no UFC 177 – tiraram sua vontade de lutar. Ao final, o Cachorro Louco declara guerra ao UFC, prometendo denunciar tais atitudes que considera erradas pela principal promoção de lutas de MMA do planeta.

O Combate.com fez uma transcrição de algumas passagens do vídeo:

“Vocês não respeitam a gente como lutador, como nada. Jogam o público contra a gente. A única coisa que temos, que nos levanta, que nos suporta, é o público. E acaba que vocês, com suas declarações infames ao nosso respeito, jogam o público contra nós. O que nos sobra? Acabar a carreira, tomar um chute na bunda, ser escrachado pela mídia e ter os fãs contra. Vou viver do que? É por isso, com muito pesar no meu coração, que hoje é um dia triste para mim. Por que? Porque infelizmente essa organização me tirou a vontade de lutar. Não consigo mais fazer isso, ser tratado dessa maneira por vocês. E hoje, com muito pesar, vim aqui decretar minha retirada dos ringues. A partir de hoje, Wanderlei Silva não luta mais. Porque não tenho um palco digno, onde o atleta seja respeitado. Em virtude disso, para mim deu. Começaram a jogar meus fãs contra mim, que me acompanham há 20 anos, muito antes desse evento existir, quando eu lutava na mão seca no Brasil. Ajudei a fazer esse esporte. Com meu sangue, com meu suor. Agora vem um bando de almofadinhas querer dizer o que a gente é ou não é? Estão muito enganados. Agora estou aqui, vou mostrar tudo que fazem de errado com nosso esporte. Carregamos esse evento nas costas, entramos lá, tomamos soco na cara. O mínimo que vocês têm que fazer é nos respeitar. O Silva está se levantando agora! Eu estava triste, chateado com tudo isso, mas os lutadores precisam de voz, de alguém que fale a verdade e eu estou aqui para falar a verdade. O que fizerem de errado eu vou falar e vocês não vão me calar!”

Aposentadoria não deve mudar os rumos da pendência com a NAC

O fim da carreira não deverá alterar o processo que Wanderlei precisa encarar na Comissão Atlética de Nevada (NAC, na sigla em inglês). O lutador fugiu de um exame antidoping surpresa para sua luta contra Chael Sonnen, na ocasião agendada para o UFC 175. Como Wand não se submeteu ao teste, foi retirado do card e substituído por Vitor Belfort, que nem chegou a lutar, já que Sonnen foi flagrado no antidoping nos dias seguintes.

A Procuradoria-Geral do estado de Nevada formalizou uma queixa contra Wanderlei Silva. O lutador foi ouvido numa audiência preliminar, que não tinha caráter de julgamento ou definição de pena, ainda em julho. A NAC ficou de convocar o ex-campeão do PRIDE novamente, desta vez para definir a situação do atleta. Esta nova audiência será realizada, independentemente da aposentadoria do paranaense, do mesmo modo que aconteceu com Sonnen, que decretou sua aposentadoria, mas ainda assim foi suspenso por dois anos pela comissão atlética.