Por Alexandre Matos | 30/10/2012 20:12

Organizado pela Fighters Only Magazine, o World MMA Awards chega à sua quinta edição em 2012. A solenidade, que escolhe os melhores dos últimos treze meses (entre 1 de setembro de 2011 e 30 de setembro de 2012) em 22 categorias, é considerada a principal premiação do MMA mundial.

A lista final, que já está disponível para votação, foi escolhida por um comitê definido pela Fighters Only Magazine. Na edição de 2012 participaram o recém-aposentado e integrante do Hall da Fama do UFC Tito Ortiz, o ex-campeão dos pesados do UFC Bas Rutten, o narrador do Strikeforce Mauro Ranallo, o editor-chefe da Fighters Only Nick Peet, o editor da revista japonesa Gong Go Mastsuyama, o editor da Fighters Only sul-africana Dirk Steenkamp e o editor online da revista John O’Regan.

Na edição 2012, a grande estrela é a americana Ronda Rousey. Ela estabeleceu o recorde de quatro indicações: Lutador do Ano, Lutadora do Ano, Submissão do Ano e a categoria que premia aquele que “pulou de nível” e agora faz barulho entre os tops.

Neste artigo estão expostos todos os candidatos de cada categoria. Todas as categorias são explicadas, para que os leitores possam votar ao final da leitura. Mostramos também quem foi o campeão em 2011 e a minha escolha em cada uma das categorias (exceto das categorias que representam marcas). A votação acaba no dia 31 de dezembro.

Prêmio Charles “Mask” Lewis de Lutador do Ano

Charles “Mask” Lewis era o fundador e dono da TapouT, que faleceu num acidente automobilístico em 2009. Ele é o único integrante do Hall da Fama do UFC que não é (ou foi) lutador. Mask dá nome à principal categoria do World MMA Awards, a de melhor lutador do ano. Ponto interessante: esta categoria leva em conta os feitos dentro e fora dos ringues/cages.

Candidatos: Daniel Cormier (Strikeforce), Nate Diaz (UFC), Ben Henderson (UFC), Jon Jones (UFC) e Ronda Rousey (Strikeforce).

Vencedor de 2011: Jon Jones.

Escolha do Editor: esta categoria deverá apontar o bicampeonato de Jon Jones. Dentro do intervalo que a premiação utiliza, o atual rei dos meio-pesados bateu Quinton Jackson, Lyoto Machida, Rashad Evans e Vitor Belfort, quatro ex-campeões da categoria.

Observação: muita gente (no Brasil) tem reclamado da ausência de Anderson Silva entre os finalistas. O campeão dos médios do UFC só lutou uma vez no intervalo da votação, quando venceu Chael Sonnen depois de perder o primeiro round. O confronto com Stephan Bonnar, que serviu para pouca coisa, aconteceu em outubro. Na minha opinião (e na do júri, pelo visto) estas atuações não o credenciam ao posto de melhor lutador do ano.

Lutadora do Ano

Esta categoria, como o próprio nome já diz, só considera as atletas femininas, enquanto a anterior independe do sexo (não há prêmio para o melhor lutador masculino).

Candidatas: Jessica Aguilar (Bellator), Sarah Kaufman (Strikeforce), Sara McMann (Invicta FC), Ronda Rousey (Strikeforce) e Miesha Tate (Strikeforce).

Vencedora de 2011: Miesha Tate.

Escolha do Editor: Ronda Rousey, sem a menor sombra de dúvida. Aguilar teve uma vitória maiúscula (sobre Megumi Fujii) em três lutas e McMann é um nome ainda em evolução.

Maior Evolução do Ano

Em inglês, o nome desta categoria é Breakthrough Fighter Of The Year. Ela premia o lutador que teve o impacto mais rápido e meteórico na elite do esporte, que cresceu na categoria e que será um futuro superastro. Como “breakthrough” não tem tradução direta para o português, podemos considerar como o lutador que “pulou de nível”, que agora faz parte da elite.

Candidatos: Renan Barão (UFC), Michael Chandler (Bellator), Luke Rockhold (Strikeforce), Ronda Rousey (Strikeforce) e Chris Weidman (UFC).

Vencedor de 2011: Donald Cerrone.

Escolha do Editor: cinco sérios candidatos, mas Barão e Rousey acabaram o ano com cinturões mais importantes (ainda que o do brasileiro seja interino). Meu voto fica com Ronda Rousey, que hoje é a número um peso por peso do mundo.

Lutador Internacional do Ano

Apesar de a Fighters Only ser uma revista inglesa, esta categoria considera lutador internacional aqueles nascidos ou naturalizados em países fora das Américas, já que o continente é considerado o berço do MMA. Ou seja, não contam brasileiros, americanos e canadenses, por exemplo.

Candidatos: Michael Bisping (Inglaterra/UFC), Alexander Gustafsson (Suécia/UFC), Chan Sung Jung (Coreia do Sul/UFC), Martin Kampmann (Dinamarca/UFC) e Stefan Struve (Holanda/UFC).

Vencedor de 2011: Alistair Overeem.

Escolha do Editor: outra categoria difícil de escolher, mas meu voto vai para o Korean Zombie Chan Sung Jung, o mais desacreditado da lista.

Luta do Ano

O dia 19 de novembro deveria ser considerado o Dia do MMA. Foi nesta data de 2011 que aconteceram duas das melhores lutas de todos os tempos. Enquanto Michael Chandler tomava o cinturão dos leves de Eddie Alvarez no Bellator, Dan Henderson e Maurício Shogun digladiaram por cinco inesquecíveis rounds no UFC.

Candidatos: Dan Henderson vs. Maurício “Shogun” Rua (UFC 139), Michael Chandler vs. Eddie Alvarez (Bellator 58), Jake Ellenberger vs. Diego Sanchez (UFC on FUEL TV 1), Dustin Poirier vs. Chan Sung Jung (UFC on FUEL TV 3) e Jamie Varner vs. Joe Lauzon (UFC on FOX 4).

Vencedor de 2011: Frank Edgar vs Gray Maynard II (UFC 125).

Escolha do Editor: cada vez que eu revejo Chandler-Alvarez ou Hendo-Shogun, mudo de ideia sobre qual foi a melhor. Vou ficar com Dan Henderson vs. Maurício Shogun por ter durado um round a mais.

Nocaute do Ano

Este prêmio, como o nome diz, aponta o lutador que aplicou o mais sensacional e espetacular nocaute do ano. O chute alto fez a festa entre os candidatos de 2012.

Candidatos: Adam Khaliev sobre Alexei Belyaev (League S-70), Edson Barboza sobre Terry Etim (UFC Rio 2), Stephen Thompson sobre Dan Stittgen (UFC 143), Anthony Pettis sobre Joe Lauzon (UFC 144) e Brian Rogers sobre Vitor Vianna (Bellator 61).

Vencedor de 2011: Anderson Silva sobre Vitor Belfort (UFC 126).

Escolha do Editor: está aí outra categoria que me faz mudar de ideia a cada vez que revejo os fantásticos pontapés aplicados pelo brasileiro e pelo checheno Adam Khaliev, a minha escolha da vez (se eu votar amanhã, talvez escolha Edson).

Submissão do Ano

Assim como a categoria anterior, esta não dá espaço para dúvida. Segundo o regulamento da premiação, a melhor submissão do ano é aquela mais técnica e/ou habilidosa.

Candidatos: Frank Mir sobre Rodrigo Minotauro (UFC 140), Charles do Bronx sobre Eric Wisely (UFC on FOX 2), Rousimar Toquinho sobre Mike Massenzio (UFC Rio 2), Ronda Rousey sobre Miesha Tate (Strikeforce: Tate vs. Rousey) e Chan Sung Jung sobre Dustin Poirier (UFC on FUEL TV 3).

Vencedor de 2011: Chan Sung Jung sobre Leonard Garcia (UFC Fight Night 24).

Escolha do Editor: levando-se em consideração a técnica do movimento, minha escolha fica com Charles do Bronx. Se fosse levar a importância do acontecimento, teria ficado com a inédita submissão sobre Minotauro aplicada por Mir. Se considerasse o conjunto da obra, ficaria com o Korean Zombie pela luta sensacional.

Virada do Ano

Esta categoria não só leva em consideração a maior virada dentro de uma luta, mas também fora dela, ou seja, alguém dado como acabado que se recuperou, por exemplo.

Candidatos: Alan Belcher (carreira), Mike Swick (carreira), Frank Mir sobre Rodrigo Minotauro (UFC 140), Tim Boetsch sobre Yushin Okami (UFC 144) e JP Joubert sobre Norman Wessels (EFC Africa 15).

Vencedor de 2011: Cheick Kongo sobre Pat Barry (UFC Live 4).

Escolha do Editor: Belcher quase ficou cego e Swick passou por sérios problemas estomacais. Eles venceram a aposentadoria precoce e ainda bateram Toquinho e DaMarques Johnson no octógono. Mas Mir estava a meio passo da vala quando raspou Minotauro e o finalizou no Canadá. Com tanta dificuldade para escolher, vou de Frank Mir, que conseguiu uma das coisas mais improváveis do MMA depois de estar a poucos segundos de ser nocauteado.

Prêmio Shawn Tompkins de Técnico do Ano

O ex-kickboxer canadense Shawn Tompkins tinha defeitos como córner, mas sempre foi considerado um ótimo técnico e sujeito boa-praça, querido por todos. Vítima de um ataque cardíaco, faleceu em agosto do ano passado e batiza o prêmio oferecido ao melhor técnico do ano.

Candidatos: Rafael Cordeiro (Kings MMA), Cesar Gracie (Cesar Gracie Jiu-Jitsu), Greg Jackson (Jackson-Winkeljohn MMA), Javier Mendez (AKA) e André Pederneiras (Nova União).

Vencedor de 2011: Greg Jackson.

Escolha do Editor: difícil… Mendez é técnico de Daniel Cormier, Luke Rockhold, Cain Velasquez e outros. Dedé lidera José Aldo, Renan Barão e um exército de moscas, galos, penas e leves. Jackson treina Jon Jones e um caminhão de gente da pesada. Eu colocaria Firas Zahabi no lugar de Cesar ou Rafael, mas não está em consideração. Fico então com o ótimo trabalho de Dedé Pederneiras na fábrica de pequenos gigantes da Nova União.

Academia do Ano

Este prêmio é dado para a academia que não só conquistou sucesso no cage como ajudou o esporte a evoluir fora do nível de elite.

Candidatos: American Kickboxing Academy, Cesar Gracie Jiu-Jitsu, Jackson-Winkeljohn MMA, Kings MMA e Nova União.

Vencedor de 2011: Black House.

Escolha do Editor: as cinco candidatas são academias de elite, com campeões, lutadores de ponta e trabalhos comunitários sólidos que também têm foco nas crianças. Minha escolha é a Jackson-Winkeljohn MMA.

Árbitro do Ano

O árbitro do ano deve ser o mais consistente e eficiente, com conhecimento técnico e que preze pela segurança e pelos interesses dos atletas e do público.

Candidatos: Herb Dean, Marc Goddard, John McCarthy, Josh Rosenthal e Mario Yamasaki.

Vencedor de 2011: Herb Dean.

Escolha do Editor: Potencialmente Dean ainda é o melhor árbitro do mundo, mas andou dando umas escorregadas. Meu voto fica para Marc Goddard, que tem arbitrado melhor, faz menos lambança e pouco se expõe.

Ring Girl do Ano

Como não dá para votar em quem carrega melhor a plaquinha dos rounds, esta categoria é tipo concurso de miss: a escolha deve ser em cima da beleza, personalidade, impacto no esporte e apelo com os fãs.

Candidatas: Jade Bryce (Bellator), Arianny Celeste (UFC), Kelli Hutcherson (Strikeforce), Brittney Palmer (UFC) e Mercedes Terrell.

Vencedor de 2011: Arianny Celeste.

Escolha do Editor: Arianny é quem mais se destaca fora de sua função, mas eu voto em quem eu quiser. Minha número um eterna é Brittney Palmer (com uma menção honrosa a Jade Bryce).

Executivo do Ano

Prêmio a quem mais se destacou e mais influenciou o crescimento e desenvolvimento do esporte.

Candidatos: Victor Cui (ONE FC), Lorenzo Fertitta (Zuffa/UFC/Strikeforce), Shannon Knapp (Invicta FC), Bjorn Rebney (Bellator) e Dana White (UFC).

Vencedor de 2011: Dana White.

Escolha do Editor: é difícil não escolher o careca – só dá ele na mídia! Mas o fato de ter uma mulher neste meio já é um belo passo de Knapp, que vem atuando forte para sedimentar o MMA feminino. Talvez ela mereça este prêmio no ano que vem, depois de vermos seu trabalho à frente do Invicta FC mais evoluído. Mas meu voto mesmo vai para Victor Cui, que está trabalhando em várias frentes para ressucitar o importante mercado asiático.

Personalidade do Ano

Categoria que premia a pessoa que, com seu profissionalismo e personalidade, tenha se tornado sinônimo de MMA e cuja experiência tenha ajudado a apresentar o esporte para as massas.

Candidatos: Jon Anik (narrador e apresentador), Bruce Buffer (announcer), Mauro Ranallo, Joe Rogan (comentarista) e Bas Rutten (comentarista e apresentador).

Vencedor de 2011: Joe Rogan.

Escolha do Editor: acho Rutten um camarada engraçado e simpático, portanto sou tendencioso a votar nele, mas Rogan e Buffer estão aí desde que Rutten ainda lutava, por isso conseguem maior penetração. Qualquer um dos dois será bem escolhido, mas eu votei em Bruce Buffer.

Melhor Organização

A melhor organização é aquela que traz as melhores lutas, os melhores cards, as melhores estruturas e mais diversão para os fãs de MMA.

Candidatos: Bellator, Invicta FC, ONE FC, Strikeforce e UFC.

Vencedor de 2011: UFC.

Escolha do Editor: com os melhores lutadores do mundo, expandindo para as principais cidades do mundo, em ginásios e hotéis de primeira linha, não tem como não escolher o UFC.

Melhor Marca de Roupa

Categoria destinada a definir a marca mais estilosa e popular, com maior valor.

Candidatos: Bad Boy, Dethrone, Headrush, Punishment e TapouT.

Vencedor de 2011: TapouT.

Melhor Marca de Roupa de Competição e Treino

A diferença desta categoria para a anterior é que esta deve premiar a melhor marca de roupa usada por atletas, treinadores e praticantes de MMA durante os treinos e lutas, enquanto a primeira está na categoria de moda.

Candidatos: Bad Boy, Clinch Gear, Hayabusa, Jaco e Venum.

Vencedor de 2011: Bad Boy.

Melhor Marca de Equipamento Técnico

Complemento da categoria anterior, esta premia quem produz as melhores luvas, ataduras, coquilhas, protetores, manoplas, etc.

Candidatos: Everlast, Fairtex, Hayabusa, Pretorian e Venum.

Vencedor de 2011: Everlast.

Veículo de MMA do Ano

O melhor veículo do ano é aquele que se notabiliza por ser fonte de notícias, análises e informações para os fãs de MMA.

Candidatos: ESPN, Inside MMA, MMAFighting.com, MMAjunkie.com e Sherdog.com.

Vencedor de 2011: MMAjunkie.

Escolha do Editor: o MMAjunkie é o melhor nas notícias, o MMA Fighting e o Sherdog são melhores nos campos de análise, o Sherdog é o melhor em informação. Colocando tudo no mesmo saco e tirando apenas um, fico com o MMAjunkie.

Jornalista de MMA do Ano

Prêmio que reconhece o profissional que tem se dedicado a reportar notícias e informações sobre o MMA às massas e que representem bem o esporte.

Candidatos: Karyn Bryant (MMA HEAT/FUEL TV), Ben Fowlkes (MMAjunkie.com/USA TODAY), Gareth A. Davies (The Telegraph), Ariel Helwani (MMAFighting.com/FUEL TV) e John Morgan (MMAjunkie.com/USA TODAY)

Vencedor de 2011: Ariel Helwani.

Escolha do Editor: os cinco são ótimas escolhas, mas desta vez vou fugir do óbvio e ficar com John Morgan, que veio para o Brasil até para o esvaziado UFC 147.

Novas categorias: Melhor Momento do Ano e Contribuição Mais Notável do Ano

A votação de 2012 tem um campo para os eleitores dizerem qual foi o momento mais espetacular do MMA entre setembro de 2011 e setembro de 2012. Meu voto fica com a comemoração de José Aldo no UFC Rio 2.

A outra categoria não é aberta ao público. O júri da Fighters Only Magazine vai escolher quem deu a contribuição mais notável do ano para o MMA. O vencedor será divulgado no dia da solenidade de premiação. Na minha opinião, levando-se em conta apenas o Brasil, o prêmio deveria ir para a Rede Globo. Com todos os problemas dela, é inegável o poder de popularização que a maior emissora do país tem.