Por Alexandre Matos | 30/06/2013 15:54

A história é bastante conhecida pelos leitores do MMA Brasil. O UFC estava em vias de decretar falência em 2004 quando decidiu, em parceria com o canal Spike TV, produzir um reality show para mostrar aos potenciais novos fãs como são os lutadores de MMA quando estão fora de ação. A primeira temporada do programa The Ultimate Fighter foi ao ar entre janeiro e abril de 2005.

A audiência dos episódios do TUF 1 foram boas, mas nada que indicasse que a organização seria salva. Isto ocorreu no dia 9 de abril de 2005, no The Ultimate Fighter Finale. O evento contou com os populares Ken Shamrock e Rich Franklin na luta principal, mas foi no combate imediatamente anterior que o destino do MMA mudaria para sempre.

Os americanos Forrest Griffin e Stephan Bonnar disputaram a final da categoria meio-pesado do programa (antes, Diego Sanchez vencera Kenny Florian na decisão dos médios). Griffin e Bonnar trocaram pancadas como se o mundo fosse acabar dali a quinze minutos. A técnica passou ao largo do octógono montado no Cox Pavilion, em Paradise, Nevada, mas o nível de empolgação e quebra-pau do combate foram tão elevados que a audiência aumentou vertiginosamente durante a luta, na medida em que os telespectadores ligavam para seus amigos pedindo para os mesmos sintonizarem na Spike para assistir àquela guerra.

Nesta semana, durante a UFC International Fight Week que antecede o UFC 162, Griffin e Bonnar serão imortalizados no Hall da Fama do UFC. Em comemoração, a organização liberou o vídeo da luta que é considerada por Dana White como a mais importante da história do UFC. E, pelo que sua empresa fez a partir de então, não é nada de mais dizer que Griffin-Bonnar I é a luta mais importante da história do próprio MMA.

Confira abaixo o sensacional quebra-pau vencido por Forrest Griffin.

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.