Valentina Shevchenko finaliza Julianna Peña com atuação inteligente e vai atrás de Amanda Nunes

Bem no clinch e no chão, Valentina Shevchenko finalizou Julianna Peña no UFC On FOX 23 e foi agraciada com a chance de desafiar o cinturão de Amanda Nunes, em revanche de combate acontecido em março passado.

Disciplina, técnica e versatilidade. Essas foram as chaves usadas por Valentina Shevchenko na luta principal do UFC On FOX 23. Com um armlock, a quirguiz finalizou Julianna Peña e vai atrás da campeã Amanda Nunes.

Peña achou que travar Shevchenko no clinch seria uma boa estratégia. Mais forte fisicamente, a vencedora do TUF conseguiu algumas boas joelhadas na grade. Porém, provavelmente esqueceu que Valentina derruba bem daquela posição e acabou sofrendo duas quedas. Na primeira, levantou-se rapidamente. Na segunda, ficou sob ground and pound por um tempo até tentar girar e pegar um armlock. Sheva defendeu bem e saiu com o primeiro 10-9.

No segundo assalto, Peña acelerou em busca do clinch e levou um tempo trabalhando ali até conseguir derrubar e cair por cima da guarda da quirguiz. No entanto, ficou clara a diferença técnica no solo. Valentina se posicionou e escalou a guarda. Quando viu a oportunidade, catou o braço de Julianna e encaixou o armlock. Quando Peña tentou defender, Valentina girou junto e envergou ainda mais a articulação da oponente, que não viu outra saída senão batucar na marca de

Após o anúncio oficial feito por Bruce Buffer, Amanda subiu no octógono e as lutadoras trocaram provocações, mas em clima amistoso, acabando com Valentina rindo e aplaudindo. Fica a torcida para o UFC marcar o combate para o pay-per-view no Brasil, em junho.

Jorge Masvidal nocauteia Donald Cerrone duas vezes na luta coprincipal

A polêmica na virada do primeiro para o segundo round não interferiu na bela atuação de Jorge Masvidal. Ele praticamente teve que nocautear Donald Cerrone duas vezes para seguir crescendo na divisão dos meios-médios.

Cerrone começou a luta com a tática correta, usando chutes baixos para minar a base de boxeador e usando os jabs em retaliação. Porém, Masvidal tirou proveito do fato de o adversário se movimentar pouco e passou a acertar socos em sequência. Cerrone vinha com leve vantagem até o fim, quando levou um knockdown que iniciou uma polêmica. O Cowboy caiu desacordado e foi bombardeado no ground and pound. Quando o árbitro Herb Dean entrou para decretar o nocaute técnico, a buzina soou praticamente no mesmo instante, mas um pouquinho depois. Dean decidiu que o assalto havia acabado e o combate seguiu.

Donald não se recuperou no intervalo e Masvidal voltou para decidir a luta. Depois de bloquear um chute no corpo, Masvidal mandou o rival novamente a knockdown, mas desta vez tinha tempo de sobra para terminar a contenda. Herb Dean parou a ação com um minuto do segundo round.

O revés foi o primeiro em cinco lutas como meio-médio de Cerrone. Já Masvidal deve avançar no ranking com a terceira vitória seguida.

Uppercut dos infernos de Francis Ngannou dá cabo de Andrei Arlovski

A técnica de Andrei Arlovski poderia prevalecer, mas, no fim das contas, foi a potência incrível de Francis Ngannou que deu contornos finais ao duelo de pesos pesados em Denver.

Muito mais experiente, Arlovski caiu no conto do vigário contra um lutador bem mais cru. Ngannou plantou no centro do octógono e esperou o bielorrusso se aproximar. Ao invés de se movimentar na longa distância, Andrei fez o que o camaronês queria. Não deu outra: um cruzado de esquerda pegou na tampa do coco de Arlovski e um uppercut de direita monstruoso colidiu violentamente contra o combalido queixo do ex-campeão. Arlovski descolou os pés do chão e desabou. O confere aplicado foi só protocolar. Ngannou conseguiu o nocaute na marca de 1:32, deixando Arlovski com quatro derrotas seguidas – o lutador radicado em Paris venceu a quinta em igual número de lutas no UFC.

Jason Knight passeia no chão e pega Alex Caceres no mata-leão

O combate começou bastante movimentado e também cheio de erros. A movimentação melhor de Caceres permitiu que ele tivesse um volume de golpes maior inicialmente, mas a potência dos punhos de Knight foram paulatinamente quebrando o ritmo do oponente. No fim de um equilibrado round, Jason conseguiu um knockdown e uma queda seguida de um rápido bote para o mata-leão, ofensivas que deu lhe garantiram o 10-9 de abertura.

O segundo assalto começou na mesma toada, mas Knight mudou de nível com um belo harai goshi. No chão, onde a diferença técnica é acentuada, ele travou facilmente o cadeado com as pernas e pegou as costas. A primeira tentativa de mata-leão foi bem defendida. A segunda deu um pouco mais de trabalho. A terceira, que complementou um ground and pound, deu fim ao combate na marca de 4:21.