UFC volta a Goiânia com Carlos Condit vs Thiago Pitbull e 8 lutadores ranqueados; ingressos estão à venda

Depois de alguns eventos com pouca atratividade em território nacional, o UFC Fight Night 67 traz o explosivo confronto entre Carlos Condit e Thiago Pitbull, além de mais seis lutadores ranqueados e duelos entre prospectos valiosos.

Depois de promover recentemente alguns cards no Brasil com nomes de pouco apelo, os matchmakers do UFC foram mais generosos com o próximo evento em território nacional.

O UFC Fight Night 67 marca o retorno do octógono a Goiânia trazendo oito lutadores ranqueados entre os 15 melhores de suas respectivas categorias. Na luta principal, um explosivo duelo entre dois dinâmicos trocadores com mentalidade para o nocaute: o ex-campeão interino dos meios-médios Carlos Condit, número 4 do ranking, contra Thiago Pitbull, ex-desafiante da categoria que ocupa a 13ª posição na lista.

Os lutadores estiveram em São Paulo, na segunda-feira, e em Brasília, na terça, para o lançamento oficial do evento e a divulgação da venda de ingressos. Nosso colaborador Pedro Lins esteve na capital federal e teve a chance de perguntar a Pitbull detalhes da recuperação da lesão que o deixou dois anos afastado, se ele ainda vê condição de se tornar campeão na nova ordem da categoria pós-aposentadoria de Georges St. Pierre e se acredita no retorno do superastro canadense.

Condit falou sobre a preparação para o combate depois de um ano afastado do octógono, o que espera da pressão da torcida brasileira e o cenário dos meios-médios depois da aposentadoria de Georges St. Pierre.

Carlos Condit:

“Até o momento meu trabalho foi entrar em forma e voltar à ativa. A partir deste mês, vamos montar uma estratégia em cima do Thiago. Eu já queria lutar no Brasil há muito tempo. Não é muito questão de pressão, mas de animação, a empolgação de vir lutar aqui, o público brasileiro é super apaixonado, motivado.

Depois de GSP saiu, a divisão virou de cabeça para baixo, ficou muito mais animada. Não tem mais um campeão dominante, agora todo mundo pode conquistar o título, ficou muito mais interessante.”

Além dessa luta principal, Joe Silva e Sean Shelby agendaram confrontos interessantes para a Goiânia Arena. Na luta coprincipal, Charles do Bronx e Nik Lentz, respectivamente oitavo e sétimo da divisão dos penas, fazem revanche de confronto que acabou sem resultado. Na primeira ocasião, o brasileiro finalizou o americano após aplicar uma joelhada ilegal não intencional. Lentz faz parte do seleto grupo de estrangeiros que já venceu dois brasileiros em solo nacional.

Pela divisão dos moscas, o quinto colocado Jussier Formiga medirá forças com Wilson Reis, 14º da classificação. Na divisão mais leve do UFC, a peso palha mineira Juliana Lima, a “Ju Thai”, número 12 do ranking, terá duro compromisso contra a americana Jessica Penne, quarta colocada na lista.

O evento terá também dois encontros entre interessantes prospectos no octógono. Na categoria dos leves, Gilbert Durinho pegará o norte-irlandês Norman Parke, vencedor do TUF Smashes. Nos penas, Renato Moicano enfrentará o bombardeiro bósnio Misrad Bektic, em forte candidata antecipada a luta da noite.

Confira abaixo as 11 lutas oficializadas até agora pela organização para o UFC Fight Night 67:

Card Principal

#4 Carlos Condit vs #13 Thiago “Pitbull” Alves
#7 Nik Lentz vs #8 Charles “do Bronx” Oliveira
Gilbert Durinho vs Norman Parke
Francimar Bodão vs Ryan Jimmo
Yan Cabral vs KJ Noons
#4 Jessica Penne vs #12 Juliana Lima

Card Preliminar

Wendell “Negão” Oliveira vs TJ Waldburguer
Elizeu “Capoeira” Zaleski vs Nicolas Dalby
#5 Jussier Formiga vs #14 Wilson Reis
Luiz “Besouro” Dutra vs Tom Breese
Renato “Moicano” Carneiro vs Misrad Bektic

Ingressos para o UFC Goiânia 2015 variam de R$75 a R$850

Os ingressos para o UFC Fight Night 67 estarão a venda a partir desta quarta-feira, dia 08, pelo site www.livepass.com.br, e também disponíveis nos pontos de venda credenciados, na Central de Relacionamento LIVEPASS (pelo telefone 4020-2413, das 9:00h às 21:00h), e na semana do evento, na bilheteria oficial.

Os setores e preços disponíveis são:

– Arquibancada: R$150 / R$75 – meia-entrada;
– Cadeira Verde e Azul: R$300 / R$150 – meia-entrada;
– Cadeira Vermelha: R$450 / R$225 – meia-entrada;
– Octógono (R$500 / R$250 – meia-entrada;
– Octógono Premium: R$850 / R$425 – meia-entrada.

O UFC Fight Night 67: Condit vs. Alves terá início às 10:30h da manhã, no horário de Brasília, com a primeira luta do card principal prevista para às 13:30h. Os portões estarão abertos ao público a partir das 9:00h.

  • Gabriel Monteiro

    Acho que esse é o melhor Fight Night no Brasil que já tivemos. Boas lutas, a maioria com bastante potencial.
    Só acho sacanagem jogarem Formiga x Reis para o preliminar e deixarem Bodão x Jimmo ou Cabral x Noons no principal, sendo que se o Formiga ganhar essa luta, fica muito perto de um title shot (3 vitórias seguidas sobre adversários ranqueados nessa categoria é coisa rara). Aí depois a galera reclama que os moscas não vendem… Como, se o UFC alça desafiantes de preliminares de Fight Night para main event de evento numerado?

  • Anderson Cachapuz

    Ainda não acredito que tiveram o despautério de colocar Bodão vs Jimmo e Cabral vs Noons no card principal e deixar Formiga vs Reis no undercard…

    • Bizarro. É o peso. Cabral pelo menos ficou famoso por causa do TUF.

      • Anderson Cachapuz

        Mas aí vou concordar com o amigo Gabriel: como o UFC quer promover as categorias mais leves se coloca uma luta dessa magnitude num undercard no brasil??????????????????????

        • Gabriel Monteiro

          O UFC contribui para a formação de “Srs. Waldemar” em seu plantel…
          (Vejam esse vídeo http://www.youtube.com/watch?v=xEIxJ2x4gn4 e entenderão… hahaha)

        • Já te respondi: é o peso. As pessoas em geral não gostam de pesos mais leves e isso cria um ciclo vicioso.

          • Danilo

            É até engraçado isso. Esses dias tava conversando sobre isso com uns brothers na faculdade e um deles virou pra mim e falou: “Ah, mas é massa po, é foda luta de pesado.”
            Aí eu perguntei: “Pq? Vc acha maneiro 2 caras gordos, lentos, se arrastando e socando o vento? Só sobra o poder de nocaute.”
            – “Ah, mas é massa po, eu acho foda.”
            Aí eu disse que preferia as categorias mais leves pq eles trocam porrada frenética e com técnica. E de pesado só ser bom se tiver tops lutando.
            E o cara virou pra mim e disse: “Ah, mas não tem nocaute, não curto não.”
            Aí eu encerrei o assunto.
            Os caras não gostam dos levinhos pq não tem nocaute e ainda não sabem argumentar sobre o pq de gostarem de pesados baranga lutando.

            • A parada é que esse tipo de galera curte ver corpos estendidos no chão em colapso. Não importa a técnica, desde que alguém acabe na vala. A gente aqui no site tenta educar os fãs, mas não tem jeito, sempre vai existir esse tipo de pensamento (e ele sempre vai ser maioria).

              • Danilo

                Pois é, os caras curtem luta só pra ver alguém destruído no chão, se não tiver nocaute não presta. E olha que o cara a quem me referi ali faz aulas de Muay Thai.

    • Rafael Maia

      Bizarro mesmo! É quase uma ofensa a quem gosta do esporte e aos lutadores!

  • Thiago Kuhl

    To animado pra ver o Wendell lutar no UFC. Espero que o Waldburger corte o peso de forma decente agora….

    • Verdade.

    • Gabriel Monteiro

      Negão já lutou no UFC po, foi nocauteado pelo Ponzinibbio…

  • Rafael Maia

    Cara, esse card está muito melhor (em minha opinião) que o card do último UFC no Rio (apesar dos problemas de lesão)… cheio de luta que eu quero ver!

    Vi o novo contratado da organização do UFC comentando que uma das principais reivindicações que ele ouviu era de colocar luta entre estrangeiros nos cards nacionais. Pergunto aos universitários do site: já há alguma conversa nessa direção??

    • Colocaram Freddy Serrano vs Bentley Siler no Rio hahaha

      • Rafael Maia

        :|

        • Duvido que passe disso, mas a esperança é a última que morre.