Por Edição MMA Brasil | 23/07/2021 16:18

O UFC retorna na noite deste sábado (24) com mais um evento bem interessante para os fãs do esporte. Mesmo com um card sem grandes nomes, o UFC Vegas 32 traz o retorno do ex-campeão dos galos contra um dos melhores desafiantes da divisão em uma das lutas mais aguardadas do semestre. O evento será realizado diretamente do UFC Apex em Las Vegas, Nevada (EUA).

+ Bellator confirma demissões de Matt Mitrione e Ronny Markes

Depois de dois anos parado por uma suspensão por doping, após perder uma disputa de título contra Henry Cejudo, o ex-campeão TJ Dillashaw retorna aos octógonos para tentar recuperar aquilo que perdeu por um erro grave. Por isso, ele pisa novamente no octógono para enfrentar Cory Sandhagen, um dos principais desafiantes da categoria dos galos, em busca de uma chance de disputar o cinturão da categoria.

+ Apoie o MMA Brasil e seja um colaborador

Ainda na divisão até 61,5kg, um duelo bem intrigante entre dois atletas ranqueados pode definir muita coisa sobre o top 10 dos galos em um futuro próximo. O brasileiro Raulian Paiva batalha contra o prospecto Kyler Phillips, em busca de uma vaga no top 15 da categoria, na luta coprincipal da noite.

O UFC Vegas 32 tem início previsto para 17h com o card preliminar, enquanto o card principal deve ir ao ar às 20h pelo horário oficial de Brasília. O evento será transmitido com exclusividade pelo Canal Combate no Brasil.

Peso galo: #2 Cory Sandhagen (EUA) vs. TJ Dillashaw (EUA)

Por: Rodrigo Rojas

Cory Sandhagen (14-2 no MMA; 7-1 no UFC) despontou como um furacão na encardida categoria dos galos do UFC. Após cinco vitórias  em sequência – sempre em lutas divertidíssimas e violentas -, foi pareado em um title eliminator com Aljamain Sterling, mas acabou finalizado com facilidade pelo atual campeão. Então, enfrentou dois dos nomes mais perigosos da categoria, Frankie Edgar e Marlon Moraes, e nocauteou ambos com facilidade e de maneira espetacular, colocando-se mais uma vez em posição para lutar pela cinta.

Sanhagen é um dos kickboxers mais competentes de uma categoria cheia de strikers de elite e é, sem dúvidas, o trocador mais versátil, atacando com socos retos na cabeça e ganchos no corpo, chutes em todos os níveis – incluindo rodados – e joelhadas voadoras ou no clinch. Ele ataca com volume imparável e com fluidez impressionante, transitando entre a trocação, o clinch e tentativas de finalização com facilidade, sempre perseguindo os oponentes em busca da interrupção. Sua resiliência é indiscutível, mas a agressividade constante pode custar caro contra oponentes que saibam contragolpear. Até hoje, Cory só foi parado por wrestlers, já que seu jogo em pé ainda não foi decifrado. 

Um dos maiores pesos galo de todos os tempos, TJ Dillashaw (17-4 no MMA; 12-4 no UFC) conseguiu praticamente enterrar sua carreira com uma derrota humilhante para Henry Cejudo, seguida de uma torrente de desculpas e um teste positivo para EPO que pôs em xeque toda a sua trajetória no UFC. 

TJ enfrentou os melhores pesos galo de sua geração, superou Raphael Assunção, Renan Barão (2x), John Lineker e nocauteou seu maior rival, Cody Garbrandt, também duas vezes, além de ter perdido uma decisão contestável para Dominick Cruz. É impossível falar de Dillashaw sem falar de Duane Ludwig. “Bang” forjou TJ, transformando-o de um wrestler cru em um dos melhores strikers de todo o UFC. Suas mãos são incrivelmente rápidas, e a movimentação só tem paralelo no lendário Dominick Cruz. TJ ainda é um mestre dos ângulos dentro do octógono e excelente nas transições, usando fintas e trocas de base para armar tanto quedas quanto chutes na cabeça. Ele também é muito bom com a movimentação de cabeça e contragolpes no pocket, além das longas combinações de golpes que lhe renderam a maior parte das vitórias por interrupção. 

Cory Sandhagen vs T.J. Dillashaw odds - BestFightOdds

A questão para essa luta é que tudo que escrevi até aqui é sobre um TJ de quase três anos atrás e, possivelmente, sob efeito de EPO. Já Cory, ainda muito jovem no MMA, evolui a olhos vistos a cada luta. TJ, nas CNTP, é praticamente imparável e tem um jogo perfeito para superar Sandhagen mesclando o wrestling de alto nível com a trocação de elite. Porém, é impossível que todo o tempo parado não afete o ex-campeão – e não estar em seu melhor nunca é um bom presságio contra o adversário no auge, que deve vir na ponta dos casos, sedento por sua primeira chance pelo título.

O mistério sobre a condição de Dillashaw torna a luta pouco previsível, mas apostaremos em uma vitória de Cory Sandhagen, aproveitando-se do ex-campeão enferrujado para arrancar a vitória – sempre com a ressalva de que, se estiver bem fisicamente, o ex-campeão tem qualidade técnica para superar o adversário mais jovem.

Peso galo: #14 Kyler Phillips (EUA) vs. #12 Raulian Paiva (BRA)

Por Israel Silveira

Um interessante confronto na categoria dos galos traz dois bons lutadores em sequência de vitórias, com o americano Kyler Phillips enfrentando o brasileiro subindo de categoria Raulian Paiva na luta coprincipal do UFC Vegas 32.

Oriundo do Contender Series, Kyler Phillips (9-1 MMA, 3-0 UFC) chamou a atenção por ser um lutador aparentemente muito pronto para o UFC. Com bom background de wrestling e um kickboxing bastante sólido, Phillips vem conseguindo trazer o antijogo de todos os adversários que enfrentou até aqui. O americano vem de derrotar o badalado Song Yadong em uma apertada decisão, na qual ele mostrou tanto suas quedas oportunistas quanto um bom jogo na longa distância, punindo o chinês sempre que este tentou ser agressivo demais.

Phillips também possui um bom jogo de jiu-jítsu (faixa marrom sob Carlson Gracie), dificilmente permitindo que seus adversários levantem quando consegue uma queda. Além da vitória sobre Yadong, Phillips também teve sólidas vitórias sobre Cameron Else e Gabriel Silva.

Raulian Paiva (20-3 MMA, 2-2 UFC) faz sua estreia na categoria dos galos após complicados cortes de peso. O brasileiro saiu de última hora de uma luta contra David Dvorak e em sua penúltima luta ficou acima do limite dos moscas por mais de 1 kg. O atleta do Amapá era grande demais para a divisão dos moscas, mas não chega para a luta contra o americano com desvantagem de tamanho (ambos com 1,73m).

Raulian é um striker por essência, lançando potentes combinações na longa distância e costuma atacar sem parar. Ele vem de demolir Mark De La Rosa em dois rounds utilizando exatamente essa abordagem. Ele possui boa base de muay thai e deve possuir alguma vantagem no clinch, onde ele deverá buscar a luta, já que não terá a vantagem de envergadura que costumava ter no peso mosca.

Kyler Phillips vs Raulian Paiva odds - BestFightOdds

Dada a tendência dos dois lutadores de buscarem a luta em pé, o combate tem tudo para ser excelente. Raulian busca atacar sem parar e Phillips é mais metódico e faz o estilo “sniper”. No entanto, Phillips tem o wrestling à disposição, área em que o brasileiro já demonstrou alguma deficiência, tendo sido quedado em três de suas quatro lutas no UFC. No chão, os lutadores devem se equivaler, no entanto, com Kyler, caindo por cima, é bem provável que ele leve a luta coprincipal do UFC Vegas 32 por decisão. Espere um combate bastante movimentado.