Por Edição MMA Brasil | 19/03/2021 18:31

Com um evento bem menos atrativo seguindo o estilo da semana antecessora, o UFC Vegas 22 chega para entreter a noite do fã de MMA durante a pandemia do Covid-19. O evento será realizado novamente no UFC Apex, estrutura exclusiva do UFC em Las Vegas, Nevada (EUA), que se tornou a casa dos eventos da maior organização de MMA do mundo desde 2020.

Na luta principal da noite, o experiente Derek Brunson tenta novamente romper o teto do topo da categoria dos médios após três vitórias consecutivas. Agora, ele terá pela frente o promissor Kevin Holland, atleta que vive uma ascensão meteórica com cinco triunfos seguidos, todas elas realizadas apenas em 2020.

Outra luta que chama atenção no card do próximo sábado (20) é o interessante duelo de estilos entre os talentosos Gregor Gillespie, que tenta se recuperar e provar que não será uma decepção, contra Brad Riddell, uma das gratas surpresas que surgiram na divisão dos leves nos últimos meses.

O UFC Vegas 22 será realizado na noite de sábado (20) e tem início previsto do card preliminar às 20:30h, enquanto o card principal deve ir ao ar às 22:00h pelo horário de Brasília. O evento terá transmissão exclusiva do Canal Combate, e as duas primeiras lutas do card preliminar serão transmitidas no SporTV 3.

Peso médio: #7 Derek Brunson (EUA) vs. #10 Kevin Holland (EUA)

Por Matheus Costa

Em mais uma tentativa de ressurgir na categoria dos médios, o competente Derek Brunson (21-7 no MMA, 12-5 no UFC) tem mais uma oportunidade de quebrar o teto do top 5 e mostrar que merece uma vaga para brigar com os grandes da divisão. Com três vitórias consecutivas, o americano impressionou com uma boa vitória sobre Edman Shahbazyan por nocaute técnico em 2020. Agora, chega o momento da verdade para o atleta se provar.

Aos 37 anos de idade, Derek Brunson conseguiu evoluir consideravelmente na parte técnica numa fase mais tardia de sua trajetória no esporte. De um wrestler explosivo mas não tão técnico, Brunson melhorou na parte da luta em pé e mostrou ser um boxer de combinações simples mas efetivas, especialmente com a potência de suas mãos. Embora não seja tão criativo na hora de golpear, Derek também melhorou no volume de seus golpes e agora pressiona muito bem seus adversários. Sua defesa ainda é o grande problema de seu jogo, alvo relativamente tranquilo para lutadores mais técnicos e ágeis.

Se tem uma história que impressiona na atualidade da categoria dos médios, esta é certamente a ascensão quase que meteórica de Kevin Holland (21-5 no MMA, 8-2 no UFC). De um lutador de meio de tabela que sempre cumpriu seu papel (™), o norte-americano pisou fundo no pedal durante a pandemia e engatou cinco vitórias consecutivas apenas em 2020. A última delas, de forma bem impressionante, contra o brasileiro Ronaldo Jacaré. Com apenas 28 anos de idade, Kevin Holland surge como uma opção de quem sempre entrega atuações competentes e lutas legais de se assistir. Porém, o o caldo começa a engrossar e é hora de testar, de fato, até onde ele pode chegar. Nada melhor do que enfrentar o melhor porteiro da divisão, certo?

Com um estilo bem ortodoxo e a preferência por golpes plásticos, Holland é um caso a parte por ter uma envergadura de impressionantes 2,06m. Tal valência física lhe ajuda a introduzir sua estratégia de manter a luta na longa distância, controlando o ritmo de seus adversários e golpeando com um timing certeiro com seus diferentes chutes – e isso será fundamental para vencer Brunson. Sua luta agarrada não é muito técnica, e quando usa o wrestling impulsionado por sua força física, geralmente é com a intenção de golpear no chão.

Derek Brunson vs Kevin Holland odds - BestFightOdds

Nesse confronto de estilos interessante, Derek Brunson e Kevin Holland se encontram neste duelo de cinco rounds com praticamente o mesmo objetivo: adentrar ao topo da categoria para, enfim, alçar voos mais altos. Um já tentou e falhou em todas as vezes. O outro, que vive um momento ímpar, quer provar que não se trata apenas de um dos vários casos de fogo de palha que já vimos no MMA.

Brunson é um duelo complicado para Holland por seu ímpeto e sua eficiência na curta distância, podendo oferecer muitos riscos ao seu adversário caso consiga encontrar seu ritmo. Com sua base de karateca, Kevin terá que se esforçar para manter a distância e precisa tomar cuidado com seus chutes, pois caso seja derrubado, passará por maus momentos. A aposta fica para uma vitória por nocaute técnico de Holland no quarto round em uma luta bem equilibrada, que deve ser decidida no detalhe na luta principal do UFC Vegas 22.

Peso leve: #15 Gregor Gillespie (EUA) vs. Brad Riddell (NZL)

Por Israel Silveira

Gregor Gillespie (13-1 no MMA, 6-1 UFC) é a prova do quanto o hype é passageiro. Gillespie era (e ainda é) um dos principais lutadores nomes da geração de renovação do peso leve, atropelando seguidos adversários com sua pressão incessante e wrestling de altíssimo nível. O americano é certamente o lutador com melhor background de wrestling no UFC, tendo sido campeão nacional e tendo recebido a honra de all-american em quatro oportunidades. O “The Gift” traz todas as suas qualidades do wrestling aliadas a um striking muito agressivo, combinação que faz dele um lutador muito difícil de ser vencido. Yancy Medeiros, Vinc Pichel, Jason Gonzalez e Glaico França foram todos vítimas de muitas quedas e foram totalmente controlados por Gillespie.

O nova-iorquino, no entanto, bateu de frente com uma versão excelente de Kevin Lee e ficou evidente que contra um adversário forte fisicamente o estilo de Gillespie não é tão brilhante assim. Lee foi capaz de suportar a tentativa de queda de Gillespie e o destruiu na média distância. Vale lembrar que o “The Gift” tem apenas 1,70m e é o menor lutador em altura do top 15 dos leves. Desde sua derrota para Kevin Lee em novembro de 2019, Gillespie entrou em hiato. Essa é uma luta em que ele tentará trazer seu nome de volta ao status de contender.

Brad Riddell (9-1 no MMA, 3-0 no UFC) é mais um neozelandês que chegou ao UFC pela City Kickboxing, mesma academia de nomes como o campeão dos médios Israel Adesanya, Kai Kara-France e Dan Hooker. Riddell é um prospecto em plena ascensão com três vitórias, mesmo que não tenha vencido nenhum grande nome. O neozelandês tem vitórias sobre Jamie Mullarkey, Magomed Mustafaev e Alex Leko, mostrando em todas ótimo striking e muita capacidade atlética. Mustafaev conseguiu colocar Riddell no chão em seguidas oportunidades, mas o neozelandês continuou se recolocando de pé e castigando o russo em pé sempre que pôde.

Por mais que tenha sido brutalmente nocauteado em sua última luta e estando parado há um ano e meio, o americano é favorito para esse combate. Riddell foi colocado para o chão em todas as suas lutas e, mesmo sendo provável que ele consiga levantar contra o americano, ele sempre contou com seus adversários cansando para a partir daí assumir o controle da luta. Contra Gillespie, é mais provável que o neozelandês acabe cansando, já que o wrestler simplesmente tem o tanque de combustível suficiente para muitos e muitos rounds.

Brad Riddell vs Gregor Gillespie odds - BestFightOdds

Riddell sempre terá a oportunidade de nocautear Gillespie enquanto a luta estiver acontecendo na média distância, mas o que provavelmente acontecerá é Gillespie colocando-o pra baixo pelo menos três vezes por round e eventualmente tirar todo o gás do neozelandês. A aposta é Gillespie por finalização no segundo assalto na luta coprincipal do UFC Vegas 22.