Por Edição MMA Brasil | 04/12/2020 15:55

Em mais um evento realizado em Las Vegas, o UFC vai dando adeus ao ano de 2020 que foi marcado, infelizmente, pela pandemia de Covid-19. Neste próximo sábado (7), chega a vez do UFC Vegas 16, realizado diretamente da estrutura do UFC Apex.

Na luta principal da noite, o quarto colocado do ranking da categoria dos médios Jack Hermansson tenta provar seu ponto para uma disputa de cinturão no futuro. Para isso, ele terá que enfrentar o italiano Marvin Vettori, que busca uma vaga no top 10 da divisão.

Outros confrontos destacados pela prévia do MMA Brasil são entre o americano Ovince Saint-Preux contra Jamahal Hill na luta coprincipal válida pelos meios-pesados, a peso galo Montana De La Rosa contra a brasileira Taila Santos e, por fim, o peso pena russo Movsar Evloev contra o americano Nate Landwehr.

O UFC Vegas 16 terá transmissão exclusiva do Canal Combate no Brasil, com apenas as duas primeiras lutas do card preliminar sendo transmitidas pelo SporTV 3. A porção preliminar deve começar por volta de 21:00h, enquanto o card principal deve começar à 00h no horário oficial de Brasília.

Confira o vídeo promocional do UFC Vegas 16:

Peso médio: #4 Jack Hermansson (SUE) vs. #13 Marvin Vettori (ITA)

Por: Matheus Costa

Quando parecia que o sueco Jack Hermansson (21-5 no MMA, 8-3 no UFC) iria disputar o cinturão dos médios, uma derrota de certa forma inesperada da maneira tão impactante para Jared Cannonier, dúvidas surgiram. Entretanto, logo em sua aparição seguinte, o bruto peso médio tratou nocautear brutalmente o ex-desafiante Kelvin Gastelum, mostrando que, sim, merece estar no topo da divisão.

Rápido e dono de um boxe potente, embora não tão técnico, o “The Joker” adora trocar porrada com seus adversários, especialmente na curta distância onde oferece risco em algumas situações. Em pé, ele possui bom arsenal de combinações e se destaca quando acelera o ritmo, já que é consideravelmente mais rápido e ágil do que o restante da categoria. No chão, se destaca pelo controle posicional decente quando está por cima, mas nunca mostrou nada que mereça destaque no jiu-jítsu.

Buscando provar seu nome e consequentemente uma vaga no top 10 da categoria, o italiano Marvin Vettori (15-3-1 no MMA, 5-2-1 no UFC) vem de boa vitória sobre um nome conhecido em Karl Roberson. Agora, o sarrafo sobe consideravelmente de nível e será interessante ver como ele responde ao novo desafio.

Especialista na área do grappling, Vettori vem deixando de ser um lutador unidimensional e mostra evolução, mesmo que a passos médios, na área da trocação. Com seu estilo agressivo e acelerado, o italiano pode proporcionar um grande combate à Hermansson, principalmente pela preferência de trocar golpes no pocket. Ou seja, cruzados, joelhadas e cotoveladas vem se tornando cada vez mais especialidades da casa.

Jack Hermansson vs Marvin Vettori odds - BestFightOdds

Em uma luta que não deveria acontecer, já que Hermansson estava escalado para enfrentar Kevin Holland enquanto Vettori iria enfrentar Ronaldo Jacaré – que agora também irão se enfrentar, o UFC acabou encontrando um grande combate. Os estilos até que combinam e as atitudes dos atletas podem proporcionar um grande confronto de cinco assaltos.

Franco favorito, Jack Hermansson é mais lutador, possui mais qualidades físicas e pode acabar com o confronto rapidamente. No entanto, será interessante observar se Vettori conseguir levar a luta para o chão, já que o sueco possui uma guarda ridícula de fácil. A aposta é segura: nocaute do “The Joker” lá pelo terceiro assalto em um combate bem animado.

Peso meio-pesado: #14 Ovince Saint-Preux (EUA) vs. Jamahal Hill (EUA)

Por: Gustavo Lima

Ovince St. Preux (25-14 MMA, 13-9 UFC) continua firme e forte no miolo da divisão dos meios-pesados, se mantendo relevante e brecando a ascensão de alguns novos nomes que tentaram encostar na primeira prateleira da categoria. Do alto de seus 37 anos de idade, OSP é o décimo quinto colocado no ranking até 93kg e tem em mãos uma chance de provar que ainda pode ser mais que um simples porteiro de luxo.

Nesta faixa de peso, são duas vitórias consecutivas sobre os limitados Michal Oleksiejczuk e Alonzo Menifield, que apesar de terem boas qualidades em seus arsenais, apresentam dificuldades contra atletas mais completos e refinados em suas capacidades. Neste final de semana, a barra deve subir um pouco, ainda que o oponente não seja ranqueado ou experiente.

Jamahal Hill (7-0, 1 NC no MMA, 1-0, 1 NC no UFC) é um dos nomes “novos” mais interessantes nesta categoria dentro do UFC. Com 29 anos de idade, o “Sweet Dreams” chegou a maior organização de artes marciais mistas do mundo após uma vitória no Contender Series em 2019. Desde então, são duas vitórias (Darko Stosic e Klidson Abreu/revertida pra NC) e uma boa impressão causada pelo conjunto técnico e físico.

Hill mostrou boa qualidade de striking até aqui, fazendo bom uso de sua avantajada envergadura com jabs sólidos e oportunos. Na curta luta contra Klidson, por exemplo, o brasileiro não conseguiu se aproximar sem engolir golpes contundentes, situação que permitiu ao americano chegar facilmente a vitória nos minutos seguintes. As joelhadas saindo do thai clinch, arma que foi utilizada para nocautear Abreu, também apareceu muitas no combate contra Stosic, especialmente durante tentativas de aproximação imprudentes do adversário.

Contra OSP, o embate deve transcorrer de maneira um pouco diferente. O haitiano costume adotar um volume mais esparso de golpes arremessados na luta em pé, sendo mais cauteloso e imprevisível nas aproximações. A abordagem contragolpeadora que permitiu a Hill ter êxito nos outros dois combates pode não funcionar tão bem aqui. De qualquer forma, o fato de Ovince não trabalhar com sequencias longas e pressão por longos períodos torna a vida de Jamahal um pouco menos difícil do que poderia ser.

Imagino que Hill consiga ter longevidade física para segurar a peteca contra OSP conforme a luta progride. A forma física do veterano já não é a mesma e tem deixado a desejar em duelos que acabam se alongando muito. Com esta perda de explosão e força, a tendência é que o “Sweet Dreams” consiga carimbar mais e mais o oponente no UFC Vegas 16.

Jamahal Hill vs Ovince St. Preux odds - BestFightOdds

Apesar de medidas virtualmente idênticas, OSP é mais parrudo e dono de força física notável. Esse aspecto pode e deve ser explorado na luta agarrada, apesar de Hill ter mostrado um nível bem decente de grappling até aqui. Ao analisar todas as variáveis envolvidas no combate, não consigo deixar de atribuir favoritismo a Jamahal, mas a margem não é das maiores. OSP é um atleta muito perigoso e com capacidade de mudar completamente o curso de uma luta com poucas ações. Veredito: Hill por decisão.

Peso galo: Montana de la Rosa (EUA) vs. Taila Santos (BRA)

Por: Idonaldo Filho

A americana Montana De La Rosa (11-6 no MMA, 4-2 no UFC) era muito jovem e tinha carreira irregular antes de ser convocada para o The Ultimate Fighter 26, que inaugurava a divisão peso mosca para as mulheres no líder do mercado. Montana acabou não indo tão longe, mas foi derrotada logo pela campeã Nicco Montaño na casa, o que não é vergonha alguma. No UFC vem tendo uma boa trajetória, com várias finalizações e se mantendo como atleta ranqueada, atualmente estando na décima quinta posição.

Faixa marrom de jiu-jítsu, Montana é uma lutadora com muitas virtudes na luta de solo. De La Rosa é bastante flexível e tem habilidade também atuando da guarda, principalmente com chaves de braço. Sendo algumas vezes All American, o wrestling dela é regular, carecendo de melhor controle posicional. Em pé Stewart atua na distância constantemente utilizando jabs, vez ou outra aplicando chutes altos. Defensivamente ainda precisa aprender muito, pois o rosto costuma ficar desprotegido, sendo salva muitas vezes pela durabilidade apenas.

Taila Santos (16-1 no MMA, 1-1 no UFC) é um bom talento que chegou ao UFC após destruir inúmeras meninas que nunca lutaram na vida – literalmente ela enfrentou estreantes -, acumulando um cartel recheado se olharmos apenas números, mas com zero profundidade quanto a talento. Contratada após bom desempenho no Contender Series Brasil, Taila perdeu a sua primeira luta na decisão dividida, mas em julho derrotou a britânica Molly McCann, conseguindo seu primeiro resultado positivo na organização.

Taila é predominantemente uma trocadora, embora no UFC cada vez mais vem apostando em quedas. Atleta da Astra Fight Team, a brasileira tem bom muay thai e costuma aplicar bastante volume de golpes em seus combates, sempre se mantendo ativa e, mesmo sem contar com muito poder de definição, causando dano a oponente. São chutes no corpo e na perna, jabs, joelhadas, a atleta possui uma variedade técnica interessante aplicada sempre em bom ritmo. Contra Mara Borella, Taila demonstra que a defesa de quedas é um aspecto a ser melhor trabalhado, assim como o chão.

Montana de La Rosa vs Taila Santos odds - BestFightOdds

É uma luta muito apertada mesmo. Montana tem vantagem na luta de chão, pode até quedar Taila, mas ultimamente ela vem preferindo atuar na trocação e aí a brasileira consegue oferecer muito mais. A aposta é em um duelo que chegue a decisão dos juízes de forma apertada no UFC Vegas 16, mas com vitória de Taila Santos na decisão, depois de machucar Montana no volume de golpes e também no clinch.

Peso pena: Nate Landwehr (EUA) vs. Movsar Evloev (RUS)

Por: Israel Silveira

Nate Landwehr (14-3 no MMA, 1-1 no UFC) chegou há pouco tempo no UFC vindo do M-1 Global, onde foi campeão dos penas, defendendo sua cinta por duas vezes até assinar com a maior organização de MMA do planeta. Um prospecto bem menos hypado que Evloev, Landwehr não é elite em nenhuma área do jogo, mas trabalha duro no octógono e gosta de guerras, sem medo de sofrer golpes e com gás o suficiente para levar seu estilo porradeiro até o final de suas lutas.

“The Train” gosta de pressionar, e quando consegue encurralar seus adversários na grade, lança diversas combinações, por vezes ficando exposto a contragolpes. Foi assim que ele foi destruído por Herbert Burns após cair pra dentro do brasileiro e fazer luta dura, até sofrer uma joelhada que o mandou direto ao país dos sonhos. O americano se recuperou da derrota para Burns com uma sólida atuação contra Darren Elkins, punindo o oponente com contragolpes sempre que pôde e defendendo 12 de suas 13 tentativas de queda.

Um dos prospectos mais quentes dentro do UFC, Movsar Evloev (13-0 no MMA, 3-0 no UFC) confirmou o hype sobre ele quando chegou do M-1 Global como o futuro da divisão dos penas. O russo, que tem extensivo background em luta greco-romana, é profissional desde 2014 e chegou ao UFC em 2019, logo acumulando três vitórias seguidas. Ele mostrou excelente boxe, gás e bastante compostura no octógono até aqui: variações de distância, contragolpes e pressão em pé.

Adepto do estilo de “perseguir e bater”, Evloev varia muito bem sua trocação que é justa com sua grande capacidade de mergulhar para quedas. Movsar já demonstrou algumas falhas ao se esticar demais em seus golpes e por vezes deixar seu queixo desprotegido, algo característico de grapplers que fizeram a transição para o MMA. Porém, o russo ainda não encontrou um contragolpeador que fosse capaz de aproveitar esse defeito.

Movsar Evloev vs Nate Landwehr odds - BestFightOdds

Evloev é o maior favorito nas bolsas da noite, mas essa é uma luta bem mais apertada do que parece. Evloev é um ex-peso galo 3 centímetros mais baixo e bem menor fisicamente que Landwehr, que já mostrou boa defesa de quedas tanto no UFC quanto em sua carreira no M-1 Global. Contudo, Mosvar é simplesmente melhor em todas as áreas: ele é o striker de melhor compostura entre os dois, tem mais gás e melhor grappling.

Landwehr pode se aproveitar das brechas de Evloev em pé para desferir seus contragolpes, mas o panorama da luta é que ele deve ser colocado para baixo pelo menos uma vez por round e eventualmente derrotado numa tranquila decisão unânime pelo russo no UFC Vegas 16, que com a vitória tem tudo para chegar ao top 15 da duríssima divisão dos penas.