Por Edição MMA Brasil | 13/11/2020 13:23

O fim do ano vai se aproximando e com isso a sequência de eventos do UFC também. Neste sábado, o UFC Vegas 14 entra em cena com uma luta principal que gera bastante expectativa nos fãs.

O combate principal traz o retorno do ex-campeão Rafael dos Anjos frente ao americano Paul Felder, que aceitou substituir Islam Makhachev com menos de uma semana de antecedência para um duelo válido de cinco rounds.

Outro confronto de destaque do card será válido pela categoria dos médios. O jovem promissor Brendan Allen retorna ao octógono da maior organização do mundo para enfrentar o experiente Sean Strickland, que subiu de divisão em busca de um recomeço na empresa.

Por fim, o MMA Brasil destaca o duelo entre os experientes Jose QuiñonezLouis Smolka, válido pela categoria dos galos. Em situações complicadas dentro da organização, a vitória é importante para os dois em busca da manutenção de seus empregos.

O UFC Vegas 14 terá início às 18:00h com seu card preliminar, enquanto a porção principal dos combates está prevista para começar às 21:00h. O evento terá transmissão exclusiva do Canal Combate, com as duas primeiras lutas do evento transmitidas pelo SporTV 3.

Peso leve: Rafael dos Anjos (BRA) vs. Paul Felder (EUA)

Por Pedro Carneiro

Depois de quase ter ficado sem adversário, em virtude da impossibilidade de Islam Makhachev comparecer ao evento desse sábado, Rafael dos Anjos (29-12 no MMA, 18-10 no UFC) recebeu uma luta com um estilo mais apetecível, contra Paul Felder. Antes disso, o brasileiro foi derrotado por Michael Chiesa em janeiro do presente ano, o que solidificou um mal momento, no qual Rafael tem retrospecto de 4 derrotas e 1 vitória em um período de 2 anos.

Apesar disto, estamos falando de um excelente lutador, daqueles que é talhado na dor e no suor. Dos Anjos é um artista da pressão constante, utilizando um muay thai com alto volume de golpes e de muita força para sufocar e cercar os adversários. As quedas são boas para um lutador oriundo do jiu-jítsu, que além de um ground and pound poderoso, estão amparados em um arsenal de finalizações excelentes. Todo esse conjunto de valências é amparado por um preparo físico invejável e uma mentalidade de workaholic nos treinos e na busca por evolução no esporte. Os maiores problemas surgem quando o ex-campeão encontra wrestlers fortes que suportam a pressão física e não se submetem as quedas com facilidade, o que não é bem o caso da luta desse fim de semana.

Paul Felder (17-5 no MMA, 8-5 no UFC) está aproveitando a oportunidade para fazer o que mais gosta – trocar porrada como se não houvesse amanhã. E não é que ele não saiba o que está fazendo, muito pelo contrário, o faz muito bem. O irlandês é um especialista em várias modalidades de luta em pé, como o taekwondo e o caratê, mas prefere os usar na curta distância, de onde desfere socos, chutes, cotoveladas, todos eles vindo de ângulos criativos e com o diferencial de partirem de um lutador que prefere o contragolpe. A volúpia e intensidade de Paul fazem dele um dos atletas mais divertidos de se assistir no plantel do UFC.

O “Dragão Irlandês” vem de derrota para Dan Hooker em evento estrelado pelos dois, ocorrido em fevereiro. Apesar do tropeço, foi uma luta divertida (como era de se esperar) que interrompeu as duas vitórias seguidas que aconteceram nos embates contra James Vick e Edson Barboza. Em todos os combates, Felder provou o seu valor mostrando que para vencê-lo é necessário deixar alguns anos de vida no octógono.

Paul Felder vs Rafael Dos Anjos odds - BestFightOdds

Temos dois sujeitos homens se digladiando e a expectativa é de que ocorra uma luta que deixe os fãs animados, ou pelo menos na ponta do sofá. O que poderia estragar os planos, seria Rafael conseguir derrubar Felder e acabar com a brincadeira na luta agarrada ou no ground and pound. Mas não é o que queremos, nem o que os deuses do MMA querem. Caso os dois partam para a boa e velha troca de socos e pontapés, podemos ter um velho espetáculo, com vantagem para o brasileiro. Rafael é inteligente e tem capacidade para controlar as ações e conseguir levar a luta, contudo, já vimos que o niteroiense deixa brechas no jogo defensivo e um contragolpeador como Paul Felder pode explorar muito bem esse tipo de situação. De todo modo, apostamos ainda em Rafael dos Anjos.

Peso médio: Brendan Allen (EUA) vs. Sean Strickland (EUA)

Por Idonaldo Filho

Revelação do LFA, o promissor peso médio Brendan Allen (15-3 no MMA, 3-0 no UFC) teve um caminho duro até conquistar o cinturão do pequeno evento americano, batendo na trave em duas oportunidades até chegar ao título. Isso foi o suficiente para chamar a atenção de Dana White, que o levou para o Contender Series, onde Allen não decepcionou e finalizou sua luta ainda no primeiro assalto. Contratado, o americano fez três lutas na atual organização e venceu todas, com a maior delas sendo logo a primeira, contra Kevin Holland, vitória essa que valorizou com a atual boa fase da vítima.Sean Strickland

Ainda que seja bem novo com 24 anos, Allen é um lutador bem completo e que já foi campeão mundial amador de MMA pela IMMAF.  Sua trocação não é das mais técnicas e sua defesa é problemática, porém Allen tem poder de nocaute, costumando ser agressivo em pé quando quer se aproximar do oponente. O wrestling de Brendan é muito baseado na força, enquanto a defesa de quedas ainda precisa de melhoras. No clinch temos um ponto forte, principalmente quando falamos de joelhadas certeiras. Quando consegue levar a luta para o solo é onde Allen se sente mais confortável, pois é um atleta bastante flexível e oportunista, mas que tem como especialidade o mata-leão, que foi responsável por quase metade das suas vitórias.

Sean Strickland (21-3 no MMA, 8-3 no UFC) já é bem conhecido e está no UFC desde 2013, com longa jornada pela categoria dos meios-médios. Um lutador subestimado, Sean por muito tempo foi um dos principais lutadores de meio de tabela na categoria até 77kg, perdendo somente para os atuais lutadores de elite que são o campeão Kamaru Usman e Santiago Ponzinibbio, além do sempre perigoso Elizeu Zaleski. O ex-campeão do KOTC decidiu retornar ao peso médio recentemente, tendo uma boa estreia contra o limitado Jack Marshman.

O “Tarzan” sempre impressionou pela disciplina e pelo volume intenso de golpes, mas por uma falta de poder de nocaute característica e constante idas para a decisão dos juízes. Strickland conta com um boxe refinado, utiliza bastante os jabs de forma correta, atacando preferencialmente na longa distância e mirando o rosto do adversário, com chutes ocasionais. Como utiliza combinações simples com muita frequência, pode acontecer de ficar previsível contra oponentes com mais recursos. O jogo de solo não é tão explorado, mas o experiente atleta sabe derrubar bem e é regular no grappling. Dentro de um peso médio enfraquecido, é muito possível apostar em uma entrada no ranking por parte de Sean.

Brendan Allen vs Sean Strickland odds - BestFightOdds

São dois lutadores com potencial e que podem fazer parte dos principais pesos médios do elenco. Para Strickland, é melhor adotar a mesma estratégia que usou contra Marshman, aproveitar a vantagem em pé e se movimentar bastante, sem se preocupar em cansar tanto já que agora o corte de peso é menor. Allen terá vantagem se conseguir colocar a luta para baixo ou até mesmo no clinch. É uma luta equilibrada como as casas de apostas apontam, mas vamos de Sean nas papeletas.

Peso galo: José Alberto Quiñonez (MEX) vs. Louis Smolka (EUA)

Por Gustavo Lima

José Alberto “Teco” Quiñonez (8-4 MMA, 5-3 UFC) é um dos inúmeros interessantes achados do The Ultimate Fighter Latin America. Apesar de não ser um primor técnico, é um atleta que costuma entregar combates divertidos nas parcelas mais baixas dos cards que a companhia promove. Apesar do aproveitamento irregular em seu cartel, todas as derrotas do mexicano foram para nomes de bom nível técnico (Davi Ramos, Turbo Perez, Nathaniel Wood e Sean O’ Malley).

O retrospecto recente, porém, não facilita a vida do atleta da Alliance MMA. Vindo de derrota e com cartel 1-2 nas últimas três lutas, é importante que o combatente de trinta anos volta a vencer para estabilizar sua posição na organização, especialmente por fazer parte de uma categoria tão populosa e profunda como o peso galo.

Do outro lado, Louis Smolka (16-7 no MMA, 7-7 no UFC) também precisa da vitória para ficar de consciência tranquila e permanecer empregado, talvez até mais que o oponente. Em sua segunda passagem pela organização, o retrospecto é de 2-2 e sem mostrar muito serviço. O havaiano lutava como peso mosca em sua primeira passagem pela companhia e foi demitido após quatro derrotas seguidas na época em que Dana White e cia. tentavam decidir se iriam ou não acabar com a categoria. Nesta altura, Smolka viveu um drama pessoal com abuso de álcool que teve impacto forte sobre seu desempenho.

Louis tirou um tempo para se recuperar, ficou pouco mais de um ano competindo fora da elite e não tardou a voltar ao UFC, desta vez no peso galo. Tecnicamente, porém, pouco parece ter mudado: Smolka tem trocação boa, tem jiu-jítsu decente, mas nada muito além disso. Se o tamanho não o coloca em desvantagem tão grande ao competir na categoria até 63 kg, o nível técnico faz com que o buraco seja bem mais embaixo.

Temos um casamento com dois atletas que não destoam consideravelmente em nenhum aspecto do jogo, mas são consistentes e apresentam nível bem similar de habilidade considerando MMA como um todo. Ambos possuem um striking muito volumoso e devem entregar situações potencialmente divertidas no duelo. Promessa de colisão entre dois protagonistas que tendem a andar pra frente e tomar o controle das ações. Neste cenário, serão os pequenos detalhes que farão a diferença. É muito difícil fazer uma predição cirúrgica com atletas de perfil similar e tão restrito, mas creio que Teco pode levar vantagem especialmente pela força e explosão que podem levar vantagem sobre a exposição defensiva de Smolka no decorrer da luta.

Outro fator que pode desequilibrar circunstancialmente o combate são as boas e oportunas quedas que Quiñonez aplica em meio a pressão, especialmente levando em consideração a defesa de quedas pouco eficiente de Louis Smolka. Apesar disso, o combate deve permanecer ficar em pé na maior parte do tempo, com chance boa de ser uma das lutas mais divertidas da noite.

Jose Quinonez vs Louis Smolka odds - BestFightOdds

Teco Quiñonez é minha aposta neste duelo, mas sem muita convicção. Dadas as circunstâncias que a permeiam, a promessa é de uma luta muito equilibrada e que pode mudar muito mais dependendo da abordagem dos atletas que do nível técnico em si.