UFC On FOX 27: Prévia do Card Preliminar

Peso leve: Erik Koch (EUA) vs. Bobby Green (EUA)

Uma lesão impediu Erik Koch (15-5 no MMA, 4-4 no UFC) de ter lutado pelo cinturão do UFC em 2012, e foram as lesões que acabaram interrompendo sua carreira, com apenas duas lutas realizadas nos últimos dois anos, a mais recente delas quando tomou um passeio de Clay Guida. Atleta bem versátil, Koch é um lutador que age muito bem na longa distância e sabe pontuar bem com os golpes longos e de encontro. Seu problema é quando lida com um atleta de mais pressão, casos de Guida e Ricardo Lamas.

Como era legal ver Bobby Green (23-8-1 no MMA, 4-3-1 no UFC) lutar. Ex-membro do top 15 do peso leve, ele acabou passando por diversos problemas pessoais e viu sua carreira ruir nos últimos tempos. Teve um lampejo na luta mais recente, quando empatou com Lando Vannata em uma luta eletrizante. Apesar de ainda se mostrar meio displicente na última luta, Green apresentou sinais de melhora, principalmente voltando a mostrar o boxe de qualidade, mesmo sofrendo com a péssima defesa e a falta de velocidade.

Bobby Green vs Erik Koch odds - BestFightOdds
 

Koch se apresenta com um leve favoritismo aqui por conta da velocidade e da capacidade de manter a distância, já que Green prefere o infighting e costuma lutar em um ritmo mais lento. É possível que Bobby apresente superioridade caso tente pressionar Erik e se aproveitar de algumas brechas dadas pelo oponente, mas visto a dificuldade das últimas performances, é um pouco difícil que isso aconteça. Vamos de Koch por decisão unânime.

Peso pena: #15 Mirsad Bektic (BOS) vs. Godofredo Pepey (BRA)

Membro do Radar MMA Brasil, Mirsad Bektic (11-1 no MMA, 4-1 no UFC) conseguiu deixar um rastro de destruição em todos os adversários que enfrentou, inclusive quando perdeu para Darren Elkins em sua última luta, que foi uma das viradas mais improváveis da história do MMA. Bektic é oriundo do caratê kyokushin, dono de bons contra-ataques e sabe tomar bem a ação do combate, especialmente com o seu direto de direita. O wrestling é forte e explosivo, característica que melhorou após a ida para a American Top Team. Seu tempo de quedas é muito bom e o seu controle posicional é impecável.

Vice-campeão do TUF Brasil 1, Godofredo Pepey (13-5 no MMA, 5-5 no UFC) melhorou desde a derrota para Rony Jason na final do programa, mas tem dificuldades para adentrar ao top 15 da divisão. Em sua última luta, acabou sofrendo um revés acachapante para o prospecto Shane Burgos. Faixa-preta de jiu-jítsu, Pepey teve uma evolução boa em pé, conseguiu adicionar novas ferramentas, mas ainda sofre com uma certa falta de técnica e a defesa esburacada.

Godofredo Pepey vs Mirsad Bektic odds - BestFightOdds
 

Situação bem complicada para o brasileiro aqui, Bektic é muito forte em todas as áreas. Pepey deve começar tomando mais ação do combate em pé, e o bósnio deve adotar um estilo misturando contra golpes com pressão em cima do brasileiro. Existe a forte possibilidade de Mirsad jogar Godofredo no chão, e aí fica bem difícil pro brasileiro mesmo. O europeu deve vencer por interrupção no segundo round.

Peso mosca: #11 Katlyn Chookagian (EUA) vs. Mara Romero Borella (ITA)

Ex-campeã do Cage Fury FC, Katlyn Chookagian (9-1 no MMA, 2-1 no UFC) retornará ao peso mosca, sua categoria de origem. No peso galo, conseguiu um par de vitórias boas sobre Lauren Murphy e Irene Aldana, interrompidas por uma derrota contra Liz Carmouche, em luta equilibrada. Lutadora que apareceu no Top 10 do Futuro, Chookagian foi campeã do Golden Gloves quando adolescente e hoje é treinada por Mark Henry. Mostra um boxe fluído, com bastante movimentação e usando bem os chutes para surpreender. Agora no seu peso original, não deve ter problemas com o wrestling, que é bom.

A italiana Mara Romero Borella (12-4 no MMA, 1-0 no UFC) conseguiu uma vitória importante na sua estreia, finalizando a brasileira Kalindra Faria, que chegou a entrar na luta com um certo favoritismo. Em pé, Mara tem experiência no kickboxing, onde aprendeu a fazer um controle de distância bem decente. Faixa-preta de judô, Borella não tem uma boa defesa de quedas, mas os treinos na American Top Team parecem ter surtido efeito, com uma melhora no tempo para a entrada na hora de derrubar.

Katlyn Chookagian vs Mara Romero Borella odds - BestFightOdds
 

Temos um confronto de estilos bem curioso aqui. Chookagian provavelmente se livrará dos problemas físicos e conseguirá se impor sobre Borella em pé com golpes na longa distância e surpreendendo a italiana com algumas aproximações. Mara pode apostar no clinch ou nas quedas sobre a americana. A luta deve ser movimentada, provavelmente com vitória de Chookagian por decisão.

Peso palha: #11 Randa Markos (CAN) vs. Juliana Lima (BRA)

Semifinalista inesperada do TUF 20, Randa Markos (7-5 no MMA, 3-4 no UFC) segue sem convencer no UFC. Depois de uma vitória controversa sobre Carla Esparza, seu papel ficou invertido na luta seguinte, quando perdeu para Alexa Grasso em uma decisão também polêmica. Grappler de origem, Markos tem o wrestling de nível bom e bastante destaque no jiu-jítsu, que é flexível, mas apresentou diversos erros na hora de tentar colocar Grasso pra baixo, o que pode ser um fruto de sua saída da Tristar Gym. Em pé, é agressiva, mas não tem a capacidade de criar ângulos.

No UFC desde a criação da categoria, Juliana “Ju Thai” Lima (9-4 no MMA, 3-3 no UFC) não convenceu muito nas vezes que se apresentou. Em sua luta mais recente, acabou sendo finalizada por Tecia Torres, que ainda não tinha vencido uma luta por interrupção na carreira. Apesar do apelido sugestivo, o carro-chefe de Juliana é o jiu-jítsu, apurado na Gracie Barra BH. Apesar disso, ela se vira em pé também, principalmente com o thai clinch.

Juliana Lima vs Randa Markos odds - BestFightOdds
 

Caso a luta se desenrole toda na troca de golpes, a vantagem é de Juliana, que é mais calma e mais técnica. Randa sempre tenta encurtar com rápidas combinações, mas sua técnica não é tão apurada e ela dá brechas para respostas. O histórico de Lima é ruim com wrestlers, e Markos pode se aproveitar bem disso. Luta equilibrada, apostaremos que Randa investirá em colocar a oponente pro chão e obterá sucesso, mas a confiança nisso é bem pequena.

Peso palha: Justine Kish (RUS) vs. Ji Yeon Kim (KOR)

Russa radicada nos Estados Unidos, Justine Kish (6-1 no MMA, 2-1 no UFC) não teve muita sorte na carreira. Além de ter sido eliminada do TUF 20 por conta de uma grave lesão no joelho, que inclusive adiou muito sua estreia no octógono, ela provavelmente será eternizada como a lutadora que acabou defecando durante sua última luta, onde perdeu para Felice Herrig. A russa se destaca por apresentar técnicas do caratê e do krav maga no octógono, com um repertório de bons chutes e trabalho legal no clinch, mas ainda apresenta muitas dificuldades com a luta agarrada.

Não julgo quem não conhece Ji Yeon Kim (6-1-2 no MMA, 0-1 no UFC). Afinal, sua única luta no UFC até aqui foi a derrota para Lucie Pudilova, praticamente escondida no card preliminar no evento de Singapura. Kim é uma atleta com bastante experiência nas artes marciais, já competiu profissionalmente no boxe, é faixa-preta de hapkido e tem graduações no jiu-jítsu e no wushu. Apesar de apresentar um arsenal ofensivo variado, tem sérios problemas de defesa e velocidade.

Ji Yeon Kim vs Justine Kish odds - BestFightOdds
 

Kish é a favorita destacada aqui, talvez a maior do card. A russa deve usar os chutes baixos com frequência e deve impor ataques mais agressivos para intimidar Kim, que tem que buscar a longa distância, mas caso não tenha resolvido os problemas de velocidade, terá o rosto marcado diversas vezes. Justine deve levar por nocaute técnico no terceiro round.

Peso leve: Vinc Pichel (EUA) vs. Netto BJJ (BRA)

Participante do TUF 15, Vinc “From Hell” Pichel (10-1 no MMA, 3-1 no UFC) retornou recentemente após três anos parado e mandou Damien Brown pra vala. Agora com 35 anos, ele terá um desafio de nível mais elevado. Vinc é um atleta que se destacou por conta do muay thai, apresentando boas combinações e um bom poder de nocaute, mas nada de extraordinário.

Joaquim “Netto BJJ” Silva (10-0 no MMA, 3-0 no UFC) participou da última edição do TUF Brasil e hoje segue invicto, com vitórias sobre Nazareno Malegarie, Andrew Holbrook e Reza Madadi. Netto é mais um caso de “dibre” no apelido, já que o ponto forte do goiano é o muay thai, lapidado por André Dida. Com um bom arsenal de golpes, unidos a potência e agressividade, Netto tem a defesa como principal problema.

Joaquim Silva vs Vinc Pichel odds - BestFightOdds
 

A chance da porrada estancar é grande. Netto é um atleta mais agressivo que Pichel e deve começar a ditar o ritmo da luta logo no início, combinando diversos socos no americano, que tem capacidade de manter a luta na longa distância e deve ser favorecido caso o combate dure mais de 10 minutos. Vamos apostar em três assaltos movimentados, com o brasileiro vencendo por decisão dividida.

Peso meio-médio: Niko Price (EUA) vs. George Sullivan (EUA)

Niko Price (10-1 no MMA, 2-1 no UFC) conquistou diversos fãs por conta do estilo empolgante e a frequência alta de lutas. O trem do hype criado pelos fãs acabou descarrilhando cedo, quando Price foi finalizado por Vicente Luque, seu melhor oponente até aqui. Com base no muay thai, Niko vem evoluindo bem a cada luta, abandonando o estilo brigão e se tornando mais estrategista, sabendo usar as armas que tem. O problema é que ele é um lutador muito atingível.

Primeiro lutador da história do UFC a ser suspenso duas vezes pela USADA, George Sullivan (17-5 no MMA, 3-2 no UFC) tem a complicada missão de retornar depois de dois anos e para enfrentar um adversário bem perigoso. Antes um bom kickboxer, Sullivan foi ficando velho, perdendo velocidade e técnica. Dois anos parados não significam bom sinal para um lutador de 36 anos.

George Sullivan vs Niko Price odds - BestFightOdds
 

Junto de Kish, Price é o grande favorito do card preliminar. Acredito que sua evolução continuou, ele pode atacar Sullivan de todas as distâncias e deve produzir um nocaute ainda no primeiro assalto. Qualquer resultado diferente disso será uma surpresa e tanta.

Peso pena: Austin Arnett (EUA) vs. Cory Sandhagen (EUA)

Austin “The Golden Boy” Arnett (15-3 no MMA) conseguiu acumular um impressionante número de 13 vitórias consecutivas até cair para Brandon Davis no Dana White’s Tuesday Night Contender Series, mas isso não impediu que ele fosse contratado para tapar um buraco no card do próximo sábado. Carateca de origem, Arnett tem ferramentas muito boas na troca de golpes, com bons chutes e socos bem usados como contra-ataque. O problema é que Austin não carrega muita velocidade nos movimentos, o que pode tornar seu jogo mapeável.

Cory Sandhagen (7-1 no MMA) lutou pelo LFA na última sexta-feira e atendeu o chamado do UFC para a estreia uma semana depois. Atleta da Elevation Fight Team, Sandhagen também é adepto do bang muay thai, que envolve a arte tailandesa com bastante movimentação lateral, quase nunca no mesmo lugar. Ele também usa bem o clinch e as quedas, com destaque para o forte ground and pound.

Austin Arnett vs Cory Sandhagen odds - BestFightOdds
 

Sempre é legal começar um evento com uma promessa de grande luta. Sandhagen é um lutador que tem características para complicar a luta com Arnett, visto que nunca está no mesmo lugar e deve se esquivar bem das investidas de Austin, mostrando boas aproximações e uso eventual do clinch. Para Arnett, é interessante tentar pressionar Cory e aumentar o fluxo de golpes. A peleja deve ser muito boa de assistir, com Sandhagen vencendo na decisão.