UFC On FOX 23: Shevchenko vs. Peña – Prévia do Card Principal

Mais uma vez, o UFC faz um card para a TV aberta cheio de lutas promissoras. O posto de desafiante do peso galo feminino lidera o UFC On FOX 23 entre Valentina Shevchenko e Julianna Peña.

Como de costume, os matchmakers do UFC capricharam na escolha das quatro lutas de um card de TV aberta. O UFC On FOX 23, que volta ao ponto de origem, em Denver, Colorado, leva a disputa pelo posto de próxima desafiante do peso galo para o Pepsi Center, casa do Denver Nuggets.

O combate principal deve apontar o próximo desafio de Amanda Nunes. De um lado, Valentina Shevchenko, que já encarou a atual campeã, tenta a chance contra a ascendente vencedora do TUF 18 Julianna Peña. Antes delas, um confronto com alto potencial explosivo tem Jorge Masvidal tentando parar a excelente fase de Donald Cerrone.

Nos duelos que abrem a programação principal, dois extremos. Os pesados Andrei Arlovski e Francis Ngannou trazem potência elevada à mesa, enquanto os penas Alex Caceres e Jason Knight apostam na velocidade para entreter os fãs.

Seguindo a tradição dos eventos na FOX, o UFC On FOX 23 começa mais cedo que o normal. A primeira luta do card preliminar está marcada para às 19:00h, enquanto o card principal deve iniciar às 23:00h, sempre pelo horário oficial de verão de Brasília.

LEIA MAIS UFC On Fox 23: Prévia do Card Preliminar

Peso Galo Feminino: #1 Valentina Shevchenko (KGZ) vs. #2 Julianna Peña (EUA)

Valentina Shevchenko

Natural do Quirguistão e radicada no Peru, Shevchenko (13-2 no MMA, 2-1 no UFC) demorou para empolgar os fãs, depois de vencer Sarah Kaufman com dificuldade e levar 10 minutos de balaio de Amanda antes de tentar uma forte recuperação no terceiro assalto. Porém, contra a ex-campeã Holly Holm, a “Bala” anulou o boxe da oponente e impôs seu ritmo em atuação pouco empolgante, mas de muito respeito.

Por outro lado, Peña (9-2 no MMA, 4-0 no UFC) vem escalando com ferocidade o ranking da divisão. Com seu conhecido estilo altamente agressivo, a primeira vencedora do TUF bateu as quatro oponentes que encarou, finalizando com uma senhora vitória sobre Cat Zingano, considerada uma das forças da categoria, no UFC 200.

Este combate tem tudo para ser sensacional por um motivo curioso: são duas lutadoras muito diferentes entre si. Shevchenko é uma striker muito talentosa, mas tem um estilo que demora a “pegar”. Deu muito certo contra Holm, que boxeia da longa distância com muito cuidado, mas a ofensividade quase patológica de Peña fará com que ela tenha que agir logo. Isso deu muito errado contra Amanda e pode se repetir neste sábado, visto que Julianna tem usado bem as quedas, aproveitando seu porte físico avantajado. Valentina defende quedas bem, mas o desafio aqui é diferente.

Julianna Pena vs Valentina Shevchenko odds - BestFightOdds

Quando imagino o que pode acontecer neste combate, me vem à cabeça o desenho de Cain Velasquez contra Junior Cigano. Se Peña resolver trocar pancadas, provavelmente vai levar um passeio, considerando que a técnica supere a vontade. O caminho da “Bruxa Venezuelana” é apostar numa aproximação de alta pressão para conseguir derrubar Valentina. Com este intuito, é possível que Shevchenko defenda as primeiras tentativas, mas tenda a ceder conforme o duelo prosseguir.

Bem, se eu vejo isso, imagino que o treinador Pavel Fedotov tenha se preparado para tal. Contragolpeadora por excelência, a tendência é que Shevchenko controle o ritmo e a distância com a precisão de seus socos e chutes, sem deixar que eventuais quedas de rendimento sejam claras. Deste modo, conforme o tempo passe, a probabilidade é que Peña se torne um alvo para a variação dos golpes de Valentina. A aposta é Shevchenko por decisão.

Peso Meio-Médio: #5 Donald Cerrone (EUA) vs. #12 Jorge Masvidal (EUA)

Donald Cerrone

Cerrone (32-7) já esteve em sequências de vitórias bem longas, mas parece que, aos 33 anos, vive seu esplendor técnico. Totalmente adaptado ao novo peso, o “Cowboy” não tomou conhecimento de nenhum dos quatro oponentes no meio-médio e ainda levou a torcida à loucura nos nocautes sensacionais sobre Rick Story e Matt Brown.

Já Masvidal (31-11) venceu apenas metade de seus últimos combates, mas voltou a chamar atenção especialmente no último. Depois de dominar inteiramente o pequeno Ross Pearson, Jorge passou o carro inapelavelmente em Jake Ellenberger, que acabou se machucando quando estava prestes a ser nocauteado ainda no primeiro round.

Aqui temos mais um confronto de estilos interessante. Ambos são strikers de modo primário e possuem subestimados jogos de queda e chão. No entanto, são bem diferentes trocando golpes. Enquanto Masvidal aposta nos contra-ataques, na excelente capacidade de golpear recuando e na adaptação aos oponentes, Cerrone afina cada vez mais seu kickboxing, com uma variedade de ataques cada vez maior e a potência de quem sempre deveria ter lutado como meio-médio. Masvidal tem a seu favor as quedas – ele é um wrestler melhor que o Cowboy -, mas não necessariamente conseguirá manter o rival no solo.

Donald Cerrone vs Jorge Masvidal odds - BestFightOdds

Para vencer, Masvidal tem dois caminhos: conseguir acertar o tempo das quedas ou oferecer uma clínica de jabs. Ele já fez ambos em várias oportunidades e Cerrone já caiu nos dois cenários anteriormente. Porém, Jorge terá que evitar os lapsos de ação ofensiva, que são costumeiros em suas atuações. Se fizer isso, será jantado pelo Cowboy.

A expectativa é que tenhamos um duelo acirrado e que Masvidal dê trabalho para Cerrone, mas este, cada vez melhor, deverá encontrar seu ritmo até vencer na decisão.

Peso Pesado: #7 Andrei Arlovski (BIE) vs. #10 Francis Ngannou (CAM)

Francis Ngannou

A boa fase de Arlovski (25-13) ficou no passado. Ele retornou ao UFC quando ninguém esperava e emendou quatro vitórias também surpreendendo muita gente. Porém, Stipe Miocic abriu a porteira com um nocaute brutal, Alistair Overeem repetiu a dose e Josh Barnett finalizou o “Pitbull” bielorrusso com um mata-leão.

História contrária vive Ngannou (9-1). Fora do radar da maioria, o camaronês radicado na França venceu os quatro confrontos que disputou no octógono. Não somente venceu como fez de modo impactante, à base de muita força bruta, inclusive na última, quando entortou Anthony Hamilton com uma kimura que começou em pé e acabou no chão.

É correto dizer que Ngannou nunca pegou alguém do nível técnico e da experiência de Arlovski. É certo também afirmar que Andrei é um dos melhores pesos pesados de todos os tempos, que combina um kickboxing rápido e potente com um bom jogo de quedas. No entanto, velocidade e potência são as principais qualidades de Ngannou, 7 anos mais jovem e quase 10 quilos de massa bruta mais pesado. Boxeador violento, Francis terá pela frente um queixo reconhecidamente frágil.

Andrei Arlovski vs Francis Ngannou odds - BestFightOdds

Não caia na esparrela de levar as odds acima a ferro e fogo e achar que Ngannou vai colocar Arlovski no bolso. O africano ainda é muito cru e isso pode custar caro contra um sujeito tão habilidoso como o europeu. Porém, é bem provável que Ngannou plante no centro do octógono e atraia Arlovski para o tiroteio. Aí, amigo, por mais que haja chance de entrar aquele míssil que enterrou Antonio Pezão, o mais provável é que Ngannou aguente o que vier pela frente e solte um canhão no combalido queixo do oponente. O cenário que se abre aqui é Francis por nocaute na metade inicial da luta.

Peso Pena: Alex Caceres (EUA) vs. Jason Knight (EUA)

Jason Knight

Basta olhar o cartel para ver como Caceres (12-9) é inconsistente. Ele já deu trabalho para a elite e já foi dominado pela base da pirâmide. De volta ao peso pena, depois de três derrotas seguidas como galo, o “Bruce Leroy” bateu Masio Fullen e Cole Miller, antes de ser largamente superado por Yair Rodríguez.

Quando estreou no UFC, Knight (18-2) foi dominado pelo macaco velho Tatsuya Kawajiri. Porém, a derrota foi daquelas que vêm para o bem. Com uma providencial adaptação ao jogo, o americano superou Jim Alers e Dan Hooker, evoluindo progressivamente.

Dono de uma guarda muito técnica e agressiva, Knight passou a trabalhar o boxe. Sua postura ainda expõe o queixo e a velocidade dos punhos precisa melhorar, mas ele está se tornando um contragolpeador perigoso, sempre retaliando as investidas dos rivais, enquanto guarda sua categoria na arte suave para os momentos certos. Este estilo tem um bom encaixe contra Caceres, que tem talento em todas as vertentes do jogo, mas uma mentalidade fraca que faz com que ele mescle grandes atuações com desempenhos pífios.

Alex Caceres vs Jason Knight odds - BestFightOdds

Prever essa luta é muito difícil porque sabe-se lá que Caceres vai dar as caras no octógono. Se for o sujeito fluido nos golpes, que mistura socos e chutes no controle da distância, tem tudo para minar a agressividade do oponente. Porém, ele já demonstrou em outras oportunidades que não lida bem com esse tipo de pressão. Misturando potência nos socos e quedas, a aposta é que Knight tenha o braço erguido quando Bruce Buffer ler as papeletas dos juízes.