UFC Fight Night 95: Cyborg vs Lansberg – Prévia do Card Principal

UFC Fight Night 95: Cyborg vs Lansberg – Prévia do Card Principal
MMA

Expectativa de uma noite repleta de interrupções rápidas quando o octógono mais famoso do mundo desembarcar pela segunda vez em Brasília para o UFC Fight Night 95, liderado pelo retorno de Cristiane Cyborg.

Neste sábado, a organização que lidera o MMA mundial retorna ao ginásio Nilson Nelson, na capital federal, para o UFC Fight Night 95. Encabeçado pelo segundo combate de Cris Cyborg no peso casado no UFC, contra a sueca Lina Lansberg, o evento reúne muito entretenimento e expectativa de bons combates para quem deseja ver muitos brasileiros no octógono, especialmente para quem curte “disputa entre países”, em voga com as disputas olímpicas e paraolímpicas. No card principal serão cinco brasileiros duelando contra americanos além do combate mais importante da noite.

Pelo peso pena, Renan Barão busca sua recuperação contra o americano Phillipe Nover. Este duelo sucederá um confronto de pesos pesados que fará o octógono tremer quando Roy Nelson enfrentar Antônio Pezão.

Já as três primeiras lutas serão de três ex-TUF Brasil que buscam recuperação ou consolidação. Francisco Massaranduba vai encarar o duro Paul Felder, enquanto Thiago Marreta enfrenta o ex-TUF 23 Eric Spicely. Abrindo a porção principal do evento, Godofredo Pepey encara Mike de La Torre.

Como de costume, o canal Combate transmite o evento ao vivo e na íntegra. O card principal está marcado para começar às 23:00h, enquanto a transmissão do preliminar inicia-se às 19:30h, no horário oficial de Brasília.

Peso Casado até 63,5kg: Cristiane “Cyborg” Justino (BRA) vs Lina Lansberg (SUE)

Cristiane Cyborg

Cris Cyborg

Uma máquina de destruição. Aos 31 anos, é exatamente isso o que descreve a curitibana Cris Cyborg. O cartel de 16-1 aponta para 14 adversárias enviadas para um lugar melhor (tipo o céu, vendo estrelas e tudo) somente com a passagem de ida. Apenas cinco delas ouviram o som do fim do primeiro round.

Um grande feito para qualquer lutador. Infelizmente, Cris ainda sofre com pessoas que tentam diminuir este grande retrospecto, ou falando que não ela possui adversárias à sua altura (o que é parcialmente verdadeiro) ou que ela se dopa (o que, dada a suspensão em 2011, também não deixa de ser verdade, pelo menos por um momento da carreira). Porém, o fato é que, por onde passa, Cyborg deixa um rastro de destruição, que agora finalmente chega ao UFC, onde venceu na estréia a corajosa Leslie Smith. Daquele jeito.

Para se tornar esta máquina de guerra, Cris conta com um nível muito alto no muay thai. O kruang preto permite a ela golpear angulando ou não, com velocidade, potência e explosão, impulsionada pelo giro do quadril. Chegou a se testar na modalidade, que ela ostenta cartel de 2-1, perdendo para Jorina Baars, uma campeã mundial, sem passar vergonha. As habilidades no jiu-jítsu ainda não foram testadas, pois simplesmente não dá tempo, já que seus combates só chegam ao chão com a adversária estirada de olhos virados. Cris passa o tempo em campeonatos de grappling e também não faz vergonha: teve bons desempenhos na faixa roxa (atualmente é marrom), incluindo um pódio no ADCC e dois ouros no Mundial.

No âmbito defensivo, também não há do que se falar, pelos mesmos motivos acima. Sua única derrota foi uma finalização na luta de estreia, no longínquo 2005, o que se supõe que tenha melhorado. Só conseguimos reparar alguma coisa observando suas lutas de muay thai, quando Jorina fez Cris suar com seus golpes em linha reta. Mas, no MMA, dificilmente alguém terá nível para repetir o feito.

Lina Lansberg

Lina Lansberg

A sueca de 34 anos Lina Lansberg é a segunda corajosa a enfrentar no UFC o tanque de guerra descrito acima. Também adepta da arte tailandesa, Lansberg é campeã de muay thai no circuito regional sueco e no europeu. No MMA, ainda carece de experiência. Assim como Cris, só perdeu a luta de estreia, no cartel de 6-1, porém, em 2012. Das vitórias, mandou quatro de suas oponentes para águas profundas utilizando-se da força de seus punhos e, como Cyborg, apenas duas delas chegaram ao fim da luta. Para igualar o desempenho da brasileira, só ficam faltando alguns “poucos” nocautes e talvez um novo nascimento.

Habilidosa e agressiva na luta em pé, Lansberg começou a treinar muay thai com apenas aos 22 anos, depois de iniciar no kickboxing. Ex-campeã do Superior Challenge, um evento local de seu país, a “Princesa das Cotoveladas” se movimenta pouco e vai para o tudo ou nada contra Cyborg. Parar na frente da brasileira pode não ser muito interessante para a saúde da sueca, muito menos se quiser manter o rostinho intacto.

Cristiane Justino vs Lina Akhtar Lansberg odds - BestFightOdds
Ao analisar essa luta, a primeira pergunta que teremos que fazer seria novamente como se portará a brasileira no corte de peso. Na estreia no octógono, este problema não atrapalhou o desempenho, apesar de Cris ter aparecido na capa do Batman na pesagem. Para esta, burburinhos, oficiais ou não, dão conta de que o corte de peso não foi nada fácil – e ainda nem se sabe se ela baterá o peso até o momento que eu escrevia essa prévia.

Se o processo não atrapalhar, prevejo mais um nocaute no primeiro round. Para a sueca, suas chances residem em abusar dos golpes em linha, tentando desesperadamente o clinch, mantendo-se fora do raio de alcance da brasileira, girando lateralmente para sair dos cruzados de Cris e tentar cansar seus braços, arrastando-se até a decisão. Foi assim que Marloes Coennen deu um pouco de trabalho para a brasileira. Mesmo com essa estratégia, Lana terá que tomar cuidado com as joelhadas mortais na grade. Ou seja, são as mesmas chances de minha pessoa conseguir êxito ao chamar Bruna Marquezine para um jantar a dois. Cyborg por nocaute no primeiro round.

Peso Pena: Renan Barão (BRA) vs Phillipe Nover (EUA)

Renan Barão

Renan Barão

Depois de quase dez anos e mais de 30 lutas sem perder, Renan Barão (33-4-0-1 no MMA e 8-3 no UFC) viu seu mundo ruir quando participou de uma clínica de movimentação oferecida por TJ Dillashaw, perdendo seu cinturão antes do esperado confronto com Dominick Cruz. Ele falhou ao tentar bater o peso para a revanche e, em uma segunda oportunidade, recuperou-se vencendo com dificuldades o valoroso, mas limitado, Mitch Gagnon. Nova disputa de título e novo nocaute para Dillashaw, dessa vez um round antes. Precisando se reinventar e com problemas constantes com o peso, Barão subiu aos penas e foi recepcionado por Jeremy Stephens, perdendo por decisão em luta que ficou bem abaixo das expectativas.

O brasileiro é um lutador de elite, porém, seu psicológico abalado precisará praticamente ser reconstruído para que Renan volte a navegar nessas águas. Faixa preta de André Pederneiras, Barão é muito habilidoso no chão. Faz passagens e transições como quem bebe um copo d’água e a pressão sufocante leva ao inferno todos que tentam ir ao solo com ele. Para chegar lá, o potiguar é muito bom na troca de golpes no pocket e quando consegue o controle da distância. Tem um chute baixo muito potente que comumente é utilizado para quebrar a movimentação dos adversários, um dos calos de seu jogo, que precisa ser melhorado juntamente com sua movimentação muito lenta e pacata.

Phillipe Nover

Phillipe Nover

Uma vez, Dana White declarou que Phillipe Nover (11-6-1 no MMA, 1-4 no UFC) possuía um conjunto de habilidades que parecia com o de Georges St. Pierre. Estávamos no longínquo ano de 2008, em gravações da oitava edição do The Ultimate Fighter, o qual Nover perdeu a final para Efrain Escudero. Essa é, talvez, a única explicação para uma declaração dessas: marketing para valorizar o programa.

Depois de emendar mais duas derrotas, o “Assassino Filipino” foi demitido com 0-3 no evento. Revelado no Ring of Combat, celeiro de talentos para o UFC, de onde saiu o ex-campeão Chris Weidman, por exemplo, Nover rodou pelo Bellator e outras organizações até se redescobrir em suas origens, conquistando o cinturão antes de iniciar sua segunda passagem no maior palco do mundo.

Ok, o americano de 32 anos não é um lutador ruim, mas está longe de justificar o hype exagerado, ainda mais em comparações (ainda que seja do Dana White) com um dos maiores de todos os tempos. Fisicamente bem desenvolvido, é um lutador que sabe trocar golpes em pé, sabe derrubar e aproveitar brechas do adversário. Seu problema é quando tem que fazer tudo na mesma luta, já que ele ainda se perde bastante nas transições.

Phillipe Nover vs Renan Barao odds - BestFightOdds
Imagino que Sean Shelby estava de folga e foi neste dia que um Joe Silva já pensando na aposentadoria marcou esta luta. Se não foi essa a situação, digamos que Sean Shelby gosta muito do brasileiro, ou torce muito por sua recuperação, para marcar uma das lutas mais sem sentido dos últimos tempos.

Barão, além de ser melhor em tudo, é mais experiente e rodado que o americano. Onde quer que a luta se desenrole, não consigo imaginar outro desfecho diferente do braço do brasileiro levantado. As chances de Nover baseiam-se em explorar as deficiências defensivas que ficaram expostas nas últimas derrotas do brasileiro, porém, ele não chega nem perto de Dillashaw e Stephens para lograr êxito nisso. Barão por finalização no primeiro round.

Peso Pesado: #11 Roy Nelson (EUA) vs #15 Antônio “Pezão” Silva (BRA)

Roy Nelson

Roy Nelson

Antítese do lutador de MMA, o simpático gorducho Roy Nelson (21-13 no MMA e 8-9 no UFC) aproxima meros seres humanos como eu do físico de um lutador de MMA. O “Big Country” engana pobres incautos que o subestimam por isso, porém, essa história já é conhecida (e super batida).

Vencedor da décima edição do The Ultimate Fighter, Nelson é um grappler de alto nível, faixa preta de Renzo Gracie. Ninguém se lembra disso porque, ultimamente, Nelson resolveu se tornar um lutador unidimensional depois de instalar um GPS em seu punho direito que leva diretamente ao queixo do adversário. O responsável por fazê-lo tomar gosto por estirar corpos no chão foi Jeff Mayweather, tio do superastro Floyd Mayweather Jr.

Como a concorrência já está batizada e de corpo fechado contra as artimanhas do “sete-peles”, o único que caiu no conto do vigário nas últimas oito lutas foi Rodrigo Minotauro, que lutou com o joelho lesionado – sua outra vitória no período deu-se em uma decisão chata contra Jared Rosholt. Nelson estava tentando se reinventar aos 40 anos, quando pudemos observar em suas últimas lutas ele se utilizar de chutes baixos e tentar quedas depois de muito tempo. Porém, sua vitalidade e explosão não são mais as mesmas e, neste sábado, Roy deve aparecer com muita vontade de fazer as pazes com o nocaute.

Antonio Pezão

Antonio Pezão

Igualmente pesado e carismático, mas sem a pochete acoplada no abdômen, o gigante brasileiro, tanto no tamanho quanto no carisma, Antônio “Pezão” Silva (19-9-1 no MMA e 3-6-1 no UFC) também não vive boa fase no octógono. Há 13 lutas, a única que não terminou em nocaute foi o épico empate contra Mark Hunt, na qual Pezão foi flagrado no doping. Nesta conta, foram cinco nocautes a favor e sete contra.

Depois de sepultar Fedor Emelianenko no Strikeforce antes de ser vitimizado por Daniel Cormier, Pezão encheu os brasileiros de esperança pouco antes de tomar uma surra de Cain Velasquez, quando enfileirou Travis Browne e Alistair Overeem e deu mostras de recuperação, mas parou novamente no poder do ex-campeão. Depois do banimento do TRT (o brasiliense/paraibano precisa da reposição para sua própria saúde, já que trata a acromegalia – doença causada por um tumor em sua glândula pituitária – dessa forma), Pezão viu sua performance ser muito prejudicada, vencendo apenas Soa Palelei nos últimos sete combates.

Faixa preta em judô, jiu-jítsu e caratê, o brasileiro é habilidoso tanto em pé quanto no chão. Por conta do centro de gravidade de seu corpo muito bem posicionado, Pezão se equilibra bem e toda vez que o combate chega ao solo, normalmente ele está em posição de vantagem. Silva é um lutador que pesa bem, dá giros e faz boas transições, ainda que esta nuance de seu jogo não venha sendo muito explorada atualmente.

Antonio Silva vs Roy Nelson odds - BestFightOdds
Há muito Nelson já não é mais o mesmo, porém, há muito tempo Pezão também não o é. A fase de ambos é péssima e justamente por isso espero por alguns segundos de entretenimento e frio na barriga, para delírio do Alexandre, que certamente sentirá essa emoção no âmago de seu ser. Tivéssemos aqui um duelo de grappling, eu esperaria mais equilíbrio, mas, como o punho batizado pelo cramunhão não dá as caras há algum tempo, não vejo ocasião mais perfeita para um míssil teleguiado explodir bem na ponta do queixo do brasileiro, decretando sua aposentadoria para o seu próprio bem ainda no primeiro round.

Peso Leve: Francisco “Massaranduba” Trinaldo (BRA) vs Paul Felder (EUA)

Francisco Massaranduba

Francisco Massaranduba

O peso leve Francisco “Massaranduba” Trinaldo (20-4 no MMA e 10-3 no UFC) é o perfeito estereótipo do brasileiro que venceu na vida. De origem humilde, venceu a pobreza para se consolidar no maior palco de MMA do mundo.

Sem que ninguém desse muita coisa por ele, passou pelo TUF Brasil 1, sendo eliminado cedo da competição. Na época, Massaranduba era um peso leve de destaque no cenário regional competindo na categoria dos médios, 14kg acima da sua. Como todos os lutadores da primeira edição receberam suas chances no TUF Finale, “o homem do massaratame” despachou Delson Pé de Chumbo para iniciar uma das evoluções mais improváveis do esporte. Saiu da Constrictor Team de Brasília e passou a treinar na Evolução Thai, com seu treinador no programa André Dida.

Aos 38 anos, o piauiense refinou o boxe e o muay thai e se tornou ainda mais matador do que já era. Sua inteligência tática aumentou de forma que foi capaz de impor seu jogo contra lutadores próximos da elite da categoria. Massaranduba vem em uma improvável seqüência de seis vitórias, batendo bons nomes no cenário dos leves: enfileirou Norman Parke – ainda que o resultado seja discutível para muitos -, Chad Laprise, Ross Pearson e Yancy Medeiros. Uma vitória neste sábado certamente o fará desbravar o top 15 da categoria.

Paul Felder

Paul Felder

O americano de 31 anos Paul Felder (12-2 no MMA e 4-2 no UFC) chegou ao UFC cercado de expectativas. Ex-campeão do Cage Fury, iniciou sua corrida no octógono com duas vitórias e foi logo alçado aos leões, quando fez a luta da noite contra Edson Barboza. Em duelo movimentado e muito técnico, Felder acabou derrotado, mas já se recuperou e vem em uma seqüência de duas vitórias.

O “Dragão Irlandês” é um lutador muito sólido e consistente em seu jogo em pé. Striker potente e preciso, Felder tem uma boa movimentação e trabalha muito bem os golpes em linha. É faixa preta de segundo grau de taekwondo, o que faz de seus chutes plásticos e mortais. No chão, se garante na faixa azul de jiu-jítsu, apesar de pouco fazer aparecer essa parte de seu jogo, especialmente porque ainda parece lhe faltar maior traquejo na parte das quedas.

Francisco Trinaldo vs Paul Felder odds - BestFightOdds
Sempre que achamos que o próximo degrau era muito alto para Trinaldo, ele foi lá e nos surpreendeu. Depois de suas últimas vitórias, é difícil falar que ele não terá chances contra o americano. Felder deve jogar na longa distância, abusando de seus chutes plásticos e dos golpes em linha, mantendo Massaranduba longe. Já o “homem do massaratame” (vamos fazer um bolão para tentar adivinhar quantas vezes isso será falado na transmissão?) terá que se aproximar cautelosamente e com paciência, entrar no raio de ação do americano e, colocando a faixa marrom de jiu-jítsu em jogo, finalizar o adversário.

Como vejo o segundo cenário acontecendo muito mais que o primeiro, minha aposta é que Felder conseguirá manter Massaranduba longe durante algum tempo, e quando a luta for para o chão, sobreviverá sem ser finalizado. Massara por decisão, sem pachequismo.

Peso Médio: #15 Thiago “Marreta” Santos (BRA) vs Eric Spicely (EUA)

Thiago Marreta

Thiago Marreta

Diego Tintin citou na prévia do card preliminar do UFC 200 uma trinca de improváveis surpresas oriundas do TUF. A primeira está acima, a segunda está abaixo e a terceira atende pelo nome de Thiago Marreta (13-4 no MMA e 5-3 no UFC).

Forte como um touro, striker ágil e preciso, Marreta teve sua chance servindo de boi de piranha para Cezar Mutante em um chamado em cima da hora. Foi finalizado, mas serviu de porta de entrada no UFC. Na luta seguinte, começou a mostrar seu valor demitindo Ronny Markes com um chute no corpo com a força do capeta. Em seguida, perdeu para Uriah Hall com o dedo do pé quebrado e aí emendou uma sequência de vitórias, com três nocautes em quatro lutas, despachando Andy Enz, Steve Bossé e Nate Marquardt de forma brutal e parando inclusive o ótimo prospecto Elias Theodorou. O conto de fadas deu um freio quando Gegard Mousasi deu-lhe um choque de realidade, mostrando que o brasileiro que ainda não está pronto para os tops da categoria.

Marreta vai precisar refazer sua caminhada e aproveitar para melhorar os pontos fracos de seu jogo. O muay thai agressivo dá conta da luta em pé, apesar de deixar buracos que podem ser capitalizados por lutadores da elite. O “PQD” da Cidade de Deus varia bem seus golpes e domina como poucos a arte de chutar, aliando potência com precisão nos três níveis. No chão, seu jiu-jítsu foi pouco testado, mas o suficiente para ver que deveria ter melhorado.  Como a derrota para Mutante aconteceu há três anos, espera-se que ele tenha treinado bastante essa vertente do seu jogo o suficiente para se virar contra um grappler como Spicely, ainda que este não seja membro da elite.

Eric Spicely

Eric Spicely

Segunda escolha de Claudinha Gadelha no TUF 23 entre os meios-pesados, Eric Spicely (8-1 no MMA e 0-1 no UFC) decepcionou um bocado. Dana White estava com boas expectativas sobre seu grappling, mas, já na primeira luta, mostrou a que (não) veio, com uma decisão bem das chatas monótona contra o jovem Elias Urbina IV. Nas semifinais, foi nocauteado pelo campeão Andrew Sanchez. Já no UFC, recebeu sua primeira oportunidade contra Sam Alvey e não durou um round, dormindo em uma guilhotina do sorriso mais admirado por Diego Tintin no plantel do UFC.

Aos 29 anos, o “Zebrinha”, apelido que ganhou de Gadelha no programa e que eu, sinceramente, não faço a menor ideia do motivo (acho que dormi nessa parte), tem como melhores armas o boxe e o jiu-jítsu. Fez sua carreira inteira em um evento local e possui a excelente marca de seis interrupções no primeiro round em suas oito vitórias. Ainda tem bastante a evoluir, inclusive no jogo de chão, que é a sua especialidade e única tábua de salvação no combate deste sábado.

Eric Spicely vs Thiago Santos odds - BestFightOdds
Na escada da evolução, Thiago Marreta está nitidamente alguns degraus acima. Mais experiente, o carioca não deve ter problemas para dominar a distância e machucar o inexperiente oponente, que deve tremer assim que entrar o primeiro chute. Para Spicely, suas chances residem em tentar testar o jiu-jítsu defensivo do adversário. Para isso, não vejo outra alternativa além de uma voadora alá Werdum para entrar rapidamente no raio de distância de Marreta sem tomar uma marretada, grudar, fazer uma oração para que ele não consiga sair dali e então poder trabalhar o jogo de solo (e rezar de novo para sair vivo dali).

Como já mostrou que seu queixo não aguenta muito e eu não acredito mais em Papai Noel, Spicely deve ganhar alguns hematomas e uma passagem de volta para o cenário regional, nocauteado ainda na primeira metade do primeiro round.

Peso Pena: Godofredo “Pepey” Castro (BRA) vs Mike De La torre (EUA)

Godofredo Pepey

Godofredo Pepey

Derrotado por Rony Jason na final do TUF Brasil 1, Godofredo Pepey deu a impressão que teria vida curta no UFC, assim como os dois colegas acima, chamando a atenção basicamente pelos cabelos coloridos sempre com cores fortes e estranhas. Uma decisão dividida contra Miltinho Vieira foi sucedida por duas derrotas acachapantes no primeiro round, com nocautes para Felipe Sertanejo e Sam Sicilia. Quando sua sorte parecia decretada e o RH era o único caminho, Pepey ressurgiu das cinzas e mandou Noad Lahat para a vala com uma joelhada voadora com as asas do capiroto, ainda no primeiro assalto.

Mais duas finalizações no primeiro round, contra Dashon Johnson e contra o ótimo prospecto Andre Fili, e Pepey estava definitivamente renascido. Mais importante que os resultados foi a evolução a olhos vistos. O excelente trabalho de Andre Dida na luta em pé na Evolução Thai transformou um ótimo e perigoso grappler em um trocador decente, capaz de aproximar sem medo do oponente a fim de conseguir a queda, com um muay thai tão solto quando seu perigoso jiu-jítsu.

Com tanta evolução, Pepey deu sinais de que não precisa mais se expor puxando para a guarda em qualquer situação, agora ele tem como se garantir na luta em pé. A derrota seguinte para Darren Elkins o fez descer a escada do ranking, mas agora ele recebe uma boa luta para se recuperar e demonstrar que continua evoluindo.

Mike de la Torre

Mike de la Torre

O americano de 29 anos Mike de La Torre (14-5-1 no MMA e 2-2-1 no UFC) chegou ao UFC sabe-se lá por que motivo e vem fazendo exatamente o que se espera dele: nada. O “El Cucuy” genérico está longe de deixar um rastro de destruição. Após duas atuações desastrosas em seu início, uma réstia de esperança aconteceu com o nocaute sobre Tiago Trator, mas rapidamente ela se foi com atuações abaixo da média no nocaute para Maximo Blanco e na vitória por decisão dividida contra Yui Chul Nam.

Exageros e brincadeiras à parte, o faixa azul de jiu-jítsu é não mais do que razoável em todos os ramos do jogo, mas tem o seu valor. De La Torre é um lutador corajoso e ousado, que não tem medo de arriscar, o que explicam seus números de seis nocautes e seis finalizações. Por outro lado, essas mesmas características por vezes fazem com que ele peque pela afobação e acabe deixando seu pescoço exposto demais, o que, sem dúvidas, será um perigo neste evento.

Godofredo Pepey vs Mike De La Torre odds - BestFightOdds
Pepey tem no sábado uma boa oportunidade de recuperação. No chão, De La Torre não tem nível para encarar o faixa preta. Em pé, o brasileiro vai querer mostrar que evoluiu o suficiente para se sentir à vontade por ali. E uma das graves deficiências de Mike pode (e será) capitalizada por Godofredo: deixando o pescoço exposto, é muito provável que Pepey puxe para a guarda já com uma guilhotina encaixada. É exatamente essa a aposta deste que vos fala, o que deve acontecer ainda no primeiro round.

  • Yuri

    a Cyborg conseguiu bater o peso?

    • Anderson Cachapuz

      Sim… bateu 141 agora de manhã….

      • Bruno Fares

        141 kilos????

        brinks.

  • bruno carrer

    pessoal , e Jussier Formiga e Burns, acham que vencem???

  • James sousa

    animado pra Massaranduba e Felder acho que vai ser a luta da noite

  • Lucas Silva

    Galera para quem curte um Boxe, esse fim de semana tem uma das melhores lutas do ano. Crolla vs Linares, esporte interaivo mostra a partir das 15:00. Vale a pena conferir, lutaça.

  • Marcos E

    Anderson, se a Cyborg perder, você tem o dever moral de convidar a Burna Marquezine para um jantar a dois.

    • Anderson Cachapuz

      Vou mandar DM no instagram… pq se a patroa ver tô frito!! kkkkk

  • Saulo Henrique

    Me divirto horrores com seus textos, cara. Hahaaha. Muito bom.

    • Anderson Cachapuz

      Vlw! :)

  • Lero

    a tatuagem do peito do Marreta é nova?
    Grande previa. Parabéns.

    • Anderson Cachapuz

      Obrigado!!

      É nova sim.. botou pra essa luta… infelizmente!! kkkk