UFC Fight Night 124: Prévia do Card Preliminar

Abrindo o calendário do UFC em 2018, o UFC Fight Night 124 trará no próximo domingo um card preliminar extenso e com muitos casamentos interessantes para começar bem o ano.

Capitaneada pela estreia de Michael Johnson no peso pena, que enfrentará o duro Darren Elkins, a porção preliminar do evento terá três representantes brasileiros, com Thiago Alves, Kalindra Faria e Talita Bernardo.

Peso Pena: #10 Darren Elkins (EUA) vs. Michael Johnson (EUA)

Parece até brincadeira, mas o peso pena com mais vitórias consecutivas depois do campeão Max Holloway é Darren Elkins (24-5 no MMA, 13-4 no UFC). São cinco vitórias consecutivas desde que perdeu para Hacran Dias, em dezembro de 2014, barrando alguns nomes ascendentes como Mirsad Bektic, Godofredo Pepey e Chas Skelly, além de uma vitória sobre o experiente Dennis Bermudez, a maior da carreira.

Wrestler da segunda divisão da NCAA pela Universidade de Wisconsin, Elkins é um atleta de forte pressão no clinch, boas quedas e controle posicional bem interessante, é um dos “carrapatos” da divisão. A parte em pé vem mostrando certa evolução, principalmente por conta do muay thai, bem desenvolvido na Team Alpha Male, mas ele ainda tem falhas óbvias na defesa e pouca mobilidade.

O cartel e o retrospecto recente irregular não representam o que é Michael Johnson (17-12 no MMA, 9-8 no UFC). No peso leve, foi um top 10 legítimo por um bom tempo com as vitórias sobre Edson Barboza e Dustin Poirier, mas após levar um massacre de Khabib Nurmagomedov (quem nunca?) e perder a guerra contra Justin Gaethje, resolveu baixar de peso.

Johnson é um dos trocadores mais viscerais entre as categorias mais leves. O boxe é alinhado, bem coordenado e poderoso. O principal ponto para a arrancada que Michael teve na carreira foi a melhora no wrestling, e o teste contra um cara do gabarito de Elkins na arte marcial deve ser um ponto importante para ver o quão longe chegará Johnson na nova divisão de peso.

Darren Elkins vs Michael Johnson odds - BestFightOdds
 

Existe grande curiosidade para ver como Johnson se portará fisicamente, já que ele tem o tamanho de um peso pena e enfrentará de cara um dos oponentes com um jogo terrível pra ele. Michael é mais habilidoso na troca de golpes e não pode ter medo de marcar o rosto de Darren, que com certeza deve buscar o clinch e a queda a todo instante. Palpitar aqui é bem complicado, acredito que Johnson deve se portar bem no assalto inicial, mas deve ter uma queda de ritmo forte conforme os minutos forem passando. Caso não fique intimidado de início, Elkins pode usar de seu preparo físico pra colocar Michael no chão tempo o suficiente para levar uma decisão.

Peso Leve: James Krause (EUA) vs. Alex White (EUA)

Participante de duas edições do TUF, James Krause (24-7 no MMA, 5-3 no UFC) continua com seu emprego na organização mantendo um retrospecto de vitórias sobre gente limitada e que não está contratada pelo UFC e derrotas para oponentes de melhor nível. Krause tem uma certa base no taekwondo, usando bastante os chutes, principalmente os frontais, apesar de uma certa falta de aproveitamento. É faixa-marrom de jiu-jítsu, mas ainda dá uns vacilos que precisam ser consertados logo.

Falando em alternar vitórias e derrotas, Alex White (12-3 no MMA, 3-3 no UFC) vai para sua terceira luta no peso leve. Ele estreou perdendo para Tony Martin e se recuperou com vitória sobre Mitch Clarke. Atleta de pouca movimentação lateral e com um interessante poder de fogo, White tem sérios problemas em lutar no chão, já que sua defesa de quedas é bem vazada e ele não tem o histórico de finalizar atletas de alto nível. Em pé, até se saí bem na hora de trocar socos e exibe um pouco de técnica, mas a sua guarda esburacada impede uma possível crescente.

Alex White vs James Krause odds - BestFightOdds
 

O favorito neste cenário é Krause, que é mais lutador e tem mais pujança física. Esperamos que ele dite o ritmo da luta desde o início, se movimentando e marcando White, que é bem fraco defensivamente. Caso a luta vá para o chão, a vantagem também é de James, que é bem mais habilidoso. A chance de Alex é tentando impor pressão sobre Krause, se aproveitando do seu forte poder de fogo, mas nossa aposta continua sendo no ex-TUF por decisão.

Peso Leve: Matt Frevola (EUA) vs. Marco Polo Reyes (MEX)

Mais uma revelação do Contender Series, Matt Frevola (6-0 no MMA) estreará logo no primeiro evento do ano. Em sua carreira longe do octógono, chegou a registrar uma vitória sobre o brasileiro Raush Manfio, campeão do Titan FC. Frevola é um lutador bem agressivo, tem um boxe alinhado, poderoso e bem objetivo, sempre andando pra frente, apesar de não respeitar o que o adversário tem para oferecer. É faixa-roxa de jiu-jítsu, tem algumas boas transições, mas ainda deixa certas brechas aos adversários.

O mexicano Marco “Polo” Reyes (7-4 no MMA, 3-1 no UFC) tem uma trajetória até surpreendente pra quem não é um primor de técnica. Participante do TUF América Latina 2, ele venceu três lutas seguidas no UFC até ser nocauteado por James Vick, que está claramente em um nível superior. Apesar da falta de técnica e de velocidade, Reyes é um lutador caracterizado pela agressividade nos punhos e a capacidade de protagonizar lutas animadas, como foi o caso do épico duelo contra “Maestro” Dong Hyun Kim.

Marco Polo Reyes vs Matt Frevola odds - BestFightOdds
 

Temos uma forte candidata a melhor luta da noite aqui, pois estamos tratando de dois atletas agressivos e que gostam de engolir socos, algo diferente disso será uma bela decepção. A balança vai desequilibrar pro lado de Frevola, que lapidado por Ray Longo, tem condições de encaixar melhores socos primeiro, apesar de ser obrigado a lidar com um atleta de maior altura e envergadura.

Peso Meio-Médio: Thiago “Pitbull” Alves (BRA) vs. Zak Cummings (EUA)

Veterano, Thiago Alves (26-11 no MMA, 14-8 no UFC) subirá ao octógono pela 23ª vez, e particularmente tenho uma expectativa maior em cima do “Pitbull” cearense, que depois da frustrada ida ao peso leve, venceu Patrick Coté com autoridade no UFC 210. Alves é dono de um ótimo pacote no muay thai, com uso bons dos chutes em todas as partes do corpo, boas joelhadas e socos usados como contragolpe. Ele também já mostrou um sistema defensivo decente e bastante resistência.

Um dos remanescentes do The Ultimate Fighter 17 no UFC, Zak Cummings (21-5 no MMA, 6-2 no UFC) só perdeu quando enfrentou Gunnar Nelson e Santiago Ponzinibbio, dois membros do top 15 da divisão. Ele só lutou uma vez em 2017, quando finalizou Nathan Coy. Canhoto, Cummings é um lutador até interessante em pé, mostra coordenação com os golpes, apesar de não ter nada de especial. Normalmente aproveita a melhor oportunidade para levar a luta pro chão, onde usa bem o jiu-jítsu.

Thiago Alves vs Zak Cummings odds - BestFightOdds
É uma luta perigosa para Thiago por conta do tamanho de Cummings e sua habilidade na luta agarrada, visto que o brasileiro teve dificuldades com um menor e mais defasado Jim Miller. Ainda confio na melhora de performance de “Pitbull”, que depois de ter ido bem contra Coté, tem condições de manter a luta em pé, ditar o ritmo da luta, pontuando bem com os seus chutes baixos e frustrando Zak. Zero certeza de que isso pode acontecer, mas quem sabe?

Peso Mosca: #13 Kalindra Faria (BRA) vs. Jessica Eye (EUA)

Uma das atletas mais experientes do MMA brasileiro, Kalindra Faria (18-6-1 no MMA, 0-1 no UFC) fez sua estreia no octógono em outubro do ano passado, sendo surpreendida pela italiana Mara Romero Borella, e agora foi colocada em uma situação de risco na organização. Kalindra treina na Chute Boxe, em São Paulo, e também em uma academia própria na cidade de Taubaté. Assim como a maioria das lutadoras da Chute Boxe, tem um arsenal ofensivo bem interessante, com combinações rápidas de socos e boas joelhadas de encontro. No chão ela sabe se virar bem, com bom tempo na hora de aplicar algumas quedas, tendo um jiu-jítsu ofensivo e defensivo muito bom, apesar de ter mostrado muito nervosismo na estreia.

A trajetória de Jessica Eye (11-6 no MMA, 1-5 no UFC) foi desastrosa dentro do UFC. É certo que a organização não deu folga pra ela e a encheu de casamentos desfavoráveis, que encaminharam “Evil” a um número negativo de quatro derrotas consecutivas, mas o retorno ao peso mosca pode significar um novo começo para a americana de Cleveland. Eye sempre foi uma atleta versátil no boxe, principalmente combinando golpes retos, mas sempre ficou na mão por conta da desvantagem física.

Jessica Eye vs Kalindra Faria odds - BestFightOdds
 

O combate é bem interessante porque espero demonstração total do potencial das duas atletas. Kalindra é bem mais lutadora do que apresentou na estreia, e Jessica deve se apresentar mais forte do que anteriormente. O caminho para americana é trabalhar bastante o boxe sobre a brasileira, principalmente tentando impedir aproximações de Kalindra, que apesar da agressividade na trocação, tem o jogo de clinch e quedas como o preferível para tentar a vitória. A luta deve ser movimentada e equilibrada, mas vamos de Eye, por decisão.

Peso Galo: Talita Bernardo (BRA) vs. Irene Aldana (MEX)

Ex-professora de educação física, Talita Bernardo (5-2 no MMA, 0-1 no UFC) teve uma ascensão bem rápida ao UFC, estreando contra Marion Reneau com apenas uma semana de preparação e perdendo no terceiro round. Talita é uma atleta com jiu-jítsu bem forte e objetivo, tem boas entradas de queda e evita perder muito tempo para alcançar a finalização, o que desperta certa desconfiança em relação ao preparo físico. Tem problemas na troca de golpes também, principalmente no sistema defensivo.

Parceira de treinos de Alexa Grasso e ex-atleta do Invicta FC, Irene Aldana (7-4 no MMA, 0-2 no UFC) ainda não venceu no octógono, apesar de ter feito combates animados nas derrotas para Leslie Smith e Katlyn Chookagian. Aldana mostra uma movimentação de cabeça muito boa, além de sempre tentar criar ângulos novos para os socos, mas ainda desperdiça uma quantidade absurda de golpes, por uma certa falta de noção de distância.

Irene Aldana vs Talita Bernardo odds - BestFightOdds
 

A mexicana tem uma vantagem física bem interessante e total capacidade de trabalhar o boxe em cima da brasileira, que dificilmente conseguirá arranjar algo em pé. O caminho para Talita é encurtar a distância, trabalhar no erro de Irene e levar a luta pro chão, onde é melhor e tem mais armas para finalizar a luta. Trata-se do clássico combate onde quem for mais inteligente conseguirá a vitória, e apesar das chances da brasileira, acredito que Aldana conseguirá um nocaute técnico lá pelo round final.

Peso Galo: Kyung Ho Kang (KOR) vs. Guido Canetti (ARG)

Já se passaram três anos desde a última luta de Kyung Ho Kang (13-7 no MMA, 2-1 no UFC). O sul-coreano infelizmente precisou pausar a carreira para se dedicar ao serviço militar obrigatório da Coreia, situação que Chan Sung Jung já passou e Doo Ho Choi passará em breve. Em pé, Ho Kang é meio estabanado, tem pouca técnica, mas protagoniza alguns momentos legais. O seu ponto forte é o jiu-jítsu, onde já venceu diversas competições em seu país natal e se mostra um lutador bem agressivo, rápido e com um leque variado de finalizações.

Participante do terrível TUF América Latina 1, Guido Canetti (7-3 no MMA, 1-1 no UFC) é outro sumido. Sua última luta foi no UFC 190, quando venceu Hugo Wolverine. Acabou suspenso por doping pouco tempo depois, e agora poderá retornar com 38 anos de idade. Canetti não é muito habilidoso, tem o jiu-jítsu como ponto forte, mas deve sofrer desvantagem por conta do físico.

Guido Cannetti vs Kyung Ho Kang odds - BestFightOdds
 

O favorito nesta luta é o coreano Kyung Ho Kang. Apesar de estar fora desde 2014, ele tem vantagem física e técnica em cima do argentino. Não deve ter grandes dificuldades para aplicar quedas e trabalhar boas posições no jiu-jítsu. Confio bastante no coração de Guido, que não deve ser finalizado, mas tem poucas brechas para bater um cara mais versátil como Ho Kang.

Peso Palha: Danielle Taylor (EUA) vs. JJ Aldrich (EUA)

Sem chamar muita atenção, Danielle Taylor (9-2 no MMA, 2-1 no UFC) já acumula duas vitórias seguidas no UFC, sendo uma delas sobre a ex-desafiante ao cinturão Jessica Penne. Apesar de ser minúscula, Taylor é uma striker explosiva. Encontra dificuldade para encurtar a distância, mas tende a crescer conforme o o combate vai passando e sua oponente vai cansando, muito mérito de sua movimentação lateral constante.

Participante do TUF 23, JJ Aldrich (5-2 no MMA, 1-1 no UFC) não chamou muita atenção até o seguinte momento no UFC, com uma derrota para Juliana Lima e uma vitória sobre Chan-Mi Jeon. Aldrich é mais forte na troca de golpes, trabalha bem os golpes de encontro e sabe conectar bons chutes baixos. O problema é a questão do solo, já que encontrou bastante dificuldade quando enfrentou atletas com base no chão.

Danielle Taylor vs J.J. Aldrich odds - BestFightOdds
 

A luta não é das mais atrativas e com motivos, já que ambas lutadoras são mais passivas e pouco poderosas. Na teoria, Aldrich é melhor, mas o estilo de Danielle é bem complicado de decifrar, o que pode causar bastante dificuldades para JJ. A aposta ainda é em Aldrich, mantendo bem a distância e controlando o ímpeto de Taylor com chutes.

Peso Pena: Mike Santiago (EUA) vs. Mads Burnell (DIN)

Após topar uma belíssima encrenca de última hora, quando enfrentou Zabit Magomedsharipov com pouco tempo de preparo, Mike Santiago (21-10 no MMA, 0-1 no UFC) tem um casamento um pouco mais condizente. Santiago é da escola “treino tudo e não sou bom em nada”, usa os chutes, tem socos com pouca eficiência, mas se vira um pouco melhor no chão, sendo faixa-marrom de jiu-jítsu e bem resistente.

Mads Burnell (8-2 no MMA, 0-1 no UFC) também não deu muita sorte em sua estreia no UFC. Lutou no mesmo evento de Santiago e acabou amassado por Michel Trator.  Apesar de já ter competido profissionalmente no boxe, Burnell sempre está usando o jogo de solo em suas lutas, principalmente tentando pegar as costas dos oponentes a todo instante para finalizar, como foi o caso de suas lutas mais recentes antes de assinar com o UFC.

Mads Burnell vs Mike Santiago odds - BestFightOdds
 

Burnell é um atleta bem talentoso e que não teve a oportunidade de mostrar todo o seu potencial na estreia, ainda mais contra um oponente bem mais qualificado e com um jogo de pressão absurdo. Acredito que Mads entrará mais tranquilo e levará vantagem na luta em pé. Se a luta for pro chão, temos a promessa de um duelo animado também, mas a aposta ainda é no dinamarquês para vencer a primeira luta do UFC em 2018.