UFC Fight Night 121: Prévia do Card Preliminar

Como dizia aquele ex-técnico de futebol, aqui é trabalho. O MMA Brasil não para mesmo quando há pela frente um evento com baixo potencial de atração. O UFC Fight Night 121, que marca o retorno do octógono à Austrália, também tem cobertura do card preliminar aqui no site.

Apesar do baixo apelo, há talento na porção inicial do evento australiano. O ex-campeão do Bellator Will Brooks tenta se recuperar diante do testado veterano Nik Lentz. Há também Eric Shelton e Ryan Benoit. E, bem, é isso. Pelo menos existe a expectativa de algumas pancadarias animadas, seguindo o padrão favorável do segundo semestre deste ano.

Peso Mosca: Ryan Benoit (EUA) vs. Ashkan Mokhtarian (IRN)

Conhecido pelo eterno chute no cu em Sergio Pettis, Ryan Benoit (9-5 no MMA, 2-3 no UFC) mostra-se muito irregular na organização. Ele tirou um tempo fora após perder para Brandon Moreno e agora luta pela permanência no UFC. Em pé, Benoit é um atleta bem agressivo, que sabe trabalhar as combinações no pocket, mesclando socos e poderosos chutes. Seu problema é a falta de técnica nos golpes, já que sempre deixa o queixo exposto, e a dificuldade de atacar na longa distância. No chão, fez uma carreira interessante no wrestling lá no ensino médio, mas ainda tem dificuldades em defender quedas.

Ex-morador de rua e ex-presidiário, Ashkan Mokhtarian (13-2 no MMA, 0-1 no UFC) se destacou no MMA australiano e inclusive finalizou um sujeito por aí com apenas cinco segundos de luta. No UFC, teve o tremendo azar de enfrentar John Moraga na estreia e tomou uma baita surra. Mokhtarian é especialista no jiu-jítsu, arte na qual tem a faixa roxa, e a finalização sempre é seu objetivo. O problema é que ele tende a errar tudo desde o início. Sua abordagem na trocação é ruim, as entradas de queda não são em tempo certo e até a parte defensiva no solo peca um pouco.

Ashkan Mokhtarian vs Ryan Benoit odds - BestFightOdds
 

No confronto que fecha as preliminares, a vantagem provavelmente será de Benoit. Sabendo que Mokhtarian buscará lutar no chão de qualquer forma, Ryan fará esforços para manter as ações em pé, e deve ter sucesso, frustrando o iraniano-australiano com combinações rápidas e poderosas de socos na curta distância, além de mesclar uma bica ou outra na cabeça. Pode faltar poder para Ryan, mas, se ele não vencer por nocaute técnico na parcial final de luta, deve levar na decisão dos juízes tranquilamente.

Peso Leve: Will Brooks (EUA) vs. Nik Lentz (EUA)

Após chegar com a moral de campeão dos leves do Bellator e um dos melhores atletas fora do UFC, Will Brooks (18-3 no MMA, 1-2 no UFC) acabou surpreendendo negativamente na maior organização do mundo. Após uma vitória não muito convincente contra Ross Pearson, Brooks foi derrotado pelos brasileiros Alex Cowboy e Charles do Bronx. Um wrestler bem forte, Brooks tem condicionamento físico acima da média e sabe muito bem mesclar o kickboxing pouco ortodoxo no seu jogo.

Nik Lentz (29-8-2 no MMA, 11-5-1 no UFC) voltou ao peso leve em 2015 e achou que poderia figurar no top 15 da organização, até levar um tremendo vareio de Islam Makhachev. Lentz é conhecido pelo wrestling de bom nível e a competência de levar a galera para o solo, o que popularmente fez dele um lutador “chato”. Em pé, Nik não é ruim, mas definitivamente terá problemas caso queira trocar golpes com um pessoal na divisão dos leves.

Nik Lentz vs Will Brooks odds - BestFightOdds
 

Lentz é um bom lutador, porém, acredito que terá dificuldade em colocar Brooks para baixo. A expectativa é que o ex-campeão do Bellator controle a distância com longos jabs, alterne com algumas tentativas de quedas que ficarão barradas no clinch até uma vitória por decisão unânime dos juízes.

Peso Pesado: Anthony Hamilton (EUA) vs. Adam Wieczorek (POL)

Depois de protestos em massa em diversas partes do mundo, Anthony Hamilton (15-8 no MMA, 3-6 no UFC) está de volta ao octógono, um mês depois de ter sido nocauteado por Daniel Spitz em apenas 24 segundos e anunciar aposentadoria. Ex-campeão do extinto evento canadense MFC, Hamilton não é um bom atleta: tem dificuldades na trocação, cenário no qual sofre para achar a distância, e é nulo no chão. Seu único ponto forte é a questão da explosão, que nem sempre aparece e nem sempre pode dar certo.

Depois de três cancelamentos de luta – o último deles por torcedores safados em seu país -, Adam Wieczorek (8-1 no MMA) finalmente fará sua estreia no octógono. Após se destacar em eventos da Polônia, ele recebeu o chamado do UFC, mas não deve ficar por muito tempo na organização. Apesar de ser atlético para a divisão dos pesados, Adam tem problemas com defesa de queda e um queixo bem duvidoso. Ofensivamente usa bastante os chutes e joelhadas em pé, apesar de sempre se abrir muito ao aplicar os golpes. Seu ponto mais forte é o jiu-jítsu ofensivo e o ground and pound, apesar de a estratégia ter boas chances de dar errado se pegar um cara mais forte fisicamente.

Adam Wieczorek vs Anthony Hamilton odds - BestFightOdds
 

Temos aqui uma alta probabilidade de acontecer o pior combate da noite. Por isso esperamos que acabe rapidamente. Hamilton provavelmente virá mais receoso depois de tomar um nocautão no mês passado, Adam deve buscar a ação do combate e tentará combinar golpes antes de arriscar uma queda. Se derrubar, Wieczorek não terá problemas para finalizar o combate, mas acredito que ele pode ser nocauteado caso permaneça em pé com Hamilton.

Peso Leve: Damien Brown (AUS) vs. Frank Camacho (EUA)

O australiano Damien Brown (17-10 no MMA, 2-2 no UFC) é um nome interessante para encher o card de eventos na Oceania. Após estrear perdendo para Alan Nuguette e emendar vitórias sobre Cezar Arzamendia e Jon Tuck, acabou tomando um nocautão de Vinc Pichel, que não lutava desde 2014. Veterano de guerra do Afeganistão, Brown começou a treinar kickboxing para afastar a depressão e o estresse pós-traumático. Ele usa a modalidade como base para o MMA até hoje. Apesar da falta de velocidade, Brown tem um poder de fogo muito interessante, junto com a capacidade de golpear no clinch e fazer pressão no oponente, mas a questão defensiva ainda pesa bastante, tanto que a cena da luta com Pichel pode se repetir novamente no futuro.

Ex-campeão do PXC e participante do TUF 16, Frank Camacho (20-5 no MMA, 0-1 no UFC) fez uma das lutas mais subestimadas de 2017 contra Li Jingliang, quando acabou perdendo na decisão. Camacho é um lutador muito agressivo na troca de golpes, sempre entrando com ritmo forte e com socos perigosos acima de sua cabeça. Ele também é rápido para colocar o adversário no chão na primeira falha, mas o preparo físico é bem fraquinho, o que pode prejudicá-lo bastante no confronto de sábado.

Damien Brown vs Frank Camacho odds - BestFightOdds
 

Esta é a minha aposta para a melhor luta da noite. Os dois atletas tem históricos de buscarem bastante a luta e de tentar se impor na troca de golpes. Frank é favorecido pelo fato de ser mais competente defensivamente e de ter o maior poder de fogo, o que seria essencial para poder deitar um tipo feito Damian no primeiro round. O problema é que Brown é mais técnico, tem mais volume e é mais bem preparado, o que volta a equilibrar a balança. Ainda assim vamos de Camacho, por nocaute.

Peso Palha: Alex Chambers (AUS) vs. Nadia Kassem (AUS)

A ex-TUF 20 Alex Chambers (5-2 no MMA, 1-2 no UFC), primeira australiana a lutar no octógono, definitivamente merece um “Oi, sumida. rs”. Afinal, já se passaram dois anos desde o vareio tomado contra Paige VanZant, no UFC 191, que lhe rendeu uma lesão no ligamento do joelho que a afastou do MMA. Agora, aos 39 anos, ela ainda tenta qualquer lampejo para se manter empregada. Faixa-preta de caratê, Chambers costumava mostrar agressividade em pé, mesmo com uma certa dificuldade de encontrar a distância. No chão, mostrava problemas defensivos, apesar de usar o jiu-jítsu como válvula de escape em alguns momentos.

Dezoito anos mais nova que Chambers, Nadia Kassem (4-0 no MMA) fará sua estreia no UFC. Com apenas quatro lutas profissionais, ela ainda não acumulou metade de um round somando o tempo de todas as suas apresentações, além de vencer oponentes que, juntas, somam um cartel de 0-10, mostrando que o UFC fez uma ótima aposta incentivando a montagem de cartel falso. Do pouco disponível sobre Nadia, consegui ver uma atleta agressiva no muay thai, cheia de pressão e com golpes até criativos.

Alex Chambers vs Nadia Kassem odds - BestFightOdds
 

Este confronto é um dos mais intrigantes da noite. Nadia nunca enfrentou uma atleta de MMA na vida, então como será a sua abordagem e o seu comportamento na primeira luta pela maior organização do mundo? Por outro lado, Chambers está parada há um tempo e o corte de peso, somado com os 39 anos, não me fazem confiar nela também. Num confronto de duas atletas cheias de desconfiança, vamos apostar que Chambers conseguirá levar a luta para o solo ainda no início e vencerá com uma chave de braço.

Peso Mosca: Jenel Lausa (FIL) vs. Eric Shelton (EUA)

O filipino Jenel Lausa (7-3 no MMA, 1-1 no UFC) vai para sua terceira luta na organização. Depois de uma vitória sobre o sofrível Yao Zhikui, ele acabou sendo atropelado pelo ótimo Magomed Bibulatov. Compatriota de Manny Pacquiao, Lausa tem o boxe como sua base. Apesar de cortar poucos ângulos, Jenel faz um trabalho competente com troca de base e no encaixe dos socos. O seu problema realmente é a questão do solo, que foi bastante exposta por Bibulatov.

Participante do TUF 24, Eric Shelton (10-4 no MMA, 0-2 no UFC) ainda não conseguiu vencer oficialmente no octógono, mas os desempenhos razoáveis e a categoria esvaziada o mantiveram no UFC. Eric tem uma abordagem cautelosa na troca de golpes e normalmente não consegue levar vantagem pelo tamanho que tem. Suas entradas de queda são interessantes e, mesmo com algumas falhas no chão, ele exibe uma resistência admirável na luta agarrada.

Eric Shelton vs Jenel Lausa odds - BestFightOdds
 

Para a segunda luta da noite, temos um confronto de equilíbrio. Sabemos que Lausa tem problemas com chão, mas Shelton não é Bibulatov, e ele provavelmente vai demorar um tempo para conseguir tirar proveito de tal defeito. Na troca de golpes, Jenel é superior na hora de adentrar ao pocket e combinar socos, enquanto Shelton sempre teve dificuldades com a questão de distância, mas pode marcar o asiático com socos retos. Palpitar aqui é difícil, mas apostaremos no crescimento de Eric ao longo da luta, vencendo por decisão apertada.

Peso Pesado: Rashad Coulter (EUA) vs. Tai Tuivasa (AUS)

O americano Rashad Coulter (8-2 no MMA, 0-1 no UFC) estava desempregado antes de receber um chamado para lutar contra Chase Sherman, no UFC 211. Mesmo com a derrota, Coulter recebeu 50 mil dólares como bonificação e conseguiu se aliviar financeiramente, mas ele luta pelo emprego no combate de abertura da noite. Apesar de ter uma certa rapidez nos socos e poder de terminar a parada, Coulter vira o estereótipo de peso pesado ruim do UFC quando o tempo passa: roliço, com pouca técnica e que precisa de um pedradão para decidir a luta.

São apenas 24 anos de idade para Tai Tuivasa (5-0 no MMA), que entra como uma aposta do UFC para o mercado australiano, tanto que ele participou do treino aberto do evento. Outro sujeito acima do peso, Tuivasa também exibe pouca técnica, normalmente ataca em linha reta e tem poder pra encurralar e nocautear. O problema é que ele ainda é desengonçado, principalmente no chão, onde Tuivasa precisa de bastante melhora.

Rashad Coulter vs Tai Tuivasa odds - BestFightOdds
 

Esperamos que as ações acabem ainda no primeiro round. Os dois atletas têm características parecidas, mas a esperança é que Tuivasa comece a atacar o americano, pressionando com socos e buscando o clinch. A partir daí, não sei mais o que pode acontecer, já que a ruindade de ambos se equivalem e qualquer resultado é possível, mas vamos apostar no australiano por nocaute.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Aí sim, essas prévias já espero toda semana, se esse evento tá ruinzinho o da China que por mais que possa ser divertido tem gente contratada vindo de duas derrotas seguidas, perdendo pra amador… o negócio tá feio. Frank Camacho mostrou que aguenta o tranco contra o Li, eu acho o Brown muito ruim então vai ser até divertido mesmo uma surrinha de leve, e o Shelton é um lutador muito bacana, só deu azar nos casamentos que o UFC deu pra ele, mas no TUF mesmo ele surpreendeu, deve vencer o Lausa e ganhar estabilidade.

    • Gabriel Carvalho

      Teremos prévia do UFC China, inclusive.

  • James sousa

    Será que o Brooks ganhar dessa vez ? Aposto em uma Vitória dele mais esperava mais dele nesse um ano e pouco de UFC

    • Gabriel Carvalho

      Acho que ganha sim. O casamento favorece.

  • Binho Vianna

    Coulter e Tuivasa tem muita absorção de golpes e pouco gás, pode até ir pra decisão. Quanto a Hamilton, estou apostando dinheiro nele e só aqui vi indo nele.