UFC Fight Night 110: Hunt vs. Lewis: Prévia das Principais Lutas

UFC Fight Night 110: Hunt vs. Lewis: Prévia das Principais Lutas
MMA

Mesmo num evento com poucos atrativos, é possível pescar momentos interessantes para os fãs. O UFC Fight Night 110 tem lutas relevantes nos pesos pesado, médio e mosca.

Depois do animado evento no Rio de Janeiro do último sábado, o octógono mais famoso do mundo atravessa o globo terrestre para o UFC Fight Night 110, com um card difícil de empolgar até o fã mais fanático. O evento acontecerá na Spark Arena, em Auckland, na Nova Zelândia.

No combate principal, Derrick Lewis tenta ampliar sua incrível série de vitórias diante do ídolo local Mark Hunt. Antes, o americano Derek Brunson medirá forças com o australiano Dan Kelly visando um lugar no top 10 do peso médio.

Pelo peso leve, Dan Hooker encara o britânico Ross Pearson. Entre os meios-pesados, o brasileiro Henrique Frankenstein terá pela frente Ion Cutelaba. Na principal candidata a luta da noite, os pesos moscas Tim Elliott e Ben Nguyen se enfrentam.

Apesar de acontecer num fuso horário distante, o UFC Fight Night 110 terá horários conforme o padrão da organização. O card preliminar está marcado para às 20:00h, enquanto o principal vai ao ar a partir das 23:00h, sempre no horário oficial de Brasília. A transmissão ao vivo e na íntegra ficará a cargo do canal Combate.

Peso Pesado: #7 Mark Hunt (NZL) vs. #6 Derrick Lewis (EUA)

Por Anderson Cachapuz

Mark Hunt

Se existe alguém na face da Terra que está preocupado apenas em se divertir e dar show ao público, sem ligar para essa besteira deslavada chamada cartel e esse outro pequeno detalhe chamado contrato, é Mark Hunt (12-11-1-1 no MMA e 7-5-1-1 no UFC). O neozelandês campeão do K-1, que apavorou no PRIDE no início de sua carreira no MMA, apenas se preocupa em entrar no octógono e, com pitadas de sadomasoquismo, estirar corpos no chão. Sem esquecer do walk-off KO para deixar as coisas ainda mais feias (para os rivais). Até processar o UFC pelo doping de Brock Lesnar, o sujeito fez. Que homem!

Com um tanque de energia não muito vasto (apesar de ter bastante espaço para guardar um tanque maior), Hunt é um kickboxer de punhos pesados e muito preciso, que justifica seu alto salário deixando um rastro de destruição violento, que inclui nomes como Stefan Struve, o ex-inocauteável Roy Nelson, Antônio Pezão e Frank Mir. Os mísseis que saem de sua mão direita parecem teleguiados e só sossegam quanto conseguem encontrar o queixo de seus oponentes.

Contudo, sempre que foi alçado à nata da categoria e pegou oponentes mais técnicos, atléticos e bem preparados, Hunt sucumbiu. Algumas vezes, deu bastante trabalho, como na derrota para Junior Cigano. Porém, até uma improvável disputa de cinturão, o “Super Samoano” conseguiu. Vindo de duas derrotas, a idade começa a cobrar o preço aos 43 anos (suas últimas 5 derrotas foram por nocaute).

Se o queixo de pedra já começa a mandar um “mim acher” para Hunt, “a última coisa que abandona um homem são seus socos”, como bem disse o narrador da luta entre Rocky Balboa e Mason Dixon, em Rocky 6. Potente e preciso, ele está sempre à espreita de acertar uma bomba que encerra os combates. Inteligente, se movimenta cortando ângulos para bater com a maior força possível, habilidade que se acentuou com a experiência de octógono. Hunt deu sinais de evolução defensiva, mas seu nível no grappling e na defesa de quedas ainda é muito rasteiro para dar mais segurança em pé. Para se defender, Hunt usa basicamente o respeito dos oponentes por sua mão; afinal, quem não tem receio de acordar com a lanterna do médico no olho ouvindo “qual o seu nome? Você sabe que dia é hoje e onde você está?”

Derrick Lewis

Do outro lado do octógono estará um jovem prospecto e sopro de renovação na categoria dos pesados. Em se tratando de qualquer outra categoria, eu poderia estar falando uma grande besteira, mas, aos 32 anos e com 120kg, Derrick Lewis (18-4 no MMA e 9-2 no UFC) vem na melhor sequência da categoria, também deixando um rastro de destruição digno de homenagear o seu adversário deste sábado.

O sujeito que estreou sem muitas expectativas e conseguiu a proeza de tombar diante de Matt Mitrione e Shawn Jordan não sabe o que é perder há seis lutas (com cinco nocautes). Os mais ousados já começam a falar em disputa de cinturão. Tenhamos calma, pois o cartel da “Fera Negra” está recheado de barangas (TM), mas Lewis vem da vitória mais expressiva de sua carreira quando nocauteou Travis Browne.

O ex-jogador universitário de futebol americano e ex-presidiário (Lewis já foi preso por agressão) é um sujeito bruto e também com punhos muito pesados. Possui como modalidade de base o boxe, ou seja, metade da escola americana, mas tem um wrestling eficiente, muito mais calcado na força física do que qualquer outra coisa. Quando consegue arremessar corpos ao solo, começa um ground and pound muito feroz que normalmente termina com o árbitro puxando seu corpanzil para parar a luta.

Defensivamente, faz tempo que não encontra alguém com técnica suficiente para explorar as brechas que dá – e elas são muitas. O queixo não é lá dos mais confiáveis, então Lewis usa sua potência para manter os oponentes afastados. Forte e pesado, dificilmente é derrubado, mas certamente terá muita dificuldade contra a nata da categoria.

Derrick Lewis vs Mark Hunt odds - BestFightOdds

Desta luta não espero nada menos do que me alimentar de uma boa sopa de tamancos. Pedradas e tijoladas devem voar pelo octógono. No entanto, as chances de me decepcionar parecem boas. Dois lutadores com punhos pesados, precisão cirúrgica e com o queixo vulnerável (muito embora Hunt ainda suspire) devem se respeitar ainda mais, o que pode tornar a luta monótona – o que acontece muitas vezes quando dois strikers se enfrentam.

Se Lewis tiver o mínimo de inteligência, vai entrar com muito cuidado no raio de ação de Hunt, tentar derrubar e trabalhar no ground and pound. Batendo de cima para baixo, é improvável que Hunt resista e o “Black Beast” deverá anotar mais uma vitória. Na vertical, a vantagem é de Hunt. Mais rodado e mais experiente, ele deve controlar a movimentação e a distância até pegar Lewis desprevenido.

Eu gostaria muito de sair de cima do muro, mas tem um pitbull de cada lado que não me deixam descer. Para palpitar, joguei a moedinha para o lado e caiu vitória de Mark Hunt por nocaute no segundo round.

Peso médio: #8 Derek Brunson (EUA) vs. #15 Daniel Kelly (AUS)

Por Gabriel Carvalho

Derek Brunson

A luta coprincipal da noite será um duelo na divisão dos médios entre o nocauteador americano Derek Brunson contra o ícone do MMA alternativo Dan Kelly.

Brunson (16-5 no MMA, 7-3 no UFC) não foi o atleta que deixou a melhor impressão no Strikeforce, mas conseguiu se reinventar no UFC. Ele teve o seu ápice quando emplacou cinco vitórias seguidas, quatro delas por nocaute no primeiro round. Brunson acabou freado quando foi nocauteado por Robert Whittaker, em uma pancadaria legal de se assistir, e com uma controversa derrota para o ex-campeão Anderson Silva.

Duas vezes All-American da Divisão II da NCAA, Brunson tomou gosto pela troca de golpes nos últimos tempos e acabou desenvolvendo um boxe solto e bem poderoso. Ele também desenvolveu um forte ground and pound, que pode eliminar qualquer um que ficar por baixo. Além dos buracos defensivos, Derek acaba sofrendo com alguns problemas psicológicos durante os seus combates – como visto nas suas últimas derrotas -, o que reduz suas chances de aparecer em um eventual top 5.

Dan Kelly

Já Kelly (13-1 no MMA, 6-1 no UFC) tem uma interessante história de Cinderela no MMA. Depois de quatro participações em Olimpíadas competindo no judô, ele resolveu se aventurar no mundo do MMA e recebeu uma oportunidade de participar do TUF Nations, quando foi eliminado com menos de um minuto. Ele conseguiu uma chance oficial no octógono mais famoso do mundo e obteve seis vitórias em sete lutas, incluindo um triunfo sobre o ex-campeão dos meios-pesados Rashad Evans.

A experiência gigantesca no judô deu a Kelly uma excelente habilidade de levar o combate para o clinch e para a execução de quedas. Seu jiu-jítsu não é nulo, ele consegue se virar bem contra alguns lutadores, inclusive de forma defensiva. A parte em pé não é das mais técnicas, mas o arsenal inteiro foi necessário para vencer o combate contra o rascunho de Rashad Evans.

Daniel Kelly vs Derek Brunson odds - BestFightOdds

O jogo que Dan deve visar no próximo sábado é levar a luta para o solo, mas o problema é que Brunson vive um momento bem melhor que o de Rashad Evans e tem mais condições de defender as tentativas de queda do australiano. Em pé, não temos dúvida de quem é o melhor lutador, ponto para o americano. Se colocar a cabeça no lugar e não inventar algo muito imbecil, Brunson deve aproveitar a primeira brecha de Kelly para anotar mais um nocaute, provavelmente no primeiro round.

Peso Mosca: #8 Tim Elliott (EUA) vs. #12 Ben Nguyen (EUA)

Tim Elliott

No meio de um card bem modorrento, os ânimos devem crescer no momento em que os pequenos Tim Elliott e Ben Nguyen subirem ao octógono para um importante duelo no peso mosca.

Tim (15-7-1 no MMA, 3-5 no UFC) foi cortado da organização em 2015 depois de três derrotas em sequência, mas deu a volta por cima ao conquistar o cinturão do Titan FC e vencer o TUF 24, quando recebeu a oportunidade de enfrentar Demetrious Johnson. Ele entregou um combate duro para o campeão, mas perdeu na decisão dos juízes. Em seguida, impediu a quinta derrota consecutiva dentro do UFC ao bater Louis Smolka, numa das melhores lutas de 2017.

Imprevisível e dinâmico, Elliott tem uma movimentação pouco ortodoxa e que sempre deixa seus combates interessantes de se assistir. A estratégia da movimentação sempre é boa para enganar os adversários e levar o combate ao chão, onde tem a habilidade de encaixar diversas finalizações e de todas as posições possíveis, mas acaba pecando na hora da confiança e do encaixe das chaves e dos estrangulamentos.

Ben Nguyen

Ben “10” Nguyen (16-6 no MMA, 3-1 no UFC) é mais conhecido por ter viralizado no YouTube, mas se tornou um dos lutadores favoritos dos fãs depois de quatro combates no UFC, todos bem animados. Um destaque foi a guerra contra Louis Smolka, em 2016, uma das lutas mais subestimadas do ano passado.

Nguyen é um trocador feroz, com imensa capacidade de atingir os oponentes de todos os ângulos. Sempre está andando para frente e tem poder de nocaute consideravelmente grande para a divisão na qual compete. O jogo de chão é sólido, mas sofre do mesmo problema de Elliott em relação à paciência para encaixar as finalizações. Ben é mais talentoso, com mais ferramentas, e pode virar um atleta mais relevante a longo prazo.

Ben Nguyen vs Tim Elliott odds - BestFightOdds

Se você gostou bastante do que aconteceu nas lutas de Nguyen e Elliott contra Smolka, posso apostar que Elliott-Nguyen não irá decepcionar. O jogo para Ben será tentar a trocação a todo momento, sempre tentando encurralar Tim contra a grade na expectativa de pontuar no boxe. O grande problema é que Elliott é um atleta de movimentação constante e dificilmente deixará que Nguyen imponha o seu jogo em pé. Alternando quedas e algumas tentativas bizarras de submissão, acredito que a vitória vá para Tim, por decisão.

  • Luiz Gustavo

    Baita evento hein…

  • Luiz Gustavo

    Realmente esse main event é aquele momento em q vc se desliga do mundo pra assistindo filmes qu tenham explosoes o temo td…pq não há mt o que se ver nesta luta.
    Bom ver com o Brunson se recuperará do roubo crasso q sofreu na ultima luta contra o Anderson…e esta luta maravilhosa entre o Elliot e o Ben promete.
    PRA NOS FERRAR O HORARIO NÃO É A TARDE!

    • Gabriel Carvalho II

      Por que seria a tarde? hahahaha

    • Rafael Oreiro

      Pra ferrar o público neozelandês, o evento lá começar na hora do almoço. Último lá foi no horário normal, foi de madrugada aqui, acho que a luta principal foi 6 da manhã.

  • Binho Vianna

    Besta negra vai chocar mais uma vez os especialistas, sem mais.

    • Gabriel Carvalho II

      Não.

  • Beto Magnun

    “Ícone do mma alternativo” que bela definição.

  • James sousa

    Incrível como o ufc não respeita o publico australiano

    • Gabriel Carvalho II

      Neozelandês, no caso.

      • James sousa

        verdade kkk