UFC Fight Night 103: Rodríguez vs. Penn – Prévia do Card Principal

O ídolo BJ Penn diz estar preparado para uma última corrida rumo ao terceiro cinturão. Ele terá pela frente Yair Rodríguez, uma das maiores revelações do peso pena.

A casa do Phoenix Suns será palco da primeira montagem do octógono em 2017. A Talking Stick Resort Arena recebe neste domingo o UFC Fight Night 103, que traz uma lenda viva tentando um último suspiro na carreira.

No combate principal, BJ Penn tenta apagar a péssima impressão deixada há dois anos e meio, quando estreou como peso pena. A tarefa não será das mais simples, já que ele vai encarar uma das sensações da categoria, o mexicano Yair Rodríguez.

Outros três combates de elevado poder de entretenimento completam o curto card principal em Phoenix. Os grapplers Joe Lauzon e Marcin Held competem pelo bônus de luta da noite. Uma divisão acima, os meios-médios Court McGee e Ben Saunders devem fazer outro duelo animado logo depois dos velozes moscas John Moraga e Sergio Pettis.

O UFC Fight Night 103 será transmitido ao vivo e na íntegra pelo canal Combate. A primeira luta preliminar está marcada para às 21:15h, enquanto o card principal terá início à 01:00h, sempre pelo horário oficial de verão de Brasília.

Peso Pena: #10 Yair Rodríguez (MEX) vs. BJ Penn (EUA)

Yair Rodriguez

Quanta diferença nos retrospectos recentes. “El Pantera” jamais perdeu no octógono, emendando o título do primeiro TUF América Latina com mais quatro vitórias, incluindo o espetacular nocaute sobre Andre Fili, um dos mais belos de 2016. Já BJ só tem uma vitória nos últimos sete anos, em 2010, contra um Matt Hughes a caminho da aposentadoria. Desde então empatou uma e levou três balaios.

Os fãs mais recentes devem ter dificuldade de entender porque Penn é tão cultuado. O prodígio havaiano, primeiro americano campeão mundial de jiu-jítsu na faixa preta, era talento puro, com um boxe solto, criatividade no lançamento de joelhos, wrestling capaz de anular Jon Fitch e o domínio da arte suave. Porém, isso hoje parece fazer parte de um filme em preto e branco.

Bem menos consolidado, o jovem mexicano está em franca evolução também em todas as vertentes do MMA. Seu ponto forte é a troca de golpes na longa distância, misturando o taekwondo com o muay thai e o caratê, o que ele faz com muita fluidez graças ao absurdo condicionamento atlético. O wrestling vem sendo apurado em Chicago por Mark Perry, técnico da University of Illinois e o restante ele resolve em Albuquerque, na Jackson-Wink. Ainda é possível ver furos espalhados em seu jogo, principalmente no seu ponto forte, mais precisamente o jogo de pernas e o volume de socos, mas Rodríguez mostra cada vez mais maturidade para seguir surpreendendo os oponentes com os mais diversificados movimentos ofensivos.

B.J. Penn vs Yair Rodriguez odds - BestFightOdds

O mexicano não teria chance se enfrentasse BJ no auge. O havaiano seria capaz de boxear e levar vantagem, mas poderia também pressioná-lo contra a grade ou derrubar e forçá-lo a trabalhar da guarda. Porém, faz tempo que esse Penn não dá as caras no octógono. E quando deu, contra Fitch e Nick Diaz, não resistiu ao primeiro round. Agora com 38 anos, dois anos e meio parado e com o corte de peso que deu totalmente errado contra Frankie Edgar, a expectativa é das mais sombrias. Sem condições de dar conta da movimentação veloz e criativa de Yair, o palpite é que o ídolo será nocauteado na primeira metade do combate.

Peso Leve: Joe Lauzon (EUA) vs. Marcin Held (POL)

Joe Lauzon

Nas três últimas temporadas, “J-Lau” não conseguiu repetir resultado consecutivamente, vivendo numa gangorra de vitória-derrota. No ano passado, aplicou um belo nocaute no primeiro round no inquebrável Diego Sanchez, mas caiu diante de Jim Miller na sequência, numa luta bastante acirrada e de resultado controverso.

Oito anos mais jovem, bem menos prejudicado fisicamente por batalhas intensas, Held chegou a ser apontado como principal esperança polonesa. Ele até chegou à disputa do cinturão no Bellator, depois de uma bela série de seis triunfos, incluindo Patricky Pitbull e Tiger Sarnavskiy, mas tombou perante o então campeão Will Brooks. Quando fechou com o UFC, acabou engolido pelo mesmo Sanchez que Lauzon nocauteou quatro meses antes.

Lauzon e Held são lutadores muito parecidos em diversos aspectos, mas com uma diferença fundamental: o americano tem considerável superioridade na capacidade de nocautear. Ambos usam a luta agarrada como principal ferramenta, num estilo difícil de prever, que usa a teoria maquiavélica do “os fins (a finalização) justificam os meios (como chegar lá)”. Cada um em sua especialidade – finalizações no pescoço para o americano, chaves de perna para o polonês -, eles adotam uma mentalidade ofensiva, agressividade no talo e pouca preocupação defensiva. Para quem quer apenas se divertir numa noite de domingo, é um prato cheio.

Joe Lauzon vs Marcin Held odds - BestFightOdds

Dito isso, a luta poderia ter contornos dramáticos e acabar a qualquer momento com alguém sendo finalizado. Nunca descarte esta possibilidade. Porém, a diferença fundamental entre ambos pode ser o fiel da balança. Em algum momento, punhos encontrarão queixos e/ou têmporas desguarnecidas. Porém, quando for o punho de Lauzon na cabeça de Held, o negócio muda. O americano terá dado um belo passo para a vitória, com um knockdown seguido de mata-leão.

Peso Meio-Médio: Court McGee (EUA) vs. Ben Saunders (EUA)

Ben Saunders

Em 2013, quando desceu para o peso meio-médio, McGee anotou sua última dupla de vitórias seguidas. Desde então, cai numa e se recupera na outra. No ano passado, foi nocauteado por um remodelado Santiago Ponzinibbio e bateu o limitado Dominique Steele. Já Saunders voltou ao UFC quando ninguém mais esperava e foi demitido depois de apenas uma derrota em quatro lutas. A finalização relâmpago sobre o ex-UFC Jacob Volkmann garantiu seu retorno breve.

Temos aqui um belo caso de matchmaking, pois as virtudes de um se encaixam bem nos defeitos do outro. O boxe de alto volume e pouca potência somado ao wrestling de McGee formam as duas maiores deficiências defensivas de Saunders, lutador que expõe muito o queixo, especialmente para quem usa o uppercut na curta distância, e que defende mal quedas. Já o vencedor do TUF 11 se enrola quando encara adversários mais rápidos, que controlam melhor a distância e se movimentam com mais fluidez, o que é o caso do “Killa-B”.

Ben Saunders vs Court McGee odds - BestFightOdds

As odds dão uma bela noção da encrenca do que é apostar nessa luta. Provavelmente McGee apostará na pressão para encurtar a distância e fazer Saunders boxear no pocket e ainda se preocupar em defender quedas. Se Ben conseguir evitar essa aproximação e usar seu muay thai dinâmico para deixar o adversário longe, minimizará bastante seus problemas e avançará para uma vitória por decisão. Ainda que McGee consiga derrubar, a guarda ofensiva de Saunders vai deixar o adversário preocupado em não levar o bote. Se pegar juízes que não valorizam quem luta por baixo, Saunders pode se dar mal. Mas a expectativa é que ele vença por decisão.

Peso Mosca: #8 John Moraga (EUA) vs. #15 Sergio Pettis (EUA)

Sergio Pettis

Desde que foi derrotado na disputa do cinturão, Moraga venceu apenas metade das seis lutas que disputou. Pior, perdeu as duas últimas, a mais recente delas para o recém-chegado Matheus Nicolau. Se as derrotas anteriores eram aceitáveis (Demetrious Johnson, John Dodson e Joseph Benavidez) depois da boa vitória sobre Justin Scoggins, cair para Nicolau foi um sinal de alerta. Por outro lado, Pettis se recuperou bem da surpreendente derrota para Ryan Benoit. Cada vez mais maduro e com um jogo mais abrangente, ele superou o ex-desafiante Chris Cariaso e o hiper agressivo Chris Kelades.

O Pettis famoso é o outro, mas Sergio visivelmente andou aprendendo com os erros do irmão mais velho para se tornar um lutador mais completo. O caçula, que antes queria copiar o estilo de Anthony, agora usa uma abordagem no kickboxing bem mais semelhante ao do treinador Duke Roufus e melhora a cada dia no wrestling. Faltava organizar o lado psicológico – Pettis vencia as duas lutas que acabou derrotado -, mas parece que até isso tem sido trabalhado.

Moraga também é talentoso, é muito perigoso em pé e no chão, mas sofre de inconsistência. Ele tem um decente somatório de boxe com wrestling e jiu-jítsu, com elevado poder nos punhos e capacidade de prevalecer em disputas de posição no solo, mas sofre se não conseguir impor sua estratégia.

John Moraga vs Sergio Pettis odds - BestFightOdds

Para vencer, Moraga precisa impedir que Pettis atue solto, na longa distância. A tática ideal será pressionar e fazer Sergio lutar no pocket, situação em que Moraga se sente em casa. Este é um teste fantástico para saber se Pettis pode dar o passo adiante e encarar os maiores desafios da divisão. Caso ele se perca como aconteceu contra Benoit e Alex Caceres, vai acabar nocauteado ou finalizado. Caso se mantenha focado, Pettis tem mais capacidade técnica. A aposta é uma vitória dele por decisão.

  • Beto Magnun

    É triste ver essa situação do BJ. É quase uma versão anã do Shogun. Quando comecei a acompanhar MMA, ele já tava decadente, mas obviamente fui atrás dos VTs das lutas em que ele estava no auge. Era um lutador foda pra caralho. Apostei no Yair, que é um lutador que acho hypado demais, mas a torcida… Não sei se torço pro Penn pois se vencer deve insistir nessa, mas também não quero ver ele servir de escada.
    Acho que altitude acabou prejudicando e muito Held na estréia. Já tava morto no segundo round e ainda por cima deu de cara com um Sanshez que não dava as caras havia anos. Acho que dessa vez ele consegue controlar o Lauzon na luta em pé assim como fez com o Sanshez no primeiro round.

    • Sexto Empírico

      BJ é um Shogun anão… boa. Kkkk …

    • BJ era foda pra caralho mesmo. Ainda teve quem discordasse que é o maior peso leve da história. Talento muito absurdo.

      Sobre o Rodríguez, acho que ele para no Chad Mendes, no Frankie Edgar, no Ricardo Lamas. Ele deixa uns furos pra se ferrar quando pegar um wrestler pressionador.

      • João Gabriel Gelli

        Rodriguez não passa do Elkins.

        • Beto Magnun

          Só a tatuagem escrota do Elkins já deixaria o Rodriguez apavorado.

        • Tem chance mesmo.

  • Patrick Santos

    É chato saber que dessa vez o BJ vai voltar mesmo. Depois de tantas lutas marcadas e furadas desde a vergonha contra o Edgar, eu tava na torcida para que ele desistisse da ideia de uma vez. Fazer o quê, ele é um ser diferente mesmo. Só espero que ele se sinta realizado e saia feliz do octógono dessa vez. Em relação ao card, a luta do Lauzon é diversão certa, mas a que eu acredito que será a luta da noite é McGee vs Saunders. Gosto bastante do jogo do Saunders e o McGee tá muito bem desde a volta dele pro UFC. Vou de Pettis-Saunders-Lauzon e uma bold no BJ

    • Eu também quero que o BJ saia feliz, mesmo se perder. Não pode fazer papelão de novo.

  • James sousa

    desde que decidiu volta só casaram o BJ Penn com encrencar primeiro Lamas nas Filipinas agora o Pantera

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      O melhor casamento que deram pro coitado foi o Dennis Siver, aí sim eu acho que poderia ser parelho.

      • No estado que o BJ se apresentou como pena, ele não é favorito contra ninguém. Precisamos vê-lo como um ser humano saudável de novo pra poder pensar nisso. Naquele estado, era encrenca até com o Siver.

  • Sexto Empírico

    Que vontade fantástica é essa que move o Penn. Ele já está fora de tempo, não tem de onde tirar mais nada, sua “bateria” de MMA já está quase descarregada, mas a vontade ainda está lá. Novinha em folha como em seus áureos tempos. Para Bj, vencer é melhor, mas perder também não é tão ruim comparado a ficar de longe, assistindo sem ouvir a torcida eufórica gritar seu nome, sem sentir a adrelina ou o gosto de sangue na boca. Não queria vê-lo voltar pois prevejo outro massacre doído e vergonhoso. Mas quem consegue convencer um predador faminto de que ele já está muito velho e lento para a caça e com altíssimo risco dele se tornar a presa?
    Se eu fosse repórter e pudesse entrevistá-lo minha pergunta seria o que ele pensa de lutadores como Ronda, Gustafson e Rockhold que, ainda no auge de suas carreiras, vivem esse dilema aborrecido de continuar ou desistir, ameaçando toda hora abandonar as lutas.

    • O mais curioso é que o BJ não precisa de dinheiro, não é por isso que ele ainda luta. Ele é foda.