UFC 225 desaponta nas vendas com cerca de 250 mil pacotes comprados

Por Gustavo Lima | 19/06/2018

Mesmo com duas lutas por cinturão no topo do evento e um punhado de figuras carimbadas em seu card, a estimativa de pacotes vendidos pelo UFC 225 ficou em somente 250 mil. Número bastante similar ao que foi atingido pelo UFC 222, encabeçado pela luta entre Cris Cyborg e Yana Kunitskaya.

A quantidade de vendas do UFC 225 havia sido assunto de muita discussão nas últimas semanas, após o Los Angeles Times reportar que fontes fidedignas apontavam para menos de 150 mil pacotes vendidos.

Na última semana, diversas fontes como o jornalista Dave Meltzer chegaram ao consenso de que o número de vendas seria 250 mil, combinando compras por operadoras de TV e por streaming. Embora o procurador do UFC, Hunter Campbell, tenha se recusado a dar um número exato de vendas, a aparente marca de pacotes vendidos é muito abaixo do esperado, mesmo com a ausência dos maiores nomes da organização no evento.

CM Punk foi uma das atrações no card e foi o principal objeto de interesse do público, mesmo que muito menos do que em sua estreia, no UFC 203. Dados de pesquisa do Google apontam que o nome de Punk foi mais procurado dentre os presentes no card, seguido de longe por Holly Holm e Colby Covington. Yoel Romero e Robert Whittaker, que protagonizaram revanche épica no duelo principal da noite, não possuem histórico de serem atletas rentáveis.

É importante ressaltar que, com exceção do embate entre CM Punk e Mike Jackson, todas as outras lutas do card principal continham ao menos um ex-campeão da organização: Andrei Arlovski, Holly HolmRafael dos Anjos, além das presenças ilustres de Alistair Overeem, Cláudia Gadelha e Ricardo Lamas na parcela do card exibida na FOX Sports 1 dos EUA, que também obteve audiência abaixo do normal, com média de 667 mil espectadores.