Por Gabriel Carvalho | 29/12/2017 01:12

Mesmo com apenas cinco lutas, o card preliminar do UFC 219 deve proporcionar momentos bem animados para quem comparecer na T-Mobile Arena, em Las Vegas, Nevada, nos Estados Unidos. Também será entretido quem sintonizou no Canal Combate, a partir das 22h:30 no Horário de Verão de Brasília.

Fechando as ações, o hypado Khalil Rountree tenta a terceira vitória seguida contra o estreante polonês Michal Oleksiejczuk. Antes dele, Myles Jury tenta entrar de vez no top 15 do peso pena contra o ex-campeão do WSOF Rick GlennOmari Akhmedov Marvin Vettori protagonizam um confronto europeu, Matheus Nicolau retorna da suspensão por doping contra Louis Smolka Tim Elliott sobe de categoria pra recepcionar o estreante Mark de la Rosa.

Peso Meio-Pesado: Khalil Rountree (EUA) vs. Michal Oleksiejczuk (POL)

Khalil Rountree

A vida de Khalil Rountree (6-2 no MMA, 2-2 no UFC) mudou bastante em 2017, ano que pode ser fechado de forma melhor ainda. O equino citado superou as derrotas para Andrew Sanchez e Tyson Pedro com nocautes brutais sobre os limitados Daniel Jolly e Paul Craig, ficando bem próximo do top 15 da divisão. Oriundo do muay thai, Rountree adota uma base canhota e uma postura bem estudiosa no início das lutas, crescendo ao longo do combate buscando sempre intimidar o adversário. Seus socos são rápidos e ele consegue encontrar bons espaços para aplicá-los. A incógnita sobre Khalil é a questão do chão, na qual já foi provado que seu nível é amplamente duvidoso.

Com apenas 22 anos de idade, Michal Oleksiejczuk (12-2 no MMA) foi marcado para estrear no grandioso UFC 217, mas uma notificação da USADA dada ao seu adversário Ion Cutelaba acabou adiando sua estreia. Agora, Michal recebe chance em outro palco grande e com uma missão bem piorada. O jovem lutador é bem limitado, tendo um sistema defensivo fraquíssimo, com pouco bloqueio dos socos que recebe e bastante tendência a ser nocauteado. O seu principal ponto positivo ofensivamente é a troca de golpes, que não é excelente, mas com capacidade de mesclar bem os golpes em pé.

Khalil Rountree vs Michal Oleksiejczuk odds - BestFightOdds
 

Na luta que fecha o card preliminar, o amplo favoritismo vai para Khalil. O americano é bem mais técnico, vem atuando de forma mais calma e segura e deve aproveitar uma das inúmeras brechas de Oleksiejczuk para poder nocautear com um cruzadão de esquerda. A chance para o polonês é no chão, mas ele não mostrou capacidade de transformar uma luta em um combate de grappling. Levar a luta para a briga tem suas chances de sucesso, mas é bem mais provável que dê errado. Outra chance pro polonês é em caso de desclassificação de Rountree, que adora soltar os famosos tiros de meta e pode se dar mal em uma tentativa.

Peso Pena: Myles Jury (EUA) vs. Rick Glenn (EUA)

Myles Jury

Outro ótimo nome que saiu do TUF 15, Myles Jury (16-2 no MMA, 7-2 no UFC) deu uma sumida depois das derrotas para Donald Cerrone e Charles Oliveira, mas voltou bem em 2017 com uma vitória tranquila sobre o limitado Mike de la Torre. Lutador bem versátil no kickboxing, Jury é perigoso em todas as distâncias, mostrando bastante mobilidade, confiança e variação nos golpes. Faixa-preta de jiu-jítsu, já encontrou alguns problemas na arte suave, mas vem mostrando evolução depois do tempo parado.

Ex-campeão do WSOF, o aguerrido Rick Glenn (20-4 no MMA, 2-1 no UFC) vem invicto desde que voltou ao peso pena, com uma vitória apertada sobre Phillipe Nover e uma surra de proporções bíblicas sobre Gavin Tucker. Atleta de pouca movimentação lateral e bons golpes no corpo, Rick se mostra como um lutador de volume muito alto quando age no pocket. A parte de chão deve ser inferior quando ele pegar atletas menores fisicamentes, o que não é o caso de Jury.

Myles Jury vs Rick Glenn odds - BestFightOdds
 

A promessa é de momentos bem animados assim que os dois entrarem no octógono. Mais técnico e mais móvel, Jury tem totais condições de evitar a aproximação de Glenn, trabalhando chutes baixos e na linha de cintura para depois investir nos socos, principalmente na parte de contragolpes. Caso a luta for para o chão, o que é um pouco mais difícil, a expectativa é que Myles também seja superior, conquistando uma vitória por decisão unânime.

Peso Médio: Marvin Vettori (ITA) vs. Omari Akhmedov (RUS)

Omari Akhmedov

Marvin Vettori (12-3 no MMA, 2-1 no UFC) só viu brasileiros em seu caminho no UFC. Foram vitórias sobre Alberto Uda e Vitor Miranda, interrompidas por uma derrota contra Antônio Cara de Sapato. Atleta da Kings MMA, Vettori ainda é meio desajeitado no kickboxinge não é tão técnico nos golpes, mas mostra uma certa inteligência com combinações, tem uma esquiva interessante e usa bem as joelhadas. Seu ponto forte é o chão, aplicando quedas no momento certo e controlando bem a luta por cima.

Apesar de não ser dos lutadores que mais chama atenção, Omari Akhmedov (17-4 no MMA, 5-3 no UFC) vai para a nona luta no octógono, agora subindo de divisão. Campeão de pankration e sambô de combate na Rússia, Omari nunca foi conhecido pela velocidade, o que foi muito prejudicial em algumas lutas, mas ele é bem forte e sabe usar bem os chutes na perna e na linha de cintura. Mostra explosão na hora das quedas e, apesar de ainda dar seus vacilos, sabe bem controlar os oponentes.

Marvin Vettori vs Omari Akhmedov odds - BestFightOdds
 

Como é o caso de boa parte do card, a luta no papel é bem equilibrada. Vettori provavelmente aproveitará de sua vantagem na agilidade para tentar encurralar Akhmedov, mas a falta de técnica pode deixar um buraco favorável ao russo, que tem capacidade de deitar o italiano. No chão, acredito que Vettori é mais técnico, mas não sei se ele conseguirá se impor na força física. No palpites, vamos em Marvin Vettori por decisão.

Peso Mosca: #13 Louis Smolka (EUA) vs. Matheus Nicolau (BRA)

Matheus Nicolau

Aos 26 anos, Louis Smolka (11-4 no MMA, 5-4 no UFC) é uma figurinha carimbada no top 15 do UFC, mas que precisa de uma vitória urgentemente para se manter na organização, já que são três derrotas em sequência para Brandon Moreno, Ray Borg e Tim Elliott. Um cara bem alto para a categoria, Smolka é faixa-preta de caratê kempo, usa bem os chutes em pé e tem bastante poder para um lutador do peso mosca. O problema é que Louis é cheio de buracos, tem muitas falhas no sistema defensivo, principalmente no chão, e o preparo físico também deve bastante.

O brasileiro Matheus Nicolau (12-1-1 no MMA, 2-0 no UFC) retorna ao octógono após tomar um ano de suspensão após ser pego no doping no final de 2016. Participante do TUF Brasil 4, ele retornou ao peso mosca depois da participação no reality show e somou vitórias sobre Bruno Korea e sobre o ex-desafiante John Moraga. Ex-atleta da Nova União e hoje na Vila da Luta, o mineiro Matheus pode apresentar algumas mudanças para o retorno. Em pé, ele se destacava pelo bom uso do jabs e o gancho nos contragolpes. O chão de Nicolau é bem interessante também

Louis Smolka vs Matheus Nicolau odds - BestFightOdds
 

Ponto de extrema importância para prever o combate: qual será o ritmo de luta usado por Nicolau? Smolka sempre foi um lutador agitado e de ritmo muito forte no início das lutas, porém, tem uma tendência absurda a abrir o bico logo cedo. Caso Matheus queira lutar no estilo de Smolka logo no começo, corre risco de ser nocauteado, mas se resistir a pressão inicial, deve controlar a luta na troca de golpes e principalmente no chão. O mineiro também pode correr por um caminho mais fácil e buscar pressionar o havaiano contra o solo com quedas e controle, como foi o caso da luta de Smolka contra Ray Borg. De qualquer jeito, brasileiro deve triunfar aqui.

Peso Galo: Tim Elliott (EUA) vs. Mark de la Rosa (EUA)

Tim Elliott

Depois de todo o imbróglio da luta cancelada contra Pietro Menga, Tim Elliott (15-8-1 no MMA, 3-6 no UFC) sobe de categoria em uma luta agendada de última hora. Imprevisível e dinâmico, Elliott tem uma movimentação pouco ortodoxa e que sempre deixa seus combates interessantes de se assistir. A estratégia da movimentação sempre é boa para enganar os adversários e levar o combate ao chão, onde tem a habilidade de encaixar diversas finalizações de todas as posições possíveis, mas acaba pecando na hora da confiança e do encaixe das chaves e dos estrangulamentos.

Um dos melhores lutadores do peso galo no cenário regional dos Estados Unidos, Mark de la Rosa (9-0 no MMA) recebe a oportunidade de lutar no UFC com pouco tempo de preparação, mas tem competência para entregar o mesmo desempenho que teve em outros eventos. Um lutador bem estudioso no início das lutas, de la Rosa é bem técnico no boxe, sabe executar boas combinações, atinge de qualquer distância e tem quedas pontuais para diminuir o ritmo do adversário.

Mark De La Rosa vs Tim Elliott odds - BestFightOdds
 

Sempre é legal abrir a noite com uma promessa de luta legal, o que é o caso de Ellliott vs. de la Rosa. Tim é um lutador que sabe confundir bem os adversários na troca de golpes com o estilo incomum, mas é possível que ele tenha problemas com o forte boxe de Mark. No chão, acredito que Elliott é mais forte e sabe o momento de aplicar uma queda. Palpite aqui é difícil, mas não vamos muretar e iremos no estreante, em 15 minutos bem animados.

Editor do MMA Brasil. Fã de esportes em geral, apaixonado pela arte de punhos em rostos alheios. Amante de filmes e música.