UFC 217: Prévia do Card Preliminar

Antes de curtir o card principal do enorme UFC 217, os fãs de MMA vão se deleitar com uma formação de preliminares melhor do que muito evento espalhado pelo ano. Serão quatro ranqueados e alguns outros próximos de entrar no ranking, além de um confronto entre dois ilustrados no Top 10 do Futuro.

Dentre os ranqueados, Ovince St. Preux, número 6 dos meios-pesados, encara Corey Anderson, uma posição atrás. Entre os pesados, o 9º colocado, Oleksiy Oliynyk, faz interessante duelo de estilos contra o 12º, Curtis Blaydes.

Numa das melhores lutas entre prospectos, Aiemann Zahabi encara Ricardo Carcacinha, abrindo o evento pelo peso galo. Fechando o card preliminar, James Vick e Joseph Duffy devem travar uma bela guerra. A porção inicial do evento terá ainda Randy Brown contra Mickey Gall, Walt Harris contra Mark Godbeer e a estreia de Michal Oleksiejczuk contra Ion Cutelaba.

Peso Leve: James Vick (EUA) vs. Joseph Duffy (IRL)

Por Alexandre Matos

Joseph Duffy

Finalmente livre das lesões que tanto atrasaram sua vida, Vick (11-1 no MMA, 7-1 no UFC) vai para sua terceira luta no ano, feito inédito em sua carreira no UFC. Fosse em outra categoria e talvez ele estivesse até ranqueado com seu retrospecto, mas, na selva do peso leve, não é assim que funciona, até porque Vick caiu diante de seu maior desafio, Beneil Dariush.

Situação parecida aconteceu com Duffy (16-2 no MMA, 4-1 no UFC). Ele tem menos lutas e menos vitórias que Vick na organização, mas igualmente tombou diante de seu maior oponente, no caso, Dustin Poirier. O irlandês que chegou ao UFC com a banca de ter vencido Conor McGregor, deixou o revés para trás com duas vitórias seguidas, assim como fez Vick.

Ambos possuem como principal base o boxe, mas usam a nobre arte de modo diferente. Vick é gigantesco para a divisão (1,91m de altura, 1,94m de envergadura) e prefere atuar na longa distância, atrás de um ótimo serviço de jab. Já Duffy é um representante clássico da escola irlandesa, atuando em movimentação intensa, que gera muitos ângulos e permite o uso dos chutes de modo não esperado pelos oponentes. Ambos melhoraram na luta agarrada, mas o europeu desenvolveu melhor o wrestling. Dentre os dois cenários, fico com o primeiro.

James Vick vs Joseph Duffy odds - BestFightOdds
 

Duffy tem uma característica importante para deixar Vick em situação desconfortável. Se imprimir um ritmo opressivo para penetrar no raio de ação do americano, fazê-lo trocar porrada no pocket e mudar de nível com uma queda, o irlandês será capaz de estar sempre um passo à frente do oponente. Porém, se aceitar a luta na longa distância, correrá o risco de sofrer com os jabs-britadeira do “Texecutioner”.

Peso Pesado: Walt Harris (EUA) vs. Mark Godbeer (ING)

Por Gabriel Carvalho

Walt Harris

Walt Harris (10-6 no MMA, 3-5 no UFC) finalmente respirou aliviado no UFC, e agora tem boas chances de entrar no top 15 do peso pesado. Em 2017, “The Big Ticket” conseguiu vitórias por nocaute sobre Chase Sherman e Cyril Asker, afastando uma possível demissão. Walt ainda sofre com os problemas defensivos e de preparo físico, mas ainda tem um trabalho de mãos bem interessante, que gera poder de nocaute. O chão também é um problema para o americano, o que pode servir de risco para a luta contra Godbeer.

Ex-Bellator e ex-campeão do BAMMA, Mark Godbeer (12-3 no MMA, 1-1 no UFC) estreou no octógono finalizado na grosseria por Justin Ledet, mas garantiu o emprego após vencer Daniel Spitz num dos piores combates de 2017. Godbeer é um atleta que até sabe usar combinações e inclusive consegue mesclar socos com chutes, além de ter um poder de nocaute bom. O problema é que o inglês é um atleta de pouca movimentação e tende muito a parar quando aplica socos, o que favorece Harris.

Mark Godbeer vs Walt Harris odds - BestFightOdds
 

Torcida forte para que esta luta acabe ainda na primeira parcial, e Harris tem mais competência para tal. O americano é um atleta mais veloz e tem mais habilidade na troca de golpes para mandar o inglês à lona. O problema mesmo é apostar que Walt será competente a ponto de não ser nocauteado pelo inglês, que será favorecido caso o combate dure 15 minutos. Ainda aposto em nocaute de Harris no primeiro assalto.

Peso Meio-Pesado: #6 Ovince St. Preux (HAI) vs. #7 Corey Anderson (EUA)

Ovince St. Preux

Depois de quase não cansar ao enganar mais um trouxa com o estrangulamento Von Flue, Ovince St. Preux (21-10 no MMA, 9-5 no UFC) ganhou pouco tempo de descanso e agora tem a oportunidade de lutar na arena mais famosa do mundo. Ex-jogador de futebol americano e praticante do wrestling na Universidade do Tennesee. Ovince é um atleta com boa movimentação e boas trocas de base. O sistema defensivo ainda peca um pouco. No chão, St. Preux sabe os momentos para aplicar quedas e é um caminhão de pressão no solo, com um ground and pound muito bom e finalizações variadas.

Vencedor do TUF 19, Corey Anderson (10-3 no MMA, 6-3 no UFC) foi um nome que imaginei chegando ao top 5 da divisão, mas suas limitações em pé o impediram de alcançar um nível maior na divisão, que é bem rasa. Único Anderson do UFC com habilidade no wrestling, o novaiorquino tem um jogo forte com quedas e controle posicional, mas acaba pecando bastante por não almejar posições mais dominantes no chão, deixando seus combates monótonos. Na troca de golpes, até tem um boxe alinhado, mas é limitado e tem um queixo suspeito.

Corey Anderson vs Ovince Saint Preux odds - BestFightOdds
 

St. Preux é um cara que sofreu problemas com wrestling na carreira, vide as lutas contra Ryan Bader e Jon Jones, mas Corey não tem o mesmo nível dos citados. Ainda assim, uma queda a favor do americano não será nenhuma surpresa. Na troca de golpes, a vantagem vai para o haitiano. Precisamos que OSP seja o agressor da luta, caso não queira tornar o combate mais monótono do que esperado. O palpite é que Anderson sucumbirá mais uma vez e Ovince levará mais uma por nocaute.

Peso Meio-Médio: Randy Brown (JAM) vs. Mickey Gall (EUA)

Randy Brown

Revelado no programa Lookin’ for a Fight, o jamaicano Randy Brown (9-2 no MMA, 3-2 no UFC) era uma interessante promessa para o peso meio-médio, mas sofreu um baita vareio contra Belal Muhammad em sua luta mais recente. Brown é um atleta talentoso, de estilo pouco ortodoxo, com um depósito de chutes e socos retos, além de uma base interessante no wrestlingground and pound agressivo. O problema para o “Menino Grosseiro” é quando ele lida com alguém superior no jiu-jítsu e acaba perdendo o foco, um ponto positivo para o seu adversário.

Mickey Gall teve um 2016 bem movimentado, quando atropelou um lutador horroroso, um cidadão comum e uma promessa ainda cheia de falhas. Para o seu primeiro e provável único combate de 2017, o caldo pode engrossar para o bonitão. Gall se destaca pelo jiu-jítsu ativo, com boas entradas de queda, rápidas transições e um mata-leão bem ajustado. A parte em pé não foi bem lapidada ainda, até porque ele nunca precisou muito trocar golpes no UFC.

Mickey Gall vs Randy Brown odds - BestFightOdds
 

Um ponto interessante para este combate é a questão da vantagem física de Gall, que pode conseguir uma queda sobre Brown, ficando numa situação bem confortável. Porém, também existe o questionamento em relação ao quanto Mickey pode se frustrar caso tenha que trocar golpes com o jamaicano, que é bem melhor em tal ponto. Com bastante equilíbrio na luta, visto que são dois atletas promissores e talentosos, acredito que Randy irá prevalecer e vencerá por decisão.

Peso Pesado: #9 Oleksiy Oliynyk (RUS) vs. #12 Curtis Blaydes (EUA)

Oleksiy Oliynyk

Oleksiy Oliynyk (52-10-1 no MMA, 3-1 no UFC) superou os problemas da guerra Ucrânia-Russia para fazer duas lutas no UFC em 2017 e vencer ambas por finalização, incluindo uma sobre Travis Browne, suficiente para colocá-lo no ranking. Oliynyk já foi campeão mundial de sambô de combate em duas oportunidades e, apesar dos 40 anos, ainda é um atleta melhor que boa parte do peso pesado do UFC. Na troca de golpes, o russo exibe pouca movimentação e é refém do pedradão de direita, que já apagou uma galera por aí. Ele se destaca bem no chão, com as transições e objetividade pela finalização.

A ótima apresentação contra Adam Milstead deu a impressão de que Curtis Blaydes (7-1 no MMA, 2-1 no UFC) poderia ser um nome ótimo de renovação para o peso pesado, mas ele decepcionou ao errar as 13 tentativas de queda contra Daniel Omielanczuk, mas a vitória ainda veio. Aos 26 anos, Blaydes foi campeão de wrestling na NJCAA e tem a modalidade como carro-chefe, mas ele se complica bastante quando pega lutadores com a mesma força física e acaba se frustrando.

Aleksei Oleinik vs Curtis Blaydes odds - BestFightOdds
 

Mais uma vez no peso pesado, a torcida é que a parada acabe rápido – e quem tem mais condições de realizar isso é o russo Oliynyk. Os dois são limitados em pé, mas existe a possibilidade forte de Oleksiy apagar Blaydes com um pedradão, mas a esperança é que o russo se embole com o americano numa tentativa de queda e consiga uma finalização por cima, provavelmente um mata-leão horroroso. Caso isso não aconteça, o palpite é que Oliynyk vencerá em 15 minutos tediosos.

Peso Meio-Pesado: Michal Oleksiejczuk (POL) vs. Ion Cutelaba (MOL)

Ion Cutelaba

Com 22 anos, o polonês Michal Oleksiejczuk (12-2 no MMA) recebe a oportunidade de estrear no UFC, após vencer 12 de 14 lutas no MMA e aproveitar a ausência de Gadzhimurad Antigulov. O jovem lutador é bem limitado, tem um sistema defensivo fraquíssimo, com pouco bloqueio dos socos que recebe e bastante tendência a ser nocauteado. O seu principal ponto positivo ofensivamente é a troca de golpes, que não é excelente, mas ele sabe mesclar bem os golpes em pé.

Outro atleta novo, o moldavo Ion Cutelaba (13-3 no MMA, 2-2 no UFC) proporcionou grandes momentos em todas as oportunidades que subiu ao octógono. Na mais recente delas, precisou de 22 segundos para esmagar o brasileiro Henrique Frankenstein. Cutelaba também é forte na troca de golpes, com uma certa melhora na técnica, situação em que costuma imprimir um ritmo forte, com boas combinações de socos usando a mão direita. O preparo físico ainda requer um aperfeiçoamento e o jogo de chão também pode ser melhorado.

Ion Cutelaba vs Michal Oleksiejczuk odds - BestFightOdds
 

Para o segundo combate da noite, temos uma promessa de corpo jogado no chão, e que provavelmente será o de Oleksiejczuk. Cutelaba é mais competente e provavelmente conseguirá impor o seu jogo na troca de golpes. Não temos segredo aqui: Ion deve vencer por nocaute no primeiro round.

Peso Galo: Aiemann Zahabi (CAN) vs. Ricardo Carcacinha (BRA)

Ricardo Carcacinha

Irmão de Firas Zahabi e parceiro de treinos de Georges St. Pierre, Aiemann Zahabi (7-0 no MMA, 1-0 no UFC) praticamente não tem pressão nas costas. Na sua luta de estreia no UFC, pegou o experiente Reginaldo Vieira e venceu por decisão unânime. Em pé, Zahabi tem base no caratê, não se prende aos contra-ataques e aplica boas blitzes com o seu trabalho de mãos, mas acaba pecando na movimentação lateral. No chão, tem histórico positivo em competições de wrestling e jiu-jítsu no Canadá, mas ainda precisa de melhora.

Não é a primeira vez que mencionamos o nome de Ricardo Carcacinha (10-1 no MMA, 1-0 no UFC) no MMA Brasil. Protagonista do Radar MMA Brasil e um dos selecionados ao Top 10 do Futuro, o campineiro fará a segunda luta no octógono buscando a segunda vitória. Em pé, Carcacinha costuma emular o estilo de Conor McGregor, com as diferenças nos chutes mais bem trabalhados e interessantes joelhadas de encontro. O jiu-jítsu é considerado “liso”, com ótimas transições e belos ajustes na hora de finalizar o combate.

Aiemann Zahabi vs Ricardo Ramos odds - BestFightOdds
 

O combate de abertura definitivamente é para chutar a porta do Madison Square Garden, com promessa de movimentação e equilíbrio. Os dois costumam andar para frente em todos os momentos, mas quem leva vantagem na troca de golpes é o brasileiro, que consegue variar bem o jogo com os chutes baixos, alguns socos utilizados nos contra-ataques e a pressão para colocar a luta na grade. No chão, é difícil prever algo, já que os atletas também são bem ativos, mas vamos dar vantagem novamente para Ricardo, que deve finalizar no segundo round.

  • James sousa

    Zahabi x carcacinha e uma luta que eu estou com boas expectativas em relação a esse duelo .E o duelo que mais me anima no preliminar

    • Gabriel Carvalho

      Somos dois.

  • Diego Florentino

    Card pra assistir do início ao fim. Só luta interessante.

  • Luis Coppola

    Três Von Flue Choke seguidos pede música?
    Na torcida pro Carcacinha, Vick e Randy Brown..

    • Gabriel Carvalho

      Eu cassava a licença dos três que tomaram Von Flue.

      • Bruno Coelho

        HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! Melhor comentário da história! kkkkkk

        PS. É sério que essa finalização ainda não mudou de nome para “St. Preux Choke”?

      • Luis Coppola

        hahahahhaha na Ogrice com aquele monstro deve ser difícil sair..