UFC 216: Prévia do Card Preliminar

O card preliminar recheado do UFC 216 traz três dos maiores prospectos atuais no UFC, duelo de reafirmação para um ex-campeão do Bellator e, finalmente, a aguardada estreia de uma brasileira no peso palha.

O retorno do UFC a seu principal lar, Las Vegas, acontece no próximo sábado contará novamente com um card de peso. Com duas disputas de cinturão nas lutas principais, um interino e um regular, além de duelos importantes no peso pesado e no peso leve, o evento não cai nem um pouco de nível quando nos voltamos para o card preliminar.

Um dos nomes mais promissores de todo MMA, o francês Tom Duquesnoy, receberá um grande teste de fogo ao enfrentar Cody Stamman na luta que fecha o preliminar. Antes dele, os pesos leves Will Brooks  e Lando Vannata buscarão recuperar sua moral na organização ao enfrentar Nik Lentz e Bobby Green, respectivamente. Mais atrás, a peso palha brasileira Poliana Botelho finalmente estrará no UFC enfrentando Pearl Gonzalez, Walt Harris e Mark Godbeer se encontrarão no peso pesado, John Moraga dará as boas vindas a Magomed Bibulatov na elite do peso mosca.

Nos dois primeiros combates da noite, Matt Schnell e Marco Beltran fazem um duelo no peso mosca que pode render em demissão para o perdedor, enquanto o brasileiro Thales Leites busca se firmar no top 15 do peso médio ao enfrentar Brad Tavares.

Confira a análise dos primeiros combates do UFC 216:

Peso Galo: Tom Duquesnoy (FRA) vs. Cody Stamann (EUA)

Tom Duquesnoy

Um dos principais prospectos do UFC, Tom Duquesnoy (15-1 no MMA, 1-0 no UFC) fará a sua segunda luta no octógono. Mesmo com 24 anos, Duquesnoy já tem muita experiência com esportes de combate, já que praticava diversas artes marciais antes mesmo de completar 18 anos. No octógono, o francês se mostrou um lutador bem talentoso, usando boas cotoveladas no clinch e bons chutes na linha de cintura. Ele ainda engole golpes desnecessários, mas os treinamentos na Jackson-Wink MMA podem melhorar tal aspecto.

Cody Stamann (15-1 no MMA, 1-0 no UFC) estreou de última hora no UFC contra Terrion Ware e agora tem uma missão difícil, porém, não impossível contra Duquesnoy. Ele é um atleta bem explosivo na parte do wrestling e com um bom tempo na hora de colocar a luta no chão. Em pé, usa fortes joelhadas e sabe bem controlar o combate no clinch.

Cody Stamann vs Tom Duquesnoy odds - BestFightOdds
 

A promessa para Duquesnoy vs. Stamann é bem interessante. Tom é o favorito e provavelmente virá com menos pressão do que na sua estreia no UFC. Ele deve usar socos e chutes na costela para frustrar Stamann, que pode até conseguir uma queda sobre o francês, que deve voltar em pé pouco tempo depois. Com 15 minutos bem animados, a vitória deve ser de Duquesnoy por decisão unânime.

Peso Leve: Will Brooks (EUA) vs. Nik Lentz (EUA)

Will Brooks

Após chegar com a moral de campeão dos leves do Bellator e um dos melhores atletas fora do UFC, Will Brooks (18-3 no MMA, 1-2 no UFC) acabou surpreendendo negativamente na organização. Após uma vitória não muito convincente contra Ross Pearson, ele acabou sendo derrotado pelos brasileiros Alex Cowboy e Charles do Bronx. Um wrestler bem forte, Brooks tem um condicionamento físico acima da média e sabe muito bem mesclar o kickboxing pouco ortodoxo no seu jogo.

Nik Lentz (29-8-2 no MMA, 11-5-1 no UFC) voltou ao peso leve em 2015 e achou que poderia figurar no top 15 da organização, até levar um baita vareio de Islam Makhachev. Lentz é conhecido pelo wrestling de alto nível e a competência de levar a galera pro solo, o que popularmente o tornou como um lutador “chato”. Em pé, ele não é ruim, mas definitivamente vai ter problemas caso queira trocar golpes com um pessoal na divisão dos leves.

Nik Lentz vs Will Brooks odds - BestFightOdds
 

Lentz é um bom lutador, porém, acredito que ele terá dificuldades em colocar Brooks pra baixo. A expectativa é que o ex-campeão do Bellator saiba controlar a distância com longos jabs, alterne com algumas tentativas de quedas que ficarão barradas no clinch até uma vitória por decisão unânime dos juízes.

Peso Leve: Lando Vannata (EUA) vs. Bobby Green (EUA)

Lando Vannata

Se tem uma coisa que podemos concluir sobre Lando Vannata (9-2 no MMA, 1-2 no UFC) é que poucos lutadores na história do UFC chegaram a sua quarta luta com tanta badalação quanto “Groovy”. Após o duelo sensacional contra Tony Ferguson e o nocaute avassalador sobre John Makdessi, Vannata perdeu para David Teymur e precisa recuperar confiança. Com um estilo não ortodoxo, Vannata tem um dos arsenais ofensivos mais curiosos do UFC, sempre usando angulações diferentes para soltar socos e os potentes chutes. Seu problema justamente é a parte defensiva, com uso alto da guarda baixa e a falta de movimento de cabeça.

Falando em talento, é bem triste ver um lutador tão talentoso quanto Bobby Green (23-8 no MMA, 4-3 no UFC) viver uma fase tão triste. Após um ótimo começo e marcando quatro vitórias pro seu cartel, Bobby viu a morte do irmão tomar o seu psicológico, afastá-lo do esporte por um bom tempo e colocá-lo com três derrotas seguidas, e sério risco de perder o emprego. No auge, Green era um lutador ótimo de se assistir, com um arsenal ótimo na troca de golpes, com boas combinações, poder de nocaute e ainda tinha o wrestling como potencial para desequilibrar lutas, mas acabou perdendo o ritmo de combate e sofre com os problemas defensivos.

Bobby Green vs Lando Vannata odds - BestFightOdds
 

Vannata vs. Green é um dos combates que pode abocanhar uma das premiações da noite. Vannata passou um bom tempo fora e provavelmente melhorou bastante nas mãos de Greg Jackson, principalmente em relação ao seu excesso de confiança, que foi um problema grande na luta contra Teymur. Não acredito em melhora de Green psicologicamente para o duelo de sábado, então, aposto que Lando deve ditar o ritmo da luta ainda cedo com bons socos e chutes até tirar algo da cartola para um nocaute entre o final do primeiro assalto e o inicio do segundo.

Peso Palha: Pearl Gonzalez (EUA) vs. Poliana Botelho (BRA)

Ex-campeã do XFC, Pearl Gonzalez (6-2 no MMA, 0-1 no UFC) infelizmente ficou conhecida no UFC após o quase cancelamento de sua luta contra Cynthia Calvillo por conta de seu implante nos seios, mas o combate aconteceu e ela acabou finalizada no terceiro assalto. Faixa-roxa de jiu-jítsu e vencedora Golden Gloves em 2008, Pearl ainda sofre alguns problemas com o boxe, principalmente por conta da sua falta de movimento de cabeça. Gonzalez tem bastante destaque por conta da sua dedicação, já que dificilmente se entrega.

Poliana Botelho (5-1 no MMA) é uma das atletas do cenário nacional que sempre tive interesse de ver no UFC, e esse dia finalmente chegou. Outra ex-campeã do XFC, Poliana é praticamente um protótipo da Nova União, mas com algumas diferenças entre os seus parceiros de treino, já que o seu ponto forte é o muay thai, onde tem combinações de socos pesadas e lambadas na perna dignas de Tong Po. Mesmo sendo faixa-azul de jiu-jítsu, ela é muito boa defensivamente, o que complica o trabalho de Pearl no próximo sábado.

Pearl Gonzalez vs Poliana Botelho odds - BestFightOdds
 

Não há exagero em dizer que Poliana é favorita por larga margem aqui. Um fator que pode complicar para a mineira é a questão da inatividade, já que são 25 meses sem lutar, mas caso tudo ocorra nos conformes, a brasileira deve iniciar a luta com um ritmo bem forte de socos e chutes baixos. Pearl não deve cair no primeiro assalto por conta de seu coração imenso, mas deve sucumbir no segundo.

Peso Pesado: Walt Harris (EUA) vs. Mark Godbeer (ING)

Walt Harris (10-5 no MMA, 3-4 no UFC) finalmente respirou aliviado no UFC, e agora tem boas chances de entrar no top 15 do peso pesado. Em 2017, “The Big Ticket” conseguiu vitórias por nocaute sobre Chase Sherman e Cyril Asker, afastando uma possível demissão. Walt ainda sofre com os problemas defensivos e a falta de preparo físico, mas ainda tem um trabalho de mãos bem interessante, que é bem unido ao seu poder de nocaute. O chão também é um problema para o americano, o que pode servir de risco para a luta contra Godbeer.

Ex-Bellator e ex-campeão do BAMMA, Mark Godbeer (12-3 no MMA, 1-1 no UFC) estreou no octógono sendo finalizado na grosseria por Justin Ledet, mas garantiu o emprego após vencer Daniel Spitz em um dos piores combates de 2017. Godbeer é um atleta que até sabe usar combinações e inclusive consegue mesclar socos com chutes, além de ter um poder de nocaute bom. O problema é que o inglês é um atleta de pouca movimentação e tende muito a parar quando aplica socos, o que favorece Harris.

Mark Godbeer vs Walt Harris odds - BestFightOdds
 

Torcida forte para que esta luta acabe ainda na primeira parcial, e Harris tem mais competência pra isso. O americano é um atleta mais veloz e tem mais habilidade na troca de golpes para mandar o inglês para a lona, o problema mesmo é apostar que Walt vai ser competente ao ponto de não ser nocauteado pelo inglês, que será favorecido caso o combate dure 15 minutos. Ainda aposto em nocaute de Harris no primeiro assalto.

Peso Mosca: #11 John Moraga (EUA) vs. #15 Magomed Bibulatov (RUS)

Magomed Bibulatov

Um dos lutadores que já desafiou o cinturão de Demetrious Johnson, John Moraga (17-6 no MMA, 6-5 no UFC) não viveu grandes momentos após sua chance pelo título, inclusive perdendo três lutas em sequência e tendo seu emprego salvo após uma vitória sobre o limitadíssimo Askhan Mokhtarian. Com base no wrestling, onde chegou a participar da primeira divisão da NCAA, Moraga também tem boas características do boxe e do jiu-jítsu no seu jogo. O problema de Moraga é a sua falta de velocidade em relação aos novinhos da divisão, mas é uma boa escada.

Um top 10 do futuro, Magomed Bibulatov (14-0 no MMA, 1-0 no UFC) chegou no octógono espancando Jenel Lausa, e o UFC lhe concedeu a chance de medir forças contra um atleta mais experiente. Em pé, Bibulatov é um lutador bem legal de se assistir, com uma movimentação constante, base no caratê e uso de diversos chutes, inclusive frontais e giratórios, que são pouco bem aproveitados no MMA.

John Moraga vs Magomed Bibulatov odds - BestFightOdds
 

O embate entre Bibulatov e Moraga deve ser um dos mais legais da noite. O russo provavelmente entrará sem muita pressão, tentando impor o seu jogo logo de início com os bons chutes baixos para controlar a movimentação de Moraga, que tentará buscar uma queda, mas não acredito que o americano consiga derrubar Magomed, que deve vencer por decisão unânime dos juízes.

Peso Médio: #13 Thales Leites (BRA) vs. Brad Tavares (EUA)

Thales Leites

Aos 36 anos de idade, Thales Leites (27-7 no MMA, 12-6 no UFC) se consolidou como um top 15 no UFC ao impedir a subida de lutadores medianos e acabar perdendo para lutadores em um nível maior, como foi o caso de Michael Bisping e Gegard Mousasi. Em sua última luta, se arriscou na trocação e obteve sucesso contra Sam Alvey. Grappler de origem, Thales tinha problemas para variar o jogo no início da carreira, mas conseguiu melhorar o trabalho de mãos ao longo do tempo, inclusive se mostrando um lutador bem potente e com totais condições de se dar bem contra o baixo nível da divisão. Mesmo assim, sua especialidade é o jiu-jítsu, onde se destaca pelo controle de posição e pelo katagatame justo.

Houve um tempo em que Brad Tavares (15-5 no MMA, 10-4 no UFC) era um provável nome de renovação para o peso médio, mas as surras levadas contra Yoel Romero, Tim Boetsch e Robert Whittaker acabaram freando sua ascensão. Vitórias contra Caio Magalhães e Elias Theodorou o colocaram de volta ao bolo que quer entrar no top 15 dos médios. Conhecido por combates não muito emocionantes, Tavares tem as combinações de socos e chutes como o seu carro-chefe na luta em pé. Sem muita potência, ele tem um wrestling até decente, que foi suficiente para bater nomes como Theodorou e Magalhães.

Brad Tavares vs Thales Leites odds - BestFightOdds
 

Leites já mostrou recentemente que não está mais no seu auge da forma física, o que dificultará uma nova arrancada ao top 10 da divisão, mas ele ainda é lutador suficiente pra se manter no top 15 e para vencer Tavares. A expectativa é que o brasileiro comece a ditar o ritmo na luta em pé com chutes baixos e curtas combinações, mas não deve demorar muito pra partir para a luta agarrada, onde deve controlar a maior parte do duelo para vencer por decisão unânime dos juízes.

Peso Mosca: Matt Schnell (EUA) vs. Marco Beltran (MEX)

Enquanto Demetrious Johnson tenta bater um recorde na luta principal, Matt Schnell (10-4 no MMA, 0-2 no UFC) tenta manter o seu emprego no UFC. O peso mosca americano foi um dos participantes do The Ultimate Fighter 24 e ainda não teve sorte no octógono, sendo nocauteado em suas duas lutas contra Rob Font e Hector Sandoval. Faixa-preta de caratê e campeão do Golden Gloves no estado de Louisiana, Schnell tem uma base bem interessante em pé, com movimento de cabeça constante, troca de bases, contra golpes e um bom trabalho de mãos. No solo, é faixa roxa de jiu-jítsu e é um lutador bem versátil, buscando finalizações de todas as posições e com destaque para a sua pegada no braço dos adversários.

Um dos remanescentes da primeira edição do TUF América Latina, Marco Beltran (8-5 no MMA, 3-2 no UFC) até conseguiu ir longe no UFC por conta de algumas decisões bem contestáveis dos juízes, mas a situação ficou um pouco mais delicada após as derrotas pra Joe Soto e Deiveson Figueiredo. Em pé, Beltran exibe características do muay thai, com uso dos chutes baixos para pontuar. O chão já se mostrou como o calcanhar de aquiles nas derrotas recentes.

Marco Beltran vs Matt Schnell odds - BestFightOdds
 

Schnell é o favorito para a luta que abre a noite. O americano deve começar a luta mais ligado, utilizando jabs para controlar a distância se movimentando bastante de forma circular. Beltran dificilmente vai conseguir lidar com o ritmo de Matt em pé, e Schnell também tem a vantagem no solo, onde pode conseguir uma finalização no segundo assalto.

  • Binho Vianna

    Você desenterrou Tong Po e jogou nos ombros da brasileira essa responsabilidade enorme de fraturar a perna da americana.

    • Gabriel Carvalho

      Joguei não.

  • James sousa

    Card preliminar com vários nomes que estão nas apostas para top 10 no futuro
    Dusquesnoy, vannata , Poliana Botelho

    • João Gabriel Gelli

      Bibulatov também.

    • Binho Vianna

      bem observado.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Acho que o Lentz tinha que descer novamente, lá ao menos ele foi top 15, e por mais que não goste do Walt Harris é obrigação vencer Godbeer, representação do que é a categoria fora do ranking, e até tinha esquecido da luta do Brad Tavarezzz…

    • Gabriel Carvalho

      Foda pro Lentz é que o corte pra 66 desgasta muito, e acho que ele não se manteria como top 15 não.

    • Gabriel Carvalho

      Sinta-se respondido em relação ao Nik Lentz no peso pena hahahahaha

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        100% agora kkk

  • Rafael Maia

    Corrige aí!: “um grande TESTA de fogo”