UFC 204: Bisping vs. Henderson 2 – Prévia do Card Principal

O UFC 204, disputado em Manchester, será a primeira edição em pay per view na Europa, com duelos que prometem movimentar as categorias dos médios até os pesados.

Pela quarta vez em Manchester, na Inglaterra, a Manchester Arena receberá a primeira edição de pay per view do UFC em solo europeu desde 2009. O UFC 204, que será disputado neste sábado, traz a primeira defesa do cinturão do inglês Michael Bisping contra o veterano de guerra Dan Henderson, em combate que pode marcar ainda a despedida de um dos ícones da antiga geração de lutadores.

Imediatamente antes, Vitor Belfort tentará uma nova corrida rumo ao cinturão, mas Gegard Mousasi tentará impedi-lo. O evento terá ainda um explosivo duelo de potentes nocauteadores que farão o octógono tremer quando Ovince St. Preux ficar frente a frente com Jimi Manuwa.

Abrindo a porção principal do card inglês, Mirsad Bektic volta à ação contra Russell Doane. Logo após, Stefan StruveDaniel Omielańczuk medirão forças para ver quem segue subindo o ranking da divisão mais pesada do UFC.

Como de costume, o canal Combate exibirá o evento na íntegra. A transmissão local está marcada para iniciar às 19:30h, com o card principal previsto para começar às 23:00h. Por conta do fuso horário, isso significa que, na Inglaterra, o card principal iniciará às 3 da manhã, para adequar ao horário nobre da TV americana.

Cinturão Peso Médio: C Michael Bisping (ING) vs #13 Dan Henderson (EUA)

Michael Bisping

Michael Bisping

Certa vez, um sábio colunista do MMA Brasil disse que aproximava-se uma era onde o trabalho duro aliado ao talento suplantaria o talento sem o trabalho duro. Essa era chegou e Michael Bisping (29-7 no MMA e 19-7 no UFC) é uma das personificações. Aos 37 anos, o inglês, funcionário antigo do UFC, mostrou que ainda era capaz de evoluir e acabou com todas as piadas não só de ser o lutador mais vitorioso a nunca ter disputado o cinturão como as que o acusavam (injustamente) de ter “mãos de almofada”.

Campeão do longínquo TUF 3, o “Conde” surpreendeu o mundo ao enviar Luke Rockhold para a vala mais profunda com um nocaute avassalador ainda no primeiro round do UFC 199, fazendo o então campeão pagar por subestimá-lo e vingando de forma fantástica a humilhante derrota sofrida pouco mais de um ano antes, com uma guilhotina de uma mão. De quebra, Mike igualou o recorde de Georges St. Pierre de quem mais venceu no UFC. Neste sábado, ele igualará o de quem mais atuou na organização.

Depois de emendar uma seqüência de três vitórias, que culminou com um triunfo sobre Anderson Silva, antes de disputar o cinturão, chegou a hora de Bisping tentar vingar mais uma de suas derrotas. Para isso, o inglês conta com um conjunto completo de habilidades, baseadas principalmente em seu kickboxing muito técnico e preciso, de boa e intensa movimentação e alto volume. O chão é bem desenvolvido quando cai por cima e ele trabalha bem no ground and pound, escorado por um wrestling de bom nível também. Tivesse Bisping um pouco mais de punch, seria multicampeão e um dos melhores peso por peso – quem discordar é hater. Seu trash talking também é muito bem treinado, o suficiente para capitalizar uma oportunidade de fazer dinheiro à beira da aposentadoria.

Dan Henderson

Dan Henderson

Algumas vezes o UFC é capaz de coisas que ninguém imagina. Escalar o veteraníssimo Dan Henderson (32-14 no MMA e 9-8 no UFC) para disputar o título vindo de apenas quatro vitórias nas últimas 10 lutas é muito mais um prêmio pelos serviços prestados ao MMA (nem ao UFC é, pois seu desempenho na organização não é muito bom) do que mérito esportivo de alguém que já deveria estar aposentado.

No entanto, não há como negar que Hendo foi (no passado) um dos maiores nesse esporte. Desde 1997 tomando soco na cara, o que lhe custou o pivô, é o protótipo do lutador “veroz” (feroz + veloz) de antigamente, que chegou a conquistar o cinturão do extinto Strikeforce, um torneio no UFC e de ser o único na história dos grandes eventos a ostentar dois cinturões simultaneamente, como ele fez no PRIDE. O wrestling olímpico, de quem disputou o estilo greco-romano em 1992 e 1996, também ficou no passado. Hendo atualmente sobrevive do punho direito batizado pelo Pazuzu, conhecido pela alcunha de “H-Bomb” (ou Bomba H), que também já trabalha em piloto automático. Às vezes funciona (Shogun que o diga), mas o torna previsível e fácil de lidar a esta altura de sua carreira.

Dan Henderson vs Michael Bisping odds - BestFightOdds
Fosse essa luta uns 15 anos atrás e teríamos um excelente duelo. Em uma das disputas de cinturão mais sem sentido da história, Bisping não deve ter dificuldades para vingar essa derrota de seu cartel e de quebra defender seu título. Para isso, só precisa tomar cuidado com a direita de Hendo, o que não deve ser problema para um jovem senhor ainda em boa situação física. A diferença de quase 10 anos de idade pode pesar, o que me parece ainda mais surreal ao lembrar que Bisping já tem 37. A parte boa do confronto é que provavelmente será a última luta da brilhante carreira do simpático banguela, pro seu próprio bem. Bisping vai dominar a movimentação, golpear e sair do raio de ação do punho direito e vai fazer isso até cansar o oponente e conseguir brechas para um nocaute ou finalização, o que deve acontecer lá pela segunda metade do combate.

Peso Médio: #5 Vitor Belfort (BRA) vs #9 Gegard Mousasi (HOL)

Vitor Belfort

Vitor Belfort

Goste você ou não deste cara que é capaz de despertar o amor e o ódio nos fãs mais assíduos de MMA, o “Fenômeno” Vitor Belfort (25-12 no MMA, 14-8 no UFC) também possui uma carreira majestosa no MMA. Começou ainda antes que Dan Henderson, mas aos 39 anos, o carioca parece se aproximar do fim depois que levaram o TRT embora de sua vida.

A explosão, marca registrada desde o início de sua carreira, que tornava o boxe técnico, preciso e bem alinhado, simplesmente matador, diminuiu. E mesmo quando passou a usar mais a tática, Belfort sentiu a falta de uma das suas principais habilidades, mas o tempo é cruel e querendo continuar sua carreira e executar uma nova caminhada para o cinturão, vai precisar lidar com isso.

O corajoso faixa preta de Carlson Gracie encorpou seu jogo com um kickboxing plástico e potente, mas não melhorou suas falhas defensivas, nem seu condicionamento cardiorrespiratório, o que me parece improvável a esta altura da vida. O wrestling não evoluiu e ainda é derrubado facilmente, o que o fez ser tratorizado por Weidman e Jacaré, intercalando com duas vitórias sobre Dan Henderson. E a última vez que se viu Belfort colocar a faixa preta em jogo foi na derrota para Jon Jones, disputando o cinturão da categoria de cima.

Gegard Mousasi

Gegard Mousasi

Dividindo o trabalho de lutador com o de colunista de MMA, Bruno Sad… Gegard Mousasi (39-6-2 no MMA, 5-3 no UFC) chegou cheio de expectativas ao UFC com as cintas do Dream e do Strikeforce. Na estreia, que seria contra Alexander Gustafsson, viu o oponente ser substituído por Ilir Latifi e acabou por vencê-lo tranquilamente. Baixou para os médios, onde foi recepcionado com derrota por Lyoto Machida. Venceu Mark Muñoz antes de participar de uma clínica de jiu-jítsu de Ronaldo Jacaré. Quando emendou duas vitórias e todos achamos que iria deslanchar, uma surpreendente derrota para Uriah Hall deixou um enorme ponto de interrogação pairando sobre a cabeça do iraniano-holandês. A recuperação veio no UFC 200, com nocaute sobre Thiago Marreta.

A caixa de ferramentas do “Apanhador de Sonhos” é uma das mais vastas do plantel do UFC. O boxe e o muay thai muito técnicos, moldados na lendária Golden Glory, aliam-se à faixa preta de judô, que começou a praticar ainda na infância. A trocação é muito técnica e potente, combinando muito bem os golpes em linha, sejam socos retos, angulados ou chutes, o que costuma causar estragos por aí. O wrestling é decente e o jiu-jítsu defensivo, apesar de não ser ruim, precisa melhorar – ainda que Jacaré não seja muito parâmetro para testar o jiu-jítsu de ninguém. Soma-se a isso a inteligência tática e o sangue frio, que o faz ter a mesma cara em qualquer situação do combate, e temos um bom lutador, completo e perigoso aos 31 anos.

Gegard Mousasi vs Vitor Belfort odds - BestFightOdds
Acredito que as surpresas ficarão fora do octógono durante esta luta. Todos sabemos que as maiores chances do brasileiro residem em sua explosão inicial. Resistindo a ela, quando fatalmente defenderá alguns socos com aquela cara de que não está acontecendo nada, Mousasi deve aproveitar o oponente de gás curto para dominar o restante do combate a partir da metade do primeiro round até ter seu braço levantado na leitura das papeletas.

Peso Meio-Pesado: #5 Ovince St. Preux (EUA) vs #8 Jimi Manuwa (ING)

Ovince St. Preux

Ovince St. Preux

Escalado de última hora para disputar o cinturão interino contra a besta-fera (dêem o sentido que quiserem a isso), após Daniel Cormier lesionar o pé e sair da luta, Ovince St. Preux (19-8 no MMA, 7-3 no UFC) não teve chances mesmo contra um receoso Jon Jones. O ex-Strikeforce é um lutador talentoso e… só! Não é genial, provavelmente não será campeão, mas faz um papel decente no ranking da categoria já devastada por Jones. Aos 33 anos, ele vinha de oito vitórias nas últimas 10 lutas antes de perder para Jones. Ou seja, sempre que foi alçado aos leões e pegou lutadores de elite, perdeu. Foi assim com Jones, Glover Teixeira e Ryan Bader.

Grande e forte, o filho de imigrantes haitianos jogou futebol americano pela universidade do Tennessee, onde também praticou wrestling e atletismo. Isso lhe garantiu um bom condicionamento cardiorrespiratório, que muito o auxilia neste esporte de combate. Tem um kickboxing solto, derruba bem e trabalha com muita potência o ground and pound. Quando está por cima, OSP ainda costuma tirar da cartola algumas finalizações, como as que dizimaram Ryan Jimmo e Nikita Krylov.

Jimi Manuwa

Jimi Manuwa

Já faz mais de um ano desde a última vez que Jimi Manuwa (15-2 no MMA e 4-2 no UFC) pisou no octógono. A grande verdade é que as expectativas sobre o nocauteador inapelável, que chegou arrasando com 13 nocautes em 14 lutas antes de perder a invencibilidade contra Alexander Gustafsson, nunca se confirmaram. Aos 36 anos, Jimi já dá mostras de sentir os efeitos da idade, principalmente no queixo, que já foi mais confiável, mas que o deixou na mão nos nocautes para o próprio Gustafsson e para Anthony Johnson, ainda que este não seja parâmetro de testes de queixo. Uma vitória contra Jan Blachowicz intercalou essas derrotas, mas não empolgou ninguém.

Kickboxer muito técnico, o “Poster Boy” tem uma força descomunal, seja socando ou chutando. Aplica chutes altos com a mesma desenvoltura que eu bebo um copo d´água. Por ser muito forte, trabalha bem no clinch, mas não tem o hábito de levar seus combates ao chão, fato este que prejudica a avaliação de seu jiu-jítsu. O condicionamento cardiorrespiratório ainda deixa a desejar e, nessa idade e depois de tanto tempo fora de ação, isso definitivamente pode ser um problema.

Jimi Manuwa vs Ovince St. Preux odds - BestFightOdds
Estou procurando controlar as expectativas para esta luta. Quando dois trocadores potentes se encontram, a tendência é que se respeitem em demasia e o duelo se torne monótono. Ambos são técnicos e potentes, mas Manuwa leva vantagem no kickboxing, o que o favorece para jogar na longa distância, enquanto OSP é melhor no boxe. Uma coisa é certa: se o punho de alguém entrar no rosto desavisado do oponente, a barba vai parar de crescer.

St. Preux ainda tem a seu favor o wrestling, que pode fazê-lo ter vantagem no clinch, derrubar e controlar por cima, o que faz com muita competência. O combate pode ter contornos emocionantes se eles decidirem trocar socos como se não houvesse amanhã, fazendo a aposta virar loteria. Porém, como acho que isso é improvável, OSP deve se aproximar com cautela, desgastar o oponente no trabalho de grade, eventualmente derrubar e trabalhar o ground and pound. O nocaute sobre o cansado adversário virá no terceiro round ou o conduzirá à uma vitória por decisão.

Peso Pesado: #12 Stefan Struve (HOL) vs #14 Daniel Omielańczuk (POL)

Stefan Struve

Stefan Struve

Aos 28 anos, Stefan Struve (27-8 no MMA, 11-6 no UFC) não pode mais ser considerado um prospecto. Assim o era quando despertou a esperança nos corações mais aflitos para renovar a categoria mais envelhecida do MMA mundial. Porém, após 11 anos de carreira e com nomes importantes no currículo, o holandês já pode ser considerado uma realidade em modo de reinvenção.

Depois de ter seu maxilar quebrado em três pontos pela besta Mark Hunt, interrompendo sequência de quatro vitórias, um problema no coração quase encerrou precocemente sua carreira. Quando enfim conseguiu retornar, após quase dois anos, foi dizimado por Alistair Overeem. Struve então aposentou Rodrigo Minotauro e deveria ter aposentado Antonio Pezão também. Entre essas vitórias, foi amarrado por Jared Rosholt.

Como bem disse Alexandre Matos certa vez, “Struve é todo errado”. Nasceu e mora na Holanda, um dos principais pólos do muay thai no planeta, mas é especialista no jiu-jítsu. Tem uma envergadura do tamanho da de Jon Jones, mas até pouco tempo mostrava enorme dificuldade de utilizar o jab e manter distância (não se deixe iludir pela luta contra o quase nada móvel Minotauro). Curiosamente, tem bom poder de punch – já nocauteou o atual campeão Stipe Miocic -, mas não confia muito nele. O Arranha-Céu ainda precisa melhorar o muay thai e confiar mais em seus punhos, caso queira ir além. Condições e idade para isso não lhe faltam.

Daniel Omielanczuk

Daniel Omielanczuk

Na terra arrasada que é a categoria dos pesados, não dá para desprezar qualquer sequência de três vitórias, e Daniel Omielańczuk (19-5-1 no MMA, 4-2 no UFC) tem uma dessas. Ele enfileirou três barangas™, recuperando-se das duas derrotas que sucederam a estreia vitoriosa em lutas monótonas. Aos 34 anos, não seria incomum ser considerado um prospecto nesta categoria.

O polonês foi moldado na selva da trocação, começando ainda criança no caratê, passou pelo kung fu wushu, pelo muay thai e pelo kickboxing. Porém, quando se juntou ao time do compatriota Paweł Nastula, campeão olímpíco de judô em 1996, passou a tomar gosto pela luta agarrada. Isso produziu um grappler de boa qualidade, que é capaz de nocautear na média e na longa distância e que deve ser suficiente para  manter sua posição recém-conquistada no ranking, mas não para almejar vôos muito maiores em direção ao top 5. Daniel foi escalado para esta luta há um mês, em substituição a Ruslam Magomedov.

Daniel Omielanczuk vs Stefan Struve odds - BestFightOdds
Este é um bom teste para ver se as habilidades recém-adquiridas por Struve usando os punhos e os chutes não foram obra da falta de mobilidade de Minotauro. O polonês, que não é conhecido pelo poder destruidor, cabe no defeito que o holandês tem de ficar suscetível no combate na curta distância.

Para Omielanczuk, a chave é apostar na agressividade, pressionando Struve em busca de invadir seu raio de ação, seja para trocar no pocket ou para tentar derrubar e cair por cima. E, se o combate for para o chão, poderemos ter ação de nível melhor do que a maior parte das lutas da divisão. Porém, a aposta é que o holandês imprima um alto volume de golpes e leve a vitória por decisão.

  • Roberto Amado

    Biping leva sem maiores problemas, vai cansar o banguela e finalizar a luta. Acho que o Mousasi tb leva sem maiores percalços, mas se fosse pra apostar num bolão iria de Belfort, só pra quebrar a banca… Apesar de não achar que vai acontecer, a mão do brasileiro ainda é perigosa e ele é uma boa zebra a se apostar.
    De resto vou com o Cachapuz, St-Preux e Struve.

  • Beto Magnun

    Acho que Bisping só perde se der uma de estrela que nem o Rockrold, mas a essa altura apesar de falar demais ele já mostrou mais de uma vez que é focado e segue suas táticas a risca. Deve rolar um replay de Bisping vs Cung Le.
    Difícil apostar no Belfort depois das últimas performances. Um lampejo contra o Weidman e receoso contra Hendo e Jacaré. Como o pastor gosta de entregar a paçoca quando o caldo engroça vou de Bruno por nocaute.
    E Struve vai ser amarrado e nocauteado.

  • Leandro Coco

    Cachapuz, puxei a referência “Pazuzu” do filme “O Exorcista 2” … hahahahahahaha
    Não me lembro de ter visto algum demônio sendo chamado dessa forma em outro lugar.

    • Anderson Cachapuz

      De nada! rs

  • Saulo Henrique

    Daniel sopa de letrinhas leva, Bruno, digo, mousasi transforma o pastor em farelo; e o banguela idoso só leva se o conde for burro ao extremo..ou der azar da bomba achar seu queixo.

  • James sousa

    acredito que o conde vai mostra porque tem fama de maratonista vai cansar o Hendo e conseguir um nocaute no quarto round ,estilo contra o Cung Le

  • Weslei Alvarenga

    Bisping msm sendo calejado é inédito q lhe esteja nessa situação. O inglês sente a pressão e a H-Bomb vai abrir uma cratera em Manchester, encerrando a carreira de forma q até a ficção dúvida e ateu fica lendo a bíblia.

    Brun-Mousasi vai na estratégia, bota no chão e TKO via ground and pound.

    E as lutas mais iradas do card tão no preliminar : Tumenov x Edwards, Santos x Martins e Marajó x Picked.
    E até q enfim o Bekict volta a lutar, é um desperdício de talendo ele ficar sofrendo com lesões.

    https://uploads.disquscdn.com/images/13092f13b1c103bdef5173563683c64e785ea1ec4f0abb333d403319c2cec23a.png

  • Marcos E

    Posso estar enganado, mas os caras conseguiram fazer um cruzamento de lutas isentão. Esses 8 são todos rankeados, mas se qualquer um dois 8 lutadores ganhar, parece que nada muito significativo vai acontecer nas suas respectivas categorias. Quer dizer, se o Dan Henderson ganhar, vai trocar o campeão dos Médios e isso seria significativo… …mas isso seria tão absurdo, que é melhor eu nem pensar nessa barbaridade.