Por Alexandre Matos | 12/07/2009 13:32

Na revanche aguardadíssima do UFC 100, o gigante Brock Lesnar mostrou que veio para marcar seu nome na organização. Mostrou evolução técnica e as conhecidas postura de wrestling afiadíssima e potência na mão direita tamanho XXXL, que causa pânico aos adversários. E mais do que isso, mostrou ser capaz de anular o jogo de chão de um especialista como Frank Mir.

    Brock Lesnar (EUA) venceu Frank Mir (EUA) por nocaute técnico (1:48, R2)


Não sabemos ao certo qual seria a tática de luta de Mir. O que sabemos é que Lesnar a anulou. Mir buscou o centro do octógono no início e ficou quicando, tentando confundir Lesnar. Mas com menos de 40 segundos Brock, com um direto, abriu caminho para quedar o campeão interino e deixá-lo na meia-guarda. Frank tentava desesperadamente sair daquela situação para não ser alvejado pelo ground and pound frenético de Brock. Sem mostrar a afobação do primeiro encontro entre ambos, Lesnar pesou seu corpo imenso em cima de Mir e dominou o pescoço do adversário, que ficou sem ter como sair. Com o quadril, braço direito e pescoço travados, Mir foi castigado com duros socos no rosto e no corpo. Frank tentava se defender com a mão esquerda, mas Lesnar também a controlava de modo magistral. Faltando um minuto para o gongo, Frank conseguiu libertar os braços, mas não conseguia raspar o gigante deitado sobre ele e continuava sendo punido. Pela nossa contagem, Lesnar venceu com autoridade o round inicial por 10-9, deixando o adversário com o rosto ensanguentado, mas sorrindo (talvez por nervosismo).

O segundo começou com Mir fintando uma tentativa de entrada de Lesnar, parecendo um toureiro. Mas Brock voltou como uma locomotiva e aplicou um double-leg com imensa facilidade. Surpreendentemente Lesnar deixou Mir se levantar. Frank tentou pressionar soltando jabs e diretos, avançando contra Brock, tentou pegar o pescoço, mas Lesnar se soltou e prendeu uma perna de Mir, que tentou uma joelhada voadora com a outra perna mas caiu na meia-guarda novamente. Então Lesnar imprimiu o mesmo cenário de terror do round anterior. Com o quadril travado, Frank não conseguia sair daquela situação e, pressionado contra a grade, recebia violentos socos de direita no rosto. Quando não mais conseguia se defender, a árbitro Herb Dean encerrou o massacre.

Depois da exibição dominante, começou o circo do ex-ator de telecatch. Muito vaiado pelo público presente, Lesnar fazia gestos obcenos com o dedo médio de ambas as mãos. Olhando para a câmera lateral, começou a urrar, chegando a babar e deixar cair o protetor bucal. Na entrevista a Joe Rogan, enquanto era vaiado não parava de repetir “eu amo isso, continuem!”. Depois, como se tivesse no WWE, gritou para Frank, dizendo que “eu avisei há um ano atrás, Frank Mir agora tem uma ferradura marcada em sua bunda”. Mas a idiotice chegou ao ápice quando falou, apontando para o centro do octógono, que exibia o logo de uma das patrocinadoras do evento:

“Vou para casa beber Coors Light, porque a Bud Light não me paga nada. Hoje à noite vou sentar com meus amigos e minha família e depois vou montar na minha esposa. Vejo vocês mais tarde.”

Frank Mir foi mais racional em sua declaração:

“Eu cometi um erro idiota, deixei um cara forte como ele dominar o meu punho.”

Brock Lesnar precisa entender a diferença entre promover uma luta (e o esporte) e fazer este espetáculo dantesco que achamos graça nas encenações do telecatch, mas que não combinam com esporte sério e profissional como o MMA. Desrespeitar o patrocinador principal do evento que paga seu salário e, pior ainda, desrespeitar as pessoas que pagaram ingresso ou pay-per-view, também colaborando com o pagamento do salário do lutador, não deve ser tolerado.

É por estas e outras que Dana White está tão desesperado para contratar Fedor Emelianenko

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.