TUF 26, Episódio 6: Antiguidade ainda é posto

Fala galera! Estamos de volta no maior (loading…) e melhor portal de MMA do Brasil para o sexto episódio do The Ultimate Fighter 26: Uma nova campeã mundial, o reality show do UFC.

Depois de Nicco Montaño inaugurar o score para as zebras, Sijara Eubanks se tornou a segunda da temporada. Ok, não era necessariamente uma zebra, mas era a décima segunda do ranking enfrentando a número 5, Maia Stevenson, esposa do “Big Daddy” Joe Stevenson, campeão da segunda temporada do programa. Eubanks teve que cortar as madeixas para bater o peso e descontou toda essa raiva e frustração no octógono.

O episódio de hoje reserva muita expectativa por conta da estréia da maior favorita do programa, apesar de ter sido ranqueeada em segundo lugar. Barb Honchak estreia com todos os holofotes voltados para si, enfrentando a promessa ruiva Gillian Robertson, 15ª do ranking. Então vamos conferir o que rolou?

LEIA MAIS: TUF 26, Episódio 5: Debaixo dos caracóis dos seus cabelos…

O episódio começa com Rich Pohler, preparador físico de Eddie Alvarez, que foi convidado para dar um treinamento para as meninas do time verde. Alvarez disse que seu condicionamento físico é o motivo de poder ser imprudente no octógono, se expondo a golpes e podendo se arriscar mais.

Lauren Murphy, ainda muito magoada pelo tratamento do técnico, discorda dos métodos de Alvarez. Diz que ele não acredita em overtraining mas ela, embasada por vários especialistas, acredita, e prefere os técnicos que exploram e trabalham as qualidades de seus lutadores. Em seu contraponto, Barb Honchak está tão animada que chega a estar arrepiada.

Barb foi a primeira campeã peso-mosca do Invicta. Começou sua carreira muito tarde, em 2009 aos 30 anos. Aos 37 anos de idade e sem lutar há dois, Dana White dá a entender que este foi o motivo de sua posição inicial na competição. Ela diz que ainda não está pronta para deixar a adrenalina dos combates e aos 37 anos, ajustou algumas coisas em seus treinos e se sente melhor do que aos 35 em sua última defesa de título.

Do outro lado do octógono disputando uma vaga, estará Gillian Robertson. Com apenas 22 anos de idade, hoje ela divide a casa com várias lutadores das quais é fã. Dana a define como uma promessa, com um bom jogo de solo e técnicas refinadas de jiu-jítsu a conferir. Gaethje conversa com a moça e diz que ela precisa evitar a trocação e focar em seu jogo de solo.

Justin acredita que jiu-jítsu é uma arte passiva e que não levará ninguém à vitória. E sabe que vai ser odiado pela nação “jiu-jiteira” por isso. E ainda mandou um abraço para os “guardeiros” (Valeu, Carneiro!) dizendo que ela nunca vai finalizar nenhuma luta estando por baixo. Polêmico como mamilos.

Uma pausa para um pouco de drama: Melinda Fabian chora na área externa da casa porque está deprimida. A moça não sabe o que esperar e está triste porque não acredita em suas próprias habilidades (acho que alguém precisa mostrar vídeos do Leonard Garcia para ela), e não consegue treinar direito por conta de uma dor nas pernas oriunda de uma lesão anterior não curada. Por este motivo ela vai ao Centro de Performance do UFC para se consultar com a médica.

A Dra. Heather, diretora de fisioterapia, detecta uma pequena distensão na parte traseira de sua coxa e sugere o tratamento de “ventosaterapia”. A moça fala lenta e pausadamente, indicando que talvez possa ter uma distensão no cérebro também.

Vamos falar um pouco de Barb: É casada há 20 anos e mudou-se para Whashington há 2. Treina com Eddie Grant na Catalyst MMA. Começou a treinar jiu-jítsu para manter a forma junto com o marido e aos 6 meses de treino aceitou uma luta, tomou uma surra e se apaixonou pelo esporte. Mestre em genética ecológica, trabalhava na universidade de St. Louis como técnica de laboratório e largou tudo para se dedicar à luta. Junto com o marido, ela possui um projeto de velejar ao redor do mundo com seus dois pitbulls marujos. Ao se mudar, vendeu a casa e comprou um barco maior. Louie, um dos animais, está com câncer e é provável que não sobreviva para a empreitada. Barb ainda chora, pois vai se ausentar para gravar o programa e é provável que não o encontre mais em seu retorno. Um pouco de suor hétero caiu no canto do meu olho esquerdo. Quem tem um cãozinho em casa vai entender um pouco do que ela sentiu neste momento.

Nota do Autor: Barb estava certa. Louie se foi assim que ela partiu para as gravações do programa, de acordo com o instagram da lutadora.

 

A tímida e recatada Gillian se sente em casa no tatame. Começou a treinar kickboxing aos 16 anos, literalmente do nada, uma vez que nunca viu nenhum filme sobre isso (Van Damme está puto neste momento) e nem uma luta do UFC e então, aos 18 anos, seu técnico perguntou se ela queria fazer uma luta. Mostrou um vídeo de seu treinador anunciando sua entrada para o TUF. Quando começou os treinos de kickboxingm ela jurava que nunca vestiria um quimono e queimou a língua. Também tem um pitbull, Robin, que divide sua casa com os pais e o irmão mais velho (além de outros dois cães e três gatos), além de fazer trabalho voluntário em uma ONG de animais com a família desde os 7 anos.

Alvarez dá uma atenção especial na academia para sua favorita. Ele não quer mudar Barb e tenta agregar algo, já que a considera uma lutadora completa Honchak rolou um pouco com Robertson durante os tryouts, e seu plano é castigar um pouco na trocação até conseguir finalizar a luta, em pé ou no chão.

Pesagem Oficial

A primeira a subir à balança é Barb. Seca como um galho de árvore, Honchak anota 123,5lb (56,7kg). Robertson sobe e marca o mesmo peso. A encarada é, mais uma vez, tranquila. As colegas de time apostam na experiência de Barb e as do time azul apostam na inatividade de Barb a favor de Gillian.

Barb fala um pouco sobre a pressão de lutar. Em sua opinião, ela não existe e é algo que vem de fora, dos outros. Já Gillian escreve em seu caderno que vai ser campeã do UFC, tipo o Bart escrevendo no quadro. Hora das promessas para a luta e já vamos resolver a próxima classificada.

#2 Barb Honchak (Team Alvarez) vs #15 Gillian Robertson (Team Gaethje)

Dana White está assistindo a luta ao vivo. Alvarez pede combinações “na barriga flácida”. Que deselegante.

A luta começa já com muita ação e trocação ao centro, com Barb atacando e Robertson respondendo. Não demora muito e Honchak ataca as pernas e arrasta Robertson para a grade. Sai dali no clinch rodando pelo octógono, alternando posição de vantagem com sua oponente. Gillian já possui um leve corte em sua testa.

Barb aposta novamente no clinch e trabalha muito o dirty boxing com golpes no corpo, com Gillian não conseguindo se desvencilhar e finalmente sendo derrubada. Barb trabalha dentro da guarda de sua oponente, que esperneia feito siri na lata e agora deve se lembrar das palavras de Justin, de que não pode vencer por baixo, quando tenta atacar com um armlock para provar que seu técnico estava errado.

Honchak defende corretamente, pesando o corpo sobre a oponente. Gillian quase consegue o giro para esticar o braço, mas a defesa de Barb andando pela grade na posição horizontal foi simplesmente genial. Não só conseguiu sair da posição incômoda como passou a trabalhar em vantagem nos 100kg, golpeando o corpo e a cabeça com socos e cotoveladas fortíssimas, em um furioso ground and pound.

A novinha fica sem saber o que fazer debaixo das marteladas da vovó-garota. O primeiro round acaba e mal sentimos passar de tão bom que foi. 10-9 para Barb.

Alvarez dá o veredicto no intervalo: “Ela está entregue, você está a uma queda de conseguir a vitória”.

Barb avança seguindo o discurso de seu técnico: “Ela quer desistir”, golpeando com jabs, diretos, chutes. Gillian tenta uma queda estabanada e quase consegue derrubar, mas Barb estava esperta e fez bem o sprawl e caiu por cima. A ex-campeã passou a trabalhar na meia guarda feroz com cotoveladas no corpo e partiu para a montada.

A ex-campeã do Invicta FC tentaou atacar o braço, mas Gillian acompanhou o movimento e conseguiu raspar, mas caindo por cima ficou sem saber o que fazer, acabando perdendo a posição e acabando novamente por baixo. A novinha está de novo em apuros, colada à grade e com Honchack montada, golpeando. Então, ao começar a chover cotoveladas, a única saída para o árbitro foi interromper o combate, com Robertson entregue às baratas.

Vitória de Barb Honchak por nocaute técnico aos 2 minutos e 27 segundos do segundo round.

Achei que Gillian resistiu tempo demais contra uma possível campeã da categoria, mostrando que tem muito talento e bom potencial a evoluir ainda. Robertson está calma, sentindo que enfrentou a melhor do mundo e mereceu estar ali com ela. Está correta a moça, mas vai precisar escrever mais algumas páginas de seu caderno até conseguir seu objetivo.

Justin pergunta se ela a fez sangrar e ela responde que sim, e que pela primeira vez, sangrou também. Uma rápida passada no vestiário da equipe verde e Barb está com o cotovelo sangrando, fruto dos fortes golpes disparados pela face de Gillian em seus cotovelos. Parabéns, Gillian.

Faltam duas lutas para concluirmos as preliminares e a competição está empatada: 3 a 3. Barb agora aguarda pela vencedora entre a número 7, a húngara Melinda Fabian e a havaiana Rachel Ostovich, décima colocada, que não mais que por acaso é anunciada como o próximo combate.

Então vejo vocês logo e até breve!

  • James sousa

    Boa Vitória da Barb para mostrar que ela e a grande favorita do TUF