TUF 26, Episódio 3: Todo mundo em pânico

Salve, salve, galerinha do mal ligada no maior (loading…) melhor portal de MMA do Brasil. Estamos de volta para o segundo episódio do The Ultimate Fighter 26 – Uma nova campeã mundial, o reality show do UFC. Sim, eu repeti a linha de introdução depois do retumbante sucesso que foi a resenha do segundo episódio.

Só para relembrar o que todos já sabem, conferimos a vitória de DeAnna Bennett sobre a armênia Karine Gevorgyan, que, sem entender lhufas do que a instruíram, fez tudo ao contrário e sucumbiu no ground and pound da americana e o drama de Emily, que tem problemas nas costelas e está com o futuro incerto na competição. No episódio de hoje, a número 11 Ariel Beck enfrentará a sexta rankeada, Montana Stewart. E sem mais delongas vamos conferir o que aconteceu?

LEIA MAIS: TUF 26, Episódio 2: O que ele está falando?

O episódio começa com foco em Montana Stewart, uma jovem americana de 22 anos e belos olhos azuis do Texas. Fez wrestling na escola por três anos, disputando o campeonato nacional e conquistando um terceiro lugar. Quando ia para a faculdade, engravidou e decidiu ficar mais perto da filha. Então, começou a treinar jiu-jítsu e depois migrou para o MMA. Apesar da pouca idade, já tem 11 lutas em sua carreira. Os mais atentos lembrarão que ela foi a lutadora finalizada na segunda luta de Mackenzie Dern, no Legacy. Justin elogia bastante sua pupila e não vê falhas no seu jogo. Ou foram os socos na cara ou a visão meio estrábica, pois ninguém aos 22 anos de idade tem o jogo perfeito.

Dana White apresenta o UFC Performance Institute, uma instalação criada pelo UFC para servir aos atletas, que conta com tecnologia de ponta, profissionais gabaritados em medicina, fisioterapia, nutrição, entre outras coisas. Um centro bem completo e que foi muito elogiado pelas atletas.

As atenções se voltam agora para Ariel Beck, 26 anos, que também tem belos olhos azuis e está bem feliz por enfrentar Montana, pois ficou temerosa da luta “ser pior”. A moça estava com os nervos a flor da pele e teve crise de ansiedade dentro da academia. Rich Pohler, assistente técnico do time Alvarez tentou conversar com a loira, que citou ter essas crise há longos anos. Só quem já sofre ou já sofreu disso sabe como são difíceis essas crises e qualquer outro tipo de transtorno psicológico.

Murphy aparece dando uma boa força para a colega: “Está todo mundo cansado, mas ninguém acha você fraca por estar chorando. Todo mundo pensa ‘Quero chorar assim também’. Está todo mundo fingindo que nosso lugar é aqui, é tudo muito esquisito aqui”. Bom, vou dizer o que? É no mínimo bem sensato e algo maduro a se dizer.

Eis que Alvarez finalmente percebe a falta de Ariel. Vai até o vestiário e tenta explicar que eles não são normais e fala um pouco sobre quão estressante é o esporte que praticam. Então, falou de seu nocaute em pleno Madison Square Garden lotado e como temeu por este momento. E no dia seguinte tudo estava normal.

Então já que temos, vamos ao Performance Institute obter notícias sobre as costelas de Emily. Ela fez terapia manual, aplicou laser e depois tomou umas agulhadas com acupuntura. O objetivo é melhorar a dor e os sintomas em uma área delicada para tratamento. A menina já encontra-se confiante em poder lutar.

Alvarez usa uma bola para treinar a defesa de quedas de Ariel. Como sua oponente é boa de chão, ele quer evitar as quedas, manter o jogo em pé explorando seu boxe profissional e confiando na defesa de sua pupila no solo. Eddie aposta no desespero de Montana ao ter suas tentativas de quedas negadas, apostando na boa movimentação para tal.

Então, como nem só de treinos é feita a vida, as meninas do time Gaethje começam a “se montar no pó” e se preparam para jogar boliche, com a maquiagem sob o comando de Maia e Rachael. A rodada vale 250 trumps para a campeã, 150 para a vice e 100 para a terceira colocada. Justin quer incentivar a competição.

Pudemos ver que as habilidades das moças são muito maiores lutando. Especialmente a de Karine, que joga tão bem quanto fala inglês. Emily é a única que está olhando por causa de sua costela. Montana jogou por ela e conquistou o terceiro lugar pela colega (e ganhou por si mesma, claro). Rachael foi a segunda. E é claro que isso era imprescindível, não só para vocês saberem mas para conferirem comigo no replay.

Vamos para os videos caseiros: Ariel mora em Montana. Não sua adversária, mas uma cidade do interior. Em sua fazenda, lida com animais o dia inteiro. Foi lá onde nasceu e cresceu. É a caçula de quatro filhos que foram igualmente criados em meio aos cavalos, bois e galinhas, enquanto dirigiam tratores pelo campo e levavam coices de bezerros. Ela treina em Belgrade com Shay, seu namorado, também lutador de MMA.

É a vez de Montana. Sua filha Zaylyn Woods tem seis anos. Ou seja, Montana comeu a merenda antes do recreio, pois engravidou aos 16. Como  há males que vem para o bem, sua filha serviu para lhe dar um caminho e ainda por cima ganhou uma melhor amiga. Preciso citar que a linda mocinha puxou os belos olhos azuis da mamãe. Uma graça. Ela apresentou também o noivo, Marcelo Rosa,  também lutador de MMA com cartel de 9-0 e sua cadela Maya, além de seus pais que a sustentam até hoje.  Sua filha pratica jiu-jítsu  desde os quatro anos e muito em breve estará apta a finalizar Vitor Belfort.

Pesagem Oficial

Ariel Beck é a primeira a se pesar. Crava 57kg (125,75lb). Montana sobe logo a seguir e marca 56,6kg (125,5lb). A encarada é amistosa, com sorrisos em excesso por parte de Ariel, justificando assim seu apelido de “Sunshine” e sorrisos mais tímidos por parte de Montana.

Montana adoraria nocautear, mas sente-se mais a vontade no chão. Ariel quer continuar aprendendo e tornar-se invencível. Então vamos tirar a limpo quem segue na missão e vamos para a luta.

Ariel Beck (Team Alvarez) vs Montana Stewart (Team Gaethje)

A luta começa com Montana avançando com muita fome e Ariel trabalhando bem os contragolpes. O volume é bom de ambos lados, até que a pupila de Alvarez trava a nuca e vai ao clinch. Como Montana se saiu melhor ali, ela soltou e girou pelo octógono até ver um direto de direita explodir em cheio em seu rosto.

Já com o nariz marcado, Beck tentou fugir, mas foi caçada por Stewart, que grudou-a na grade, derrubou e já caiu rolando rumo ao centro do octógono, trabalhando por cima pesando nos 100kg. Beck tenta fugir o quadril, mas sem saída acaba repondo a guarda. A mais jovem americana golpeia para abrir espaços e vai girando, fazendo a transição até encaixar um triângulo de mão. Foi uma armadilha mortal para Ariel, que não fez a defesa correta e acabou batucando aos 2 minutos e 52 segundos.

Stewart comemorou apontando para Dana White pedindo um bônus e ouviu do patrão: “Vamos conversar”, com aquele largo sorriso no rosto que sempre aparece quando não há a menor possibilidade de um juiz fazer besteira com o resultado da luta pois ela acabou.

Justin elogia o fato de Montana ter seguido a estratégia da equipe e comemora o 2-1 no placar a seu favor, enquanto Alvarez consola sua lutadora.

A próxima luta é anunciada por Eddie Alvarez: Lauren Murphy, ranqueada número três, medirá forças contra a número 14, Nicco Montano. Murphy é uma das favoritas de Dana White, velha conhecida do público, uma vez que já passou pelo evento como peso galo, sem deixar saudades com apenas uma vitória em quatro lutas. Montano entra como azarão em busca de abrir vantagem para o time Gaethje.

Então, se você não é americano, vai conferir essa luta com a gente aqui na semana que vem.
Até lá, a caixinha de comentários é de vocês para interagirmos.

  • James sousa

    Gosto da Montana acho que ela pode correr por fora nesse TUF das 4 derrotas dela duas foram para a Mackenzie e outra para a Calvillo

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      Tambem achei ela boa pela luta que vi, por mais que a oponente não seja oposição relevante