TUF 26, Episódio 1: Que comecem os jogos!

Salve salve amigos ligados no MMA Brasil. Calcem suas luvas e coloquem seus protetores bucais que vai…. ops, pera! Errei!

Olá nobres guerreiros ligados no maior e melhor site de MMA do Brasil. Começou esta semana a transmissão para o Brasil da vigésima sexta temporada do TUF 26, que irá coroar a campeã inaugural da categoria dos moscas femininos. Ok, eu sei que nem deu tempo de ficar com saudades, mas ¯\_(ツ)_/¯.

Os treinadores da temporada serão o desvairado Justin Gaethje, ex-campeão do WSOF e atual doido de pedra no plantel do UFC, e Eddie Alvarez, ex-campeão do Bellator e atual bucha de canhão no plantel do UFC. O programa como sempre, ocorrerá em Las Vegas e começa com os tryouts para o programa. Se minha memória não me traiu, é a primeira vez que as filmagens do TUF cobrem com maior riqueza de detalhes as entrevistas e seletivas.

As histórias são diversas, como sempre. A húngara Melinda Fabian chegou a vender o carro para comprar as passagens para Vegas. A americana Sijara Eubanks comprou passagem só de ida de tão confiante que estava. Toda a corte do UFC está reunida na sala com as meninas que inaugurarão a divisão, que será formada por ex-campeãs de outras organizações e meninas inexperientes em início de carreira, tal qual foi o TUF 20 que coroou Carla Esparza como campeã inaugural das palhas. Tem gente subindo de peso, descendo, perdendo, tem de tudo.

Sobrou até um espaço para Roxanne Moddaferi, que já participou do TUF 18 e estava fazendo cosplay de Vegeta de Dragon Ball (ou era um Power Ranger?) ser elogiada por Dana White que ficou feliz em vê-la, assim como sua evolução da dispensa do UFC até aqui. Enfim, foram 16 selecionadas que serão apresentadas assim que Dana apresentar os técnicos e proclamar seu tradicional discurso de abertura.

Er…. pera, parece que temos um problema. OH MY GOD! Dana White está em turnê de divulgação de MayMac e quem faz o discurso é Alvarez mesmo. ERRADO! Há, pegadinha do Mr. White. Ele apareceu em vídeo e deixou o recado para as meninas.

O que ele falou vocês já sabem. O formato do programa também será igual ao TUF 20, então HERE WE GO!

Primeiramente, os técnicos tiveram a oportunidade de fazer sessões de treinos com as participantes antes das escolhas. O primeiro que teve as meninas à sua disposição foi Justin. Ele objetiva separar as que possuem força mental das demais. Metade do grupo treinou boxe e a outra metade treinou grappling e, em paralelo, fizeram entrevistas com os treinadores. A seguir, Alvarez expôs seu plano: observar as meninas em luta, fazendo sparring. Eddie está impressionado com a determinação das meninas.

Vamos então para a seleção das equipes. As meninas carregam um envelope com o seu número no ranking e o ranking de sua oponente. A moedinha vai subir para decidir quem escolherá a primeira lutadora ou a primeira luta da competição, e então os combates serão divulgados, haja vista que já foram casados. A oponente, vai para o time adversário. Alvarez ganhou e optou por escolher a primeira lutadora.

Eddie, que não é bobo nem nada, escolheu Barb Honchak (10-2), primeira campeã do peso mosca do Invicta que foi rankeada como a número 2. Ela enfrentará a décima quinta ranqueada, Gillian Robertson (3-2), a menina dos cabelos ruivos (pintados, claro). Robertson está animada em começar logo de cara enfrentando uma grande lutadora.

Gaethje escolhe a seguir Roxane Modafferi (21-13).  A número 1 do ranking (!!!!!) enfrentará a última, Shana Dobson (2-1). Modafferi está honrada e animada por ser a primeira ranqueada. Dobson define a si como “o segredo mais bem guardado do MMA”. #veremos

Alvarez vai de Lauren Murphy (9-3), número 3 e rosto conhecido dos fãs do UFC, que enfrentará a décima quarta, Nicco Montano (3-2). Justin escolheu Rachael Ostovich Berdon (3-3), décima do ranking, que enfrentará a sétima colocada, Melinda Fabian (4-3-1). Lembram da Húngara que vendeu o carro para comprar as passagens? É ELA! Valeu a pena!

A próxima escolha do time Alvarez é a sargento Sijara Eubanks (2-2), décima segunda colocada e que comprou passagem só de ida para Vegas. Ela vai enfrentar a quinta colocada Maia Stevenson (6-4). Lembram de Joe Stevenson no TUF passado? Pois é, é a esposa dele.

A próxima luta é entre a escolha seguinte de Justin, Montana Stewart (7-4) e seus belos olhos azuis, número seis do ranking que enfrentará Ariel Beck (4-4) e seu belo sorriso, décima primeira. Surpresa por ter sido a penúltima a ser escolhida, DeAnna Bennet (8-3) foi pinçada por Alvarez. Ex-desafiante do cinturão dos palhas no Invicta e número quatro do ranking, ela enfrentará Karine Gevorgyan (3-2), a única lutadora armênia de MMA e número 13 do emparelhamento.

Por último, Emily Whitmire (2-1), número 8, enfrentará Christina Marks, número 9. O chaveamento da competição ficou assim:

A seguir, o anúncio da primeira luta, por Justin: Roxanne Modafferi vs Shana Dobson. Dana aposta muito na trocação de Dobson, que poderá nocautear Modafferi. Veterana nos TUF´s, Roxanne foi elogiada por sua persistência e evolução. O chefão do UFC definiu a moça como um “monstro” com vitórias interessantes no Invicta. Ok, o cartel da “Guerreira Feliz” no Invicta é de 5-2, mas não vejo motivos para tanta empolgação e nem para que a personagem de desenho animado seja considerada a favorita do programa (afinal, é isso que a número 1 é, né?).

Hora de conhecer a casa. Emily pulou na piscina imediatamente. Ela é uma sem-teto (foi ela quem disse, não eu!) e precisa aproveitar bastante. Discursos inflamados de motivação, já chegaram no gás treinando até a noitinha e em breve estarão se xingando. O amor é lindo, a falsidade é o que mata.

Roxanne está animada pois quer mostrar a todos que não é mais “tão ruim” como na última temporada que participou. Ela ficou surpresa pois era a única que acordava entre 5 e 7 da manhã na casa em sua temporada anterior, mas dessa vez tem companhia (mais de uma), mostrando que o elenco está focado no cinturão. Na 18ª temporada, Roxanne perdeu ainda no primeiro combate para a finalista Jessica Rakoczy sendo nocauteada por conta de um bate estaca. Ela fez parte do time de Miesha Tate e irá reencontrá-la, pois esta é uma das técnicas do time Gaethje.

Modafferi conta que o TUF 18 mudou sua vida. Ela morava no Japão e voltou aos EUA, onde entrou para a Syndicate MMA e encontrou em seu técnico  John Wood a salvação de sua carreira. Ela ministra aulas de jiu-jítsu para crianças na academia e quer mostrar ao mundo a nova Roxy. E eu também quero ver se mudou algo ou se continua o mesmo bonecão de posto do TUF 18.

Alvarez observa Shana Dobson em seu treinamento: um jeito estranho de posicionar os pés e uma movimentação com uma velocidade incrível. Então, o foco de seu treinamento é a trocação. Eddie acredita ser inútil treinar chão com Shana, pois Roxy é muito mais experiente no jiu-jítsu que ele, inclusive.

Justin diz que não importa se vencerem ou perderem, que ele está lá para ajudar as meninas a melhorarem. E para isso, apresenta a minha musa, minha paixão, que largou Bryan Caraway por minha causa: Miesha Tate.

Tate bate um papo com sua antiga pupila Roxy e elogia sua evolução, dizendo-se orgulhosa. Confesso que não acompanhei suas lutas no invicta, mas pelos highlights ela não parece mais um robô lutando e isso é bom e me deixa também ansioso para conhecer a “Nova Roxy”, no auge de seus 34 anos. Seu treinador elogia o timing de suas quedas. Não sei vocês, mas se eu fosse lutar contra Roxy eu não iria parar de rir. Ela é muito engraçada mesmo de boca calada.

Pesagem Oficial

A primeira pesagem da temporada começa e Shana inaugura a balança com 125,5lb (56,9kgs). Roxanne vem a seguir e, com um estranho chapéu de Goku, anotou o mesmo peso. Sua posição de número um já é questionada pelas lutadoras. com Sijara apostando em Shana para vencer o combate.

Sijara e Dobson conversam no lounge da casa sobre como seus pais lidaram com suas opções sexuais (ambas são lésbicas). Dobson tem o apoio do pai e sente-se decepcionada pela falta dele na mãe. Os videos caseiros pelo visto também farão parte dessa temporada. No primeiro, Shana mostra a namorada que a auxilia no treino, na alimentação e em todo o resto, sendo assim sua maior incentivadora. Aos 28 anos, ela começou a treinar tarde no MMA. Começou nas artes marciais quando passou dirigindo na esquina de um shopping e viu uma academia de boxe. Experimentou e em 30 segundos decidiu que precisava daquilo.

Então vamos nessa para a luta inaugural da temporada.

#1 Roxanne Modafferi (Team Gaethje) vs #16 Shana Dobson (Team Alvarez)

Dobson começa a luta com sangue nos olhos. Roxanne está com a tradicional cara de estudante nerd da primeira fileira (sem os óculos). O homem de preto autoriza e vamos “pelejar” (sim, neologismo e liberdade poética, obrigado!).

Tocam as lutas e os primeiros 20 golpes de cada lado acertaram o vento, que caiu nocauteado. Na troca seguinte, boa movimentação de ambas lutadoras quando Dobson acerta um cruzado de direita limpo no queixo de Modafferi, que nem se abalou. Roxy avança e tenta uma queda, sem sucesso. Dobson chuta e é advertida pelo seu córner pela falta da finta pedida várias vezes por Eddie.

Roxy avança e chega ao clinch  e de lá consegue a queda. Derruba facilmente e trabalha na meia guarda, não demorando muito para laçar sua adversária como um filhote de cobra com polvo, cheia de braços e apertando todo o corpo. Roxy pesa bem e dispara cotoveladas. Shana tenta escapar e Roxy acompanha o giro, conseguindo a montada junto à grade.

Como siri na lata, Dobson tenta sair dali e se defender do furioso ground and pound da jovem nerd (Ou velha?). Ela vai escorregando rumo ao centro, o que ajuda Modafferi a estabilizar a posição e disparar furiosas cotoveladas em um ritmo frenético.

A um minuto do fim, o árbitro encerra a contenda, para desespero de Shana que reclama que ainda estava se movimentando e estava bem.

Acredito que meu conceito de “estar bem” é extremamente diferente. Bom, pelo menos não amassou muito a lataria.

Modafferi venceu por nocaute técnico aos 3 minutos e 46 segundos do primeiro round. Dana White se empolga e diz que Roxy mandou uma mensagem às demais: “É por isso que eu sou a numero um do mundo”. Roxy mostra um galo na testa e reclama: “Ela bate forte”. Ela agradece os treinos com Tate e eu me apaixono mais por aqui. Shana quer lutar de novo imediatamente. Er… não!

Hora de escolher a próxima luta, prerrogativa conquistada por Eddie Alvarez.

Ele opta por DeAnna Bennett, uma das favoritas do programa, que enfrenta Karine Gevorgyan. Então é com essa luta que vejo vocês já já na resenha do episódio dois, que sai daqui a pouco.

Enquanto isso, fiquem com a caixinha de comentários e participem.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Essa primeira rodada é quase tudo mismatch, tem umas aí que cruz credo…

  • William Oliveira

    Wtf eahuehua já foram 3 episódios no Brasil é mt atrasado, não sei como a galera consegue assistir

    • Rafael Oreiro

      Nós temos que ir fazendo de acordo com a transmissão no Brasil, se não no final acabaríamos passando spoiler pro pessoal que acompanha pelo Combate.

      • William Oliveira

        Sim, claro, vocês estão certos. Eu quis dizer que é difícil entender como a galera aceita isso, o atraso deveria ser no máximo 1 dia ou 2. Ficar sabendo o que aconteceu 2 semanas depois é foda, 2017 haha

        • Rafael Oreiro

          É mesmo, Mesmo estilo do Bellator ficar aceitando transmissão internacional em tape delay. Na era da informação, esse tipo de estratégia é um baita tiro no pé.

  • James sousa

    Minha aposta e na Honchak para vencer esse TUF

    • Anderson Cachapuz

      Pra mim a Honchak enfrenta DeAnna ou Modafferi na final…..

  • Marcio Rodrigues

    Não aprovo muito a ideia de definir um campeão em um TUF. Acho da uma desvalorizada no cinturão. TUF é lugar de novatos e lutadores ruins.

    Fiquei surpreso/decepcionado em ver que a #1 é a Modafferi. De qualquer forma acho que a categoria deve melhorar com a adição de algumas palhas e galos do UFC, e outras moscas perdida por aí.

    • Anderson Cachapuz

      Discordo muito da primeira parte. TUF é e sempre foi um programa que visa o entretenimento. E parta deste ponto para analisar qualquer outra coisa para assim evitar decepções ;)

      E concordo que a categoria deve melhorar pós-TUF….

  • Anderson Cachapuz

    Gostaram do chaveamento que fiz??? Deu um trabalho da porra fazer isso…. hduaehudhuaedae
    Quase meia hora no Photoshop…. mas acho que ficou bacana, né?