Top 10 do Futuro: Peso Galo Masculino

Na sequência do nosso especial Top 10 do Futuro, no qual apontamos candidatos a alcançar o top 10 de suas categorias no UFC, vamos agora de peso galo masculino, a divisão do futuro.

Quando o UFC anunciou a incorporação do WEC e a criação das categorias abaixo do peso leve, o peso galo era muito raso. Dominick Cruz despontava como força, Urijah Faber havia baixado para reforçar a divisão e alguns prospectos como Renan Barão, Joseph Benavidez e Michael McDonald estavam posicionados como as principais esperanças de futuro. Era pouco. No entanto, na época, eu fiz uma previsão que, com a visibilidade do UFC, a divisão ficaria muito fortalecida em dois ou três anos.

LEIA MAIS Top 10 do Futuro: Peso Palha

O TUF 14 foi o passo seguinte. A melhor geração da história do reality show depois da primeira temporada despejou no UFC gente como TJ Dillashaw, John Dodson, Bryan Caraway e Jimmie Rivera (este mais para frente). Com o aumento da competitividade, novos talentos chegaram ou despontaram, como Aljamain Sterling, Raphael Assunção, John Lineker, Marlon Moraes e Thomas Almeida.

LEIA MAIS Top 10 do Futuro: Peso Mosca Masculino

Pronto. A divisão rasa se tornou uma das mais fortes da atualidade. Tirando o peso leve, hors-concours na liderança das divisões e sem a menor previsão de ser desbancada, os galos hoje disputam com os meios-médios e os penas o posto de segunda melhor divisão do mundo. Abaixo, mostramos quatro lutadores que provavelmente vão se misturar à elite, incluindo material para disputa de cinturão no futuro. São os principais lutadores que vão ajudar a manter o peso galo masculino como uma das mais fortes divisões do UFC.

Tom Duquesnoy

Quem é: o francês Tom Duquesnoy chegou ao UFC em 2017 como campeão simultâneo dos pesos galo e pena do BAMMA, uma das mais fortes organizações do MMA europeu, ostentando cartel de 14 vitórias e uma única derrota. Dessas vitórias, sete aconteceram por nocaute e quatro por finalização. O responsável pelo revés foi Makwan Amirkhani, atual peso pena do UFC, que finalizou Duquesnoy quando o francês tinha apenas 19 anos. Tom já está na mira dos especialistas há algum tempo e, há um ano e três meses, foi um dos personagens ilustrados na coluna Radar MMA Brasil, que aponta lutadores com menos de 25 anos que explodirão no MMA mundial.

O que fez no UFC: Duquesnoy fez apenas um combate no UFC. Ele estreou contra Patrick Williams, um teste bastante decente para um jovem prospecto. O francês chegou a passar apuro no combate, mas, assim que colocou os nervos em ordem, desfilou seu imenso talento ofensivo e nocauteou o americano no começo do segundo round com um trio selvagem de cotoveladas seguido de um soco – isso depois de praticamente tê-lo nocauteado no estouro do cronômetro no primeiro assalto com duas cotoveladas magistrais na grade.

Cotoveladas de Duquesnoy (de costas) destruíram Patrick Williams na estreia do francês no UFC

Cotoveladas de Duquesnoy (de costas) destruíram Patrick Williams na estreia do francês no UFC

Porque será um top 10: ofensivamente, Duquesnoy é um fenômeno. Ele tem capacidade atlética muito acima da média, repertório vasto de ataque, excelente noção de transição. Precisa de alguns ajustes defensivos, mas Tom já vem trabalhando neste sentido ao buscar treinos na Jackson-Wink MMA, na Mayweather Boxing Club e na seleção francesa de wrestling. Especialmente os camps com Greg Jackson devem ser úteis para controlar a hiper agressividade do jovem francês, tornando-o um lutador mais cerebral. Quando isso acontecer, Duquesnoy não só será um candidato a top 10, mas um provável futuro campeão da categoria.

Curiosidade: Tom Duquesnoy enfrentará Cody Stamann no UFC 216 daqui a três semanas, no dia 7 de Outubro.

Ricardo Carcacinha

Quem é: o jovem campineiro Ricardo Carcacinha, de 22 anos, também já apareceu na coluna Radar MMA Brasil, no começo do ano passado. Sua carreira foi construída com calma, disputando duas lutas por ano desde 2012 enquanto competia paralelamente no jiu-jítsu. No Brasil, atuou nos fortes Circuito Talent de MMA e no MMA Super Heroes. Superou um duelo de prospectos contra Allan Puro Osso e foi chamado para o Legacy FC, um dos celeiros de talentos que o UFC usa nos Estados Unidos. Lá, Carcacinha foi surpreendido na disputa do cinturão para o também promissor Manny Vazquez. O resultado não afetou sua trajetória e o contrato com o UFC foi assinado no começo deste ano, após mais uma vitória por submissão no New England Fights sob os olhares de Dana White, que gravava sua websérie “Looking For a Fight” no evento.

O que fez no UFC: assim como Duquesnoy, Carcacinha só disputou uma luta no UFC. Contra o decente Michinori Tanaka, o brasileiro teve um começo muito forte, mas caiu de rendimento no último assalto e conseguiu sua segunda vitória por decisão na carreira. Ricardo mostrou seu conhecido jogo de chão agressivo, além de forte pressão no infighting, no clinch e no ground and pound.

Carcacinha impôs forte pressão em Tanaka antes de apresentar queda de rendimento (Foto: Mark J. Rebilas/USA TODAY Sports)

Carcacinha impôs forte pressão em Tanaka antes de apresentar queda de rendimento (Foto: Mark J. Rebilas/USA TODAY Sports)

Porque será um top 10: Carcacinha não é tão versátil quanto Duquesnoy, mas já apresenta ótimas ferramentas na base do MMA brasileiro, o jiu-jítsu e o muay thai. Ele é um lutador de mentalidade ofensiva, que sabe os momentos de atuar com calma e de liberar o inferno. Ainda está na idade de aprender a controlar os instintos para preservar gás, mas não pode exagerar para não abafar seu aguçado instinto finalizador. Ricardo vem trabalhando o wrestling em visitas à academia do ex-campeão olímpico Kenny Monday e deve ter como meta se juntar definitivamente a um time grande, preferencialmente nos Estados Unidos, que possa lhe dar preparação mais forte. O primeiro passo foi dado num intercâmbio no Team Alpha Male do campeão Cody Garbrandt.

Boston Salmon

Quem é: o havaiano Boston Salmon chegou ao UFC depois de vencer o também importante prospecto Ricky Turcios na primeira edição do Dana White’s Tuesday Night Contender Series. Ele havia sido revelado pela extinta Ressurection Fighting Alliance, organização pela qual fez todas as lutas profissionais antes do DWTNCS. Na RFA, Salmon sofreu seu único revés, uma decisão absurda concedida a Zac Riley. Até agora foram seis vitórias, quatro delas por nocaute, e a controversa derrota no RFA 43.

O que fez no UFC: Salmon ainda não estreou oficialmente no UFC, mas a luta realizada no primeiro DWTNCS já vale como uma experiência de octógono parecida com uma luta no TUF. Boston exibiu a fluidez de seu boxe contra Turcios, agindo muito bem tanto no ataque quanto nos contragolpes, além de dificultar as tentativas de queda do rival às custas de jogo de pernas. No terceiro round, teve seu domínio diminuído pela insistência de Ricky em jogar no clinch, tirando os espaços de Salmon.

O boxe rendeu a Boston Salmon um contrato com o UFC na vitória sobre Ricky Turcios no DWTNCS 1

O boxe rendeu a Boston Salmon um contrato com o UFC na vitória sobre Ricky Turcios no DWTNCS 1

Porque será um top 10: ex-boxeador universitário, Salmon tem nos movimentos da nobre arte sua principal arma no MMA. Ele sabe combinar os golpes com precisão e possui poder elevado nos punhos, mas ainda carece de imprimir mais volume em suas ações ofensivas. Ainda que a defesa de quedas seja sólida, este lapso ofensivo pode dar brechas para oponentes com forte base no wrestling e timing acurado para entrada de quedas. O pupilo da Xtreme Couture tem condicionamento atlético acima da média e boa visão estratégica.

Curiosidade: Boston Salmon enfrentará Augusto Tanquinho, que estava na pré-seleção deste projeto, no UFC São Paulo, no dia 28 de Outubro.

Menção Honrosa: Aiemann Zahabi

Quem é: como eu fui voto vencido, Aiemann Zahabi entrou como menção honrosa. As listas foram decididas em comum acordo por um comitê do MMA Brasil, mas, na minha opinião, ele seria escalado no lugar de Salmon. O irmão mais novo do técnico Firas Zahabi traçou um caminho de destruição até chegar ao UFC, vencendo as seis lutas disputadas por interrupções (metade de cada tipo) antes do fim do primeiro assalto. Em paralelo, Zahabi acumulou experiência disputando (e vencendo) torneios locais de wrestling, jiu-jítsu e muay thai.

O que fez no UFC: Zahabi também só fez uma luta no UFC, mas enfrentou um adversário sensivelmente mais forte do que os iniciais de Carcacinha e Duquesnoy. O canadense encarou o vencedor do TUF Brasil 4 Reginaldo Vieira, que fez Zahabi lutar 15 minutos pela primeira vez na carreira – ele jamais havia passado de 4:40 antes. Aiemann sentiu a estreia no round inicial, mas recuperou a compostura, evitou a pancadaria franca e virou a luta na decisão unânime.

Aiemann Zahabi teve em Reginaldo Vieira o adversário mais difícil dentre os prospectos do peso galo (Foto: Tom Szczerbowski/USA TODAY Sports)

Aiemann Zahabi teve em Reginaldo Vieira o adversário mais difícil dentre os prospectos do peso galo (Foto: Tom Szczerbowski/USA TODAY Sports)

Porque será um top 10: dizer que Aiemann será um top 10 porque é treinado por Firas não seria honesto, já que nem todos os pupilos da Tristar Gym chegarão a este patamar. Ser irmão de um dos mais cerebrais técnicos do MMA mundial e ter Georges St. Pierre como parâmetro ajuda muito, mas não seria suficiente se Aiemann não tivesse talento de sobra. Ele tem um estilo que lembra bastante a postura de outro parceiro de treinos, o compatriota Rory MacDonald: tronco curvado, shoulder roll, chutes variados, bons jabs, paciente, preciso e de instinto matador, com uma notável capacidade de sair da inércia e explodir para decidir o combate. Precisa trabalhar nas situações em que o controle não é dele e acaba pressionado pelos adversários – assim como MacDonald.

Curiosidade: Aiemann Zahabi enfrentará Ricardo Carcacinha no UFC 217, no dia 4 de Novembro, em Nova York. Em caso de vitória do canadense, o brasileiro terá tempo de sobra para se recuperar. Aos 29 anos, Zahabi terá sua missão dificultada caso seja derrotado.

  • Leonardo Paz

    aposto muito no zahabi!!!!!!

  • James sousa

    Essa lista e muito boa

    • Mito, você tem perdido o posto de primeiro a comentar! Não deixe o Leo tirar seu lugar cativo como nosso leitor #1.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Seria muita curiosidade saber quem tava na pré-lista kkk?

    Concordo com tudo aí praticamente, talvez colocaria o Brett Johns no lugar desse Zahabi, o estilo do Johns não é dos mais empolgantes, mas é bastante efetivo, a luta contra o Joe Soto vai ser a afirmação dele espero eu.

    • Rafael Oreiro

      Só digo que o Brett Johns era um dos primeiros nomes da pré-lista

      • Bruno Moraes da Costa

        eu apostaria nele como futuro top 10 fácil

    • Rafael Oreiro

      Outros nomes da pré-lista: Luke Sanders, Matthew Lopez, Sean O’Malley e Rob Font.

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        Só mito em.

    • Larga de ser curioso, rapá! Hahahaha

      Brett Johns tava na pré-lista.

    • João Gabriel Gelli

      Acho que o Johns vai esbarrar na falta de atleticismo antes de chegar no top 10.

  • Edilson Dos Santos Júnior

    Acho massa quando fazem este tipo lista, bom trabalho Alexandre!

    • Valeu, Edilson! É um risco que a gente corre de nego vir cornetar daqui a um tempo, mas qual a graça se não fosse assim?

  • Bruno Moraes da Costa

    que maravilha de material, pqp. meus parabéns aos amigos!

  • Carlos André

    Essa coluna Top 10 Futuro é muito boa. Show.

  • sghfgsfdgsfgsfdgsdf

    Ricardo Lucas tem um registo de mandar foder toda a gente… lol

  • Gabriel Fareli

    Que categoria maravilhosa. Ainda vai sair muita coisa boa pra manter essa categoria entre as principais.
    Confesso que os Galos é minha categoria favorita junto com os leves 💗

    • A gente já tinha alertado que os pesos pena e galo ficariam muito fortes em questão de tempo. Bom ver que está se materializando.