Tito Ortiz finaliza Chael Sonnen e sua carreira no Bellator 170

Depois de mais uma leva de provocações, Tito Ortiz põe fim em 20 anos de uma lendária carreira fazendo Chael Sonnen batucar no primeiro round.

Voltando das férias de início de ano, Scott Coker armou o que já pode ser considerado como um dos maiores eventos do ano na segunda principal organização de MMA do mundo, com o Bellator 170. Após inúmeras conferências de imprensa e bate-bocas armados, chegou finalmente a hora de ver dois dos maiores bad boys velhinhos da história do esporte se enfrentarem no Great Western Forum, em Inglewood, na Califórnia.

Após muito esperar pelo fim de sua suspensão, Chael Sonnen finalmente voltou ao MMA depois de dois anos e meio de inatividade para cumprir a promessa que fez a seu pai em seu leito de morte, em circunstâncias totalmente diferentes das de hoje: bater Tito Ortiz. A luta também possuía um significado especial para o “Bad Boy de Huntington Beach”, marcando sua segunda aposentadoria do MMA. Jogando tudo isso em uma luta só, o Bellator tinha tudo para marcar um de seus recordes de audiência na Spike TV.

Começada a bagaça, Ortiz partiu para a queda depois de pouco tempo de trocação. Esperto na defesa de quedas, Sonnen envolveu rapidamente o pescoço do oponente e fez um rolamento, quase acabando por cima, no chão. Apesar de levar perigo inicialmente, Sonnen exagerou demais na tentativa de guilhotina e acabou deixando Ortiz se estabelecer na meia guarda. Escapando da finalização, Tito montou rapidamente e fez Chael dar as costas após algumas cotoveladas. Nesta posição, o Bad Boy de Huntigton Beach encaixou uma mata-leão, fazendo o gângster de West Linn bater com a força da pressão – Tito até segurou a finalização por alguns segundos depois da chegada de “Big” John McCarthy, aos 2:03 do primeiro round.

As luvas de Tito Ortiz foram deixadas no cage circular, indicando sua aposentadoria (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

As luvas de Tito Ortiz foram deixadas no cage circular, indicando sua aposentadoria (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

O futuro de Tito Ortiz foi resolvido ainda dentro do cage, quando ele deu suas luvas para seu filho deixá-las no centro do cage, encerrando sua carreira extensa dedicada ao MMA e premiada com o Hall da Fama do UFC, desta vez provavelmente em definitivo.

Já Chael Sonnen era um que poderia ter ficado aposentado e não ter nos agraciado novamente com sua presença em uma luta. Apesar de manter o nível nas entrevistas e conferências pré-luta, entrar em um cage após três anos parado, em sua idade, não é nada fácil. Visto que é muito difícil que ele pare por aqui, é quase certo que o Bellator tentará promover a luta que todos queriam ver anos atrás, entre Sonnen e Wanderlei Silva.

Paul Daley nocauteia brutalmente Brennan Ward com uma joelhada voadora

Para começar bem o ano de 2017, nada melhor do que um sacrifício de violência para os deuses do MMA. Dentro do plantel do Bellator, é difícil encontrar dois lutadores com o perfil melhor para cumprir um nível satisfatório de violência do que Paul Daley e Brennan Ward.

Paul Daley sai na frente pelo prêmio de nocaute do ano no Bellator 170 (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Paul Daley sai na frente pelo prêmio de nocaute do ano no Bellator 170 (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Ward não manteve a promessa de pancadaria no centro do cage quando entrou para lutar. O americano continuou avançando na trocação como sempre, mas tentou mudar de nível também, conseguindo quedar o inglês duas vezes. Levantando ainda com Ward grudado, Daley disparou uma cotovelada giratória que deixou o adversário atordoado. Sentido cheiro de sangue, Daley encaixou uma joelhada voadora perfeita, bem quando Ward tentava entrar em queda novamente, encerrando a luta por nocaute aos 2:27 do primeiro round.

Depois de perder para o atual campeão no meio do ano passado, Paul Daley voltou com estilo para a lista de possíveis desafiantes na divisão. Uma opção para seu futuro seria um duelo contra Michael Page, que poderia ser a luta principal de um futuro Bellator em Londres. Porém, Daley fez melhor ao desafiar Rory MacDonald na entrevista pós-luta.

Brennan Ward perdeu a segunda luta em três, sendo a única vitória sobre um peso leve que subiu para somente uma luta. Ainda assim, é bem difícil que ele esteja em qualquer perigo, já que sempre tende a fazer ótimas lutas para os fãs. Cuidando bem da saúde depois desse nocaute forte, ele pode enfrentar Ricky Rainey em sua volta ao cage.

Emmanuel Sanchez leva decisão apertada contra Georgi Karakhanyan

Luta entre dois dos melhores nomes da categoria dos penas, o confronto entre Emmanuel Sanchez e Georgi Karakhanyan tinha a expectativa de manter o nível de violência da noite.

Emmanuel Sanchez teve um ponto descontado, mas ainda assim venceu Georgi Karakhanyan (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Emmanuel Sanchez teve um ponto descontado, mas ainda assim venceu Georgi Karakhanyan (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Karakhanyan não entrou para brincadeira, encurtando depois de um minuto e conseguindo a queda. Mesmo com Sanchez conseguindo se levantar, o russo ficou por muito tempo dominando a luta na grade até ser revertido faltando menos de um minuto para o final do round. Sanchez tratou de fazer valer sua posição e encaixou um mata leão, mochilando o adversário, que conseguiu defender a posição até o final do round.

No segundo, Sanchez continuou o bom momento e conseguiu uma queda em pouco tempo, dominando o russo no chão por um largo período, com a luta sendo interrompida duas vezes por golpes ilegais: uma pedalada de Karankhanyan e uma joelhada em três apoios de Sanchez – o americano teve um ponto retirado por esta última. Com raiva do erro, Sanchez partiu com tudo no final do assalto, conseguindo a montada e novamente ameaçando no mata-leão até o final.

Sanchez voltou a tentar pressionar no começo do terceiro, mas, depois de se afobar, acabou por baixo de Karakhanyan, que dominou completamente o round no chão, pegando as costas, mas sem levar muita ameaça para o americano. A luta foi então para a decisão dos juízes, que marcaram a vitória de Sanchez em decisão majoritária, com placares de 28-28, 29-27 e 29-27.

Depois de derrotas para Curran e Weichel, finalmente Emmanuel Sanchez conseguiu emplacar uma vitória sobre um dos melhores nomes da categoria dos penas do Bellator. Agora, com lutas recentes contra a maioria dos que estão em sua frente, o mais provável é que lhe dêem um combate contra alguém fora do topo da categoria. A sugestão é que ele seja remarcado contra AJ McKee, caso este vença seu compromisso contra Brandon Phillips, no Bellator 171.

Por outro lado, Georgi Karankhanyan voltou a mostrar sua inconstância de resultados no Bellator, com cartel de 3-3 desde a sua volta, em 2015. O russo já demonstrou no ano passado a vontade de subir para os leves e, caso continue na organização, talvez essa seja a melhor opção, visto que perdeu recentemente para três dos principais concorrentes do peso pena. Caso queira insistir mesmo na categoria atual, deixo a sugestão de uma luta contra Daniel Piñeda, mas, se ele partir realmente para uma luta nos leves, a opção passa a ser por um embate contra Saad Awad.

Derek Campos surpreende e consegue boa vitória sobre Derek Anderson

Depois de muito tempo de expectativa e pedidos dos fãs, finalmente foi marcada pelo Bellator a batalha dos Dereks, que confrontava Derek Anderson e Derek Campos. Seja o que acontecesse, só um Derek poderia sair vitorioso do cage.

Os Dereks fizeram um primeiro round muito equilibrado na trocação, com Anderson mostrando ser um lutador de mais técnica, mas mesmo assim dava muitas brechas na curta distância para as pedradas de Campos, que chegou a atordoá-lo uma vez. Anderson voltou a mostrar brechas defensivas no segundo round, sendo muito descuidado na troca franca de golpes contra um adversário de mão mais pesada. Ele acabou levando um forte knockdown perto do final do round após um uppercut de Campos.

Campos se impôs novamente no terceiro round, levando vantagem na troca de golpes e conseguindo duas quedas, passando um bom tempo dominando Anderson no chão antes de ser revertido faltando somente 30 segundos para o final da luta, que acabou com os dois lutadores trocando francamente no meio do cage. A luta foi para a decisão dos juízes, que marcaram a vitória unanimamente para Derek Campos por 29-28, discordando do meu humilde placar de 30-27 para ele próprio.

Derek Campos emendou sua terceira vitória seguida, desta vez com inegavelmente sua melhor vitória na carreira. Mais próximo do que nunca de disputar o cinturão dos leves, a aposta é na realização de uma eliminatória entre ele e o vencedor do confronto entre Brent Primus e Adam Piccolotti, que acontecerá no Bellator 172.

Derek Anderson viu sua série de vitórias cair por terra, mostrando que ainda precisa trabalhar seu sistema defensivo antes de poder realmente competir com a elite da categoria. Com dificuldades para cortar peso para os leves – chegou a pesar 160 libras (cerca de 72,5 quilos) para esta luta contra Campos, subir para os meios-médios pode ser a opção novamente – ele já tentou antes. Porém, ele realmente deveria cuidar melhor de seu peso e se manter nos leves, talvez enfrentando no futuro o holandês Djamil Chan.

Outros destaques do Bellator 170

Ainda no meio do card principal, tivemos a sonolenta luta entre Hisaki Kato e Ralek Gracie, que já pode entrar hoje em uma possível lista de piores lutas do ano. Superior em pouco momentos de ação na trocação, o japonês saiu com a vitória na decisão unânime, emendando a segunda vitória no cage do Bellator, vendo no seu futuro um possível segundo embate contra Melvin Manhoef em uma eliminatória nos médios.

No card preliminar, vimos o brasileiro Guilherme Bomba conseguir o primeiro nocaute de sua carreira, forçando o árbito a intervir no começo do segundo round depois de uma bomba de direita, que levou Demi Lovato, sentada na beira do cage, à loucura.

Outro brasileiro que conseguiu vitória por nocaute foi Chinzo Machida, que, depois de passar por apuros na luta agarrada contra Jamar Ocampo, conseguiu se salvar com um cruzado de direita no terceiro round.

Também no preliminar, Kevin Casey não deixou de desapontar e empatou com Keith Barry em sua estreia no Bellator, emendando seu segundo empate em três lutas – ele é o primeiro da história a empatar uma luta no UFC e no Bellator. Em defesa de Casey, a maioria das pessoas que viu a luta marcou vitória para ele, mas não podemos ignorar que Kevin voltou a mostrar as mesmas falhas de condicionamento fisíco que sempre marcaram negativamente seus desempenhos.

Outro ex-UFC que estreou no cage circular foi o peso pesado Jack May, que demorou quarenta segundos para nocautear Dave Cryer. Fechando o card preliminar do evento, Henry Corrales nocauteou o ex-TUF Cody Bollinger com um soco no tronco, em uma luta que o Bellator resolveu não televisionar sem explicação nenhuma.

Essas foram as principais atrações do Bellator 170, pessoal! Voltaremos na semana que vem para o Bellator 171 , que trará o veterano por favor se aposenta Melvin Guillard subindo para os meios-médios para enfrentar Chidi Njokuani. Além disso, teremos o brigador David Rickels contra Aaron Derrow e o excelente prospecto AJ McKee contra Brandon Phillips. Até lá!