Por Felipe Freitas | 14/04/2014 02:04

Antes de iniciar essa resenha, vou dizer que mereço ganhar um aumento por ter que perder um pouco do tempo da minha vida assistindo aquele Superstar antes do The Ultimate Fighter Brasil 3. Ô, programa ruim. Deixa pra depois do TUF, ou no lugar do “Ixquenta”. E vocês, leitores, devem ter um pouco mais de respeito por mim. Olha o sacrifício que eu faço para vocês lerem uma resenha FRESQUINHA.

Chael Sonnen aguarda o atrasado Wanderlei Silva para definir a próxima luta

Sonnen aguarda o atrasado Wanderlei para definir a próxima luta

A escolha da próxima luta teve um atraso por causa do Wanderlei Silva. Hortência comparou ao basquete que bla bla bla CALA A BOCA, MULHER! EU NÃO TENHO TRIQUENTA! Só os fortes entendem.

A luta casada foi entre Rick Monstro e Job Kleber “Cabo Job”. Eu não conheço muito do Cabo Job, já o Rick Monstro tem mais fama no Brasil. Isso não garante vitória, mas aposto nele.

Chael Sonnen disse que o atraso do Wand foi causado por bebida. Wanderlei disse que foi ao médico e por isso se atrasou. Não importa a verdade, o que importa é que Sonnen irritou o Wand e estamos aqui pra isso.

Durante o treinamento, Rick Monstro acertou o joelho no supercílio do Jollyson (filho da alegria) e abriu um corte. Jollyson percebeu a gravidade do problema e foi às lágrimas enquanto levava pontos na testa. Ele teve que ir para casa ficar em repouso.

A prova do episódio 6 foi chamada de "máquina de escrever"

A prova do episódio 6 foi chamada de “máquina de escrever”

A dinâmica de grupo do episódio foi uma máquina de escrever em que cada lutador segurava uma corda conectada a uma “caneta”. Eles tinham que escrever “TUF Brasil”. Desta vez o Time Sonnen ganhou. O prêmio era uma festa do pijama com as Octagon Girls, enquanto o time perdedor ficava trancado num quarto, fora da festa. Os casados estavam com medo de apanhar em casa das suas esposas.

Uma candidata a Octagon Girl chamada Whatevs, quero dizer, Ana Cecília, elogiou o Peregrino pela sua simpatia e alegria. Depois ele levou umas pizzas para o Time Wanderlei.

Lutadores do Time Sonnen e candidatas a Musa do TUF Brasil 3 participam da festa do pijama

Lutadores do Time Sonnen e candidatas a Musa do TUF Brasil 3 participam da festa do pijama

No dia seguinte, Antonio Carlos Cara de Sapato foi tirar satisfação com Paulo Borrachinha. O motivo: Little Eraser falou para outros caras que estava pegando (não no sentido beijo na boca, mas o sentido de finalizando) o Cara de Sapato nos treinos. A raiva do paraibano era com razão. Como disse Jollyson, o que acontece no treino, fica no treino.

No treino do Time Wanderlei, a Gabi Garcia apareceu para ajudar. É incrível como está mais forte, e não com sobrepeso, como era antes. Como é de se esperar, ela deu sufoco nos rapazes.

A supercampeã de jiu-jítsu Gabi Garcia aparece para ajudar nos treinos do time de Wanderlei Silva

A supercampeã de jiu-jítsu Gabi Garcia aparece para ajudar nos treinos do time de Wanderlei Silva

E então chega a tão esperada “briga” entre Sonnen e Wand. O brasileiro provocava o americano falando que bateria muito nele. E que sabia até a data. MENTIRA! Ninguém sabe quando essa luta vai acontecer, já mudaram de data umas sete vezes. Tá foda (sim, eu sei que tem data definida, não estraguem minha piada). Sonnen empurrou Wand. Os dois entraram em modo de combate e Wand foi quedado. André Dida, num grande ato de CANALHICE, eu repito sem medo, CANALHICE, ao invés de separar, começou a BATER no Sonnen.

Wand e Sonnen saem na mão, os participantes tentam conter e Dida ataca o americano pelas costas

Wand e Sonnen saem na mão, os participantes tentam conter e Dida ataca o americano pelas costas

O assistente Vinny Magalhães avisou para Sonnen que foi o Dida quem bateu nele. Sonnen nem tinha percebido isso, achava que tinha sido o próprio Wand. Com um sorriso no rosto, André Dida se orgulhava do que fez e Wanderlei repetiu o “ditado brasileiro”: “quando você não respeita no Brasil, perde os dentes”. Engraçado que ele disse isso após defender que era contra a violência. Eu nunca ouvi esse ditado, mas sei que ele é mais nocivo para a imagem do Brasil do que toda a provocação que o Sonnen já fez. Para vocês terem ideia, os lutadores do Time Wanderlei foram ajudar o Sonnen.

Eu acredito que o empurrão do Sonnen foi errado, mas isso não justifica o que o Dida fez. O espirito marginal dos tempos do vale tudo renasceu naquele momento. E, besides that, pareceu que a luta não foi armada. No fim das contas, foi o Wand quem saiu com o filme queimado desta história. Analisando o cartel do André Dida, essa é a única maneira de ele conseguir bater no Sonnen. E o assistente do time amarelo ainda saiu exibindo a camisa de Sonnen como se fosse um troféu.

Muitos veículos da mídia esportiva e lutadores tentam mostrar que o MMA não é sinônimo de violência ou brigas. Os discursos e atitudes do Wand e do Dida MANCHAM a imagem do esporte. Wanderlei é uma lenda do MMA, mas ele não representa o verdadeiro espírito do lutador ou os ensinamentos das artes marciais. Nem mesmo o livro “A Arte da Guerra” incita as guerras – pelo contrário, diz que é melhor vencer com diplomacia.

André Dida exibe a camisa que arrancou de Chael Sonnen como um troféu

André Dida exibe a camisa que arrancou de Chael Sonnen como um troféu

Hora da Luta

Rick Monstro quedou Cabo Job no início da luta e escalou até a montada. Dessa posição ele acertou a cabeça do oponente com vários golpes. Foi incrível ver o Rick controlar a posição com um cara mais pesado que ele por baixo. Em um “upa”, Cabo Job conseguiu reverter e sair para a guarda. Porém ele levantou o quadril e acabou com o braço preso numa chave. Job bateu rapidamente e Rick Monstro conseguiu a quarta vitória para o Time Wanderlei.

Após a luta, Cabo Job revelou que quebrou o dedo no início do combate contra Rick Monstro. Devido à adrenalina alta, ele não sentiu tanta dor assim.

tuf_brasil_3_rick_monstro_cabo_job

No próximo episódio, Dana White mostrará quem briga com quem no UFC e quem vence (ele, claro). Como sempre, fique de olho no site para a resenha pós-luta. Até semana que vem! Brittney, ME EMPURRA E ME BOTA NO CHÃO, SUA LINDA!