The Ultimate Fighter Brasil: Episódio 6

Hugo Wolverine é o quinto lutador do Time Vitor a vencer. Verdes abrem 5 a 0 e lutadores reclamam de Godofredo Pepey. Próximo episódio terá duelo entre amigos.

Neste feriadão tivemos Jungle Fight, Invicta FC (com vitória da linda Marloes Coenen) e o programa que me dá um emprego de estagiário/entregador de café virtual no melhor site de MMA do Brasil, o TUF Brasil!

Os lutadores estão debatendo sobre suas metas na casa. O time verde prefere vencer todas as lutas na primeira fase e se enfrentarem na semifinal, enquanto Rony Jason diz que quer o Time Wanderlei com pelo menos um campeão. Ele diz também que não gostaria de enfrentar Anistávio Gasparzinho. Mas quem escolhe é o Vitor Belfort…

Como sempre, antes de anunciar as lutas, Belfort elogia os lutadores do time do Wanderlei Silva para ganhar pontinhos com o povo brasileiro. Disse que, por ele, Leonardo Macarrão já assinaria com o UFC, que o “Maca” tem as caracteristicas dos seus treinadores – o que é de se esperar já que ele é da filial da Chute Boxe de Balneário Camboriú, o San Fernando Valley brasileiro, que revelou a ex-BBB Antonella e a Mulher Samambaia para o Brasil. Além disso, conclui dizendo que, em seu pensamento, o placar está 0-0, já que as lutas foram bem parelhas. Engraçado, ele vive se gabando das vitórias seguidas…

De repente, a edição mostra o depoimento do Wanderlei, dizendo que não aguenta mais os discursos do Belfort. Não se preocupe Wand, você não é o único. Para a alegria do Hugo Wolverine e tristeza do Gasparzinho, a luta escolhida foi Wolverine contra o Marcos “Vina”. Wanderlei e Belfort entraram num acordo e, no próximo episódio, ao invés de fazer a luta dos médios, farão a dos penas para definir logo os semifinalistas. Assim, já faço minha previsão sobre Anistávio “Gasparzinho” vs Rony “Jason”: vai dar Jason na decisão dos juízes (minha credibilidade depende disso).

Na apresentação dos lutadores, ficou bem claro que Wolverine, além de ser (talvez) o único com curso superior, vem de família boa e não deve ter passado necessidades, já que o pai dele é procurador federal. Enquanto Vina é o contrário: teve que trabalhar cedo para ajudar na casa e morou na favela. E, numa indireta bem clara para o Wolverine, disse que no mundo não “existe super-herói, que ser super-herói é ser solidário”. Ou seja, Hulk, você tem leucemia… (Raios gamas, entenderam? Badum tss).

De volta à casa, os lutadores comentaram o fato de acharem Godofredo Pepey arrogante. Vina disse que Godofredo passa uma imagem errada dos lutadores, de marrento, boçal e outros adjetivos relacionados. Já o ídolo Francisco Massaranduba (sério, o Massaranduba é o mais foda da casa) disse uma coisa que me fez afogar com a comida: “Sabe, a gente se encontra um dia… No mundo da luta… Vou arrebentar a cara dele”. Aprende com o “Massa”, Belfort!

Eu geralmente não falo dos merchans escrotos, mas este episódio teve dois que foram muito, mas muito escrotos. Wanderlei dirigindo a pick-up Maloque da Ford, aquela que foi zoada pela Nissan (foda-se, falei o nome mesmo. Aliás, não comprem esta merda, compre itens de propagandas engraçadas apenas!), enquanto o André Dida ligava pra ele e atendia com um botão na porra da caminhonete. Dirigir e falar ao celular, mesmo no viva-voz, ainda é perigoso! Que coisa feia, Ford… Aliás, acho que o Wand estava parado com a caminhonete na frente do ginásio. Eita, escrotidão…

(N. da R.: este texto representa exclusivamente o pensamento do colunista, não necessariamente o do site.)

Vina contou um segredo da casa. Os lutadores que estão na dieta para bater o peso tem o direito de pedir um prato especial. E adivinha?  MAIS MERCHAN! Desta vez foi do Burger King. De todos os patrocinadores do TUF Brasil, eu só não odeio o BK (ei, Alexandre Matos, bora arranjar um patrocinio do Burger King pro site, quero desconto, comer um um Triple Stacker com 9 fatias de bacon sai caro). Então, Wolverine decidiu bancar o bonzinho e pediu lanche pros amigos também – o que eu achei errado, já que o Gasparzinho, Bodão e Serginho ainda não lutaram e isso poderia afetar o corte de peso.

Hugo Wolverine (Time Vitor) vs Marcos Vina (Time Wanderlei)

Mal havia começado a luta e Hugo foi para cima do Vina. Este, para se defender, abaixou e tentou quedar, mas acabou no clinch, onde desferiu umas massagens dolorosas na costela. Hugo conseguiu escapar e Vina tentou um chute no mesmo momento em que Hugo foi para cima com um soco, mas o golpe não pegou. Vina caiu por desequilibrio e ficou no chão, enquanto Hugo chutava sua coxa. A luta ficou assim por meia hora, até o árbitro Mario Yamasaki lembrar que tinha que levantar os lutadores. Em pé de novo, Hugo acertou algumas combinações que contaram pontos. Vina estava bem acanhando, nem parecia ter 22 lutas no cartel. Mais uma vez o combate ficou variando no em pé/deitado, com Hugo evitando ir para a guarda, Vina evitando pedalar e Yamasaki não mandando levantar. Quando enfim mandou, a luta ficou com Hugo pontuando na trocação e quedando a 14 segundos do fim do assalto, garantindo o 10-9 numa luta morna.

No segundo assalto, Vina foi pra cima, Hugo contra-atacou e levou uma joelhada no corpo. Vina foi para o double-leg e, no mesmo momento, Hugo mandou uma joelhada baixa (que acredito que não pegou). Vina subiu pro clinch e acertou umas belas joelhadas. Hugo escapou, mas a luta voltou pro clinch. Desta vez, Vina era pressionado na grade. De volta à trocação, o duelo lembrou bastante a peleja do Macarrão contra o Samuel Trindade (mais conhecido como Samuel Trindade): soco para todos os lados. Hugo parecia estar sem gás, mais sem gás que o Vina. Sinceramente, eu daria um 10-10 neste round. Como o TUF não diz as notas dos jurados, ficaremos sem saber se foi um 20-18 ou um 20-19 para o vencedor, Wolverine. Belfort roubou a piadinha tola que eu estava guardando para uma vitória do Hugo desde o ínicio do programa: “Wolverine mostrando suas garras”.

No vestiário, Rafael Cordeiro, que foi nomeado para técnico do ano passado no World MMA Awards, reclamava que Vina não fez o que eles pediram. Eu sei que dá raiva, mas o cara acabou de perder, deixa para corrigir os erros no outro dia, quando todos estivessem com a cabeça mais tranquila. Ah, falando em erros, Wolverine disse que, quando sair da casa, pedirá a namorada em casamento.

Momento polêmica: Gaspar e Jason estão bem abalados porque são amigos e vão se enfrentar no reality show que vale um contrato com o UFC. Wand chamou Gaspar pra conversar e este disse que falou para o Belfort: “Mas vocês tinham o direito de escolha, sabiam que isso não precisava acontecer”. Já Vitor se defendeu, falando que não sabia da amizade dos lutadores. Neste momento eu queria pegar o vídeo do trecho do episódio que o Jason chega no vestiário do Belfort e fala pra ele que é amigo do Gasparzinho, que eles moraram juntos e que não estava gostando do seu amigo atrapalhar o sono dele. Acho que o Belfort estava preocupado demais em cuidar do Mutante e não prestou atenção.

Para terminar, os lutadores receberam a visita do Lyoto Machida, que veio fazer mais um merchan agressivo, mais agressivo que uma mãe urso correndo atrás de você depois que você sequestra o filho dela. E pede o açaí do seu patrocinador. Esse merchan é um fail em Santa Catarina, já que eu NUNCA vi essa marca aqui. Além do merchan, ele disse que o lutador sempre está sob pressão. Os lutadores do time do Wand devem entender isso, já que a maioria deles estava acanhada em suas lutas.

Como disse antes, Vina não me impressionava muito. Eu só disse que essa era hora do time Wand correr pra empatar, mas acho que o placar vai ficar 5-3 pro Belfort. No próximo episódio teremos a última luta dos penas, Jason vs Gasparzinho. Engraçado, parece até aqueles filmes Jason vs Freddy, Jason vs Halloween. Como já disse, aposto numa vitória do Jason por decisão.

Agora é com vocês. Comentem e participem do fórum. Digam o que acharam deste episódio, das palavras sábias do Massaranduba, de Jason vs Gaspar e tudo mais! Até  próxima segunda (espero)!