The Ultimate Fighter 24: Team Cejudo vs Team Benavidez – Episódio 8

A fase de quartas de final abre com o duelo entre o brasileiro Alexandre Pantoja e o neozelandês Kai Kara-France, ambos do Team Cejudo. Joseph Benavidez traz um treinador convidado que causa discórdia na casa.

Fala, galera ligada no MMA Brasil! Estamos aqui de volta após um longo inverno de duas semanas de pausa na exibição americana devido aos playoffs da MLB para falar novamente sobre o The Ultimate Fighter 24: Tournament of Champions, que chega ao oitavo episódio começando uma nova fase na competição: as quartas de finais

Os protagonistas da luta de hoje são Alexandre Pantoja e Kai Kara-France, ambos do Team Cejudo. Os dois lutaram ainda no primeiro episódio da série, com Pantoja fazendo uma luta bastante emocionante e aberta contra Brandon Moreno, na qual conseguiu um finalização no segundo round, enquanto Kara-France teve pouco trabalho com Terrence Mitchell, nocauteando em poucos minutos. Dana White já aparece cedo no episódio cantando a pedra: “Se Pantoja entrar contra Kai do mesmo jeito que entrou contra o Moreno, vai dar ruim pra ele”.

Começamos então oficialmente o episódio com os lutadores chegando na casa do TUF. Os técnicos decidiram fazer uma festa para relaxar um pouco os lutadores após a primeira fase da competição. Por favor, só deixem Matt Rizzo longe da cerveja. Quem pareceu aproveitar mais a festa inclusive foi Henry Cejudo, que foi visto jogando beerbong, derrubando seus pupilos na piscina e aproveitando uma boa quantidade do churrasco oferecido. Joseph Benavidez não perdeu tempo em criticar Cejudo, lembrando da discussão que eles tiveram sobre ser exemplo para outras pessoas e falando que o técnico rival é um grande exemplo se arrastando que nem uma baleia orca encalhada na beira da piscina. Benavidez continua sendo o chato da festa, falando que Cejudo não está tendo ações boas para ser um modelo, enquanto este pouco liga e continua jogando Eric Albarracin na água. Relaxa aí, Benavidez, deixa o garoto aproveitar.

Voltando então para a rotina de treinos, passamos a acompanhar a sessão do Team Cejudo, em que ambos, Pantoja e Kara-France, comentam como é dificil manter a concentração somente no treinamento enquanto o adversário treina ao lado. Cejudo aparece para dizer que a vida de lutador de MMA é assim mesmo, que você tem que derrotar qualquer um que botem na sua frente. Ele também decide por não treinar especificamente nenhum dos dois, com cada um podendo escolher quem vai fazer parte de seu córner.

Passando para a sessão do Team Benavidez, Joe apresenta para seus pupilos um convidado especial, o ex-head coach do Team Alpha Male, Duane Ludwig. Benavidez decidiu estender o convite para treinar com Ludwig também para os lutadores do Team Cejudo, mas com uma condição: sem Cejudo estar presente. Ludwig dá a desculpa que não se sentiria confortável com Cejudo vendo seus exercícios e que isso lhe daria alguma vantagem para enfrentar Benavidez. Como se ele não pudesse procurar saber depois o que aconteceu, né? Naturalmente, o convite não foi bem aceito entre os treinadores de Cejudo, que acusaram Benavidez de tentar manipular o treinamento do time. Parece que Ludwig realmente não consegue se afastar da imagem de cobra. Cejudo, enquanto isso, abriu as portas para qualquer lutador que quisesse treinar com Ludwig, mesmo aparentando ter um pouco de ciúme.

Vamos então para a preparação de Pantoja, que começa imediatamente a exaltar suas qualidades, falando que também sabe trocar e que, quando Kai sentir o poder de seu soco, ele vai saber disso. Bastante modesto, o menino. Alexandre complementa dizendo que outra guerra como a que fez contra Moreno não vai ser boa para sua continuidade na competição, então deve cuidar bem de seu corpo para chegar à final.

Hora do polêmico treino da equipe de Cejudo com Duane Ludwig, que transcorre totalmente sem problemas. Kirian Fitzgibbons, treinador do Team Cejudo, aparece falando que é uma oportunidade excelente, que vai beneficiar os lutadores, mas que Benavidez se aproveitou para tentar mexer com a cabeça de Henry Cejudo. Mas que drama totalmente desnecessário hein? Pior que novela mexicana.

Passamos então para o treinamento de Kai Kara-France, que começa dizendo que o espírito guerreiro dos neozelandeses nasceu com ele e que a luta o escolheu, não o contrário. Bastante filosófico. Ele complementa falando que a sua praia é mesmo a trocação, mas que, apesar de as pessoas não saberem, ele também possui um bom jogo de chão. Passam então imagens de Kai treinando bastante sua defesa de quedas, preparando uma estratégia para que Pantoja não consiga levar a luta para onde teria mais vantagem.

Os lutadores entram na academia do TUF para a pesagem. Alexandre Pantoja (125lb) e Kai Kara-France (126lb) conseguiram bater o peso da categoria e confirmaram a luta para o dia seguinte, fazendo mais uma encarada tranquila. Antes da luta, Cejudo vai ao vestiário dos dois lutadores desejar boa sorte e se senta em seu lugar na plateia, enquanto explica que trouxe gente especializada para fazer parte dos córneres dos lutadores, como o ex-campeão peso pena do WSOF Alexandre Capitão e o ex-UFC Vinny Magalhães.

Vamos então sem mais enrolações para a luta da noite.

Luta 9: Alexandre Pantoja (Team Cejudo) vs. Kai Kara-France (Team Cejudo)

Pantoja não perdeu tempo e entrou rapidamente com uma queda com menos de cinco segundos de luta, só que Kai não deixou a posição se estabilizar no chão e levantou com seu adversário ainda grudado, pressionando-o contra a grade. Após Alexandre falhar em um single leg, Kara-France conseguiu se livrar da pegada e soltou uma combinação antes de mandar um chute alto que foi defendido e contragolpeado com um chute baixo, fazendo o neozelandês cair novamente no chão e acabar dando as costas. Porém, Pantoja só conseguiu entrar com um gancho e deu espaço para Kai encostar suas costas na grade, conseguindo escapar da posição, só que ainda pressionado pelo brasileiro.

Quando finalmente os lutadores se separaram, Kara-France parecia tentar ser mais agressivo em pé, andando bastante para frente e defendendo algumas entradas de queda de Alexandre. Enquanto isso, Pantoja buscou contragolpear em descuidos de Kai, acertando uma boa combinação, terminando com um forte chute no tronco. O brasileiro voltou a tentar outra combinação, mas acabou se abrindo demais e deixou o neozolandês acertar um bom golpe mesmo recuando, defendendo bem depois uma tentativa de queda de Pantoja. O ultimo minuto do round não foi tão movimentado, com Kai acertando um bom chute baixo enquanto Alexandre conseguiu uma combinação jab-direto.

Voltando para o segundo round, Kara-France era mais agressivo, acertando um bom uppercut logo de cara. Pantoja mandou outro chute no tronco e partiu para tentar uma queda novamente, mas sem sucesso, saindo direto com um chute alto que acertou Kai. O neozolandês atacou com uma combinação que terminou novamente chutando as pernas, mas foi contragolpeado com um chute na cara. Kara-France passou a acertar mais o frontal do brasileiro em suas investidas, mas era punido com chutes variados toda vez que se aproximava.

Sem conseguir levar a luta para o chão, o brasileiro era muito acertado em pé, tomando dois fortes socos no corpo e uma combinação potente terminada em cruzado de direita. Pantoja voltou a equilibrar a trocação faltando um minuto e meio para o final do round, contragolpeado com chutes nas pernas. Sentindo o adversário mais cansado, Alexandre tentou derrubar, grudando Kara-France na grade. Quando percebeu que não teria sucesso, deixou o oponente sair da posição soltando logo um chute alto, que pegou de raspão. Kai ainda tentou um blitz no final, mas foi muito bem parado pelo brasileiro, que entrou novamente com um forte chute baixo.

Vemos então pela primeira vez neste TUF o segundo round acabar, com a luta indo para a decisão dos juízes. Apesar do pensamento de algums, incluindo eu, que a luta deveria ter o terceiro assalto, os juízes chegaram em uma decisão unânime, decretando Alexandre Patoja como vencedor após os dois rounds.

Na entrevista após a luta, Pantoja diz que ficou bastante hesitante na trocação por medo de se machucar ou agravar as lesões de sua batalha contra Moreno, o que dificultaria uma eventual semifinal. Ele procurou fazer então uma luta mais cautelosa e disse que sua experência o ajudou muito nisso. Dana White apareceu para falar que esse tipo de estratégia é totalmente errado, que o lutador deve entrar para finalizar todas as lutas. Sempre coerente, o chefe. Sou bastante curioso pra ver qual tipo de lutador Dana seria.

Já classificado para as semifinais, Pantoja agora espera a definição de seu adversário, que ocorrerá no próximo episódio, quando Hiroasa Ogikubo e Adam Antolin se enfrentarem.

E aí, empolgado para o próximo episódio? O que achou deste? Deixe suas opiniões nos comentários!

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Foi uma luta bacana, achei a estratégia do Pantoja boa ao contrário do Dana, já teve muitos TUF que o cara teve que sair, até no último aquele Khalil entrou de ultima hora na vaga da semifinal se não me engano. E parece que o John Moraga se lesionou e o Nicolau foi pego no doping, assim tem espaço pra dois moscas do TUF irem pro UFC preencher buraco, adoraria que o Kai fosse um deles.

    • Bicho, o Dana mandou botar aquela faixa de “nunca deixe na mão dos juízes” na parede do TUF. Pô, essa faixa é muito ridícula, parece até que não tem um cara do outro lado igualmente bem preparado e com a mesma vontade de vencer.

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        Credo… E eu não sei direito como funciona no TUF, mas pelo que imagino todo esse corte de peso e essas lutas acontecem com um tempo pequeno, aí o cara tem que se preservar, não dá pra sair querendo pagar de assassino e quebrar uma costela pra ficar de fora… faixa ridícula mesmo.

  • Com Pantoja e Elliott em lados opostos da chave, tô quase apostando que eles farão a final no último episódio e o vencedor vai (apanhar) pro Demetrious Johnson.

    Pantoja é novo, ainda tem tempo pra melhorar. Se não disputar o cinturão agora, provavelmente vai mais pra frente.

  • James sousa

    também acho que a final vai ser Pantoja vs Elliott