The Ultimate Fighter 24: Team Cejudo vs Team Benavidez – Episódio 7

Com o fim da fase preliminar, a competição entre os times segue equilibrada. Das oito lutas até o momento, nenhuma chegou ao fim do segundo round, mostrando que pesos moscas também sabem finalizar.

Fala, galera ligada no MMA Brasil! Mais uma semana se passou e estamos aqui novamente trazendo o que aconteceu no sétimo episódio do The Ultimate Fighter 24: Tournament of Champions.

No episódio anterior, vimos a vitória por finalização de Matt Schnell em cima de Matt Rizzo, na batalha dos Matts. Agora, teremos a definição de seu adversário nas quartas de final no último confronto da primeira fase da competição, o duelo entre Tim Elliott e Charlie Alaniz.

Alaniz, californiano de 30 anos, é o atual campeão do evento australiano HEX Fight Series (HFS), já tendo defendido seu cinturão por duas vezes. Ele passou pelo circuito universitário de wrestling na Montana State antes de começar a treinar MMA na Austrália, de onde nunca mais saiu. Já Elliott é um rosto bem mais conhecido para os fãs do UFC. Com passagem pela organização entre 2012 e 2015, ele acabou sendo demitido com um retrospecto de 2-4, incluindo reveses para John Dodson e para seu próprio técnico no TUF, Joseph Benavidez. Elliott se recuperou da má sequência ainda em 2015, conquistando o cinturão vago dos moscas no Titan FC, e desde então já o defendeu por duas vezes.

Começamos então o episódio com os lutadores bebendo na beira da piscina da casa do TUF, comentando sobre as lutas que aconteceram até agora. Receita pra dar merda, né? Matt Rizzo, que parecia ser o mais alterado da companhia, ainda estava muito revoltado com a sua derrota na batalha dos Matts, falando que dominou Schnell em todos os aspectos e que derrubaria qualquer um naquela droga de programa. Jamie Alvarez, amigo de Schnell, não gostou e foi correndo contar para o amigo no andar de cima.

Sucedeu-se um desnecessário bate-papo dos Matts sobre a luta, com Rizzo mandando um “tu é um cara legal, mas eu te dominei, tu não acertou nada em mim, rapá”. Ele acabou então por mudar de alvo, reclamando da atitude de Alvarez de ter ido contar para Schnell o que ele tinha falado. Rizzo então veio com a ideia ótima de comentar “quero lutar com você no TUF Finale, você não vai ter nenhuma chance”, que obviamente provocou uma reação agressiva de Alvarez e começou nossa primeira confusão da temporada. Os dois trocaram ofensas e xingamentos, se encarando e chegando a se empurrar antes de outros lutadores intervirem. Matt Schnell, o pivô da confusão toda, continuou deitado no sofá e observou a treta inteira, que você também pode conferir no vídeo abaixo. O conflito entre os dois pode acabar por ajudar Sean Shelby, que já pode anotar em sua agenda “Marcar Matt Rizzo contra Jamie Alvarez para o TUF Finale”.

Lição do acontecimento: não largue dezesseis lutadores com bebida logo após perderem suas lutas, pode dar merda. Ah, mas aí ajuda a aumentar a audiência do episódio né? Esquece isso aí.

Passada a crise, vamos para a academia do TUF, onde o time de Benavidez começa a preparação de Tim Elliott para a luta. Vemos um resumo da carreira de Elliott no UFC, narrado por Dana White, e então Benavidez aparece para falar que, apesar de ter finalizado Elliott no primeiro round, ele fez uma luta muito dura. O técnico também exalta sua imprevisibilidade, falando que seu estilo é dificil demais de se preparar para lutar contra.

No momento de conhecer a família dos lutadores envolvidos na luta da noite, Charlie Alaniz mostra sua casa na Califórnia. Ele conta como valoriza a família e as dificuldades que passa por viver e treinar longe dela, na Austrália. Enquanto isso, Tim Elliott mostra orgulhoso para todos sua filha (que parece ter no máximo 2 anos), e conta que, em sua casa, é a mulher que sustenta a família. Enquanto ela está trabalhando, ele cuida da filha durante o dia, inclusive levando-a para a academia durante seu treino.

Voltando para a academia do TUF, vemos a preparação de Alaniz para a luta. Henry Cejudo faz sua primeira aparição no episódio para falar que Charlie com certeza vai entrar com más intenções para Elliott no octógono. Realmente, não esperava que ele fosse com boas intenções. O técnico comenta ainda que a agressividade de Alaniz que vai superar a experiência de Elliott. E então, no meio do treino, vemos a segunda crise do episódio: Alaniz, sem razão nenhuma aparente, chegou para Kai Kara-France e disse “Vou te nocautear, otário”. Kai disse que não queria criar nenhum drama, então esperou para trazer o assunto a tona na reunião do time após o treino. Realmente vai conter o drama, expondo a treta na frente de todo mundo assim né? Nem preciso dizer que Alaniz não gostou nem um pouco. Ele comentou que provavelmente Kara-France tinha dito alguma coisa que o irritou e que agora vai ficar chorando que nem uma garotinha na frente dos técnicos. Ele complementa falando que é agressivo assim mesmo, que nem um animal (eu diria que ele tem outras características de animal também), enquanto seus companheiros de time olham assustados para a reação do companheiro. Os técnicos dão uma puxada de orelha em Alaniz, falando que não tem motivo para esse tipo de comportamento no show, enquanto Kai Kara-France corta relações com ele.

Chegamos então na minha parte preferida das temporadas do TUF: o desafio dos técnicos. A disputa deste ano será no golfe e os dois técnicos se desesperam por não ter experiência nenhuma no esporte. Dana White aparece para explicar as regras extremamente complicadas que eu estou com preguiça de detalhar aqui, mas que consistem em alvos no campo os quais eles têm que acertar a bola em uma tacada para conseguir pontos. Quem somar mais pontos ao final de 20 bolas, vence. Sentem aí e relaxem, pessoal, porque 20 tacadas para cada um vai ser muita coisa.

Começamos muito bem o desafio, com Cejudo dando a tradicional “furada”, acertando só o ar com seu taco. Pelo menos não contou como tacada. Ele consegue repetir a proeza em suas segunda e terceira tentativa e já estou vendo que vamos precisar de um episódio duplo só para Cejudo conseguir dar uma tacada.

Após finalmente pegar o jeito, Cejudo acerta a bola em sua quarta tentativa, apesar de não acertar alvo nenhum com ela, e finalmente começamos a disputa. O que vemos a seguir é uma incrível superioridade de Benavidez, que acabou vencendo a competição com um placar de 144-28 (sim, a diferença é grande que nem você imagina). Cejudo, apesar de aprender a acertar a bola com o taco, não conseguia mirar a bola em uma das áreas de pontuação, errando praticamente todas suas chances, enquanto Benavidez demonstrou ter uma mira muito melhor. O Alpha Male ganhou US$1.500 dólares para cada lutador de sua equipe. Os caras comemoram muito, principalmente Ronaldo Cândido, que, com essa quantidade de dólares, já pode chegar no Brasil quase milionário.

Vamos para a pesagem. Tim Elliott entrar com uma canga colorida, contando que é o jeito de sua filha o reconhecer na TV sempre. Alaniz (125lb) e Elliott (125,5lb) subiram à balança e bateram o peso, confirmado a luta do episódio. A encarada dos dois é tranquila, qualquer instinto agressivo animal de Alaniz parece ter sido inibido pela desidratação do corte de peso. Vamos então, sem mais enrolações, para a luta do episódio.

Luta 7: Charlie Alaniz (Team Cejudo) vs Tim Elliot (Team Benavidez)

Elliott começa com sua movimentação nada ortodoxa, enquanto Alaniz não quer deixá-lo nem um pouco confortável para se movimentar, pressionando rapidamente e encurtando a distância. Os instintos animais de Alaniz realmente lhe traziam uma agressividade selvagem no octógono; porém, Elliott conseguia desviar da maioria dos golpes enquanto conectava jabs no processo.

Após uma aproximação descuidada de Alaniz, Tim quase conseguiu envolver seu pescoço em uma guilhotina, mas pareceu perder o equilibrio, caindo por baixo, fazendo guarda. Após Charlie tentar passar a guarda, seu oponente conseguiu girar e se levantar sem grandes dificuldades. Invocado com o tempo que passou no chão, Elliott decide mostrar suas credenciais no wrestling e leva Alaniz para o chão em um double leg. Charlie levanta rapidamente, mas já tomando uma joelhada no meio da cara. Cinco segundos depois, Elliott levou a luta para o chão facilmente com outra queda e, após Alaniz tentar girar para se levantar, envolveu seu pescoço em um pouco usual Bulldog Choke, mais conhecido no Brasil como gravata de segurança de baile funk, forçando-o a batucar desesperadamente o octógono após 1:50 do primeiro round.

Dana White aparece para decretar o final da primeira fase da competição (finalmente), com a disputa entre Cejudo e Benavidez empatada, cada técnico com quatro lutadores na próxima fase. O presidente volta a ressaltar que todas as oito lutas desta fase terminaram antes do final do segundo round, com seis finalizações e dois nocautes, voltando a motivar nossa campanha “Chupa Sader”.

Finalizando o programa, os técnicos vêm anunciar os casamentos da próxima fase para os lutadores (podem conferir o chaveamento abaixo), que começará com o confronto entre Alexandre Pantoja e Kai Kara-France já no próximo episódio. Parece também que vamos elevar um pouco a rivalidade entre os técnicos após uma festa na casa do TUF.

chave-tuf-24

E aí, empolgado para o próximo episódio? O que achou deste? Deixe suas opiniões nos comentários!

  • Marcos E

    Tim Elliot, ficha tecnica: já lutou no UFC, capaz de defender soco com a cara, campeão de uma organização menor, o Titan FC… Elliot diz que o MMA é apenas um hobby e quem cuida da casa é a esposa. Ele leva a filha dele para o treino, como uma dona de casa leva a filha para a aula de Pilates.

    O que não falta é “empregado do UFC” com um segundo emprego e uma porrada de cara talentoso que vive no esporte como hobby… ah, MMA!!!! QUAL SERÁ O SEU FUTURO?

  • Rafael Alves

    A campanha chupa sader deveria terminar com uma comparacao tecnica entre esse tuf e o dos pesados.
    Seus textos me fizeram ter vontade de assistir esse tuf xará, mais um belo texto pra conta!
    Sei que a estreia teve uma audiência baixa nos EUA mas e os demais episodios? O bom nivel de lutas gerou algum interesse ou a audiencia média é composta por um monte de Saders que prefere brutamontes sem técnica?

    • Rafael Oreiro

      A média de audiência tem seguido a estréia, com mais ou menos 350k de televisões, uma das menores médias da história do TUF. Mesmo assim, eu considero esse um dos melhores TUFs até agora, o problema é o preconceito com os pequenos mesmo.

  • James sousa

    melhor campanha ,essa Chupa Sader ,aposto no Pantoja , Elliott , Ronaldo Cândido passando na próxima fase

    • Rafael Oreiro

      Boas apostas, mas acho que o France e o Shelton surpreendem.

  • Weslei Alvarenga

    Bulldog Choke pra deixar Tintin e toda ZO do RJ orgulhosa !
    Já q a nova administração ta querendo encerrar as atividades do TUF ( se concretizar, pelo menos deixará uma ultima impressão boa ).

    #ChupaSader

  • Weslei Alvarenga

    Bulldog Choke pra deixar Tintin e toda ZO do RJ orgulhosa !
    Já q a nova administração ta querendo encerrar as atividades do TUF ( se concretizar, pelo menos deixará uma ultima impressão boa ).

    #ChupaSader

    • Rafael Oreiro

      Pode ficar tranquilo, porque parece que pelo menos TUF 25 vai ter.