The Ultimate Fighter 24: Team Cejudo vs Team Benavidez, Episódio 5

A competição por equipes do TUF 24 fica empatada no quinto episódio com mais uma vitória brasileira. O vencedor ainda foi tirar satisfação com o técnico derrotado após o combate.

Fala aí, galera! Estamos aqui mais uma vez para falar sobre o The Ultimate Fighter 24: Tournament of Champions, que chegou ao seu quinto episódio. Na semana passada, tivemos uma grande surpresa, com a vitória de Eric Shelton sobre o favorito Yoni Sherbatov. O adversário de Shelton na próxima fase será definido neste episódio, com o confronto entre Jamie Alvarez e o brasileiro Ronaldo Cândido.

Jamie Alvarez é uma cria da American Top Team, foi praticamente vizinho da academia durante a vida inteira, inclusive aparecendo diversas vezes no TUF 21: ATT vs. Blackzillians. Ele é o atual campeão do AFC (Absolute Fighting Championship), evento da região da Flórida, conhecido por abrigar lutadores da ATT como Sabah Homasi e Steve Montgomery, que participaram do TUF 21.

Ronaldo Cândido também frequenta uma das academias mais reconhecidas no mundo, a Nova União. Com seis vitórias na carreira, todas por finalização, Cândido é multicampeão nas competições de jiu-jítsu e, após fazer a transição para o MMA, em 2013, conquistou o cinturão do Shooto Brasil. Hoje em dia ele ajuda estrelas como o lutador futuro futebolista José Aldo e Cláudia Gadelha na arte suave.

Começando o episódio, temos uma daquelas sempre divertidas (ou não) aparições de Dana White, elogiando o desempenho dos lutadores que, até agora, finalizaram todas as lutas da competição, calando a boca de várias pessoas que critica as lutas do peso mosca, como nosso colega Bruno Sader. Fora Sader!

O episódio vai então para o Brasil, onde Cândido mostra sua rotina de treinos na Nova União e viaja para São José dos Campos, sua terra natal, para mostrar sua mãe e a casa onde cresceu. Ele se emociona bastante ao falar de seu pai, que é alcoólatra e se separou de sua mãe quando ele tinha 11 anos, nunca tendo sido muito presente.

Vamos então para a casa do TUF. Dana White faz uma exceção no total isolamento dos lutadores e libera a TV para todos assistirem ao UFC 200. Treinador e companheiro de José Aldo, Cândido acompanha apreensivo a luta entre o parceiro e Frankie Edgar, vibrando com o resultado. Após a luta, o brasileiro comemora falando que Aldo merece mais do que nunca a luta contra Conor McGregor. Interessante esse timing, hein?. Jamie Alvarez também tinha uma companheira de time no card, a brasileira Amanda Nunes, e comemorou bastante a conquista do cinturão do peso galo feminino.

Começa então a preparação do time de Henry Cejudo para a luta, mostrando que Alvarez gosta bastante da trocação, falando que seu estilo de luta é bastante atrativo para os fãs, mas diz que se for para o chão, ele também se garante. A tática que os técnicos preparam para ele é bem simples: fugir de todo o jeito do chão de Ronaldo. Para isso, eles treinaram bastante modos de manter o brasileiro na longa distância. Terminado o treino, os técnicos começaram a fazer brincadeiras com o cabelo de Alvarez, que, para mim, na casa, só perde para Damacio Page na criatividade (ou feiúra).

Cortamos então para o treinamento da equipe de Joseph Benavidez e o técnico elogia bastante o jiu-jítsu de seu pupilo, relembrando a experiência do brasileiro como treinador no TUF 23, quando serviu como assistente para Cláudia Gadelha. Benavidez prevê que o plano de luta de Alvarez será tentar se manter distante de Cândido para fugir de suas quedas, então ele prepara a trocação do brasileiro para poder encurralar seu adversário, de forma que seja mais fácil levá-lo para o chão.

Acabadas as preparações, chega a hora da pesagem. Cândido (126lb) e Alvarez (125,5lb) não linekerzaram e bateram o peso, confirmando a luta. Na manhã do dia da peleja, Travis Browne aparece na casa do TUF para fazer o clássico jabá da Harley-Davidson, anunciando que o vencedor da temporada, além de ganhar uma moto, poderá também dar uma para uma pessoa que mais o inspirou na vida.

Agora, sem mais enrolações, vamos para a luta.

Luta 6: Jamie Alvarez (Team Cejudo) vs Ronaldo Cândido (Team Benavidez)

Começa a luta e Ronaldo procura se manter no centro do octógono, tentando encurralar Alvarez que, por sua vez, se movimenta bastante. Foi com essa movimentação que Alvarez disparou uma combinação de chute baixo seguido de um direto de direita que levou o brasileiro a knockdown. O americano tentou terminar a luta, lançando um ground and pound feroz, só que acabou se descuidando no chão contra um campeão mundial de jiu-jítsu. Ronaldo saiu da posição de desvantagem ao pegar a perna de Alvarez, ameaçando uma chave de tornozelo e, quando o americano tentou levantar, Cândido foi direto para as suas costas. Dali foi questão de tempo para o brasileiro ajustar a posição, encaixando os ganchos com os pés. Quando Alvarez conseguiu levantar com o brasileiro mochilado, o brasileiro passou o braço por baixo do queixo de seu oponente, finalizando a luta após 3:11 do primeiro round.

Logo após ser tirado de cima de Alvarez, Ronaldo se dirige para Henry Cejudo gritando “Lembre meu nome”. No anúncio da luta, no episódio anterior, quando Cejudo convocou o brasileiro, acabou chamando-o de Rafael ao invés de Ronaldo.

Não posso culpar Cejudo, Rafael é um nome bonito. Depois, Ronaldo foi até o vestiário do time adversário para cumprimentar o técnico e conferiu se ele já sabia pronunciar Ronaldo direitinho, amenizando o clima que ficou após a luta.

A vitória de Ronaldo Cândido o levou para a próxima etapa da competição, quando enfrentará seu compenheiro de time Eric Shelton. Mais do que isso, ele conquistou mais uma vitória para o Team Benavidez, empatando a competição com o Team Cejudo em três vitórias para cada lado. Agora, desempatando o confronto de times, teremos no próximo episódio o encontro de Matt Schnell e Matt Rizzo. Que vença o melhor Matt!

E aí, empolgado para o próximo episódio? O que achou deste? Deixe suas opiniões nos comentários!

  • Rafael Alves

    Tenho acompanhado o TUF por suas resenhas xará… e me entretido tanto quanto costumava me entreter nas antigas colunas. Parabéns por, principalmente, ter buscado seu próprio estilo!
    Só uma crítica… quando no título você diz que o brasileiro ganhou meio que deu spoiler do próprio texto. Normalmente leio pra ver qual equipe foi melhor, acompanhar a luta visualisando através da resenha… dessa vez perdeu um pouco do “e agora..?” que poderia ter quando o brasileiro sofreu o knockdown.
    Aliás, concordo, ele deveria inclusive usar Rafael como apelido, muito mais bonito.

    • Eu que fiz o subtítulo, vou tomar cuidado com isso.

      • Anderson Cachapuz

        É impressionante, hein.. é só a gente tirar o olho que vc já faz besteira… vou descontar do seu salário… /Sader-Off

    • Rafael Oreiro

      Muito obrigado pelos elogios e pelo feedback xará! Inclusive, tenho Alves como sobrenome também, então somos mais xarás ainda hahahaha. Abraço e apareça sempre por aqui!

  • Marcos E

    É muito engraçado. Eles não falam “Cândido”. Falam sempre “Candíido”.

  • Bruno Fares

    “Começando o episódio, temos uma daquelas sempre divertidas (ou não) aparições de Dana White, elogiando o desempenho dos lutadores que, até agora, finalizaram todas as lutas da competição, calando a boca de várias pessoas que critica as lutas do peso mosca, como nosso colega Bruno Sader. Chupa, Sader. Chatíssimo.”

    Cade o Juiz????? Pode isso Editor??

    • Opa, se pode. Pode muito.

    • Rafael Oreiro

      Texto é meu, eu faço o que quiser. Faz um seu que aí tu pode botar o que você quiser.

      • Anderson Cachapuz

        huDHauehuHDUAEhuHDUAHeuhUDHAEUhUDHUeahuhDAE
        #ChupaSader

  • James sousa

    ” calando a boca de várias pessoas que critica as lutas do peso mosca, como nosso colega Bruno Sader. Chupa, Sader. Chatíssimo.” hahaha boa Oreiro , em relação a luta grande reviravolta a favor do Rafael ops Ronaldo

    • Rafael Oreiro

      Alvarez foi com sede demais ao pote e deu mole pro BJJ do Ronaldo, deu no que deu.