The Ultimate Fighter 24: Team Cejudo vs. Team Benavidez – Episódio 10

Antepenúltimo episódio fechou a lista dos quatro semifinalistas, mantendo os dois favoritos em lados diferentes da chave. O episódio contou ainda com a participação de um ex-campeão ajudando nos treinos.

Fala, galera ligada no MMA Brasil! Estamos aqui novamente para falar da reta final do The Ultimate Fighter 24: Tournament of Champions, que chega ao antepenúltimo episódio. No anterior, vimos a vitória do Hiromasa Ogikubo sobre Adam Antolin, confirmando a presença do japonês nas semifinais, quando enfrentará o brasileiro Alexandre Pantoja. Agora, neste episódio, teremos a definição de outros dois semifinalistas, com duas lutas de quartas de final.

Estrelando a primeira luta da noite estarão dois representantes do Time Benavidez: Eric Shelton e Ronaldo Cândido. Shelton foi uma das maiores surpresas da competição ao finalizar no quarto episódio o segundo ranqueado na competição, Yoni Sherbatov, enquanto o brasileiro Cândido conseguiu uma boa virada contra Jaime Alvarez, no quinto episódio, finalizando no primeiro round logo após tomar um knockdown. Dana White já começou o episódio declarando que Ronaldo Cândido é o favorito e que Shelton precisa mostrar que a vitória contra Sherbatov não foi um acaso.

Começando a sessão de treinos do Team Benavidez, Joseph anuncia a saída de um de seus técnicos, que será substituído por TJ Dillashaw. O ex-campeão dos galos aparece relembrando seus tempos no TUF 14, quando foi nocauteado na final por John Dodson, após ser bastante chato elogiado durante a temporada. Joseph Benavidez também explica para Shelton e Cândido que não estará no córner de nenhum deles e não fará nenhuma preparação específica para nenhum deles, sem escolher lados, como já é de praxe de todas as lutas entre integrantes de um mesmo time.

Sem Benavidez, os dois lutadores são muito ajudados por Dillashaw durante sua preparação. O ex-campeão, por ter acabado de chegar, não consegue demonstrar nenhum favoritismo. Ele ajuda Cândido com sua movimentação em pé e entradas de queda, enquanto dá dicas para Shelton de fintas e movimentação para dificultar as quedas de seu adversário.

Chegamos então na pesagem oficial para a luta (tá passando rápido, hein?). Eric Shelton (125,8lb) e Ronaldo Cândido (125,5lb) compareceram (diferentemente de Kelvin Gastelum, no UFC 205) e bateram o peso da categoria, confirmando oficialmente a luta e fazendo mais uma encarada tranquila nesta temporada.

Agora, sem mais enrolações, vamos diretamente para a primeira luta do episódio.

Luta 11: Eric Shelton (Team Benavidez) vs. Ronaldo Cândido (Team Benavidez)

A luta começou com Cândido tomando o centro do cage, tentando acertar alguns chutes e se aproximar para entrar em queda, mas Shelton defendeu muito bem duas tentativas. Após insistir muito na queda na grade, o brasileiro finalmente conseguiu fazer o americano sentar no chão e quase chegou nas costas, mas, após um inversão, acabou por baixo. Apesar de ser menos capacitado no jiu-jítsu do que seu adversário, Shelton passou a controlar bem Cândido no chão, da meia guarda, soltando diversos golpes. Quando o brasileiro conseguiu repor a guarda, Shelton decidiu não se arriscar e se levantou rapidamente, voltando para a luta em pé. Ali, Cândido tentou novamente levar a luta para baixo, mas sem sucesso. Na trocação, o americano passou a levar vantagem por ser mais preciso, acertando mais golpes que o brasileiro, que parecia frustrado por não conseguir voltar ao chão.

Na segunda parcial, vemos a luta seguindo o mesmo ritmo do final do round anterior, com Shelton levando vantagem na trocação se aproveitando das brechas que Cândido, que sem conseguir derrubar, começa a dar cada vez mais. Quando o americano passou a trocar mais plantado no centro do cage, Cândido finalmente conseguiu se aproximar e levar para a grande, mas, ainda assim, Shelton conseguiu fazer o sprawl e inverter a posição, levantando rapidamente. Voltando à trocação, Shelton acertou boas combinações e, confortável, decidiu tentar um soco rodado que deu a oportunidade para o brasileiro grudar novamente, quase pegando as costas. Muito sólido nas defesas de queda, Shelton se livrou novamente da posição e acertou uma excelente canelada na face do brasileiro. Já aparentando estar cansado, Cândido passou a tentar entrar em queda cada vez de mais longe, facilitando a vida de Shelton, que passou o último minuto de round dominando na trocação, usando bastante a movimentação lateral e finalmente terminou o round levando o brasileiro para o chão em um double leg.

Terminada a luta, nenhum dos juízes viu a necessidade da realização do terceiro round, marcando unanimemente a vitória de Eric Shelton.

Cândido lamente muito a derrota, mas diz que ainda é o começo de sua carreira e que vai trabalhar muito para voltar melhor. Agora, Eric Shelton está confirmado nas semifinais e vai esperar a definição da última quarta de final, que será estrelada por Matt Schnell e Tim Elliott. Schnell foi o vencedor da batalha dos Matts no episódio 6, conseguindo um bonito triângulo da guarda em cima de Matt Rizzo, enquanto Elliott foi muito menos sutil em sua vitória por finalização, encaixando uma forte bulldog choke em Charlie Alaniz no sétimo episódio.

Chegando rapidamente na preparação de Elliott, vemos Joseph Benavidez elogiando bastante seu pupilo, falando que seu jogo de chão é um dos melhores e que seu estilo em pé é muito difícil de acompanhar. Tim Elliott chega então para falar que gosta muito do casamento contra Schnell e que acha que esta luta vai ser ainda mais fácil que sua primeira. Ele também comenta que tem preferido manter parte de suas habilidades escondidas, falando que tem lutado de postura ortodoxa até agora na competição, apesar de ser melhor na base de canhoto, e que pretende repetir a estratégia contra Schnell.

Pulando para a preparação de Schnell no time de Henry Cejudo, o lutador também demonstra gostar bastante do casamento com Elliott e diz que a luta deve ser bastante animada. Ele ainda comenta que seu plano de luta é acertar socos no queixo de seu adversário. Simples, mas efetivo.

Passadas as preparações, vamos então para a segunda pesagem do episódio, na qual Tim Elliott (126lb) e Matt Schnell (126lb) bateram o peso da categoria e confirmaram oficialmente a luta, fazendo uma encarada sem graça, com nenhum dos dois se olhando nos olhos.

Terminadas as formalidades, vamos diretamente para o que interessa.

Luta 12: Matt Schnell (Team Cejudo) vs. Tim Elliott (Team Benavidez)

Mal começado o round, Tim Elliott soltou um chute rodado ao mesmo tempo em que Schnell tentava chutar, o que resultou no chute de Matt pegando onde não devia e fazendo Elliott cair no chão sentindo muita dor, agradecendo por já ter feito uma filha. Recuperado do golpe baixo, Elliott voltou com sangue nos olhos, soltando diversos golpes e se aproximando de Schnell, conseguindo grudar e levando a luta para o chão. Matt conseguiu usar a grade para levantar rapidamente, levando para um clinch em que ambos começaram a trocar golpes insanamente, fazendo o protetor bucal de Schnell voar longe.

Voltando a ser um pouco mais conservador, Elliott passou a pressionar o rival na grade e, após uma tentativa de queda de Schnell mal sucedida, conseguiu levar a luta para o chão em um single leg, aterrissando já com a guarda passada. Matt conseguiu repor a guarda rapidamente e, mostrando novamente uma guarda ativa, tentou uma chave de braço muito perigosa, que foi muito bem defendida por Elliott. Escapando da tentitiva de finalização, Tim continuou a golpear da guarda enquanto Matt tentava se aproximar da grade para levantar e, quando conseguiu tirar as costas do chão, acabou deixando o pescoço exposto para um estranho triângulo de mão, que fez Schnell bater frnéticamente na marca de 3:44 do primeiro round.

Tim Elliot foi declarado o último semifinalista da competição, confirmando a vantagem do Time Benavidez no torneio, com três representantes contra somente um do Time Cejudo.

No próximo episódio, teremos a definição da final do torneio. Sim, é isso mesmo que você ouviu, as duas semifinais acontecerão no próximo episódio, mostrando os confrontos entre Alexandre Pantoja e Hiromasa Ogikubo e entre Eric Shelton e Tim Elliot. Estamos chegando cada vez mais perto da final da definição de quem será surrado desafiará Demetrious Johnson no dia 3 de dezembro.

E aí, empolgado para o próximo episódio? O que achou deste? Deixe suas opiniões nos comentários!

  • James sousa

    Eric Shelton vai tentar surpreender novamente mais aposto em uma final Elliot e Pantoja

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    TJ Dillashaw fez o papel certinho, treinou um e depois foi treinar o outro, só dá margem pra zoação kk