The Ultimate Fighter 24: Team Benavidez vs Team Cejudo – Episódio 1

The Ultimate Fighter 24: Team Benavidez vs Team Cejudo – Episódio 1
MMA

Com um modelo de disputa similar ao TUF 20, o TUF 24 inicia a disputa entre campeões que vai definir o próximo desafiante de Demetrious Johnson, em dezembro.

Fala, galera! Mais um semestre chegou e desta vez serei eu, Rafael Oreiro, que acompanharei com vocês o reality show The Ultimate Fighter. Nosso querido Anderson Cachapuz acabou de ser papai e não poderá estar junto conosco desta vez (abraço, Cacha e Cachapinha!), mas farei o possível para vocês não sentirem falta dele nas resenhas do TUF 24: Tournament Of Champions.

Então, vamos ao que interessa. Esta temporada do TUF traz um novo atrativo: o elenco de lutadores é composto somente por campeões de organizações espalhadas pelo mundo e o vencedor terá a oportunidade de apanhar enfrentar o campeão do UFC, Demetrious Johnson. Nessa jornada, eles serão treinados por dois lutadores que já apanharam enfrentaram Demetrious, os americanos Joseph Benavidez e Henry Cejudo.

LEIA MAIS Vem aí o TUF 24: novo formato pode salvar fórmula desgastada?

tuf-24-elenco-cast

Dana White entra na academia do TUF, onde todos os lutadores já estão reunidos, cada qual com seu cinturão. Ele faz seu clássico discurso de motivação “blá blá blá essa é a melhor ideia que já tivemos blá blá blá estou realmente animado pra essa temporada”. Após as grandes palavras de sabedoria, ele chama o campeão Demetrious Johnson para meter medo incentivar os lutadores a aprenderem com seus técnicos e falar que espera o vencedor no dia 3 de dezembro, em Las Vegas.

Chega o momento de os treinadores selecionarem seus times. O sistema de torneio é explicado, é similar ao que foi usado no TUF 20, quando tivemos o torneio do peso palha feminino. Todos os lutadores foram previamente ranqueados pelos matchmakers do UFC e os confrontos preliminares foram definidos, com o primeiro do ranking enfrentando o último, o segundo pegando o penúltimo e assim por diante. Quando um treinador escolhe um lutador, o oponente casado para ele vai automaticamente para o outro time.

Dana White joga a moedinha para cima e é Benavidez que terá o direito de escolher o primeiro lutador. O destaque da seleção foi quando Cejudo, ao escolher Alexandre Pantoja, fez com que Brandon Moreno fosse para o Team Benavidez. Moreno é parceiro de treinos e amigo pessoal de Cejudo, eles se decepcionaram bastante por não estarem no mesmo time.

Após as seleções, os times ficaram assim:

Team Benavidez: #3 Tim Elliot, #4 Damacio Page, #5 Hiromasa Ogikubo, #7 Ronaldo Cândido, #8 Terrence Mitchell, #11 Matt Rizzo, #15 Eric Shelton e #16 Brandon Moreno.

Team Cejudo: #1 Alexandre Pantoja, #2 Yoni Sherbatov, #6 Matt Schnell, #9 Kai Kara-France, #10 Jamie Alvarez, #12 Nkazimulo Zulu, #13 Adam Antolin e #14 Charlie Arnaiz.

tuf-24-poster

Chegando à casa, os lutadores comentam como pode ser interessante estar com pessoas de diversas nacionalidades na casa (temos dois brasileiros, um mexicano, um japonês e um sul-africano, além dos americanos) e que a comunicação não vai ser um problema. Corta a cena para o pessoal do Team Benavidez tendo que recorrer à antiga linguagem da gesticulação para discutir com o japonês Ogikubo qual seria a sua cama. Realmente, a comunicação parece estar indo bem. Outro destaque foi durante a conversa entre os adversários Pantoja e Moreno, em que um falava português e o outro, espanhol. Quando Moreno falou que seu pai é vendedor de piñatas, Pantoja entendeu que ele era vendedor de pinheiros de Natal. É, comunicação realmente não será um problema.

Já tendo os times formados, as lutas casadas e os lutadores acomodados em suas camas, está tudo pronto pra começar a bagaça. O duelo que vai abrir os trabalhos será entre o brasileiro Alexandre Pantoja e o mexicano Brandon Moreno. Pantoja é o atual campeão da RFA e antigo campeão do Shooto Brasil – inclusive, em sua ultima luta, venceu o compenheiro de elenco Damacio Page, no confronto dos campeões da RFA e do Legacy FC. Já Moreno é um campeão de menos expressão, tendo o título do WFF, um evento regional do Arizona.

Cejudo decidiu não ajudar na preparação de Pantoja nesta luta, pois Brandon Moreno é seu amigo e o técnico não se sentiria confortável treinando seu rival para esta luta.

Vamos então para a pesagem. Ambos bateram o peso, confirmando a luta. Enquanto isso, Dana White faz uma aparição para exaltar as qualidades dos dois atletas e falar que, apesar de Moreno ser o último ranqueado, ele ainda é um perigo para Pantoja. Dana sempre genial em seus comentários. Então, sem mais perda de tempo, vamos à primeira luta.

Luta 1: Alexandre Pantoja (Team Cejudo) vs Brandon Moreno (Team Benavidez)

Os lutadores entraram no octógono mais do que dispostos a trocar porrada, proporcionando ótimos momentos de trocação, como uma bonita joelhada voadora de Moreno. Pantoja não se intimidou nem por um segundo e continuou a perseguir o mexicano por todo o cage, disparando socos e chutes baixos. Eles acabaram o excelente round ensanguentados, levando Dana White ao delírio.

O segundo assalto começou com mais do mesmo, só que com os lutadores bem mais desgastados. Após ser derrubado e levantar duas vezes, Pantoja decidiu mostrar para o mexicano qual é o peso de um faixa preta de jiu-jítsu. O brasileiro pegou as costas do oponente após uma queda estranha e só saiu dali após fazer o mexicano batucar num mata-leão, na marca de 3:43 do segundo round.

O pós-luta é de muita emoção para Cejudo, que vai consolar seu amigo após a derrota. Moreno não tem nada do que se envergonhar, pois fez uma grande apresentação, na qual o maior golpe foi nas pessoas que insistem em falar que a divisão dos moscas só produz lutas chatas.

No segundo combate do episódio, temos o neozelandês Kai Kara-France enfrentando o enorme Terrence Mitchell. Kara-France é campeão do evento K-OZ Entertainment Braggin Rights, na Austrália, e atualmente mora na Tailândia para desenvolver melhor seu muay thai na Tiger Muay Thai, em Phuket. Já Mitchell é campeão do AFC, uma organização regional do Alasca. Ele possui incrível 1,71m de altura, bastante alto para a divisão. Também é dono de uma arcada dentária extraordinária, seu protetor bucal deve ser até feito sob medida. Dana White aparece para falar que se tem alguém para atordoar Johnson, este é Kara-France, e que a altura de Mitchell realmente pode levar problemas para o campeão. Dana novamente preciso.

Durante a preparação, Cejudo se preocupa bastante com o nervosismo por parte de Kara, achando que sua confiança pode afetar seu desempenho. Enquanto isso, no Team Benavidez, Danny Castillo é o responsável por demonstrar para Mitchell como usar seu alcance. Castillo faz seu atleta esticar o braço e demonstra como é dificil para quem está no outro lado acertar um golpe por cima de sua envergadura. Acho que Mitchell já deveria ter percebido isso neste ponto de sua carreira.

Vamos então novamente para a pesagem, em que ambos batem o peso e confirmam a luta. Em seguida, se sucedeu uma encarada parcialmente nervosa, com Mitchell esticando o braço, sem deixar Kara-France se aproximar. Aprendeu direitinho com o Castillo, hein? Vamos então sem mais delongas para a segunda luta.

Luta 2: Kai Kara-France (Team Cejudo) vs Terrence Mitchell (Team Benavidez)

Em menos de dez sgundos, Kara-France soltou um forte chute baixo e um overhand que fez Mitchell balançar. O neozolandês continuou pressionando com golpes muito fortes e, após Mitchell levantar de um knockdown, soltou outro overhand, que entrou limpo no queixo de Terrence, que desabou que nem uma árvore, de cara no chão. Kai Kara-France foi declarado vencedor por nocaute aos 30 segundos do primeiro round.

Cejudo comemora após as duas primeiras vitórias de seu time. Com isso, o confronto entre Alexandre Pantoja e Kai Kara-France está definido para a próxima etapa da competição. No próximo episódio, teremos o confronto entre o japonês Hiromasa Ogikubo e o sul-africano Nkazimulo Zulu.

E aí, empolgado para a sequência do TUF 24? O que achou deste episódio inicial? Deixe suas opiniões ou sugestões nos comentários!

  • João Gabriel Gelli

    Excelente estreia. Sinto que teremos mais uma ótima cobertura para um ótimo TUF.

    Acredito que a luta entre o Pantoja e o Moreno foi a melhor que eu já vi dentro da casa de um TUF.

    Minha bold prediction para a temporada: Kai Kara France vai nocautear o Pantoja e mais alguém, pela chave, acredito que venha a ser o Ogikubo, para chegar até a final.

    • Manu

      Eu tbm to com essa previsão. Me parece que Pantoja não tem a mesma pressão em pé que alguns lutadores como o próprio Bran e o Kai. E eu fiquei surpreso com o Yoni como 2#. Não conheço o russo mas parece ser casca grossa só pela terminação do nome e da nacionalidade hahahaha

      • João Gabriel Gelli

        Sherbatov já apareceu no MMA Além do UFC. Ele é um dos favoritos mesmo, mas também fiquei surpreso de ver ele na frente do Elliott no ranking.

    • Rafael Oreiro

      Se o Pantoja entrar aberto do mesmo jeito que entrou contra o Moreno, a chance de ser nocauteado pelo Kai é gigante. Mas se for com a estratégia certa e levar pro chão, deve finalizar.

  • Anderson Cachapuz

    Bom, eu ainda não vi o primeiro episódio… agora, estou me sentindo do outro lado da tela… acompanhando só pelas resenhas do site… hehehehe

    Ficou ótimo o texto, Rafael… uma questão de preferência (eu faço assim porque prefiro assim) é detalhar mais alguns momentos da luta… não que tenha ficado ruim assim a análise resumida, mas não sei se quem tá acompanhando só por aqui (como eu acompanhei este primeiro) vai sentir falta de detalhes…

    Mas no geral, nota 9 pra sua estréia… parabéns, cara!! Ficou bem bom! :)

    • Rafael Oreiro

      Valeu Anderson! Preferi não detalhar tanto a primeira luta porque se não o texto ficaria muito longo com as duas lutas, e a luta teve ação pra caramba hahaha. Como tinha o video dos highlights, achei que ia ajudar o pessoal a ter uma boa noção da luta. De qualquer jeito, pode deixar que nas próximas vou tentar descrever melhor!

  • James sousa

    boa luta pra começa o TUF

  • Bruno Moraes da Costa

    Sempre esqueço de assistir aos episódios do TUF, até por ser um péssimo horário pra mim – normalmente nesse horário tá rolando “Show da Luna” (!).

    Mas valeu a cobertura, achei ótima a resenha do episódio. Quem sugerir que se adicione mais detalhes na descrição das lutas claramente é hater! @andersoncachapuz:disqus , ops… HAHAHAHA

    Parabéns ao Rafael pela estreia na coluna, uma pena pro Cachapuz que bem na hora do TUF mais interessante das últimas temporadas ele não pôde cobrir.

    • Anderson Cachapuz

      Acho que a tendência é cada vez mais o próximo TUF ser o mais interessante..

      Porque ou eles se reinventam e inventam ou o programa acaba… rs

    • Rafael Oreiro

      Muito obrigado Bruno, volte sempre!

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Eu vi o primeiro e o segundo na internet pois já tá passando nos EUA, e tá fantástico, aliás esse Kara France realmente tem poder de nocaute incomum na divisão, boto fé nesse cara, que pena que vai enfrentar um brasileiro, estou curioso é pra estreia do Ronaldo Cândido, o cara me parece craque no chão e tá invicto ainda.

    • Rafael Oreiro

      Kara France realmente me surpreendeu, tem 23 anos ainda e uma mentalidade maneira. Muito potencial.

  • Patrick Santos

    O Pantoja tem uma trocação deficiente, fiquei um pouco decepcionado ontem. Foi a primeira luta que assisti dele mas sabia que treinava com o Sheymon Moraes e o Vitor Oristanio, esse último já foi adversário de um parceiro de treinos meu no kickboxing e Vitor simplesmente parou o ginásio pra assistir ele vencer a semi do meu amigo, apesar de ter perdido a final logo após. Mesmo sendo faixa preta de BJJ, esperava um kickboxing mais limpo por conta desse peso que a Black House tem pra mim, costumo acompanhar bastante a equipe. Reparem que ele ficou com um corte no supercílio que provavelmente será aberto na luta com o Kai e vai dificultar a vida dele logo no início. É sobre o Castillo, ser treinado por ele deve ser uma bela duma broxada…

    • Rafael Oreiro

      Pantoja realmente se abriu demais nessa luta, se fizer a mesma coisa contra o France tem grandes chances de se ferrar. Já era pra ele ter refinado um pouco essa trocação na Black House mesmo.

    • Coincidência da porra. Eu conheci o Vitor quando ele era gurizinho, com uns 6 anos. Nunca imaginei que viraria lutador hahaha.

      • Patrick Santos

        Cara, baseado no que eu vi, ele é respeitado pra cacete pela galera, pelo menos na região. O conheci naquele campeonato que falei sobre aqui nos comentários uma vez. E na hora que o vi no tatame, realmente, faixa preta excepcional. Ele é cria de Daniel Mattos, outro monstro.

  • Weslei Alvarenga

    É uma pena q poderá ser um dos TUF’s mais irados de todos ( o melhor desde a edição 14 ) e terá uma audiência tão pífia.

    Acho q o nervosismo bateu no Pantoja, teve hrs q ele ia todo aberto, principalmente no R2, foi q nem louco ( estilo Lawler, mas sem a grife do submundo ), mas teve mérito do Moreno lutou mto.

    Rafael, por experiência própria e de mto consumir isso. Quando vc faz uma análise semanal ( q seja… séries, quadrinhos, livros, novelas e etc ) e transpor pra qualquer mídia ( escrito, video ou audio ). Transcrever oq ocorreu no episódio todo fica maçante ( n é algo errado, q fique claro ), nas lutas isso é necessário mas no período pré e pós luta, vc pode resumir bem, da umas citadas oq vc achou de interessante no q ocorreu nesse intervalo.
    E tbm detalha mais um pouco nas lutas, pq ficou estranho lendo uma ação e em seguida outra ação ( cadê a reação/consequências no meio ? Tive q ate ler 2x kkkkkk ), msm transcrevendo uma luta, é necessário.

    No mais, parabéns pela estréia, semana q vem estarei aqui lendo novamente e é bom da uma renovada.

    Ps : Sentirei sdds do preguiçoso e zueiro do Cachapuz.

    • Rafael Oreiro

      Se for o melhor desde o 14, já vai ser mais do que excelente! Valeu pelo feedback Weslei, abraço!

    • Opa, precisamos de mais feedbacks pra melhorarmos sempre. Obrigado, Weslei!

    • Anderson Cachapuz

      Vcs não comentavam nos textos, Alexandre me colocou na geladeira… :p

      • Rafael Oreiro

        Tomara que o pessoal comente mais agora, se não o Alexandre vem pra cima de mim também.

  • Saulo Henrique

    Bem vindo, mano Rafael. Gostei da resenha…e Cacha..bem vindo ao mundo da insônia. .hahaha
    Fico assombrado em pensar que tiveram que ” catar” campeões de outros eventos para combater o Dj..e fico pensando. .se ele atropelar o desafiante. .vão “repaginar “o top 10 com essa galera ai? ” segundo tempo, gente. ! ” hahaha. Parabéns Alexandre por esse site foda.

    • Rafael Oreiro

      Se ele atropelar quem sair desse programa e talvez o vencedor de Benavidez/Cejudo, eu acho que vão pedir gentilmente para ele subir de divisão hahaha.

    • João Gabriel Gelli

      Spoiler: Ele vai atropelar o campeão do TUF hahaha

    • Anderson Cachapuz

      Obrigado….

      Eu vim do futuro e posso afirmar que o spoiler do João é correto! :)

  • Digodasilva

    Gostei da matéria, mano. Parabéns pelo texto! Cacha fará falta, mas está bem representado e substituído à altura.

    • Rafael Oreiro

      Muito obrigado cara, volte sempre!

  • Alex Silva

    gostaria de me redimir com o garoto talentoso Rafael Oreiro, q ao me expressar mal em um bate papo sobre o TUF, talvez tenha deixado transparecer q as resenhas da última edição não tinham sido tão legais quanto as do mito Anderson Cachapuz. pois saiba q foram tão divertidas quanto! e para provar vim relembrar a primeira edição de sua autoria, e cara, vc mandou benzaço!! substituiu à altura o Cacha q teve obrigações paternas…continuem fazendo esse trabalho excelente q nós curtimos tanto. No mais, um feliz 2017 para toda equipe do site e leitores!!!