The Ultimate Fighter 16, episódio 7 – Summer Camp

The Ultimate Fighter 16, episódio 7 – Summer Camp
MMA

Resultado da luta do episódio deixa Dana White irado. Disputa entre as equipes está empatada.

No último episódio, Colton Smith venceu Eddy Ellis na decisão após dois rounds. O resultado não agradou Dana White, que não gostou da Comissão Atlética de Nevada (NSAC) ter dado 10-8 para Colton no segundo round e 10-8 para Igor Araújo na luta anterior.

Roy Nelson – que retomou a escolha das lutas – criou um método mais estranho que pegar o menor canudo para decidir o embate. Nelsão disse para seus pupilos: “não terá mais canudinhos, agora eu vou escolher um número de um a vinte. Quem acertar ou chegar mais próximo escolhe se quer lutar e contra quem”. O número era 17, Dom Waters escolheu 16. Ele aceitou lutar, mas na hora de selecionar o adversário, disse: “Escolhe você, Nelson”. O técnico respondeu que não queria escolher seu futuro (peraí, Nelson… a função do técnico não é fazer seu lutador ser campeão?). Assim, Dom passou o direito de escolha para Michael Hill, que está com sangue nos olhos para enfrentar Matt Secor. Nelson finalizou: “Se ele escolheu, ele tem que vencer”. Concordo com o Nelson, mas essa história de deixar os lutadores escolherem seus adversários não está pegando bem para sua imagem como técnico. A primeira reclamação foi o fato de só haver uma sessão de treino, e não duas.

Forrest Griffin apareceu para visitar a equipe de Roy Nelson, mas sua participação foi bem pequena. A edição só mostrou Forrest falando “dá jab, jab e soco em linha” e Cameron Diffley dizendo que fora seu instrutor de jiu-jítsu.

No perfil dos lutadores, Michael Hill contou que praticou vários esportes desde a infância e que, quando o MMA teve seu boom, ele decidiu entrar no esporte. Com muita confiança, Michael disse que aguentaria dez rounds se pudesse lutar.

A história que passaram do Matt Secor já é mais triste. Talvez para mostrar que, apesar de chato, ele é humano. Seu irmão morreu no Iraque (levou um tiro de RPG, lança-granadas-foguete, no peito, segundo Secor). Seu pai era diabético e morreu afogado no próprio vômito (pelo que entendi, ele morava sozinho, não deram muitos detalhes). Para Secor, a morte de seu pai serviu como combustível, pois ver seu ídolo morto o fez não ter medo de mais nada. A coisa boa é que ele foi campeão pan-americano de jiu-jítsu na faixa azul e roxa. A luta será um clássico wrestling x jiu-jítsu.

Com 14 minutos de episódio, começa o walkout para o octógono. Suspeito que teremos uma luta longa.

IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIT’S TIME!

O primeiro round foi chato. A coisa mais legal foi uma quase raspada do Secor. O início foi bem parado. Uns dois minutos parados, para ser mais claro. Rolaram alguns telefones e tentativas de triângulo do Secor, alguns golpes na nuca dados pelo Hill e a raspada. Eu daria 0-0, mas como não pode, dou 10-9 pro Hill, que lançou golpes mais eficientes (não, ele não deu apenas golpes na nuca).

Segundo round ainda sem animosidade. Michael, o homem que lutaria 10 rounds, se fosse permitido, aparece cansado. Ele até consegue defender uma tentativa de queda do Secor, mas depois é quedado, dá as costas, baba no chão durante uma respirada, começa a sangrar pelo nariz… É, ele não lutaria 10 rounds se a NSAC deixasse. Foram quase três minutos do Secor dominando Hill nas costas. Ele não conseguiu submeter, mas foi por pouco. Em um momento, Matt conseguiu encaixar um mata-leão, mas Hill conseguiu virar (e depois deu as costas de novo). Ao se levantar e ir ao córner, Matt grita para os colegas na arquibancada: “Isso não era para ser difícil? Sai daqui!” 10-9 para Matt. Primeiro round de desempate do programa? SIM!

“Relaxa, galëre, essa tá no papo” (Foto: Reprodução)

Terceiro round começa mais alegre, Michael acerta um soco rodado e não dá para perceber se Matt realmente sentiu ou tropeçou, mas ele aproveitou para puxar o oponente para sua guarda. Michael levanta, Matt faz o gesto “vem para minha guarda!” e se levanta dando um chute parecido com de capoeira, não sei como explicar. Ele aproveitou que estava levantando e chutou com uma mão e um pé no chão. Conseguiu acertar a cara do Michael. Aliás, falando em “vem para minha guarda”, esqueci de postar este vídeo dos Simpsons duas semanas atrás. “Crawl on top of me and meet your doom!” Jiu-Jítsu Brasileiro já chegou aos Simpsons.

A luta fica de pé novamente e, desta vez, Secor consegue quedar e cair por cima. Ele passa para a meia guarda, passa para a montada (OPA, 4 PONTOS!). Michael bobeia mais uma vez e dá as costas (mais 4 pontos para o Secor). De lá, temos uma repetição do round anterior. Faltando 10 segundos para o fim do round, Michael começa a socar de costas para o Matt, mas não acho que foi o suficiente para ele ver. 10-9 para Matt Secor.

Resultado oficial: Michael Hill venceu por decisão dividida

Dana White estava mais puto que cara traído pelo melhor amigo. “Eu não conseguia acreditar no que estava lendo antes de anunciar o resultado”, dizia o patrão do UFC. “O primeiro round foi a maior merda de todo o TUF. Eu vi o round para o Secor, perguntei para alguns e eles viram vitória do Hill… Não tem o que dar naquele primeiro round. Nos outros dois, a vitória do Secor foi clara.”

“Nunca deixe nas mãos dos juízes” (Foto: Reprodução)

Dana White ainda disse: “Esses caras não fizeram nada para vencer a luta. Eles não parecem que querem ganhar este programa, serem o vencedor do Ultimate Fighter e serem futuros campeões do UFC!”. Shane Carwin concordou com Dana comentando que Secor não fez o que era capaz, mas como “Good Ogre” que é, adicionou que é fácil falar quando se está fora do cage, já que não dá pra saber o que está acontecendo lá dentro. Bristol Marunde pensou na possibilidade de Dana ter lido os nomes errado. Até Hill reconheceu que não fez nada para vencer. Secor disse que não vai dar desculpas para a derrota, pois isso é coisa para perdedores, e ele sabe que venceu o embate. Dana ainda criticou a NSAC, dizendo que tem coisas muito erradas na Comissão.

No próximo episódio, não perca: Julian Lane vai rodar a baiana e Dana White vai até a casa dizer para os lutadores começarem a lutar de verdade se quiserem participar do TUF 16 Finale.

Podem me seguir no Twitter ou me adicionar como amigo no Facebook (os links estão abaixo). Sexta teremos Bellator 79, com Thiago Santos na luta principal (semifinal do torneio dos pesados) e o Douglas Lima.

Até a semana que vem!

  • Burity

    O que aconteceria se alguém chegasse pros juízes e perguntassem como eles vira a vitória do Hill? Rolava punição? Se não eu faria isso fácil!
    Devia ter justificativa pra cada nota que os juízes dessem, seria mais justo!

    • Não aconteceria nada, provavelmente. Mas as comissões atléticas têm o poder de afastar um juiz que eles considerem que tenha errado grosseiramente.

      E também acho que nego devia justificar.