Tai Tuivasa continua invicto após vitória sobre Andrei Arlovski no UFC 225

Por Gustavo Bizzo | 10/06/2018 00:28

No conflito de gerações, Tai Tuivasa se manteve invicto em sua terceira luta no UFC, derrotando o ex-campeão Andrei Arlovski. Os juízes deram a vitória ao australiano por decisão unânime, provando que os 14 anos de diferença entre os dois atletas fez diferença no segundo combate do card principal do UFC 225, em Chicago, Estados Unidos.

O duelo começa o primeiro assalto de forma morna, até que o primeiro contato entre os pesados acaba no clinch, que logo é separado. Os dois voltam ao centro do cage, com ambos encaixando golpes sem muita efetividade. O combate segue por mais de um minuto com ambos se estudando no octógono, até que Tuivasa toma a iniciativa, levando o veterano ao chão e ficando por cima. Arlovski se defende travando os braços do australiano por quase um minuto, o que gera algumas vaias por parte do público. Transcorridos três minutos de luta, o bielorusso se desvencilha, fica de pé, até que Bam Bam encaixa um direto significativo no rosto de Arlovski, que sofre um knockdown. O australiano escolhe não ir ao chão, esperando o Pit Bull se levantar. Os dois voltam a se enfrentar de pé, indo para a grade, quando Arlosvki coloca Tuivasa na grade, que inverte, joga o veterano no meio do cage e o castiga com uma sequência de golpes. Tuivasa, em seguida, faz a tentativa de um chute alto, perde o equilíbrio e cai. O combate volta de pé, sem o encaixe de nenhum golpe de grande efetividade, até o fim do primeiro assalto.

No segundo assalto, Arlovski se mantém mais ativo, tentando chutes na linha de cintura e na perna do australiano. Tuivasa se manteve passivo, tentando contra-atacar, mas sem conectividade. Arlovski tenta sequência de diretos, conectando na têmpora do Bam Bam. Os dois voltam a trocar, encaixando poucos golpes significativos golpes. Tuivasa aparenta sentir mais os golpes, com grande sangramento no nariz, aparentemente fraturado. Bam Bam leva o veterano à grade, que, após cerca de 15 segundos, se solta e volta ao combate no centro do cage. Os dois voltam a trocar, até que Tuivasa encaixa um bom cruzado no queixo do Pit Bull, que se mantém íntegro. Arlovski volta a atacar, Tuivasa se defende, até que o bielorusso o leva para a grade, inverte a posição e consegue uma queda. O australiano se coloca de pé rapidamente. Quando os dois voltam a trocar no centro do cage, Arloski acusa dedo no olho — confirmado pelo replay. Faltando menos de um minuto para o fim do round, o combate é retomado. Arlovski começa um sequência, encaixa, mas é contragolpeado por Bam Bam e retrocede. Os dois se estudam no meio do octógono até o fim do round, sem golpes significativo encaixados.

Os dois voltam para o último assalto com Tuivasa tomando o protagonismo e tentando sequências de socos. Os dois, aparentemente cansados, passam o primeiro minuto de luta no centro do octógono lançando golpes no ar. O combate seque morno, com Arlovski ganhando mais fôlego e tentando mais golpes, entre eles cotoveladas e chutes. Metade do round se transcorre, mas o ritmo não muda. O Pit Bull se movimenta mais pela lateral do cage e esquivando das tentativas de Tuivasa. O australiano encurta distância, leva o bielorusso à grade e aumenta o ritmo por alguns segundos, mas a luta volta ao centro do octógono. Tuivasa tem o rosto ensanguentado, aparentemente tendo seu desempenho compremetido pelos golpes no rosto. O último minuto da luta se mantém no centro, com Tuivasa exausto e Arlovski com movimentação mais ativa, embora tenha sofrido alguns golpes pouco significativos. Os dois deixam de se atacar nos últimos segundos da luta, levantando os braços, até a buzina soar.

Nas papeletas, Tai Tuivasa é o vencedor por decisão unânime, com placares de 29-28.