Rose Namajunas vence guerra com Joanna Jedrzejczyk e mantém cinturão no UFC 223

Em uma das lutas mais esperadas até agora no ano, Rose Namajunas e Joanna Jedrzejczyk fizeram uma revanche incrivelmente equilibrada na luta principal do UFC 223. Nada parecida com a primeira luta entre as duas no UFC 217, a polonesa conseguiu ter uma atuação muito melhor desta vez, mas não foi o suficiente para retomar o cinturão, que continuou com Namajunas depois de cinco rounds incrivelmente tensos.

A luta começou em ritmo rápido, com ambas se movimentando muito, mas tentando poucos golpes. Joanna começou a ser mais agressiva, tentando sequências de golpes bastante rápidos, mas que não chegavam a acertar o alvo. Enquanto isso, Namajunas se saiu melhor ao contragolpear, acertando duas combinações rápidas na face da ex-campeã. Jedrzejczyk continuou demonstrando agressividade, tendo sucesso com suas tentativas de chutes baixos e conseguindo achar melhor o tempo para entrar com socos. O round extremamente equilibrado terminou com um bom golpe conectado por Namajunas, que levou a luta para a grade até o toque do sinal.

O cenário da primeira parcial se repetiu no início da segunda, em uma luta extremamente equilibrada na troca de golpes, só que agora com Joanna dosando mais o ritmo e pressionando menos a campeã. Foi a vez então de Namajunas buscar aumentar seu volume de golpes, acertando bons socos e conseguindo quebrar a distância que a polonesa tentava manter. Passando a acertar mais do que Jedrzejczyk, a campeã levou a luta para a grade buscando uma queda, queimando o tempo que faltava para terminar o assalto na posição.

Rose Namajunas continuou o bom momento no terceiro round, surpreendendo Joanna com contragolpes e levando bastante perigo com seu gancho de esquerda, que eventualmente achava seu caminho até a face da polonesa. Jedrzejczyk continuava buscando ser a agressora na luta, mas acabava se estendendo demais em algumas tentativas de combinações, dando muito espaço para Rose contragolpear. Chegando perto do final da parcial, a polonesa buscou acelerar ainda mais o ritmo, conseguindo acertar mais golpes e crescendo na luta, voltando ao extremo equílibrio apresentado no início do embate.

A ex-campeã conseguiu passar a controlar mais o ritmo do combate, muito por causa da grande diminuição na movimentação de Namajunas, que parecia estar com a perna muito machucada pelos chutes baixos da polonesa. Totalmente confortável agora na distância, Joanna voltou a demonstrar toda a habilidade que tinha levado ela a ser uma campeã dominante no UFC, sendo muito agressiva e dando poucas oportunidades para a campeã tentar capitalizar em cima.

Ainda perigosa, Namajunas passou a buscar mais a troca de golpes franca no round final da luta, porém Joanna se saiu bem mesmo nestas situações, acertando boas joelhadas e conseguindo se defender da grande maioria dos golpes. Com sua distância completamente estabelecida e com uma movimentação bastante deteriorada da americana, a polonesa controlou bem a distância, mas acabou sofrendo com eventuais golpes da campeã. Namajunas ainda conseguiu levar a polonesa para o chão, mas pouco conseguiu fazer antes do gongo anunciar o final do combate.

Ao final do combate, os três juízes marcaram estranhos placares de 49-46, anunciando a vitória e a manutenção do cinturão de Rose Namajunas.