Rose Namajunas fala sobre lutar pela primeira vez no Brasil no UFC 237: “Um novo desafio”

Por Matheus Costa | 10/05/2019 14:40

A campeã peso palha Rose Namajunas fará sua estreia no Brasil no próximo sábado (11), quando fará a luta principal do UFC 237 no Rio de Janeiro contra a brasileira Jessica Andrade. A rainha da divisão marcou presença durante o media day do evento na quinta-feira (9) e conversou com a equipe do MMA Brasil.

Uma das grandes questões sobre lutadores que vem lutar no Brasil, obviamente, é a pressão bastante acentuada da torcida brasileira. Alguns se deixam se levar, alguns não ligam e outros realmente sentem a pressão. Rose, por exemplo, afirmou que é um novo desafio para sua carreira, mas que a vida de lutadora não é confortável e isso já lhe deixa preparada para a ocasião.

“Eu acho que lutar não é sobre estar confortável, claro que não será confortável, mas é um novo desafio, é um novo nível… Sabe, é apenas um novo desafio e também um pouco intensificado. Mas como eu estou fazendo isso há muito tempo e deus está me testando e apresentando mais esse desafio, é tudo parte do plano divino.”

Um fato curioso sobre o desafio de sábado é que, depois de muito tempo, Rose enfrentará uma adversária que não usufrui da tática do trash talking, algo que se torna cada vez mais comum para promover as lutas de MMA. Todavia, Rose não sente diferença nisso, afinal, o objetivo é sempre o mesmo: vencê-la.

“Isso não faz nenhuma diferença, porque tudo se resume sobre como eu controlo a mim mesma. Têm garotas que querem falar, outras não querem falar, elas são todas minhas oponentes e a missão delas é sempre a mesma no final: tentar ganhar de mim. A minha missão é tentar me superar”, afirmou.

Rose sempre foi bastante vocal sobre seus problemas psicológicos, especialmente sua luta contra a depressão ao longo dos anos. Da mesma forma, a campeã sempre deixou bastante claro que as artes marciais, literalmente, salvaram sua vida. Namajunas falou sobre o desafio de sempre tentar se superar e propagar a palavra do esporte para que mais pessoas possam ser ajudadas e salvas.

“Se você quer fazer um trash talk, ok, legal, mas se isso for algo forçado definitivamente fica constrangedor se não for algo natural. Eu acho que as artes marciais tem sido algo muito importante na minha vida, então eu acho que o importante é continuar a me superar e divulgar a palavra das artes marciais para outras pessoas.”

E mesmo na melhor fase da sua carreira com duas vitórias dominantes sobre a ex-campeã Joanna Jedreczjyk, Rose está como azarona nas casas de apostas para o duelo contra Jéssica. Mas isso não afeta a campeã, que acha que os músculos da brasileira fazem com que ela seja intimidadora. Entretanto, ela afirma que é preciso muito mais do que agressividade e força para vencer uma luta.

“Talvez seja por causa dos grandes músculos dela, eu não sei… talvez as pessoas se sintam intimidadas por isso, então eu não sei. Mas eu nunca prestei atenção nisso, até porque é preciso de mais do que força física e agressividade para se ganhar uma luta.”, finalizou.