Ronaldo Jacaré nocauteia Chris Weidman em pancadaria no UFC 230

Por Gustavo Lima | 04/11/2018 01:18

No duelo coprincipal do UFC 230, Ronaldo Jacaré voltou a vencer um nome de peso para se restabelecer no topo da divisão dos médios. O brasileiro fez de Chris Weidman sua mais recente vítima, em um grande duelo que transcorreu majoritariamente na trocação.

O duelo começou com os dois lutadores esboçando uma trocação, na qual Weidman se mostrava mais confortável e veloz. Jacaré tentou o clinch para embolar o oponente, que rapidamente se desvencilhou. Ronaldo arriscou alguns mata-cobras e pouco tempo depois recebeu bons socos de Weidman, chegando a balançar um pouco. Chris trabalhou bem os jabs ao longo da primeira etapa, encontrando a distância e deixando Jacaré sem muitas alternativas. Na reta final do round, quando o estadunidense parecia ter o controle da luta, Souza pendulou algumas vezes e acertou bons ganchos na linha de cintura do oponente, mesclados com diretos e joelhadas, mas nada que o garantisse uma virada na parcial do primeiro terço.

No retorno ao segundo assalto, Weidman continuou afastando e anulando Jacaré na base dos jabs. Após mais ou menos um minuto transcorrido, Jacaré passou a avançar impetuosamente e o duelo virou uma disputa alucinante de trocação, com o brasileiro buscando o thai clinch em vários momentos e jogando suingues. Em um desses momentos, Chris carimbou o adversário com um direto, com o mesmo se recusando a ceder. A partir daquele momento em diante, o que se viu no cage do Madison Square Garden foi uma pancadaria divertidíssima, mesmo se tratando de um duelo entre grapplers. Weidman controlava mais a luta, enquanto Jacaré tinha seus lampejos. Por volta de um minuto do final, Souza se desequilibrou e foi pego por Weidman no back clinch, mas conseguiu rolar para reverter a posição e terminar o round em pé.

O terço final da luta seguiu a mesma tônica de pancadaria caótica. Enquanto o ex-campeão seguia acertando um volume maior de golpes, Jacaré andava pra frente sem parar e jogava as pancadas mais fortes, especialmente no corpo do adversário. Com dois atletas já demonstrando sinais de cansaço, Ronaldo jogou um direto brutal em Weidman, que caiu totalmente desmontado. De maneira bizarra, o experiente árbitro Dan Miragliotta não parou a luta, obrigando Jacaré a acertar mais dois socos em Chris no chão para que o final do duelo fosse decretado.

Paulista, patologicamente apaixonado por MMA, futebol e música.