Rodrigo Minotauro fala sobre ida do UFC à China continental e novos talentos brasileiros

Por Lucas Dib

Aposentado do MMA desde 2015, Rodrigo Minotauro segue forte como embaixador do UFC. O ex-campeão interino dos pesados do UFC e ex-campeão dos pesados do Pride é figura carimbada em quase todos os eventos da organização, inclusive ajudando na entrada de diversos nomes de diversos países para a organização.

No próximo sábado, o UFC visitará a China pela primeira vez desde 2014, e agora com uma novidade. Depois de eventos em Macau, uma região administrativa do pais mais populoso do mundo, a organização monta a sua estrutura pela primeira vez em Xangai, na parte continental. Entrevistado pelo MMA Brasil no media day do evento, o baiano comentou sobre a novidade:

“É o começo de tudo, é bom que eles precisaram de mim nesse card, porque queremos ver o crescimento do esporte em todo lugar. Senti que foi um bom negócio, o UFC está fazendo um programa com os lutadores aqui da China, mandando eles para os Estados Unidos pra pegar um nível melhor. Espero que eles mandem alguns lutadores do Brasil, pra eles conhecerem sobre o nosso jiu-jítsu, o nosso estilo de lutar brasileiro. E fico feliz com isso, está no comecinho, o Jingliang é um lutador muito famoso já. Ele treina na China Top Team, de um amigo nosso, junto daquele cara o Guan Wang, que é um cara que tem cartel excelente. Ele treina em outros lugares também, treina junto com os caras do Daguestão. Acho que a China é um excelente mercado porque pega essa parte da Rússia, eles vão trocar muito e logo vão crescer no esporte. A China está muito perto da Rússia e tem um excelente nível lá”

Aproveitando o gancho, Minotauro também foi perguntado sobre a possível ida do UFC à Rússia, um país emergente no MMA, que conta com diversos bons representantes no plantel do UFC e que ainda não recebeu nenhum evento da maior organização do mundo:

“Acredito que vá para a Rússia. Não sei exatamente os planos da empresa, mas eles (UFC) já viram que a Rússia tem um bom potencial de lutadores. Eu trabalho mais com a parte de ver lutadores e a gente vê que Brasil, Estados Unidos e Rússia são os três grandes países, desde a época do Japão, mas a gente pensa que tem uma safra muito boa do Daguestão e de Moscou, são duas regiões diferentes, mas todo o leste europeu tem muita gente boa”.

E é claro que Minotauro não poderia deixar de falar sobre os atletas brasileiros. Abordamos a questão da renovação dos lutadores, já que atletas como Anderson Silva, Lyoto Machida Vitor Belfort atualmente se encontram no estágio final de suas respectivas carreiras. Rodrigo comentou sobre a nova safra de lutadores com positividade:

“Tem vários novos talentos surgindo. Justamente, estamos em uma nova geração, uma nova safra. A gente vê que tem muita gente boa, o próprio Borrachinha você vê que é um talento novo surgindo, temos vários e que pegam vários lutadores bons. O Thomas Almeida é um talento, mas não chegou a ser campeão porque perdeu pro Cody (Garbrandt), que é campeão. Tem um cara que vai entrar no peso do Borrachinha, que é o Markus Maluko, campeão do LFA, que é um grande evento, tipo uma segunda divisão. Então, tem muita gente boa, o John Lineker chegou até no topo da categoria, está entre os quatro melhores. Temos muita gente boa em todas as categorias, mas a gente sabe que o momento brasileiro também é das mulheres. É que nem o vôlei, ora masculino, ora feminino. Estamos com duas campeãs e indo talvez para um terceiro cinturão porque acredito muito na Jéssica Bate-Estaca, ela pode ser campeã da categoria. Mas tem muitos caras bons”

Para fechar, o MMA Brasil perguntou qual seria a aposta de Minotauro para ser o novo ídolo do Brasil, e ele citou Paulo Borrachinha, que está invicto no MMA e já tem três vitórias no UFC:

“Aposto primeiramente no Borrachinha, é um cara que está em uma ascendente grande aí, mas tem gente aí. O Michel Trator, um lutador paraense, vem com cinco vitórias consecutivas e deve lutar no evento do Pará agora, contra um adversário a ser discutido. Está paciente, os lutadores brasileiros estão se impulsionando no ranking, isso porque teremos duas disputas de cinturão em breve, uma com o Aldo e a outra com a Cris Cyborg, mas estamos aí com Marlon Moraes, que é um craque e vem chegando. O próprio Sheymon Moraes que vai lutar aqui é um lutador novato que está se impulsionando, vem de várias vitórias, tá com 9-1. O Brasil tem. Do jeito que disputamos cinturões no ano passado, provavelmente devemos disputar uns oito novamente

* Lucas Dib é um padrinho do MMA Brasil. Confira a nossa proposta, torne-se um padrinho e receba recompensas. www.padrim.com.br/mmabrasil

  • James sousa

    Que fase do MMA brasil brasil com coberturas em eventos internacionais vida longa ao site

  • Gabriel Fareli

    Parabéns pela excelentes entrevista Lucas !