Por Alexandre Matos | 09/11/2019 22:57

Eventinho sem-vergonha. Ainda bem que ninguém precisou dormir tarde por causa disso. O UFC Rússia foi bem abaixo do esperado, com poucas exceções. A luta principal pelo menos se deu ao respeito.

O principal prospecto dos últimos tempos venceu mais uma, mas ainda segue suscitando dúvidas entre os fãs. Já o peso pesado segue mostrando que é uma tristeza, com um candidato a top 5 passando sem louvor sobre o espancador de mulher com pouca experiência fora do futebol americano. Tivemos até lutador brasileiro assaltado pela juizada local – mas isso será certamente revertido na semana que vem.

LEIA MAIS MMA Brasil Matchmaker: Lutas a casar após o UFC Moscou

Vamos em frente com as minhas impressões do que eu vi do evento disputado na CSKA Arena, na capital russa.

Zabit é tecnicamente muito superior, mas e o físico?

Em seis lutas no UFC, Zabit Magomedsharipov mostrou superioridade técnica considerável sobre todos os oponentes. Porém, muitas vezes apresenta uma desaceleração no terceiro assalto que deixa muita gente em dúvida. Neste sábado, aconteceu de novo, agora diante de Calvin Kattar.

Zabit Magomedsharipov venceu Calvin Kattar no UFC Moscou

Nem foi preciso chamar a luta agarrada, tamanha a sobreposição técnica que o striking diverso de Magomedsharipov teve contra o boxe de Kattar. O controle de distância do russo, a constante troca de base e a busca pelos ângulos minimizaram o ótimo trabalho de jabs do americano. Assim como aconteceu na derrota para Renato Moicano, mais uma vez Calvin se atrapalhou com os chutes baixos. Zabit arriscou seus conhecidos socos e chutes rodados, variou entre cabeça e corpo, se testou no pocket e superou o rival em quantidade e qualidade dos golpes.

Aqui cabe uma crítica a Zabit: ele passa a impressão que fica o tempo todo à procura do highlight, de encerrar o combate de um modo espetacular. Se colocar um pouco mais de foco e enfeitar menos, vai virar um perigo verdadeiro para qualquer um na divisão.

Voltemos ao terceiro round. Zabit tinha 20-18 como acontece em todos os seus combates. Então ele vai para o terceiro sabendo que precisa apenas chegar ao fim para vencer. Mesmo que ele perca a última parcial – e isso vem acontecendo consistentemente -, ninguém consegue chegar perto de finalizar ou de aplicar um 10-8, pois, mesmo perdendo, a impressão é que as ações estão sempre sob o entendimento do russo.

É isso que faz ele desacelerar no terceiro assalto? Talvez. Pode ser algum problema de condicionamento físico devido ao corte de peso? Talvez. Pode ser um pouco dos dois. É provável. O que não aconteceu hoje, nem nunca, foi “Zabit sofreu no último round“, uma frase que leva a outra: “Se tivesse cinco rounds, ele perderia”.

A primeira colocação é falaciosa. Em momento algum o round foi sofrido para o russo. Kattar acertou golpes contundentes e mereceu vencer a parcial, mas recebeu alguns golpes contundentes e viu Zabit bloquear uma joelhada voadora com um double leg sensacional. Acho que tem que ter muita boa vontade com Kattar para achar que o americano viraria a luta. Para mim, não ficou claro que a desaceleração aconteceu por causa de queda de rendimento físico. Se alguém discordar, vamos ao debate (com educação, para evitar banimentos) na caixa de comentários.

Isto tudo posto, Zabit está pronto para enfrentar o vencedor de Max Holloway-Alexander Volkanovski, como ele mesmo pediu após a vitória? Na minha opinião, não. Tanto o campeão quanto o desafiante representam um desafio físico muito intenso para alguém que ainda não deixou clara sua capacidade de se alongar em disputas extenuantes. Hoje, eu não colocaria minhas fichas em Zabit contra nenhum dos dois. Prefiro vê-lo numa eliminatória contra o vencedor de Brian Ortega e o Zumbi Coreano. Até mesmo porque Zabit venceu um total de zero top 5.

Apesar da vitória ampla, Volkov devia ter nocauteado o espancador de mulher

Qualquer um sabia que Alexander Volkov era um salto de qualidade muito grande para Greg Hardy, ainda mais com pouco tempo de preparação. O americano foi valente (pelo menos o foi contra um homem de seu tamanho). Levou um certo passeio, mas não representando a diferença técnica e de experiência.

Alexander Volkov venceu Greg Hardy no UFC Moscou

Volkov me deu a impressão de ter respeitado o poder de punch do Espancador. Ok, é justo, mas não justifica uma atuação travada. Além de muito melhor tecnicamente, Volkov é muito maior, ou seja, totalmente capaz (e obrigado) a controlar a distância ao seu bel-prazer. Se eu fosse técnico do russo, não aceitaria algo diferente de um passeio de um carateca contra um brigador.

Verdade seja dita: De Mulher não é mais tão cru como antes. Ele está aprendendo decentemente. Consegue fazer alguma movimentação de cabeça e coordenar algumas combinações. Nada porém que fosse surpreender um ex-campeão do Bellator, com quase 40 lutas profissionais de MMA nas costas. Pelo menos, Volkov foi respeitando menos e aumentando a vantagem sobre Espancador conforme o tempo passou. Em alguns momentos, sobrou a impressão que o “Drago” (risos) conseguiria o nocaute se apertasse o ritmo, mas isso não aconteceu. Uma pena, pois o Espancador de Mulher merece. Mas, enfim, ele pode esperar porque sua hora vai chegar.

Fica aqui uma sugestão para nosso matchmaker Bruno Costa: escalar De Mulher contra Francis Ngannou e depois contra o vencedor de Stipe Miocic-Daniel Cormier. Seria o mundo fazendo justiça.

Resenha MMA Brasil: UFC Moscou – Outros destaques

– Outros destaques? Risos.

– Sorte dos russos que nenhum deles vai lutar na semana que vem. Depois da garfada que Klidson Abreu sofreu contra Shamil Gamzatov neste sábado, certamente algum juizão se vingaria a favor do Esquadrão Brasileiro™. Não vai ter nenhum russo, então vai sobrar pra algum gringo. Ladrão que rouba ladrão é ladrão do mesmo jeito.

– Só assisti ao card principal e cochilei no segundo round de Danny Roberts contra Zelim Imadaev. Perdi a única luta interrompida antes dos 15 minutos regulamentares. Bem feito pra mim por ter assistido a este evento ao invés de brincar com meus sobrinhos.

Ed Herman segue no UFC. Ed Herman segue com luta marcada. Ed Herman teve o contrato renovado. Ed Herman venceu Khadis Ibragimov. O UFC deveria demitir Khadis Ibragimov. São 24 lutas de Herman no UFC, contando com a visita ao Strikeforce, a mando do UFC, para apanhar de Ronaldo Jacaré. Venceu metade. De relevante, Rafael Sapo e Tim Boetsch. Ele ainda estar empregado é um dos mistérios da humanidade.